Artigos, Feminino Sagrado, Xamanismo

Honrando a Anciã que habita em nós

Honrando a sabedoria ancestral provinda das mulheres que vieram antes de nós e a usaram com amor, honramos também nossa parte visionária e sábia, nossa curandeira, sacerdotisa, alquimista, xamã e anciã interior, e junto delas todas as ancestrais que estão na luz da consciência nos trazendo a força das suas raízes, as suas medicinas e seus conselhos – tão velhas e ao mesmo tempo tão novas sabedorias que ainda hoje são aplicadas com sucesso e eficácia.

Chegará um momento em nossa jornada interior que descobriremos nossa “parte velha”, a anciã que fomos, que somos e que habita em nós há tantas vidas, que passou por tantas culturas, que visitou tantas terras quantos foram os seus passos e as suas experiências, que teve registrada nas suas raízes a sabedoria passada também pelas suas ancestrais e adquirida ao longo dos caminhos pela dança da vida e as espirais da morte.

Quando ela se apresentar para nós, através do arquétipo que for – aquele através do qual estaremos mais identificadas – tenhamos nossa mente aberta para ouvi-la sem julgamentos, desaprendendo e desapegando nesse momento das nossas crenças, para aprender o novo que ela virá nos trazer, às vezes uma visão mais oxigenada, mais sábia e profunda de alguma experiência que estivermos vivenciando através de nossas transformações pessoais.

É com profundo amor, trazendo a força dessas raízes e a sabedoria provinda de suas medicinas, que honro minha anciã com todas as suas faces. Honrar e aprender com nossa anciã é uma forma de resgatar uma parte de nós mesmas – talvez muitas delas – assim como manter acesa a chama da nossa sabedoria, força e poder interiores, desde os nossos ossos até a nossa pele, desde as nossas raízes até os frutos que gerarmos. Ela é capaz de nos ensinar sobre onde reside o equilíbrio dos ciclos da vida e da morte dentro de nós, para que sejamos capazes, da mesma forma, de encontrar o equilíbrio da vida onde exista morte e o equilíbrio da morte onde exista vida. Ahow! Namaste!

“Por todas as mulheres mais velhas, matreiras, que estão aprendendo quando chega a hora certa de dizer o que precisa ser dito e não se calar – ou calar-se quando o silêncio for mais eloquente que as palavras.

Por todas as velhas em formação, que estão aprendendo a ser gentis quando seria tão fácil ser cruel.

Que conseguem ver que podem ‘cortar’ quando for necessário, com um corte afiado e limpo.

Que estão praticando a arte de dizer verdades com total compaixão.

Por todas as que rejeitam as convenções e preferem apertar as mãos de desconhecidos, cumprimentando-os como se os tivessem criado desde filhotinhos e os tivessem conhecido desde sempre.

Por todas que estão aprendendo a chacoalhar os ossos, balançar o barco – e a cama – além de acalmar as tempestades.

Por aquelas que são guardiãs do azeite para a lâmpada, que se mantêm em silêncio interior no culto diário.

Por aquelas que cumprem os rituais, que se lembram de como fazer o fogo a partir da simples pederneira e palha.

Por aquelas que entoam antigas orações, que se lembram dos símbolos, das formas, das palavras, das canções, das danças e do que no passado os ritos tinham o objetivo de instaurar.

Por aquelas que abençoam com facilidade e frequência.

Por aquelas mais velhas que não têm medo – ou que têm medo – e que agem com eficácia de qualquer modo.

Por elas…Que vivam muito, com força e saúde, e com um imenso espírito aberto aos ventos.” AMÉM!

Fonte complementar: A Ciranda das Mulheres Sábias – Clarissa Pinkola Estes (Mesma autora do livro Mulheres que Correm com os Lobos)

Por Luciane Strähuber – Educadora da Terapêutica Integrada

Conheça o Purificador de Ambientes Kaeté: Anciã da Sabedoria – Linha Xamânica 

 

 

Anúncios
Artigos, Xamanismo

Crises e a Medicina do Pato: O que precisamos aprender sobre Mudança e Adaptabilidade

No Xamanismo, enquanto estudo ancestral dos animais como totens de poder, levando em consideração sua personalidade, seu comportamento, os elementos da natureza a que estão vinculados, seus hábitos e forma de viver na natureza, uma das medicinas que pode nos trazer clareza e aprendizado em meio às crises, sejam elas internas ou externas a nós – levando em consideração a crise dos transportes que acontece aqui no Brasil – é a Medicina do Pato.

No Xamanismo, vê-se os ensinamentos oriundos dos animais como práticas medicinais que podemos aplicar em nossa rotina, em nossas vidas, em nossa forma de pensar, agir e sentir o nosso Ser no meio pessoal e ao interagirmos com outras pessoas, meios e com o planeta. Essas práticas são uma ferramenta auxiliar nos processos de transformação pessoal e no autoconhecimento.

A Medicina do Pato está ligada à proteção maternal, ao conforto e à nutrição de energia – para nutrir-se emocionalmente em primeiro lugar e, assim, poder auxiliar na nutrição emocional de outros no caminho, através do afeto, do carinho, do apoio, do respeito e da flexibilidade e adaptabilidade diante das mudanças.

Esta medicina pode ser evocada através de meditações, onde ancoramos e pedimos permissão para entrar em sintonia ao espírito do animal. Ela nos ensina a equilibrar as emoções com leveza, conforto e graça – a medicina da graça também é representada pelo Cisne, um complemento importante nesta equação para lidarmos com as diversas situações que a vida apresenta da melhor forma possível, sendo gratos por tudo o que nos chega como forma de aprendizado e evolução.

Já na simbologia onírica – incluindo os estudos simbólicos de Carl Jung – o pato pode ser considerado um dos símbolos do Self pela sua capacidade de adaptação e estilo de vida distintos. Essa interpretação tem pertinência porque o pato é capaz de adaptar-se em três meios: na terra, na água e no ar.

Essa função ligada ao Self, portanto, é considerada como sendo transcendental: a capacidade que tem a psique inconsciente de se transformar e de nos levar a uma nova situação que anteriormente nos parecia bloqueada – uma das razões pelas quais uma situação de crise pode gerar uma grande mudança.

O pato, assim, está em casa em todos os domínios da natureza. Numa interpretação pessoal, o fogo sendo o quarto elemento da natureza aqui está implícito, podendo representar a crise em si, que ocorre dentro ou fora de nós.

Complementando o artigo, segue um texto bastante propício para aprofundarmos nossas reflexões acerca das mudanças que já podemos estar desempenhando em meio às crises que se apresentam. Estejamos sintonizados à Medicina do Pato para aprendermos ainda mais sobre como podemos e somos capazes de nos adaptar a qualquer meio. Um pequeno passo em direção à mudança é um grande passo em direção ao progresso. Namastê! ❤

Por Lorena Ventura, Via Clã Sacerdotisas da terra – “Estamos passando por um ‘treinamento de apocalipse’. Sem combustível nos postos, poucas frutas e legumes, quase nada de verduras, faltam itens nos mercados. Parece cena de filme, mas não é.
No futuro, se continuarmos fazendo as coisas da mesma forma, será por falta real de recursos. Falta, aliás, que já existe constantemente para pelo menos um bilhão de pessoas pelo mundo.

Tudo isso me faz ver que nós ainda dependemos MUITO dos combustíveis fósseis. Dependemos MUITO de meios de transporte de longa distância. Dependemos MUITO daquelas coisas que podem até ser úteis atualmente, mas que irão nos destruir no futuro. Que esses dias apocalípticos nos sirvam de inspiração para alterar hábitos e rotinas destrutivas.

Menos carros nas ruas, mais bicicletas. Menos consumo de alimentos que vêm de todos os cantos do mundo, mais produção local.
Mais hortas urbanas nos bairros das grandes (e pequenas) cidades. Mais fontes de energia alternativas. Mais respeito por quem produz e transporta aquilo que necessitamos – independente da distância. Mais pessoas interessadas em promover mudanças em suas vidas pessoais.

Não vai adiantar estocar comida, quando recursos como o petróleo estiverem escassos e causando o caos completo numa sociedade que se sustenta em bases frágeis. Mas adianta aprender a plantar, se organizar e montar uma horta em casa ou no bairro, compostar as sobras de alimentos. Adianta buscar os pequenos agricultores que moram mais próximo de você.

Adianta buscar novas fontes de energia. Adianta aprender a reduzir a necessidade por itens que demandam gasto de energia ou combustíveis fósseis. Adianta aprender sobre veganismo, minimalismo, sustentabilidade, horta urbana, empreendedorismo, viver (mais e melhor) com menos. Adianta mudar. Primeiro sozinho, de dentro para fora. Depois unindo-se a outros que também estão promovendo mudanças nas estruturas da sociedade.

A estrutura primeira de toda civilização é o indivíduo. Mudando o indivíduo, muda-se a sociedade. E pouco a pouco começamos a ver as mudanças individuais reverberando no mundo ao nosso redor. Novas leis, novas iniciativas, novas formas de ver e viver a vida. Junte-se ao novo.

Mas por onde começar? Por onde você quiser. Todo despertar natural começa com apenas uma transformação.
Você quer reduzir a sua produção de lixo? Parar de comer animais? Diminuir o seu vício em consumo? Emagrecer com saúde? Deixar de depender dos mercados e grandes marcas para comer, se cuidar e se vestir? Defender uma causa?
Você escolhe por onde começar.

(…) Estamos vendo o nascer de um novo mundo – e o colapso de um mundo antigo.
Por isso, tome as providências necessárias para acessar cada vez mais a realidade do novo mundo, e depender cada vez menos do velho. É mais fácil e bem mais barato do que você pensa.

Quem continuar a depender do velho mundo, vai acabar junto com ele.
E a paralisação dos caminhoneiros é só um aviso para quem quiser entender as coisas com os olhos da transformação: não coloque a sua vida nas mãos de um sistema falido. Acorde e co-crie um novo sistema: mais justo, limpo e sustentável! 

Leia também: Medicina dos Animais – II ParteA Medicina do Alce: respeitando seu ritmo, proclamando a alegria, honrando seus dons com sabedoriaA Medicina do Golfinho: o guardião do sopro sagrado da vida, o mensageiro dos nossos progressos

Artigos, Orgânicos: Produtos e Alimentação, Terapias Integrativas, Xamanismo

Purificadores KAETÉ: A Força da terra, o Perfume da vida!

Neste mês de maio, estamos com uma promoção especial para o Dia das Mães! Presenteie quem você gosta e ama levando a energia, as elevadas vibrações, o amor e o carinho com que essa alquimia sagrada é produzida! Aproveite o valor com 20% de desconto nas compras pelo site! ❤

Na compra de 4 Puririfcadores Kaeté Linha Floral ou Linha Xamânica GRÁTIS 1 KIT RENOVADOR: Banho Energia Cigana OU Energia Relaxante OU Energia 7 Ervas * + Madeira sagrada de Palo Santo + 1 CD de Meditação (Namuria ou Arapahe).

Banho Energia Cigana (20g): Pétalas de rosas, Cravo, Canela, Cacau em pó, Pimenta Rosa ou Vermelha, Calêndula, Anis Estrelado e Hibisco.

Banho Energia Relaxante (20g): Camomila, Erva-doce, Melissa, Maracujá, Capim Cidró e Casca de Laranja Doce.

Banho Energia 7 Ervas (20g) : Alfazema, Alecrim, Arruda, Sálvia, Manjericão, Louro e Eucalipto.

* Valor na Promoção com 1 KIT: R$ 100,00 (+ Frete para sua região). Pagamento antecipado via depósito.

Para conhecer cada purificador individualmente e escolher o que mais se sintoniza com o momento, clique aqui: Linha Floral/ Linha Xamânica

Para encomendas e mais informações, clique aqui e faça o seu pedido! 😉

“Apaixonada por fórmulas, experiências e elementos da natureza desde os 4 anos de idade, onde o conhecimento registrado na alma já começava a aparecer, as brincadeiras prediletas envolviam misturas com flores, plantas, cristais colhidos na fazenda dos avós, frascos, água e muita cor. Na escola, as aulas favoritas eram as experiências nos laboratórios de química e biologia. Através desse histórico, incentivada e rodeada desde criança pela medicina naturalista e a homeopatia, especializando-me na fase adulta ao conhecimento adquirido, diria que a idealização e criação dos Purificadores Kaeté é certamente uma extensão da minha essência! Permaneço dedicando-me a esta linda jornada que trilho com profundo amor e gratidão. Namastê!”

Luciane Strähuber – Idealizadora e Criadora dos Purificadores Kaeté

Saiba mais: História dos Purificadores Kaeté/ Depoimentos de quem usou e adorou!

Artigos, Xamanismo

Finados: Honrando e Celebrando nossos Ancestrais

“De manhã, eu canto a canção singela de graças, como meus avós ensinaram. Canto por todos os meus parentes, por todos aqueles que vivem e respiram, até pelas pedras, pois os cristais são vivos e crescem como nós. Em nossas experiências com a vida, em nossas interações uns com os outros, aprendemos a deixar a ira de lado, aprendemos os modos da comunhão e encontramos os caminhos da resolução (…)

Muitos de nós buscam hoje, outra vez, maneiras simples de viver, maneiras dignas que não nos escravizem para pagarmos por coisas de que na realidade não precisamos, e não nos tornem cada vez mais dependentes das tecnologias que poluem a Terra. É bom cortar a nossa própria lenha, é bom fazer um fogo para cozinhar no quintal. Viver com simplicidade é viver sem grilhões.

Nossa condição, nossa posição são determinadas não pelo trabalho que realizamos externamente, mas pela obra em nossos corações e pelo modo como ajudamos os outros. O esforço para reconhecer e falar a verdade é o maior trabalho que qualquer um pode realizar. É perceber o poder da nossa mente límpida e fazer manifestar o melhor em todas as pessoas com quem percorremos o caminho da vida. Este é um dom de dar e receber. Nosso coração sente, então, que vai explodir de amor e apreço, livre dos medos que confinam.” (The Voices of Our Ancestors – As Vozes dos Nossos Ancestrais)

Em diversas culturas, o Dia de Finados é comemorado com alegria, música, dança e cor. Essa alegria tem por base honrar a vida que nos foi dada, reverenciar tanto os ciclos Vida quanto os ciclos de Morte, permitindo que a morte também tenha um lugar em nossos ciclos pessoais de vida sem que tenhamos que negá-la ou rejeitá-la, mas simplesmente percebê-la como necessária para qualquer movimento de renascimento, de recomeço, de mudança e transformação.

Nos alegramos, assim, por podermos honrar nossos antepassados e tudo o que por eles foi deixado de bom, de positivo em nosso caminhar: seus dons, talentos, realizações e avanços que imprimiram prosperidade e progresso em nossa família.

Mesmo que o legado tenha sido um caminho com “erros” ou acertos, temos a oportunidade de aprendermos e evoluirmos através dele fertilizando a terra dessas raízes naquilo que compete a nós. Muitos tendem a perder sua força porque não compreendem ou não conseguiram reconciliar-se, porque perderam a conexão com sua própria origem através da rejeição ou do não reconhecimento de seus ancestrais. Com isso, perdem a conexão com a Vida.

Neste movimento, temos a chance de nos reconciliarmos com algo que ficou pendente, que ficou incompleto, até mesmo com algo que impediu ou corrompeu o fluxo da vida por ações destorcidas. Temos, antes, o exercício da reconciliação para que haja espaço para o perdão acontecer em nosso coração. Honrando e sendo gratos pelos que vieram antes de nós adquirimos força provinda das nossas raízes – uma parte dessas raízes representa uma parte de nós, da nossa árvore ancestral.

Sob uma visão mais ampla, se pudéssemos percorrer a árvore genealógica da criação primordial do nosso ser chegaríamos à real origem de nossas vidas. Todas as pessoas que nos antecederam estão diretamente ligadas à nossa própria existência, pois caso uma delas não tivesse existido, nós também não teríamos a oportunidade de estarmos vivos.

Honrar e sintonizar com este olhar em direção ao passado, assim, significa ser grato pela vida que nos foi dada; incluir nela os que porventura foram excluídos e os que fizeram parte desta e de outras existências de nossa alma, nesta e em outras famílias – biológica, espiritual e cósmica.

É reverenciar aqueles que apenas neste plano dimensional não estão, mas que permanecem nos apoiando, nas memórias das nossas raízes, em nossos corações, nos trazendo força, vitalidade, impulso para olhar em direção ao horizonte, em direção à Vida e ao porvir dos nossos sonhos, objetivos e propósito! Namastê! ❤

 

Artigos, Xamanismo

A Medicina do Alce: Respeitando seu Ritmo, Proclamando a Alegria, Honrando seus Dons com Sabedoria

“Seus chifres almejam tocar o Sol. Mostre-me que força e energia são, na verdade, uma coisa só.”

Através da Medicina Ancestral Indígena e o estudo dos animais, podemos compreender e adaptar esses princípios à nossa realidade. Por essa razão, assim como a medicina proveniente das ervas, por exemplo, a medicina provinda dos animais também tem muito a nos ensinar, auxiliando profundamente em nossos processos de autoconhecimento, transformação interior, crescimento e evolução.

Essas medicinas nos relembram a sabedoria ancestral que ficou esquecida ou perdida no passado de nossa existência, assim como dos nossos ancestrais, mas cujo ensinamento ainda permanece lá, em algum lugar nos arquivos do nosso DNA e da nossa consciência. Não é por acaso que muitas práticas orientais tem por base o estudo desta sabedoria, intrínseca em todas as almas dos irmãos animais que se mantém em plena sintonia com a consciência de Gaia.

A Medicina do Alce nos ensina primeiramente sobre ENERGIA. Eis uma história para elucidar: O Alce perambulava pela floresta em busca de uma companheira. A estação de acasalamento estava no auge e os Alces que costumavam viajar com outros machos haviam se dispersado para encontrar as parceiras que os acompanhariam nesta temporada. Porém, enquanto o Alce lançava seu chamado floresta afora, ele involuntariamente alertou o Puma da possibilidade de realizar um inesperado banquete.O Puma cercou o Alce, descrevendo círculos cada vez menores em torno de sua presa à medida que o tempo passava.

O Alce percebeu o perigo iminente no momento em que a floresta silenciou de súbito, em muda expectativa, e correu então para as terras altas para tentar escapar de seu agressor. Mas, o Puma já o havia precedido e atirou-se sobre ele. Não conseguiu capturá-lo porque o Alce disparou à sua frente com incrível vigor, deixando-o exaurido de tanto saltar sobre troncos e pedras na inútil tentativa de capturá-la.O Alce continuou então a subir para as terras altas num ritmo constante e muito acelerado, pois ele sabia que sua única defesa consistia justamente nesta capacidade de ir mais longe e mais rápido do que qualquer um de seus inimigos, utilizando ao máximo suas reservas de energia e sua determinação.

O Alce ensina que sua energia aumentará se você for capaz de manter a disciplina e o ritmo em sua vida. Pode ser que as pessoas do totem do Alce não sejam as primeiras a atingir um determinado objetivo, mas elas certamente o alcançarão incólumes, em plena forma e ainda com reservas de energia para seguir em frente. Tudo é uma questão de encontrar o ritmo adequado para si mesmo.

Caso você tenha exigido excessivamente de suas forças nos últimos tempos, é melhor você rever seus planos e traçar uma nova estratégia de ação, para que seja capaz de terminar seu empreendimento sem dar entrada no hospital ou cair enfermo. O Alce possui uma curiosa espécie de energia guerreira, porque, exceto durante a estação de acasalamento, ele sabe honrar a amizade dos companheiros do mesmo sexo. Os Alces sempre podem apelar para a energia da fraternidade, para a energia de cura dos irmãos do mesmo sexo.

Quando você descobrir a energia que decorre do amor pela própria espécie, conseguirá sentir um novo tipo de camaradagem nascendo em seu coração. Esta energia amorosa faz com que a amizade entre as pessoas do mesmo sexo não seja conspurcada por sentimentos de ciúme, inveja ou de competitividade.

Se a imagem do Alce tem chamado sua atenção – como um recado do universo – seja em sonhos, meditações, figuras, filmes, etc., isto pode significar que você necessita procurar a companhia de pessoas do mesmo sexo para recuperar a energia fraterna típica de sua própria espécie. Isto pode ser conseguido, por exemplo, pela participação numa terapia de grupo ou simplesmente pela prática de um esporte realizado em equipe, tal como futebol, vôlei, basquete.

A interação com pessoas do mesmo sexo permite que você expresse seus sentimentos com segurança, ao mesmo tempo que você pode observar as reações dos outros às mesmas experiências. Isto o ajudará a desenvolver um novo sentimento de integração, baseado na comunicação e na comunhão de ideais.

O Alce pode estar advertindo-o também de que é necessário avaliar a forma como você está lidando com o estresse em sua vida. Talvez seja tempo de rever suas metas, de mudar a estratégia ou o ritmo de trabalho para cobrir a distância que o levará até seus objetivos sem graves traumas físicos nem psicológicos. Pode ser que você esteja necessitando apenas de umas vitaminas ou de uma alimentação mais balanceada, ou precisando de um período de repouso e meditação para reestruturar o seu universo interior.

“Ajude-me a honrar os dons que tenho a oferecer e a reconhecer meus méritos enquanto eu viver.”

Já a Medicina do Alce Americano nos ensina sobre AUTO-ESTIMA. Assim como o Búfalo, o Alce Americano é encontrado ao Norte da Roda de Cura, no lugar da Sabedoria. A energia de cura do Alce Americano é a auto-estima, porque representa o poder de reconhecer que esta energia tem sido usada em diversas situações, fazendo-o merecedor de aplauso e reconhecimento.

O Alce Americano é o maior animal da família dos cervos. O som do chamado deste Alce macho é uma coisa impressionante de se ouvir numa almiscarada noite de primavera. O orgulho de sua masculinidade e sua ânsia em compartilhar sua semente com uma fêmea de sua espécie são signos evidentes de sua forte auto-estima. A parte inferior do corpo de um Alce Americano pode ser encarada como uma força positiva, pois representa sua vontade de gritar ao mundo todos os seus sentimentos.

Essa vontade de comunicar a todos sua felicidade é decorrente de um sentimento de auto-realização. Não há satisfação maior do que aquela proporcionada por um trabalho bem feito. Esta ânsia em comunicar ao mundo suas realizações, presente na personalidade dele, não é sinal da busca de reconhecimento e de aplauso, e sim a espontânea explosão de alegria que emerge das profundezas de cada um de nós.

A sabedoria implícita no comportamento do Alce Americano é a Consciência de que a criação constantemente traz à tona novas idéias e novas realizações. O que o Alce Americano está tentando nos dizer é que a alegria deve ser orgulhosamente proclamada aos quatro ventos. Nisto reside a sabedoria de que a alegria é contagiante, beneficiando a todos os que entram em contato com ela.

Num certo sentido, aquele que festeja ruidosamente suas próprias vitórias está nos convidando a fazer o mesmo também, a saber comemorar os nossos sucessos e os sucessos dos outros. As pessoas do totem do Alce Americano possuem a capacidade de reconhecer quando é preciso usar a gentileza característica dos cervos ou quando é preciso recorrer à potência do Búfalo. Elas sabem encontrar o equilíbrio entre a necessidade de dar ordens para que as coisas sejam feitas e a disposição de fazer as coisas sozinhas, sem a ajuda de ninguém.

A sabedoria do Alce Americano é semelhante à do Avô Guerreiro que já abandonou sua pintura de guerra há muito tempo e agora se empenha em prevenir os jovens impetuosos da importância de manter a cabeça fria. A cura do Alce Americano é freqüentemente encontrada. entre os anciões que já trilharam a Boa Estrada Vermelha e já viram muitas coisas nesta sua Caminhada pela Terra. A alegria das pessoas do totem do Alce Americano reside em ensinar e encorajar as crianças, orientando-as em direção ao bom caminho. Elas sabem usar a sabedoria adquirida tanto para censurar quanto para elogiar, e sabem encontrar sempre o melhor momento para dizer a palavra certa para a pessoa necessitada de incentivo ou orientação.

As pessoas da energia do Alce Americano sempre sabem o que dizer, quando dizer e a quem dizer esta palavra certa. Nas sociedades dos índios norte-americanos, os anciões são louvados pelo dom da sabedoria pela capacidade que têm de ensinar, pela calma e pelo comedimento que demonstram nas reuniões do Conselho Tribal. Se você foi abençoado com a energia do Alce Americano e já adquiriu a sabedoria; apesar de não ser ainda um ancião, use este dom para encorajar os outros a aprender e a crescer.

Se a imagem do Alce Americano apareceu para você, isto significa que você tem motivos para orgulhar-se de algo que realizou. Pode ser um vício que você abandonou, a concretização de algum trabalho ou tarefa, uma intuição capaz de permitir a realização de uma meta ou a árdua superação de uma falha de caráter. É chegada a hora de orgulhar-se de sua vitória e de compartilhar o sucesso com aqueles que o auxiliaram nessa conquista.

Fonte complementar: Cartas Xamânicas – A Descoberta do poder através da energia dos animais/ Jamie Sams & David Carson

Mensagens Irmãos das Estrelas, Mensagens YEHUÁ, Xamanismo

O Chamado: O Pulsar de Amor

Créditos da imagem: Colores Art Studio

Hoje, relembramos o chamado de ontem…

o chamado que ecoa por eons de existência

nos corações das almas-guerreiras que lutaram pela Paz:

as tribos dos Guerreiros do Arco-Íris,

dos Homens-Pássaro,

das Mulheres-Pachamama,

dos Filhos e Filhas das Estrelas.

Pó de estrelas e essência cristalina que habita em muitos de nós

nos relembra, nos convida a unificar, a unir forças e propósitos!

Eles vem, de tempos em tempos, trazer a luz no fim do túnel

quando a esperança se afasta e dá lugar à saudade de um tempo

em que todos vivíamos em harmonia com Gaia e o Grande Espírito.

Eles vem nos relembrar sobre nós mesmos,

sobre continuarmos firmes e fortes no propósito da alma,

sobre a verdade inabalável de que nunca estamos sós na jornada,

sobre o poder da vontade que sustenta a fé no porvir,

cria as experiências com gentileza e bênçãos,

materializa sonhos e mantém acesa a chama do amor,

para continuarmos nutrindo a ponte que nos leva de volta para casa

através do universo multidimensional do nosso coração.

Eles vem apenas nos relembrar do poder interior,

do fogo da criação divina e da sabedoria ancestral da alma

que nos traz sempre a força para seguir,

a coragem para continuar, a persistência para permanecer,

a sabedoria para alcançar o topo da montanha

e nos tornarmos mestres de nós mesmos.

Quando você receber esse chamado,

quando senti-lo nas profundezas do seu ser,

num misto de lágrimas e emoções inexplicáveis

que pairam entre a gratidão e a saudade,

lembre-se do elo que foi amorosamente acordado

em outros planos e, até mesmo, em outros orbes.

Esse chamado trará a memória de um amor fecundo, profundo,

que dói o peito e tira o fôlego, mas enche os pulmões com o ar da Vida!

Tenha a certeza que você é parte deste chamado que convida apenas a relembrar!

Muitos como você aguardam o reencontro destas tribos e,

quando esta hora chegar, campos floridos, terras férteis,

águas límpidas e ar fresco haverão ao seu redor

nutridos pelo alento caloroso da fogueira sagrada dos círculos do passado

em nome da Paz planetária, em nome da celebração da Vida e do Amor Universal!

Continue, confie, busque, conheça-se, acredite, ame!

Todos os Filhos das Estrelas como você

estão sintonizados por um único coração,

invisível aos olhos mas pulsante na alma.

Este pulsar de amor unirá todas as tribos da paz!

Yehuá© & Xamãs das Estrelas  

 

 

Artigos, Orgânicos: Produtos e Alimentação, Sustentabilidade Ambiental, Terapias Integrativas, Xamanismo

Purificadores de Ambientes Kaeté: a força da terra, o perfume da vida!

Baseadas na Alquimia e na terapêutica integrada e holística, incluindo conhecimentos da fitoterapia e fitoenergética, aromaterapia e aromatologia, florais, cristalterapia, cromoterapia e um processo alquímico próprio, surgiram as 7 fórmulas da Linha Floral dos Purificadores de Ambientes KAETÉ, inspiradas para trazer equilíbrio, harmonia, bem estar, relaxamento, criatividade, vitalidade, prosperidade e energia para você e qualquer ambiente!

Os Purificadores da Linha Floral são suaves, sutis, marcantes e possuem composições multi-aromáticas. São elaborados com bases de 7 ervas e substâncias orgânicas, óleos essenciais e aromáticos, contendo fórmulas florais próprias que somam os aspectos individuais de cada putificador, sintonizados a reinos e dimensões da natureza que os complementam. Conheça os Purificadores da Linha Floral aqui!

Já a Linha Xamânica dos Purificadores de Ambientes KAETÉ surgiu com o intuito de guiar você numa jornada interior e conectá-lo ao Espírito ou Consciência Sagrada dos Animais: a Medicina Ancestral dos Animais de Poder honrada e respeitada há milênios pelos Xamãs e povos indígenas da Terra.

Para a criação da fórmula de cada Purificador foi elaborada uma Alquimia própria, sintonizada à cada animal: o Lobo, a Tartaruga, o Puma e a Águia, de acordo com seu habitat natural, seu ponto de força na natureza, sua consciência grupal espiritual, seu elemento alquímico e a direção que o rege na roda sagrada da Vida.

Todos os Purificadores Xamânicos possuem aromas marcantes e exóticos. São elaborados com bases de ervas específicas e substâncias orgânicas, óleos essenciais e fórmulas florais próprias que somam os aspectos regentes de cada animal, sintonizados a reinos e dimensões da natureza que os complementam. Conheça os Purificadores da Linha Xamânica aqui!

Para tornar essa experiência ainda mais profunda, cinestésica e meditativa, foram criadas trilhas sonoras sintonizadas à energia e à consciência de cada animal, compondo este bellíssimo CD que chega até suas mãos com todo amor e dedicação! Clique na imagem e saiba mais.

>> Clique na imagem abaixo e conheça também nossas obras de arte! Escolha e encomende a sua! 😉

Linha Xamânica 0 - Pintura (Todos com moldura)

Inspire-se na Medicina Sagrada, Ancestral e Alquímica destas fórmulas únicas! Permita-se aprofundar numa jornada interior, entregando-se à essa experiência aromática, curativa, meditativa, sonora e musical! Que o espírito e a consciência dos Elementais, dos Devas e dos Animais de Poder guiem sua jornada evolutiva! Boa Viagem pelos caminhos da alma! 😉