Mensagens de Yehuá

YEHUÁ é parte da minha essência, é o canal de conexão com a minha consciência. Através desse canal que me acompanha além do tempo e do espaço, há muitas vidas e nesta existência, sigo registrando e canalizando mensagens com inspiração e dedicação! Unindo a experiência humana com a sabedoria que vem da alma, deixo aqui plantadas essas sementes de conhecimento ao longo da jornada evolutiva do meu Ser, tocando o coração e a alma de todos os que com elas se identificam.

Através desta amorosa, harmônica e sábia conexão, que acontece em comunhão a muitos Irmãos de Alma que também se encontram vibrando na frequência do Amor e da Paz em benefício do todo, essas mensagens foram e continuam sendo canalizadas com humildade, imensa gratidão e realização!

Compartilho-as com todo o carinho e amor do meu Ser, desejando que estas palavras, assim como os códigos de verdade e despertar que as contemplam, possam auxiliar na jornada interior de cada um que aqui chegar e estiver em sintonia com elas. Que sejam instrumentos de transformação, afinados com as sinfonias do coração para trazer clareza, verdade, sabedoria, autoconhecimento e autocura a todos os alpinistas de si.

Perfazendo mais de 15 anos que elas vem sendo canalizadas, sigo o trabalho de reuni-las para a criação de um livro e E-book. Seja livre para compartilhá-las, respeitando as fontes e os créditos. Namaste! ❤

(Todos os direitos reservados ©Yehuá. Direitos da autora Luciane Strähuber. Permissão para compartilhar as mensagens sem fins comerciais, respeitando os créditos e a citação do site de origem, conforme Lei nº. 9.610/98 – Dos Direitos Autorais)

lotus-magenta

“A chama do verdadeiro amor só se mantém acesa entre dois corações quando se pode amar em paz, como só sabe amar uma criança. Quando as essências se encontram, o amor é inevitável…Todo o encontro entre essências é um reencontro de almas.” (Yehuá)

“O Amor é o que se sente quando se esquece a mente e se deixa flutuar. É conter o incontível na palma da mão, manter o inconsciente na razão e encontrar num simples olhar tudo o que significa amar” (Yehuá)

 “Quando perdemos a alegria de viver, perdemos a plenitude dos nossos ‘seis sentidos’: a visão, a audição, o tato, o paladar, o olfato e, por fim, a terceira visão, os olhos de nossa alma. Quando a alegria de viver renasce em nosso ser, conecta à nossa essência divina, e o TODO passa a ser parte do SER em plenitude e beleza!” (Yehuá)

“A humildade e a gratidão são as sementes para que o sucesso e a felicidade se perpetuem e possam dar frutos de amor e sabedoria. Se ainda não souber agradecer, tampouco saberá amar o próximo como a ti mesmo. Se ainda não aprender a semear nenhuma dessas sementes, comece por tratar o outro como gostaria de ser tratado. Essas sementes jamais deixarão de existir em seu coração, perpetuando um ciclo infinito de plenitude, harmonia e perfeição em sua vida e no caminho do outro. Seja sempre grato e humilde em seus atos, pensamentos e sentimentos, para que suas sementes cresçam férteis, sadias e luminosas! Você colherá os frutos daquilo que plantar.” (Yehuá)

“A dor enquanto resposta de nosso corpo é sempre uma aliada para nos mostrar aquilo que necessitamos modificar. Aceitá-la e vê-la como tal é a chave para obtermos as respostas que buscamos, silenciando a mente e ouvindo a voz que rege nossa sabedoria interior. Colocar em prática esse pensamento é possível. O difícil é estar entregue à desconstrução do ego e à reprogramação da mente ilusória. A dor, em muitos casos, é uma manifestação da luta do ego para se manter nos mesmos padrões de crenças, pensamentos e comportamento. Sejamos, então, como a águia, que exerce o desapego e não tem medo da mudança, abandonando tudo o que era, arrancando bico, penas e unhas num momento solitário e silencioso para viver mais trinta anos. Quem hoje está disposto a essa transformação? Aqueles que exercem a entrega total. Nem tudo está sempre sob o nosso controle. Através do respeito aos seus limites e aos do outro, da aceitação da dor para compreender o que ela quer dizer, fazemos dela uma mola propulsora em prol da mudança e da transformação interior.”(Yehuá)

relacionamento-sagrado-3

“Nos perdemos uns aos outros quando o amor residente entre duas pessoas não consegue fazer a ponte com a verdade que vem da alma e do coração. Se ainda há o medo, há a dúvida. Se ainda há o medo e a dúvida, o amor na sua plenitude e beleza não encontra espaço para ser e se expressar. Amar é entrega, é seguir e confiar.” (Yehuá)

“Sejamos como as árvores, que recebem do universo a terra, alimento para nutrir; o Sol, energia para desenvolver; a Chuva, pureza para se manter e sobreviver. O universo é rico, abundante e pleno para todas as consciências existentes, assim sendo também para os seres humanos. Então, apenas SEJA, EXISTA como as árvores, que não pedem nada, apenas por gratidão pela sua criação, pois sencientes estão de sua missão. Prosperidade, riqueza, plenitude e gratidão fazem parte da essência divina com que fomos criados. Relembremos do SER acima do TER, para que o TER seja consequência e não causa de nossa existência. Você e as árvores: o SER; a terra, o sol e a chuva: o TER. De que adianta o TER se não existo? SER é existir!” (Yehuá)

‎‎”Desembrulhe seus dons de dentro dos seus sonhos e traga ao mundo aquilo que representa a expressão da sua alma! Flua com a Criação: cante, pinte, dance, toque um instrumento; toque fundo o seu coração e a alma daqueles que o rodeiam! Desperte o que há de melhor dentro de você e não tenha medo de brilhar: o seu brilho pleno e sincero acenderá a luz dentro de muitos corações e acordará dons adormecidos por pura expressão de amor e prazer. Aquele que faz o que ama tem prazer em tudo o que faz!”(Yehuá)

“O ego e a personalidade não são negativos como muitos pensam, são filtros e termômetros para que tenhamos consciência dos nossos limites e do respeito aos limites do outro.” (Yehuá)

“Curar-se é transcender. A transcendência é a consciência superior da cura. A cura acontece quando sou consciente da doença, então, sou capaz de liberar e transcender.” (Yehuá)

“Conhecer os medos que residem nas profundezas do ser é mapear as sombras que habitam o inconsciente. Um caminho para reconhecê-los é enfrentá-los. Por mais árdua que seja a prova, persistir com paciência e seguir buscando a verdade e a clareza é um caminho para a vitória. Nessa jornada, nesse mergulho para dentro dos oceanos internos, será preciso coragem para começar, força interior para continuar e persistência para permanecer.” (Yehuá)

“Vamos celebrar, nutrir, cuidar e amar, hoje e sempre, o Feminino Sagrado que habita a essência divina de cada mulher, de cada consciência feminina planetária. Sejamos a guerreira, a aprendiz, a mestra, a sacerdotisa, a maga, a Deusa. Exerçamos o papel de companheira, amiga, mãe, filha, irmã, avó, a mulher amante da vida e de tudo o que a permeia dentro da linguagem do amor e da paz. Sejamos a Terra, a Água, o Ar, o Fogo, o Éter. Sejamos a beleza da flor, o esplendor da borboleta, a força das cachoeiras, a sabedoria dos oceanos, o brilho da lua, a cura das ervas, a energia da semente, a vitalidade das raízes, a verdade do canto de um pássaro. Sejamos Pachamama, Mãe-Terra, Mãe-Universo, aquela que ouve a voz do coração de todas as mulheres cujas almas dançam a mesma canção chamada Amor!” (Yehuá)

“QUANDO NOSSOS EGOS ADORMECEM, NOSSAS ALMAS SE ENCONTRAM!” (YEHUÁ)

“Seus olhos captam tanta beleza! O que tem feito com ela? É hora de trazê-la para dentro de você, para dentro do seu coração. Quando assim for, verá a beleza refletida em si, a beleza representada através do amor. Enxerga a beleza aquele que possui olhos treinados para vê-la, olhos que primeiro enxergam dentro para depois ver fora, olhos sintonizados à pureza e singeleza do coração. A beleza: os olhos de Deus na Terra!” (Yehuá)

“Enquanto forças obscuras encontram mais espaço e meios para atuar, na mesma proporção a Luz se faz presente, sábia e luminosa para aqueles que caminham sob a senda da fé, do amor, da lei e da justiça divina, guiados pelo farol do Grande Criador, de suas Falanges e Milícias Celestes. A sombra representa a ausência de Luz. A Luz, a sombra preenchida de consciência e sabedoria. Luz e sombra, alma e ego, aspectos de um mesmo ser, mas nutridas por diferentes Fontes. A Luz, o lobo branco; a sombra, o lobo negro. Qual deles você tem alimentado dentro de você? Aquilo que você nutre torna-se você em algum momento.” (Yehuá)

“Os estimulantes são elementos e substâncias que podem mascarar a necessidade física e mental de descanso e reestruturação, do olhar para dentro de si para realizar transformações interiores que necessitam do silêncio. Aceleram, além do ponto de equilíbrio, o corpo e a mente, refletindo no desajuste dos centros energéticos e, posteriormente, no cansaço e na falta de energia. No entanto, quando consagrados ou intencionados em prol de um objetivo vinculado à uma necessidade do ser, usados de forma moderada e consciente para obter respostas internas e aprendizado, são benéficos para o corpo e para a alma sem que gerem vício. Todo elemento, assim como cada célula do nosso corpo, reage às nossas intenções como co-criadores da realidade.” (Yehuá)

“Muitos lugares estão impregnados e são mantidos por energias densas e não qualificadas apenas pela intenção que cada pessoa carrega dentro de si, geradas pelos seus pensamentos e emoções. Muitos “obsessores”, acompanhantes dessas pessoas, são criados, nutridos ou alimentados pelas suas intenções. Se estivermos mais atentos ao que se passa no nosso interior, sem medo das sombras que devemos conhecer e enfrentar para nos transformarmos, assim também estaremos atentos aos ambientes com os quais nos ligamos; assim também estaremos presentes diante do que acontece fora de nós e que reflete ou gera o desequilíbrio interno. Atentos também nos manteremos, a partir do trabalho interior, para realizarmos grandes transformações e mudanças no macro ambiente, para que não sejamos vistos ou lembrados como mártires, mestres com seus discípulos e seguidores, ou como um belo quadro pendurado na parede. Mas, apenas como um entre muitos exemplos de vida que, através da sua própria experiência e aprendizado, serviram de faróis no caminho de outros para que pudessem reencontrar o seu próprio brilho e alçar o seu vôo. Nessa trilha, o objetivo alcança um único aprendizado: conhece-te a ti mesmo para poder mover montanhas! O maior presente que você pode dar para si é o autoconhecimento. Esse é um dos caminhos para você conhecer o seu real propósito divino e aprender a concretizá-lo. Grandes mudanças são possíveis a partir de pequenos passos mas constantes transformações. Grandes obras humanas são erguidas a partir de pequenas pedras ou tijolos. Árvores frondosas crescem a partir de pequenas sementes. O que está lá fora só se modifica a partir do que está sendo feito dentro de você. Então, fica a pergunta: o que você está fazendo para atingir esse objetivo no agora? (Yehuá)

“Sejamos como as flores que se renovam a cada ciclo. Elas são o espelho da nossa essência divina, nos mantém conectados à nossa beleza interior, nos relembram quem somos e de onde viemos: centelhas divinas em vibração! A beleza representa os olhos de Deus na Terra; as flores, uma representação sublime dessa beleza, uma consciência plena. A cada processo de morte, um renascimento. A cada amanhecer, uma nova vida. A cada semente, um novo despertar. Nascer, gerar, morrer, renascer, um ciclo luminoso de perfeição e plenitude, cor e sabedoria, transformação e amor. Flores são a alma, o Deva, a consciência superior, a arte criada pelo Grande Espírito da Vida, pintada e preservada pela Mãe Natureza! Que as flores possam ser sempre o nosso espelho!” (Yehuá)

borboleta-azul_flores-laranjas

“À semelhança da borboleta que luta para transformar-se depois de longa jornada, após longa espera para alçar voos longínquos rumo à liberdade, desapegue-se de todo o passado para atingir e manter a sua!” (Yehuá)

“Os sinais da natureza são a voz do coração da Terra, de Pachamama. Nossa voz interior é o reflexo da sua sabedoria. A voz do universo está em nós. Aprendendo a ouvi-la silenciamos a mente, conectamos com a essência do amor, da luz, da vida, a essência da nossa consciência superior. E como um farol, nossos passos, pensamentos e sentimentos se iluminam. Temos, então, a clareza e a certeza do caminho a seguir.” (Yehuá)

“Aqueles que hoje tem o propósito de ensinar e auxiliar no despertar de outros irmãos de alma para atingirem a sua maestria interior, só ensinam porque um dia foram aprendizes de si – e permanecerão sendo. Para tornar-se mestre de si é preciso, antes, desenvolver a humildade de ser aprendiz. Um não existirá e estará dissociado do outro. Quando compreendemos esse mecanismo de equilíbrio, o Yin e o Yang existente nos ciclos da Criação, estamos então sintonizados com o nosso centro, com a sabedoria da nossa alma e a luz do nosso coração. Somos eternos aprendizes nessa infinita espiral do conhecimento e da criação!” (Yehuá)

“A fé diante da escuridão é a premissa para o momento. Confie na Providência Divina. Independente do que acontecer, tudo será para o seu Bem. Mesmo que não seja capaz de sentir, ainda assim, continue confiando. Criar dúvidas é dar abertura para forças externas atingirem seu equilíbrio e invadirem seu campo de proteção. Ainda que não consiga sentir o que virá e o que está no futuro, confie no presente. Será ele que trará forças para que você se desapegue de tudo que o limita e ainda o prende ao passado. As amarras do passado são o que lhe impedem de sentir o que virá no futuro e de viver plenamente o presente. Este trabalho não compete apenas a você, mas sim a outras pessoas que passarão pelo seu caminho, não só lhe ensinando o que ainda precisa aprender, mas também aprendendo com você através do processo do sentir. O outro será sempre um espelho que permitirá você aprender e ensinar. Aprender com aquilo que reflete suas sombras, ensinar com aquilo que reflete suas luzes interiores, seus dons e qualidades.” (Yehuá)

“Ser curativo e terapêutico não é apontar os defeitos alheios, mas reconhecê-los para que o indivíduo possa transformá-los, conscientizando-se dos seus limites, do seu ego: o termômetro diante dos limites do outro. Ser curativo e terapêutico é auxiliar o outro a encontrar as partes perdidas de si mesmo através do reconhecimento de seus bloqueios, de suas crenças limitantes, de suas sombras; é ajudá-lo a abraçá-los, liberá-los e a compreender o medo diante deles. Ser curativo e terapêutico é reconhecer no outro a essência divina da criação, seus dons, suas potencialidades, as capacidades natas provindas desde vidas passadas e gravadas nos arquivos de sua alma, de suas células, na memória do seu DNA: o código único que cada ser humano possui e que vibra uno com o universo! Seja curativo. Seja terapeuta de si e aceite que o outro possa também ser e refletir a sua cura. Ser terapeuta é mostrar caminhos e possibilidades para o despertar do outro, o despertar da sua semente divina em ação, plenitude, luminescência, força, equilíbrio, beleza e amor! Quanto mais profunda for a jornada de despertar interior de alguém, mais terapêutica e curativa será a sua companhia.” (Yehuá)

Leia Mais…

(Todos os direitos reservados ©Yehuá)

3 comentários em “Mensagens de Yehuá”

  1. Como é bom buscar conhecimento sem julgamento precomceito. Lendo estas pajinas percebi que tudo esta no seu devido lugar Deus na sua infinita grandeza amor e bomdade nos acolhe a todos em seus braços de Pai amorozo. Obrigada Senhor Da Vida Por VOSSO INFINITO AMOR GRATIDÃO

    Curtir

    1. Olá, Vitória!

      Com certeza! Muito felizes em recebermos tuas palavras e sincero sentimento!

      Eles só multiplicam esta frequência de Gratidão, Compaixão e Amor que brotam e irradiam, naturalmente, através da canalização dessas mensagens aos que sintonizam sua essência com elas! E mais do que palavras, são códigos de Luz espargidos como sementes em terras férteis, para nos lembrarmos do sagrado e da sabedoria interior que reside dentro de nós!

      Gratidão sempre! Grande abraço! 😉

      Curtir

Os comentários estão encerrados.