Matérias, Terapias Integrativas

Florais: Como saber qual a melhor fórmula para você?

Sempre que conversamos com alguém que tem o primeiro contato com um tratamento floral ou que deseja fazer uso de uma fórmula floral para equilibrar-se, surgem dúvidas a respeito de como saber qual o composto mais adequado para o seu caso.

Existem no mercado inúmeros Sistemas Florais, diferenciados entre si pela forma como foram sintonizados e reunidos, pelo país e a região onde as flores são colhidas, bem como pela sua forma de extração, elaboração e manipulação. Uma mesma flor e planta, por exemplo, colhidas em países e regiões diferentes não terão a mesma vibração e bioquímica, tendo em vista o tipo de clima, o solo, a geologia, as águas, entre outros fatores.

As flores também são estudadas e adaptadas à nossa realidade através de arquétipos, com o intuito de facilitar a abordagem no tratamento terapêutico para cada caso. Por essa razão, a importância de consultar um profissional com conhecimento na área, formação e experiência terapêutica é importante.

Contudo, na falta de um terapeuta floral ou um homeopata – a homeopatia também possui fórmulas derivadas de flores, onde estas estão classificadas como “personalidades homeopáticas”- com formação profissional e experiência adequada para orientar, capazes de avaliar o caso para prescrever o melhor tratamento, é possível escolher as flores de acordo com sua intuição e o seu sentir: as flores são consciências vivas da natureza que também dialogam conosco por meio e em sintonia a dimensões mais sutis da nossa consciência humana.

Assim, com o objetivo de trazer esclarecimento para quem deseja fazer uso das fórmulas florais que já se encontram prontas no mercado – hoje mais encontradas em farmácias de manipulação – para aquele que tem a vontade de montar seu composto ou confeccionar o seu próprio floral caseiro, relaciono aqui algumas perguntas e respostas que podem ajudar na busca da fórmula floral mais adequada ao seu momento de vida. Essa busca pode ser tanto para o equilíbrio físico, quanto para a harmonização do emocional, do mental ou mesmo do campo espiritual.

Lembrando sempre: os florais são ferramentas complementares dentro de um processo maior, de um tratamento terapêutico único, diferente para cada pessoa. Recomendo sim que você siga o seu coração e a sua intuição para que as consciências dévicas das flores falem com você por sintonia de propósito, mas também indico a busca pelo constante trabalho interior, já que as flores, assim como nós, são apenas parte de uma mesma planta.

Como parte desta mesma planta, também temos as folhas, o caule, os galhos e as raízes. Precisamos olhar para elas à semelhança do que fazemos conosco: trabalhar o todo para obter resultados mais profundos e duradouros ❤

1 Posso escolher florais para mim mesmo(a)?

Sim, este pode ser o início de um rico e profundo processo de se perceber, se sentir e se conhecer. Faz parte dos processos de autoconhecimento as experimentações para conosco, onde somos a nossa própria “cobaia”. E também essa ação pode ser uma parte na sua rotina de cuidado consigo, em seu processo de desenvolvimento pessoal, sendo uma ferramenta para trabalhar a autoconfiança e a autoestima.

2. Qual a diferença entre escolher para mim ou ter ajuda de um profissional? Quando devo procurar um(a) Terapeuta Floral?

O melhor resultado dos florais depende essencialmente de uma escolha precisa, que toque no âmago das questões: em poucas palavras, florais bem escolhidos trazem resultado. Ao escolher florais para si, sua experiência pode ser rica e gratificante, onde você pode se dedicar a ela pelo tempo necessário ao seu processo de autoconhecimento.

Fique atento ao fato de que, para uma seleção precisa, você vai precisar fazer o exercício do observador interno: olhar para si e reconhecer suas próprias questões, tanto aquelas que fortalecem quanto aquelas que limitam. E também vai precisar querer explorar o universo dos florais, ampliando seu repertório para continuar fazendo escolhas adequadas – isso requer tempo, paciência e resultados a médio e longo prazo.

3. Quando solicitar um outro olhar?

Quando você sentir que precisa de alguém que consiga enxergar sua jornada com mais objetividade, com uma visão mais global e integrada, que ofereça apoio no seu processo e que possa ser testemunha do seu progresso, vale muito ter o apoio de um terapeuta.

Considere o fato de que, em geral, nós somos muito duros conosco, nos cobrando e nos exigindo por inúmeras razões sociais, por padrões e crenças familiares que herdamos e que, muitas vezes, nos fazem sair da nossa rota ou perder a perspectiva. Por isso é essencial aqui poder pedir auxílio para receber um outro olhar.

Observe que um bom Terapeuta Floral se dedica ao estudo e à pesquisa constantes sobre essa prática terapêutica, sempre progredindo e buscando desenvolvimento pessoal e profissional. Isso ajudará você a estar confiante de que está sendo bem orientado e de que não vai “perder o rumo”, tendo o apoio necessário.

4. Como usar as essências florais?

4.1 Orientação básica e ritmo

A orientação básica é a ingestão de 4 gotas sublinguais, 3 a 4 vezes por dia. Dependendo do caso, as gotas podem ser espaçadas para 7 a 8 gts, 2 por dia (pela manhã, ao acordar, e à noite, antes de dormir), principalmente para aqueles que tem uma rotina corrida e tendem a esquecer as tomadas durante a tarde.

Talvez você sinta vontade de tomar as essências mais vezes ao longo do dia. Sinta-se livre para tomar sua fórmula repetidas vezes, até mesmo de hora em hora – esse último caso em geral é indicado para momentos de crise, traumas ou mudanças.

Não existem doses excessivas ou efeitos colaterais com este tipo de preparado vibracional. No entanto, o uso repetido e mais frequente encoraja a ter de passar por uma “limpeza” mais rápida do campo vibracional e dos temas que estão sendo abordados, seja através de um tratamento ou por meio do seu processo de autoconhecimento.

Isso pode ser desejável principalmente no início de um ciclo com as essências florais, como também pode parecer “indesejável”, podendo ocorrer algum tipo de catarse antes de certa melhora, assim como qualquer outro processo de cura.

Esse processo de catarse ou “limpeza” geralmente dura pouco, ocorrendo mais a nível emocional e mental, sendo percebido em pessoas mais sensíveis através de sonhos, insights, meditações e observação de mudanças no comportamento, nas emoções e na forma de ver e reagir ao momento presente.

4.2 Cuidados e Higiene

Os florais podem ser ingeridos pingando 4 gotas sublinguais ou diretamente na língua, através do conta-gotas, com o cuidado de não encostar para evitar uma contaminação que irá interferir na conservação da solução.

Podem também ser ingeridos pingando as 4 gotas num copo com um pouco de água. Fica a seu critério, uma vez que as duas formas são igualmente eficazes. A diferença na forma sublingual é a de que a vibração das flores entrará em contato mais rápido com seu campo áurico e eletromagnético.

Você pode levar seu floral na bolsa, caso precise toma-lo mais vezes ao dia, apenas evite o excesso de calor para maior conservação, assim como a exposição constante a aparelhos celulares e similares, como forma de preservar o campo vibracional e a energia das essências. Se for do seu interesse, já encontra-se para vender no mercado as bolsinhas anti-radiação para florais.

4.3 Horários importantes: ao dormir e ao acordar

Lembre-se que o melhor momento para tomar o floral é antes de dormir e logo ao acordar. Esses são momentos em que estamos especialmente mais sensíveis e receptivos às suas interferências e frequências vibracionais.

5. Duração de um ciclo com os mesmos florais: quando é hora de mudar?

Ao começar a usar as suas essências, você está iniciando um ciclo. Um ciclo em geral é sentido como “vivo” e “atuante” ao longo de 4 a 8 semanas (de 1 a 2 meses), mas isso varia de acordo com os temas e questões abordadas para cada pessoa. Algumas vão sentir a diferença nos primeiros dias de uso, outras vão precisar de mais tempo.

Depois deste período que completa um ciclo, geralmente é interessante uma mudança na seleção dos florais, com foco mais preciso na sua evolução e nas questões que vão se clarificando. Os maiores benefícios da Terapia Floral resultam de um processo dinâmico e vivo.

6. Continuidade no uso dos florais

Um processo contínuo, ao longo de alguns meses, é a forma através da qual as essências nos oferecem maior alinhamento e  leveza, ancorando mudanças duradouras e surpreendentes.

Um processo sequencial no tratamento com as essências florais aumenta o nosso comprometimento conosco, a nossa capacidade de estarmos envolvidos plenamente com as nossas vidas, expressando e compartilhando aquilo que temos de melhor – afinal é o que as flores representam.

7. Faça um diário: registre sua experiência

Você pode registrar e ilustrar a sua experiência tendo um diário ou agenda de anotações, assim ficará mais fácil perceber as mudanças ao longo do seu processo.

Uma dica: procure fazer uma tabela anotando numa coluna o que você deseja modificar, desbloquear e fortalecer; na outra, anote ao lado de cada objetivo a mudança alcançada. Como tendemos a ver mais os nossos defeitos e fracassos, esse exercício vai ajudar você a reconhecer também as suas qualidades e os seus sucessos – lembrando que o caminho do sucesso é formado por vários fracassos, tão importantes que são quanto o mero objetivo alcançado.

E se for do seu interesse, você pode entrar em contato e solicitar uma consultoria terapêutica aqui, cujas fórmulas florais farão parte de um tratamento terapêutico personalizado.

8. Acompanhamento, ajustes, mudanças e suporte

Sinta-se à vontade para contatar e escrever, fazendo perguntas, deixando seu depoimento e/ou expondo suas dúvidas e observações relevantes ao processo.

É importante solicitar ajuda específica quando houver mudança significativa no seu momento presente e nos desafios que a vida traz. Isso porque muitas situações, tais como perdas, experiências traumáticas ou grandes mudanças podem requerer apoio externo quando sentimos que não conseguimos sozinhos, e terem um melhor apoio com florais escolhidos especialmente para a situação vigente.

9. Quantos florais posso tomar ao mesmo tempo? Quantos florais posso misturar? Eles podem ficar juntos num só vidro?

Saiba que existe uma resposta simples e outra mais aberta e aprofundada nesse quesito, que diz: a arte de combinar florais transcende restrições e limites, e se torna maestria profissional.

Precisamos aproveitar a bênção oferecida pelas forças da Natureza, mas também precisamos aprofundar nosso olhar para ir além e entrarmos em contato com a medicina e os ensinamentos que recebemos diretamente das consciências que dela fazem parte. E essa parte, não aprendemos só nos livros, mas em profunda sintonia com a alma das flores e do seu bioma.

9.1 Linhas mestras sobre quantos florais “misturar” ou “combinar”

Ao escolher florais para si, comece usando apenas um só, para poder identificar as mudanças realizadas por ele em você, e siga com no máximo 5 ou 6 florais ao mesmo tempo. Isso ajudará você a ter clareza e ordem no processo: o uso de poucas essências florais de cada vez nos permite perceber com mais nitidez sua eficácia, seus efeitos e resultados.

9.2 Posso colocar florais de sistemas diferentes num só vidro?

Sim, podem ficar todos num mesmo vidro e podem ser de sistemas ou conjuntos diferentes: as flores gostam de se reunir! No entanto, se você estiver seguindo um determinado programa ou tratamento, que tem uma sequência determinada por um pesquisador(a) de florais – geralmente aquele que se sintonizou para a criação daquele sistema de florais – respeitar a intenção e o foco do processo, seguindo as orientações fornecidas, irá favorecer os resultados desejados.

Foto Kirlian – Captação da aura e da energia das flores e plantas

9.3 Nas mãos do profissional, a arte de combinar florais transcende limites

Nas mãos de um experiente Terapeuta Floral as essências, como as múltiplas cores nas mãos de um artista, se tornam precisos instrumentos na delicada arte da combinação de Florais.

Para um Terapeuta Floral, combinar as necessidades da alma da pessoa com a alma das flores é atividade abordada com reverência: aprendemos a cada atendimento, aprendemos em grupo, aprendemos incessantemente através de nós mesmos e daqueles com quem convivemos, com profundo amor, humildade e gratidão diante dos lindos resultados que ocorrem através de nós, unindo planos dimensionais e indo além do que nos concerne nesse plano físico.

O Terapeuta Floral estuda as nuances e atributos de cada floral com o qual trabalha, conhecendo sobre a planta e sua tradição, o ambiente onde ela cresce, sua família botânica, as crenças e sabedorias antigas ao seu redor, sua cor, forma, estrutura e demais características.

Além de compreender e aprender a Linguagem da Natureza, também estuda profundamente as Jornadas Interiores da Alma – começando pelas suas próprias – conhecendo suas importantes passagens evolutivas, suas dificuldades e seus impasses no processo. E é na interrelação disso que a fórmula se faz, se mostra.

Nesse processo alquímico e sagrado, sintonizado à geometria perfeita da Mãe Natureza, o número de essências numa fórmula não é o mais importante, uma vez que o foco está na maestria envolvida na combinação e no preparo das essências florais.

O Terapeuta Floral que atinge esse nível do processo sabe, como qualquer alma alquimista, que aqui somos guiados para elaborar – muitas vezes canalizar – a fórmula em total sintonia ao paciente, que por si só já é perfeita porque contém uma estrutura luminosa e transformadora, uma parte da energia da criação da vida planetária. Namaste! ❤

Luciane Strähuber – Terapeuta Floral e Educadora da Terapêutica Integrada

Anúncios
Artigos, Feminino Sagrado, Matérias, Terapias Integrativas

Banhos Energéticos: Reorganizando a Geometria Sagrada do seu Ser

Os Banhos Energéticos, Harmonizadores ou Fortalecedores são práticas milenares, usadas como tratamento e cura em diferentes culturas e tradições. Sua história é tão antiga quanto as sacerdotisas, as curandeiras, as benzedeiras, as raizeiras, as xamãs. Nesse cenário também temos como personagens aquelas ancestrais nossas que já receberam das gerações passadas os sábios saberes: aqueles que não aprendemos nos livros, aqueles que recebemos de nossas mães, avós, bisavós, e elas daquelas antes delas, repassados como conhecimentos “dos antigos” – como dizia uma de minhas avós.

Também são aqueles passados como aprendizados, dons e talentos necessários à sobrevivência – como é o caso dos descendentes de imigrantes que se instalaram aqui no Brasil,  por exemplo – ou ainda acessados por nós através da intuição, da prática do autoconhecimento, de meditações e insights, de jornadas e transformações interiores, uma vez que tudo isso está gravado em nosso DNA.

Com o advento da modernidade, o universo cada vez maior de poluição em vários níveis e a radiação eletromagnética, fomos perdendo a conexão com essa fonte sagrada e disponível para nós a qualquer hora, em qualquer tempo. Fomos até mesmo esquecendo que ela existe, que está bem dentro de nós, esperando para ser reconhecida no silêncio e na quietude da nossa consciência.

Ao mesmo tempo, algumas de nós vieram para honrar este legado, relembrar e passar adiante as sementes de sabedoria que em nós foram plantadas – que assim como pelas nossas ancestrais, por nós também foram fertilizadas em outras existências. Somos parte de uma árvore de sabedoria ancestral que merece ser honrada e protegida, cujas sementes temos o dever e a responsabilidade de evoluir às futuras gerações.

Por meio de minhas experiências pessoais, estudos alquímicos e científicos, trabalhos de campo com a prescrição de diferentes banhos e suas formas de uso para alunos, pacientes, amigos e conhecidos, os resultados se mostram sempre produtivos, positivos e eficazes. Certamente, podem não trazer a cura de um desequilíbrio se este possui raízes mais profundas, uma vez que os banhos são complementos para tratamentos de saúde, além do que nada nem ninguém cura outrem. Somos responsáveis e co-criadores de nossa existência, de nossa saúde e de nossos desequilíbrios. Contudo, eles podem se mostrar grandes aliados. Geralmente, trazem alívios em momentos de estresse, clareiam aquilo que estava nublado, energizam o que estava desvitalizado, descarregam o que estava eletrificado, libertam o que estava aprisionado.

Nada disso é mágica nem esoterismo, é ciência, bioquímica, alquimia e magia que a sagrada natureza nos deixou como presente: o equilíbrio para todas as desarmonias do ser humano. Intrínseco ao uso das ervas, flores, raízes, sementes, folhas, óleos essenciais e outras aplicações, esconde-se uma geometria perfeita, harmônica, sábia e nutridora, invisível aos olhos físicos mas capaz de nos reordenar, reorganizando assim a geometria do nosso corpo físico, mental, emocional e dos corpos mais sutis. Como resultado desse conhecimento milenar, vimos o surgimento de muitos sistemas de florais, da fitoterapia e fitoenergética, da homeopatia, da aromaterapia, do escalda-pés, dos banhos de imersão – hidroterapia, entre outras práticas correlacionadas, capazes de nos restabelecer as forças vitais, o equilíbrio do emocional, da mente e do espírito.

Através de receitas práticas e simples, sugiro abaixo alguns banhos que podem fazer a diferença em diversos casos. Nas situações em que o desequilíbrio energético e psicossomático for mais profundo, lembremos do princípio de que energia densa se tira com elementos densos – a cura do semelhante pelo semelhante – ou seja, para descarregar o corpo depois de uma jornada estressante não basta somente um banho com ervas ou flores, por exemplo. É preciso antes retirar do campo eletromagnético a energia densa e elétrica para, depois, harmonizá-lo e alinhá-lo novamente. Então, um banho de sal grosso antes pode ser bem vindo; um escalda-pés com ervas específicas, raízes ou argila, assim como um banho que envolva o elemento terra – a argila ou a borra de café esfregada levemente na pele.

> Leia mais sobre: Escalda-Pés: Uma Prática Milenar, Terapêutica e Restauradora

Sem dúvida, as formas naturais de descarregar e recarregar nosso ser são mais eficazes quando em contato direto à natureza. Exemplos vivos disso são as pessoas que tem acesso aos banhos de mar ou que podem desfrutar de banhos de rios, cachoeiras, lagos e lagoas. Sempre é interessante observar como esses ambientes nos acalmam e recarregam nossas baterias. Qualquer contato com águas e ecossistemas limpos e saudáveis tem a capacidade de nos reestruturar em vários níveis, incluindo sempre a nossa ajuda e comprometimento. Mas, para os que moram em cidades grandes e não tem este acesso, essas dicas podem ser muito úteis.

Alguns banhos aqui foram apreendidos por meio de experiências próprias, ensinamentos de irmãos de jornada; alguns por minha alma através de conexões conscienciais e outros em sintonia a meus ancestrais mais distantes. Assim, desejo que essas combinações alquímicas sagradas ajudem você a relembrar onde se encontra essa fonte tão sábia de vida dentro de você. E quando no silêncio da noite ou nos momentos em que a alma chama, as obras antigas provindas de sua sabedoria ancestral – que podem se apresentar como livros grossos, de folhas envelhecidas e nomes desconhecidos, exalando aromas dos mais exóticos – se apresentem para você, à semelhança da surpresa de adentrar numa imensa biblioteca, jamais antes imaginada e totalmente ao seu dispor. Namaste!

1.BANHOS ENERGÉTICOS E VITAIS

* BANHO DE CAFÉ (Borra)

Este banho tem muitas propriedades. Além de ser um maravilhoso esfoliante natural para a pele do corpo, mantém uma camada hidratante que não necessitará de hidratação intensa após o seu uso. Isso porque o café possui óleos vegetais em sua composição, além de óleos essenciais e minerais que complementam o processo.

Em âmbito energético, é ótimo para nos conectar à força da terra, retirar as células mortas que também representam aspectos antigos acumulados no registro da pele – representada pelo emocional, trazer vitalidade e levantar o ânimo. Pode ser um auxiliar para nos devolver aquela energia depois de um dia cheio de compromissos ou para começar uma rotina diária.

Ingrediente: borra do café passado (sem adoçar)

Preparo:

  1. Após passar aquele cafezinho gostoso, seja apenas para você ou para os que convivem no seu ambiente, não jogue a borra do café fora. Retire-a do filtro e coloque num recipiente de vidro ou louça bem fechado na geladeira. Você pode guardá-la para usar depois – de preferência no mesmo dia – ou usá-la logo após ter passado o café.
  2. Depois do seu banho normal de higiene, sintonize com a força da terra que o café representa, coloque nelas suas intenções para o que necessita naquele momento.
  3. Pegue pequenas porções e vá passando no corpo, massageando com delicadeza e mentalizando a força e a vitalidade da terra sobre você. Procure realizar o processo de esfoliação primeiro. Depois que todo o corpo for massageado, retorne para debaixo do chuveiro e retire aos poucos.
  4. O ideal é não utilizar nada na pele depois deste banho, permitindo que a frequência energética do café permaneça agindo na aura.
  5. Para quem tem pele sensível, a massagem deve ser bem sutil, evitando o rosto.

> Importante: Este banho só terá as propriedades energéticas mencionadas se for realizado com a borra do café passado. Não é válido para café solúvel de qualquer marca, pois estes tendem a perder muito das suas propriedades naturais em função do processo extremamente acidificante de produção.

Se houver possibilidade de comprar o café moído na hora ou moer as sementes em casa, melhor ainda. Dependendo da torra, muitos cafés em pó comprados prontos nem sempre conseguem preservar todas as suas propriedades. Assim, prefira os cafés chamados “tradicionais” ou orgânicos, cujo processo de torra é menos intenso.

> Banho ideal para ser feito no período do dia, por ser muito estimulante e poder interferir no sono.

> Atenção: Para quem tem alergia à cafeína, evitar o uso desse banho. Para os hipertensos, procurar não deixar a borra muito tempo em contato com o corpo, uma vez que a cafeína penetra na pele e chega à corrente sanguínea da mesma maneira.

* BANHO DE ERVA-MATE (Folhas ou erva em pó)

Outra forma de utilização da erva-mate que muitos talvez não conheçam, mas que faço uso com ótimos resultados, são os banhos com essa erva para revitalizar o corpo, alinhar a mente e energizar a aura.

Ingrediente: 4 a 5 colheres (sopa) de erva-mate orgânica – fina ou grossa.

Preparo:

  1. Da mesma forma que você prepararia um chá, dissolva em 1 copo de água quente 4 a 5 colheres (sopa) de erva-mate moída. Misture bem, deixe descansar um pouco para o excesso de borra ficar no fundo do recipiente.
  2. Coe e coloque em um recipiente com mais ou menos meio litro d’água morna, que pode ser a própria água do chuveiro.
  3. Opcional: Acrescente 2 gotas de óleo essencial de lavanda, se quiser, misturando também ervas de sua preferência para auxiliar no processo de limpeza energética, como alecrim, sálvia, arruda, manjericão, entre outras que desejar.
  4. Derrame um pouco deste preparado no centro da cabeça e em todo o corpo, lentamente. Após, retire o excesso do corpo, secando sem esfregar para que as ervas e os óleos penetrem na pele.
  5. Procure usar toalhas escuras ou coloridas, tendo em vista que os elementos usados naturalmente mancharão tecidos mais claros.
  6. Banho ideal para ser feito mais no período do dia, por ser estimulante.
  7. Se o seu objetivo for um banho mais calmante, pode ferver a erva para que evapore a teína – alcalóide semelhante à cafeína. Alguns pacotes de erva-mate são vendidos já com o acréscimo de ervas calmantes como camomila, melissa, erva cidreira, entre outras, que podem ser usadas como complemento para este banho mais calmante.
  8. Se preferir banhos mais estimulantes, evite ferver a erva. Você pode optar pelos pacotes de erva-mate vendidos com chá verde, por exemplo, outra erva estimulante e altamente vitalizante.

> Leia o artigo completo sobre a história, a tradição e as formas de uso dessa erva sagrada: O Poder Ancestral de Cura da Erva-Mate

2. BANHOS DE LIMPEZA, DESCARREGO E FORTALECEDORES

* BANHO DE 7 ERVAS

Os banhos de 7 Ervas podem ter combinações de plantas variadas de acordo com o que a pessoa necessita, entretanto algumas ervas são a base para que este tipo de banho tenha a função de descarregar e revitalizar.

Ingredientes – 1 punhado pequeno de cada uma dessas ervas: arruda, guiné, alecrim, sálvia, alfazema, eucalipto e espada de São Jorge picada. Podem ser usadas outras ervas como: Levante, comigo-ninguém-pode, folhas de pitanga, folhas de onda do mar, lavanda, cravo, entre outras.

Preparo:

  1. Você deve fazer um preparado com 1 punhado de 7 das ervas relacionadas para 1/2 litro d’água.
  2. Coloque as ervas em água e ao iniciar fervura, desligue. Deixe descansar em infusão, até esfriar.
  3. Coe as ervas, mentalizando e decretando tudo o que necessita que este banho trabalhe.
  4. Derrame este preparado contornando todo o corpo, sobre toda a cabeça e também no seu centro – purificando os chacras coronário, o chacra coordenador, localizado na porção de traz da cabeça, assim como a nuca e a região externa dos ouvidos. A limpeza dos ouvidos tem o objetivo de trazer a clareza de pensamento e afastar a confusão mental.
  5. Dar preferência para realizá-lo à noite, antes de dormir, preservando assim a energia das plantas por mais tempo na aura.

Observação: Antes do banho de ervas, você pode realizar um banho com sal grosso marinho (1 colher sopa) diluídos em 1/2 litro de água. Isso recomendo para quando a pessoa está muito elétrica ou “carregada”. Nesse caso, o ideal é que o banho de sal não seja colocado na cabeça ou realizado sozinho, uma vez que o sal é formado por pequenos cristais chamados de piezoelétricos, ou seja, condutores elétricos.

Essa capacidade natural, portanto, os torna semelhantes a um pára-raios, atraindo tanto as energias qualificadas quanto as não qualificadas. Por essa razão, após o banho de sal ou bicarbonato, faça um banho de ervas para selar e alinhar o seu campo de energia. Outra possibilidade é utilizar o sal marinho no corpo como esfoliante, nesse caso podendo ser o mais fino. A preferência pelo sal marinho e não os refinados é porque ele tem preservados seus minerais, além de conter menos sódio. 

Existem outros tipos de sais medicinais no mercado, como o sal rosa ou sal do Himalaia, que hoje é fácil de encontrar, e o sal negro de origem indiana – usado na medicina ayurvédica com uma combinação de sal e ervas específicas. Nesses casos, pelas suas estruturas moleculares e bioquímicas serem diferentes, seus cristais não atuam da mesma forma que o sal marinho. Você também pode preparar o seu sal de banho, se quiser, reunindo a ele elementos, ervas, especiarias e óleos essenciais para complementar.

Importante: Muitos me perguntam: – Mas, porque não se pode colocar o sal grosso marinho na cabeça se tomamos banhos de mar? A diferença que existe aqui é que o banho de sal grosso contém apenas os cristais de sal, enquanto que o banho de mar contém sal, minerais, algas, oligoelementos, substâncias de origem vegetal, mineral e marinha cuja geometria é tão perfeita que chega a ser em torno de 95% semelhante à composição do nosso plasma sangüíneo – um verdadeiro plasma marinho.

Para saber mais sobre a atuação da água do mar em nosso organismo, vide pesquisas e experimentos do biólogo, fisiologista e naturalista René Quinton (1866-1925) – francês, contemporâneo de Darwin e de Tesla, precursor da Teoria dos Oligoelementos que é usada hoje pela medicina ortomolecular, curou-se de uma tuberculose ao viver numa cidade litorânea. Passou a estudar e pesquisar a água do mar por anos, auxiliando na cura de muitas doenças, percebendo através de suas teorias que guardamos em nosso organismo e células uma relação profunda com a água do mar, sendo ela e seus derivados marinhos capazes de nos reestruturar as energias e o equilíbrio.

* BANHO DE VINAGRE

Nesse tipo de banho, recomendo utilizar os vinagres derivados da uva. O vinagre branco deve ser usado para homens – sendo este mais ácido – e o vinagre tinto para mulheres, sendo este segundo mais propício para a frequência feminina.

O vinagre de maçã ou de arroz, nesse caso, possuem frequências mais sutis por serem menos ácidos. Podem ser usados para o caso de trazer uma assepsia do campo áurico quando a pessoa deseja apenas tirar um cansaço de um dia agitado.

Já no caso dos vinagres à base de uva, pela sua acidez são mais potentes para limpar o campo eletromagnético de energias “mais acidificantes”, principalmente no nível mais mental. Caso você tenha acesso a vinagres com Ph ainda mais ácido que os de uva – as porcentagens de Ph estão relacionadas na embalagem – como alguns derivados de frutas cítricas, também podem ser utilizados para este fim. Quanto mais cítrica for a fruta, mais ácidos serão os vinagres.

Ingrediente: 1 a 2 colheres (sopa) de vinagre para 1/2 litro de água.

Preparo: 

  1. Misturar o vinagre na água morna, podendo ser a do chuveiro, e derramar ao redor de todo corpo, incluindo a cabeça.
  2. Após, retire o excesso do corpo e já tenha preparado outro banho dos que menciono abaixo para selar e alinhar sua aura.

> Importante: Com exceção do banho de 7 ervas, os demais aqui relacionados requerem outro banho após o seu uso, com o objetivo de selar e fortalecer o campo magnético. Face a isso, você pode fazer um banho de mel, flores, ervas ou acrescentar algumas gotas de óleo essencial de lavanda ou outros mais calmantes de sua preferência. Lembrando que os óleos essenciais de flores naturalmente possuem as frequências vibracionais mais elevadas.

Observação: Tendo em vista as diferentes crenças e religiões, se você preferir não usar o vinagre na cabeça, o mesmo banho que você usará para selar o campo eletromagnético pode ser feito logo após.

Entretanto, para que a limpeza mental de fato aconteça, sugiro utilizar alguma erva seca como defumação antes do banho de selamento: a sálvia oficcinalis (a que encontramos como chá ou tempero em folhas) ou a sálvia branca, por exemplo. Pode ser feito um banho apenas com esta erva também.

Esta é uma erva maravilhosa para nos alinhar e purificar as dissonâncias em níveis mentais, assim como emocionais e espirituais. Ela é capaz de nos “deseletrificar” do excesso de radiação eletromagnética em vários níveis.

Nesse caso, você pode usar as próprias folhas para defumação – o que é ideal. Pode usar também um incenso de carvão ou pó de bambu que contenha a erva e óleos essenciais. Incensos que sejam confeccionados com resinas artificiais e sintéticas não terão o mesmo efeito. Sugiro marcas como Inca, Fênix, entre outros artesanais de sua confiança.

3. BANHOS HARMONIZADORES E ALINHADORES

* BANHO DE ROSAS

Os banhos com pétalas de rosas podem ser utilizados para diversos fins. A rosa em si possui uma vibração energética muito elevada. No que se refere à produção do seu óleo essencial, está no topo das flores de maior vibração energética, não sendo à toa ser chamada de “A Rainha das Flores”. Em casos gerais, podemos utilizar as pétalas de tons mais claros – brancas, lilases, cor-de-rosa clara, salmão – para banhos mais calmantes. Já as de tons vermelhos, magentas, alaranjados e amarelas marcantes para banhos mais fortificantes e energizantes.

Ingredientes: 1 punhado cheio de pétalas de rosas (secas ou in natura)

Preparo: 

  1. Colocar as pétalas em água. Ao levantar fervura, desligar. Deixar em infusão por 1h, até esfriar.
  2. Você pode coar as pétalas ou não. No chuveiro, este banho pode ser usado da cabeça aos pés, sem restrição.
  3. Caso tenha banheira e preferir ficar em imersão, não é necessário fervê-las. Você pode utilizar uma quantidade maior de pétalas e colocá-las diretamente dentro de água morna. Pode ainda acrescentar óleos essenciais se quiser, dependendo do seu intento, seja para acalmar, equilibrar ou vitalizar.
  4. Fique em imersão o tempo necessário para que as pétalas soltem seus aromas e óleos na água, penetrando na pele e atuando na aura.
  5. Pode ser realizado em qualquer período do dia ou da noite.

> Dica: Se você quiser, pode fazer preparados alcoólicos ou hidroalcoólicos com as pétalas de rosas – isso se aplica também ao de 7 ervas –  deixando-as em infusão em álcool de cereais ou em álcool comum. Esses preparados duram por anos e você também pode usá-los para banhos em porções menores, sempre que precisar. Falarei mais a respeito desse tipo de receita em outro artigo.

* BANHO DE MEL (PURO), COM PERFUME OU ÓLEOS ESSENCIAIS

O Mel por si só já é um elemento alquímico completo. Além de ser uma fonte rica em nutrientes e conhecido pelas suas propriedades medicinais, sua frequência vibracional é alta. Um banho de mel sozinho é capaz de nos alinhar como um todo, uma vez que possui uma geometria harmônica difícil de ser corrompida, tanto que pode ser usado como conservante em conjunto a ervas e especiarias, em especial na produção de xaropes e tônicos. Nesse contexto, o mel faz jus à comunicação perfeita do reino das abelhas, assim como tudo o que é produzido por elas – pólen, própolis, geléia real.

Ingrediente: 1 colher (sopa) de mel para 1/2 litro ou mais de água

Preparo:

  1. Misture a colher de mel em água fria ou morna até dissolver.
  2. Você pode utilizar este banho sozinho, com o objetivo de alinhar e reorganizar o seu campo áurico como um todo.
  3. Se desejar fazer um banho mais atraente, para trazer mais vitalidade e ânimo, você pode acrescentar algumas borrifadas de um perfume que você use e goste.
  4. Derramar o preparado da cabeça aos pés. Pode ser usado tanto de dia quanto à noite.

Observação: De outra forma, para um banho mais energético você também pode misturar elementos de tons rosados-magenta, avermelhados, alaranjados ou terrosos como: canela, açafrão, curry, urucum, calêndula, hibiscos, rosas ou flores vermelhas, entre outros; ou ainda acrescentar 2 gotas de algum óleo essencial cujas propriedades são vitalizantes: patchouly, ylang-ylang, cravo, canela, pitanga, pimenta rosa, entre outros.

Importante mencionar que um banho contendo raízes – no caso do açafrão, do curry, do gengibre amarelo ou branco (raiz do Lírio do Brejo), do ginseng, do bambu, entre outras raízes de plantas – da mesma forma pode ser usado para nos “enraizar” naqueles dias em que nos sentimos fora do eixo ou precisando de mais foco. Pode também auxiliar a retirar do nosso campo emocional padrões e formas-pensamento enraizadas. Nesse último caso, é necessário realizar um tratamento mais prolongado e consciente, uma vez que não desapegamos de padrões e crenças de forma rápida. Você pode fazer uso desse recurso através do escalda-pés – vide link do artigo relacionado na introdução dessa matéria.

> Saiba mais sobre Receitas Caseiras com Óleos Essenciais

* BANHO CALMANTE

Ingredientes: camomila, erva-cidreira ou capim-cidró, melissa, manjericão, folhas de maracujá, flor de jasmim ou flor de laranjeira ou cascas de laranja doce. Você pode optar por 2 gotas do óleo essencial de laranja doce e/ou os óleos derivados das ervas e flores em questão.

O foco aqui é a camomila, por ter inúmeras atuações para a harmoniza da saúde em vários níveis. É uma flor abençoada e coringa. Contudo, a marcela ou macela, tão conhecida por nós, também é uma flor especial com várias atuações, podendo ser tanto calmante quanto uma excelente purificadora e alinhadora do mental.

Preparo:

  1. Colocar em 1 litro de água um pequeno punhado das ervas mencionadas. Se não tiver todas elas, use as que tiver.
  2. Colocá-las em infusão em água morna. Deixar descansar por 30 minutos a 1 hora.
  3. Após seu banho normal de higiene, derrame este preparado contornando todo o corpo, da cabeça aos pés.
  4. As flores, folhas e cascas podem ser coadas, se quiser, para deixar menos resíduos na toalha.
  5. Banho ideal para ser realizado à noite, antes de dormir. Auxiliar nos casos de ansiedade, estresse e nervosismo.

* BANHO DE HARMONIZAÇÃO GERAL

Esse banho foi recebido como aprendizado através dos ensinamentos de pretos-velhos. Deve ser realizado em 3 etapas. Já o ensinei em vários cursos e os resultados são maravilhosos. O ideal aqui é que você o faça por 3 dias seguidos, quando precisar de um alinhamento mais profundo e para ter uma atuação mais prolongada no campo áurico. Pelo fato da união destas três etapas serem formadas pelos cinco elementos da natureza – cachaça adoçada (fogo e terra); água do mar (água, minerais e elementos vegetais); flores (ar e éter) – é um banho completo para harmonizar e alinhar corpo, mente, emocional e espírito.

1º. Banho de cachaça

2º. Banho de água do mar

3º. Banho de flores (amarelas, brancas e vermelhas)

Ingredientes:

* 3 golfadas de cachaça adoçada: O açúcar aqui é bem importante, porque o álcool (elemento fogo) é combinado com a cana-de-açúcar (elemento terra), uma alquimia que tem tanto o objetivo de descarregar energias mais densas quanto de nos enraizar.

* 1 copo (em torno 300ml) de água do mar.

* 4 flores amarelas, 3 flores brancas e 1 flor vermelha (Qualquer espécie de flor). Se forem rosas, separar as pétalas. As cores nesse caso contribuem para o alinhamento dos corpos físico, mental, emocional. Por serem também o elemento éter, alinham da mesma forma o espírito.

* Junto à água das flores pode ser acrescentada 1 colher (chá ou sopa) de mel puro.

Preparo:

  1. Coloque as flores em um recipiente com água e reserve. Deixe descansar por mais ou menos 30 minutos a 1 hora, para que as essências naturais e frequência energética das flores magnetize a água. Acrescente água do chuveiro para o banho, se necessário.
  2. Em uma jarra para suco (vidro ou plástico) separe a cachaça na quantidade mencionada. Misture-a com um pouco de água do chuveiro para banhar-se.
  3. Em um copo separe também a água do mar. Misture-a com 1/2 litro de água do chuveiro para banhar-se.
  4. Consagre todos os ingredientes, elementos e flores com intenções amorosas, harmoniosas e positivas, ancorando as Consciências espirituais de sua devoção. Com respeito e gratidão a todos os elementares, consciências elementais, dévidas, minerais, cristalinas e vegetais das substâncias utilizadas, peça à Mãe Natureza que eles possam retornar aos seus reinos e dimensões sem qualquer prejuízo.

Sequência de banhos:

* 1º o banho de cachaça adoçada: do pescoço até os pés. / * 2º o banho de água do mar: da cabeça até os pés./ * 3º o banho de flores: da cabeça aos pés, derramando as pétalas por todo o corpo.

Observações:

* Não enxaguar o corpo entre um banho e outro; * Reunir as pétalas do chão em gratidão e colocar num jardim, canteiro verde ou recipiente com lixo orgânico, pedindo à Mãe Natureza que transmute todas as energias dissonantes em Luz e Amor; * Seque o corpo sem muita fricção, permitindo que as substâncias penetrem na pele e permaneçam na aura; * Se sentir sono após o banho, descanse e medite. Isso significa que está ocorrendo um alinhamento energético; * Banho ideal para ser realizado antes de dormir. É provável que você sinta necessidade de descansar e silenciar.

Por fim, todos os banhos aqui sugeridos devem ser realizados após o seu banho normal de higiene, cujo preparado em geral é utilizado primeiro na cabeça, depois contornando todo o corpo e, por último até os pés. Aqueles que possuem o uso de folhas, ervas e flores podem ser coados antes. As plantas podem ser tanto secas quanto naturais. Ao finalizar o banho, procure descartar os elementos na natureza, num jardim, num vaso de plantas, numa compostagem ou mesmo no seu lixo orgânico, agradecendo à mãe natureza e suas consciências puras e sagradas para que retornem aos seus reinos preservando suas energias.

Use também a sua intuição, sintonizando e criando um banho de acordo com o que você precisa. Certamente, ter um guia de ervas, conhecimentos alquímicos e aromaterápicos para saber quais as melhores combinações sempre é bom, mas caso não tenha apenas lembre que existe uma sabedoria interior e ancestral que vai guiar você para que retorne ao seu centro. Os banhos relacionados são apenas alguns exemplos, mas as combinações e possibilidades são infindáveis.

Desejo a você belas experiências, muitas bênçãos de vida e vibrações elevadas de paz, amor, gratidão e alegria!

Por Luciane Strähuber – Educadora da Terapêutica Integrada

Saiba mais: Conheça os Banhos Energéticos da Kaeté Alquimia e acesse as diversas Formas de Uso 

Educação e Sustentabilidade, Filmes, Vídeos e Documentários Educacionais, Matérias, Orgânicos: Produtos e Alimentação

O conceito de Educação Livre e Cidade-Escola: Um Sonho Possível

Cidade-Escola Ayni, em Guaporé – RS

Além do método Waldorf de educação, com alegria estamos vendo outras formas de ensino surgindo ao redor do mundo, algumas chamadas de Educação Integrada, Educação Viva, Educação Livre, “Kindergarten” e “Forest School” – estes últimos são métodos pré-escola ou ainda são usados para complementar a formação escolar.

Esses métodos tem o objetivo de conectar mais as crianças a espaços na natureza, com o intuito de desenvolver autoconfiança, autoestima, conhecimentos de sobrevivência, cooperativismo, responsabilidade, habilidades pessoais e de comportamento e relacionamento. Para quem teve o privilégio de aventurar-se no mato e conviver mais em meio à natureza na infância sabe o quanto essa experiência é capaz de calçar bases fortes, determinando nossa forma de realizar escolhas, tomar atitudes, lidarmos com mudanças e nos relacionarmos com o mundo.

Essa forma de educar engloba um estilo de vida diferenciado que cada vez mais famílias estão buscando para seus filhos e futuras gerações, integrando políticas de educação e sustentabilidade que a partir de inserções em micro contextos tendem a influenciar o seu entorno. 

Países como Portugal, Espanha, Finlândia, Noruega, Suécia, Dinamarca e Canadá já são referência no uso de alguns desses métodos. Mas, algumas escolas na América Latina e no Brasil também estão inovando e nascendo a partir desse conceito. Uma delas chama-se AYNI. Imagine uma escola sem aula, nem provas, mas que atende todas as leis e regras do MEC! Utopia? Não, realidade aqui no Sul do Brasil, na cidade de Guaporé! Um projeto lindo, um futuro que já está aqui.

Em Guaporé, na cidade onde nasceu, o empreendedor Thiago Berto constrói e co-cria o ambiente da Cidade-Escola Ayni junto a aprendizes e voluntários de diversos países, inspirando a ressignificação da rotina de vida e da pedagogia. O método utilizado está sendo chamado de Educação Livre ou Educação Viva.

A escola nasceu de um sonho, de uma jornada de vida e autoconhecimento em uma viagem de três anos que Thiago realizou pelo mundo, tendo a oportunidade de visitar 40 projetos de educação de diferentes países – lista relacionada a seguir. Já para sua estruturação, estão sendo usadas técnicas de bioconstrução e premissas de permacultura, cujos espaços e instalações são criados com formas mais orgânicas, integradas e respeitando o meio ambiente.

A Ayni atende todas as leis e as regras do MEC – importante enfatizar isso. Não tem aula, nem prova, mas com liberdade para escolher o que aprender e a importante participação e formação dos pais das crianças no processo. Segundo a equipe, o método de avaliação é a felicidade! Não tem divisão de turmas, mas conta com oficinas de música, teatro, artesanato, circo, entre outras. Também não tem aquele sino estridente que interrompe os pensamentos entre um estudo e outro.

Outro fator do projeto: a escola é gratuita! São recebidas crianças de dois anos e meio a 13 anos de idade, e não há mensalidades. “Os pais são convidados a realizar doações mensais em um compromisso de 12 meses”, explicou Thiago. As crianças preservam sua essência a partir de brincadeiras e descobertas, sem perder a conexão com a natureza e o sentido de comunhão. “Crianças não tem cartão de crédito!”. O dinheiro virá de empreendimentos como hotel, teatro e restaurante dentro da área planejada e em processo de construção.

Além de uma escola de meio período – a ideia é que as crianças frequentem a escola normal, e no outro período o projeto planeja outras iniciativas nesse grande complexo: um hotel cujo serviço será todo feito por pessoas com síndrome de Down, um restaurante que servirá apenas alimentos orgânicos, uma loja de produtos naturais, e programas de férias para crianças. A população da cidade está animada com o projeto e apoiando sua realização.

A palavra AYNI é uma palavra Quechua – idioma dos Incas e o terceiro idioma mais falado na América do Sul – e significa cooperação e solidariedade. Mais que uma palavra é uma forma de viver que se manifesta em relações sociais de ajuda mútua e reciprocidade: Eu te ajudo, construímos sua casa, juntos construímos a de um outro amigo, ele nos ajuda a construir a minha. Segundo a escola, a escolha do nome é uma homenagem e uma referência com honra ao povo e região andina pela importância na história da criação do projeto.

Mais uma iniciativa que coloca o sonho de um futuro mais harmônico, cooperativo e sustentável em prática, e o mais importante: permitindo que as nossas crianças expressem o que são e o que estão destinadas a se tornarem! 

ESCOLAS E PROJETOS DE EDUCAÇÃO QUE INSPIRARAM A AYNI

  1. EUA: Clearwater School – Seattle / EUA; Sunnyside School – Portland / EUA; Circle of Children Village School – Eugine / EUA; Playmountain Place – Los Angeles / EUA; Escola da comunidade Avalon Gardens – Arizona / EUA 
  2. Argentina: Espacio Sagrado Buda – Comunidade Bruda Traslasierra – Cordoba / Argentina; Comunidad Amatreya – Alta Gracia / Argentina
    Escuela de la Nueva Cultura – La Cecilia – Santa Fé / Argentina; Avioncitos de papel – Cordoba / Argentina; Escuela Comunidad Aruma – Buenos Aires / Argentina; Escuela Tierra Fértil – Buenos Aires / Argentina 
  3. Uruguai: Escuela Kalimaita (Educação para o ser) – Neptunia / Uruguay; Escueladel Bosque (Educação livre)- La Paloma / Uruguay
  4. Portugal: Escola da Ponte – Porto / Portugal 
  5. EspanhaMontessori Canela – Barcelona / Espanha; Associación Montessori Malaga / Espanha; Escuela Espai del Aigua – Barcelona / Espanha; Escuela La Pinya – Barcelona / Espanha; Escuela Ecoaldea Minchal / Espanha 
  6. MéxicoEducare – Escuelas para el êxito – Guadalajara / México; 
  7. Peru e Chile: Grupo de pais de Guadalajara que fazem Homeschooling AldeaYanapay – Cusco / Peru; Escuela Agrotecnologia de Pirque – Santiago / Chile; Escuela Kupulwe (Pedagogia Reggio Emilia) – Santiago / Chile; Escuela Libre Futuro en Camino – Santiago/ Chile
  8. Equador: Escuela Katitawa – Salasaca / Equador 
  9. Itália: Centro de Estudos Pedagogia – ReggioEmillia
  10. Escócia: Findhorn Foundation / Escócia 
  11. Brasil: Escola Caminho do Meio – Porto Alegre/ Viamão / Brasil 
  12. América Central: Homeschooling Stand Center – Belmopan / Belize 

PARA QUEM QUER SER VOLUNTÁRIO 

https://www.worldpackers.com/pt-BR/positions/6091

OUTRAS ESCOLAS PIONEIRAS

Em Bali (Indonésia), desde 2008 a escola chamada de Green School é referência para crianças de vários países.

Na Suíça, uma escola de educação infantil foi pioneira implementando o método Kindergarten unido ao “Forest School” – Escola da Floresta – desde 1880, embora tenha origem na Dinamarca, França e Alemanha. Hoje, é referência para outros países incluindo o próprio nome “Forest Kindergarten”. No Brasil, é conhecido como jardim de infância ou pré-escola – sendo uma forma de educação infantil que complementa a formação em escolas particulares e públicas. Saiba mais: Como surgiu o Método Kindergarten? 

O QUE É O MÉTODO FOREST SCHOOL?

Luciane Strähuber – Educadora da Terapêutica Integrada

Artigos, Feminino Sagrado, Matérias, Terapias Integrativas

Tratamentos Naturais na Menopausa: O Renascimento da Águia

O primeiro passo para compreendermos a menopausa é reconhecermos nossa natureza cíclica feminina, aceitando-a e nos dando o devido tempo quando nosso corpo fala e nos pede pausas necessárias ao longo da nossa jornada pela vida.

O fim de um ciclo automaticamente representa o início de outro. Ao encerrar a fase reprodutiva, a mulher adentra na fase da sabedoria com mais segurança de si, onde é cada vez mais dona do seu caminhar, a fase que chamamos de Plenipausa. É o florescimento de um novo ciclo, onde a energia deixa de fluir do útero – através da menstruação – e passa a circundar todo o corpo, permitindo que entremos em contato, ininterruptamente, com todo o nosso poder pessoal.

Esse período chamo também de “O Renascimento da Águia” porque a águia, após completar 40 anos de vida – mais ou menos o período em que muitas mulheres começam a apresentar os sintomas – ela literalmente morre para renascer. Mesmo sendo considerada uma lenda, são nos mitos que encontramos as grandes sabedorias. Segundo a história, ela retira-se para um local alto e protegido, arrancando bico, unhas e penas para refazer-se, transformar-se e viver por mais trinta anos.

Numa analogia a esse arquétipo, portanto, é nesse período que coisas que a mulher tenha vivenciado e que foram traumáticas, reprimidas, bloqueadas, ignoradas ou adiadas venham à tona. Inevitavelmente, vamos ser obrigadas a olhar para tudo o que precisa morrer dentro de nós, tudo o que ficou mal resolvido e que precisa ser reconhecido e integrado, muitas vezes desde fases intra-uterinas ou até provindas de nossa mãe e ancestrais.

Por volta dos 50 anos, com as suas obrigações familiares quase cumpridas, a mulher está mais livre para perseguir os seus sonhos pessoais. Nesta altura, alcançou uma sabedoria e experiência de vida enorme que vai permiti-la florescer totalmente naquilo que é. É a fase a que os Chineses chamam de “A Segunda Primavera”.

Para muitas mulheres, a necessidade de aliviar os sintomas durante e depois da menopausa é muito importante, com um número crescente voltando-se à Medicina Tradicional Chinesa e Terapias Orientais, a fim de encontrarem respostas mais eficazes e duradouras. De acordo com a teoria Médica Chinesa, é esta transição que permite à mulher viver outras décadas com relativamente boa saúde. No que diz respeito às estações na vida de uma pessoa, se o final do ciclo menstrual significa o inverno da capacidade da mulher de dar à luz, logo o que vem a seguir à menopausa é a Segunda Primavera: a estação do renascimento, quando a mulher tem poder para viver a vida com que sonhou.

Com milênios de história, a Medicina Chinesa esteve muito focada na saúde da mulher, utilizando-se de métodos terapêuticos que sabem lidar muito bem com os sintomas da menopausa e o consequente processo de envelhecimento. Entre eles, incluem-se: acupuntura, terapia/reeducação alimentar, fitoterapia, meditação, ventosaterapia, auriculoterapia, assim como massagens com Pindas Chinesas, Tui-Ná, Zen Shiatsu, entre outros exercícios de energia.

Entre esses exercícios incluem-se o Chi Kung e o Tai-Chi, porque ajudam a reduzir o estresse, restaurar a vitalidade e normalizar as funções gerais do corpo-mente-emocional, antes, durante e depois da menopausa. Ambos são capazes de promover equilíbrio, saúde cardíaca e bem-estar emocional.

Já, a Medicina Ayurvédica, também desenvolvida há milênios na Índia, possui uma vasta e antiga sabedoria capaz de prescrever tratamentos eficazes nesse período. Isso se dá através do equilíbrio dos doshas em nosso ser – denominados como biotipos ou humores biológicos que determinam a harmonia do corpo-mente-emocional-espírito. Algumas das técnicas utilizadas são massagens ayurvédicas com óleos vegetais e essenciais, dieta adequada de acordo com a avaliação dos doshas, medicamentos naturais à base de minerais e cristais, exercícios de yoga, meditação, alongamento e relaxamento, fitoterapia indiana, entre outras modalidades.

ACUPUNTURA E FITOTERAPIA CHINESA
Os sintomas que podem ser aliviados com a acupuntura incluem: fogachos (calorões), suores diurnos ou noturnos, fadiga e falta de força corpórea, dores de cabeça, depressão, alterações de humor, insônia, irritabilidade, letargia e dificuldades de concentração.
Ao aliviar os sintomas sem efeitos secundários, os tratamentos de acupuntura vão regular os níveis hormonais durante a menopausa e reequilibrar o sistema hormonal. A acupuntura aumenta a libertação de endorfinas, analgésico natural do corpo, minimizando o desconforto associado com os sintomas da menopausa como mau-humor, alterações de sono e dores abdominais ou cólicas.
A Fitoterapia Chinesa tem mais de 10.000 substâncias retiradas da natureza. A finalidade no tratamento da menopausa é:
* Estimular a produção natural de progesterona e estrogênio no corpo da mulher (não é uma substituição hormonal, apenas uma estimulação para o organismo produzir ele próprio as hormonas);
* Oferecer alimento às glândulas hormonais e apoiar a função adrenal, aumentando a libido e vitalidade sexual;
* Proporcionar uma fonte natural de cálcio, reduzir os suores noturnos, aliviar dores de cabeça e equilibrar o humor para ajudar o sono;
* Aumentar a elasticidade da pele e dos vasos sanguíneos.

Algumas mulheres sofrem com essa passagem e seu corpo sente o impacto pela queda brusca de hormônios. Esse sofrimento físico pode representar, na maioria dos casos, a dificuldade de aceitação ou não desse novo universo que se apresenta. É o período da vida em que a mulher precisará encontrar o ponto de equilíbrio para poder renascer, muitas vezes tendo que trazer à tona coisas que ficaram mal resolvidas, que foram adiadas, reprimidas ou bloqueadas, isso porque antes de todo renascimento é necessária uma morte.

MENOPAUSA X CLIMATÉRIO

O termo menopausa fala por si. A palavra menopausa vem do grego “men” = lua ou mês, e pausis = cessação. É o termo utilizado para determinar a última menstruação, após a ausência de período menstrual por 12 meses. Ela representa o resultado da falência da atividade endócrina dos ovários, principalmente da sua incapacidade na produção de estrógenos.

A menopausa pode ser:

  • Fisiológica ou natural: Resultante do processo biológico natural da mulher, ocorrendo geralmente entre 45 e 55 anos de idade;
  • Latrogênica ou artificial: Resulta de uma oforectomia cirúrgica bilateral, de uma ação terapêutica medicamentosa (citostática) ou ainda radioterapia;
  • Precoce (pré-menopausa): Quando ocorre antes dos 40 anos de idade;
  • Tardia: Quando ocorre após os 55 anos.

Em exames laboratoriais, mesmo tendo por base a observação clínica da ausência de menstruação durante 1 ano, o seu diagnóstico só é confirmado através de um exame de dosagem hormonal, chamado de doseamento sérico do hormônio FSH e do Estradiol. Em resultados normais, teremos: FSH > 40 mUl/ml / Estradiol < 20-30 pg/ml.

Já o climatério é a fase da vida biológica da mulher que determina a transição entre o período reprodutivo e o não reprodutivo, caracterizada pelo declínio progressivo da função dos ovários. Em termos biológicos, pode ser definido como uma endocrinopatia que caracteriza-se por alterações funcionais, morfológicas e hormonais. Ele engloba os períodos da:

  • Pré-menopausa (inicio do declínio da função dos ovários até a menopausa): Final do menacme (idade fértil) até a menopausa;
  • Peri-menopausa (inclui a pré-menopausa até 12 meses após a última menstruação): Período geralmente de 2 anos que antecede e sucede a menopausa;
  • Pós-menopausa (período que tem início com a última menstruação): Começa 2 anos depois da menopausa e termina na senetude (período não reprodutivo).

O climatério geralmente ocorre em mulheres acima de 45 anos de idade – podendo ocorrer antes, dependendo do histórico – quando já não há capacidade de se reproduzir naturalmente devido ao esgotamento dos folículos ovarianos e da redução da produção de estradiol.

A síndrome do climatério ou síndrome menopausal compreende o conjunto de sinais e sintomas que surgem durante esse período e que podem prejudicar o bem-estar da mulher. Em termos biológicos, o climatério pode ser definido como um distúrbio endócrino que expressa-se por uma deficiência de hormônios esteróides sexuais.

Apesar de ser um processo fisiológico, ele pode ter consequências patológicas num número considerável de mulheres. Esse processo de mudanças físicas e emocionais pode ser influenciado por múltiplos fatores como: história de vida, ambiente, cultura, costumes e tradições, crenças e ideologias, particularidades individuais, além de situações traumáticas que foram reprimidas em outras fases da vida, vindo à tona nesse período – como uma forma de balancear um ciclo que precisar ser finalizado para outro iniciar – afetando de forma diferente cada mulher e repercutindo nos seus sentimentos, relacionamentos e qualidade de vida.

Importante mencionar aqui que mulheres que passam por cirurgias ginecológicas – principalmente as que realizam a retirada dos ovários, em alguns casos a do útero também – mesmo que não tenham apresentado nenhum sintoma anterior, tendem a manifestá-los no período pós-cirurgia.

TRATAMENTO COM FITOHORMÔNIOS E FITOTERÁPICOS

Para cada sintoma da menopausa existe um tipo de fitohormônio mais adequado. Isso porque uns estimulam a produção de progesterona, outros de estrogênio. A indicação varia de acordo com cada caso e por isso, é necessário avaliar qual a reposição hormonal mais adequada. Às vezes, dois ou mais tipos de fitohormônios podem ser combinados.

Sugiro sempre que paralelo à reposição de hormônios e fitoterápicos, seja realizada consulta com um profissional da área médica – ginecologista, endrocrinologista, homeopata, entre outros – uma vez que mesmo sendo compostos naturais, não devem ser ministrados indiscriminadamente pelas  contra-indicações que possuem, cuja análise precisa levar em consideração sua própria bioquímica em conjunto às interações medicamentosas da paciente.

Isso porque é importante a realização de exames laboratoriais e o acompanhamento do caso, objetivando avaliar tanto os sintomas em nível físico quanto em nível emocional e mental, assim como fatores de ambiente, histórico familiar e de vida, mudanças e transformações na rotina e na vida. Tudo o que ocorre em nosso interior e exterior reflete em nosso corpo de múltiplas formas, e cada pessoa tem uma forma de reagir a eles. Seguem algumas sugestões:

* Soja (Isoflavona): Dê preferência à soja orgânica, livre de pesticidas e agrotóxicos que podem agravar sintomas. Rica em genisteína, que previne câncer e problemas de fígado e vesícula, a soja estimula a formação dos ossos, abaixa o colesterol e protege a parede dos vasos. É indicada para mulheres na menopausa que tenham osteoporose e hipertensão. É também o hormônio de escolha para mulheres com história de câncer na família ou que já se submeteram a mastectomia, já que a genisteína impede a proliferação de tumores.

* Vitex agnus castus: Tem um papel importante contra a depressão. É especialmente útil para mulheres na peri-menopausa, ou seja, no período que antecede a menopausa propriamente dita. Diminui a dor nos mamilos e melhora a libido. Ocupa os receptores de dopamina, o que deixa a mulher bem humorada.

* Black Cohosh (Cimicífuga racemosa): É o fitohormônio mais estudado. É aprovado pelo Ministério da Saúde da Alemanha para tratar os sintomas de deficiência de estrogênio. Alivia os calores, a atrofia e o ressecamento vaginal, a palpitação e a ansiedade. Atua de modo semelhante ao estriol, um derivado do estrogênio responsável pela lubrificação da vagina.

* Semente de linhaça: Rica em lignana, composto que é convertido em estrogênio pelas bactérias no intestino. Aqui, sugiro a ingestão do óleo prensado à frio (2 colheres de sopa X dia misturadas em saladas ou em outros alimentos) ou a manipulação de cápsulas para quem não gosta do sabor.

* Licorice Root: O extrato dessa planta se chama ácido glicirrético e estimula a conversão natural de testosterona a estrogênio na glândula supra-renal. É uma fonte natural de estrogênio. Previne a formação de coágulos, comuns na menopausa. É usado na Europa e nos Estados Unidos também como antiinflamatório. Não deve ser usado por quem tem hipertensão.

* Wild Yam ou Yam Mexicano (Inhame selvagem mexicano): Tem um composto igual à progesterona produzida no corpo. Segundo a Dra. Jane Corona, foi a partir da diosgenina do inhame selvagem que os laboratórios desenvolveram a progesterona sintética, modificada. Indicado principalmente para osteoporose, pois a progesterona é o hormônio que aumenta a densidade óssea. Também diminui a retenção de líquidos. O Wild Yam não deve ser ingerido como comprimido, pois só se transforma em progesterona quando é absorvido pela pele ou debaixo da língua.

* Dong Quai: É a planta mais utilizada na medicina tradicional chinesa. Promove uma síntese de progesterona natural. É boa para aliviar os sintomas da TPM porque relaxa a musculatura do útero, combatendo as cólicas.

* Pólen: É um composto de minerais, vitaminas e hormônios com inúmeros benefícios para a saúde. Possui ação reguladora hormonal, antiradicais livres, energizante e tônico cerebral por conter alto valor nutricional, estimulando a produção dos hormônios femininos e masculinos. Assim como a geléia real é indicada para as síndromes do climatério, ambos atuam como estimulador do organismo e regulador das funções orgânicas, reduzindo os efeitos incômodos da menopausa. O pólen deve ser consumido diariamente, basta uma única colher de chá diluída em suco para conquistar mais ânimo, bom humor e saúde.

* Sálvia (Officinalis): Essa é uma planta medicinal coringa porque pode ser usada como tempero, em forma de chá, infusão fria em água, na forma de óleo essencial ou ainda em escalda-pés. O seu uso regular reduz imensamente os calorões e os suores noturnos, melhorando o sono, trazendo clareza mental e reduzindo a irritabilidade – age no sistema nervoso -, além de ser uma erva antinflamatória, digestiva e diurética.

Recomendo o consumo do chá por uma semana, parando de 2 a 3 dias, e retomando novamente para que o organismo não sature. Em torno de 3 ou mais folhas de sálvia por dia já fazem a diferença. Pode ser utilizada também na forma de incenso natural – sálvia branca – queimando algumas folhas no ambiente ou utilizando-a em forma de tocha – preparada através da junção de várias folhas e amarrrada com cordão – para defumação. Nesse processo, seus óleos essenciais também serão espargidos no ambiente.

TRATAMENTO COM ÓLEOS ESSENCIAIS

A melhor forma de você se tratar com a Aromaterapia é consultar um aromaterapeuta especializado na área, uma vez que a aplicação dos óleos essenciais possui contra-indicações para diversos casos. Outra maneira é realizar cursos básicos ou introdutórios para autoaplicação em sua rotina de forma segura e responsável.

Quando aprendemos que os óleos essenciais são grandes concentrações das moléculas deles encontradas na natureza, compreendemos o que significa estar atento ao seu uso e utilizá-lo da forma incorreta. Uma informação básica como referência do que menciono: 1 gota de óleo essencial pode equivaler a 24 xícaras de chá da planta.

Seguem algumas dicas de como a maravilhosa medicina e alquimia da Aromaterapia e Aromatologia podem auxiliar imensamente no processo.

* Formas de Uso dos Óleos: inalar diretamente do frasco, usar em colar difusor, misturar com óleo vegetal e passar no corpo ou usar puro em pontos estratégicos do corpo – quando o óleo permitir o contato direto na pele (Exemplo: óleo essencial de Lavanda).

Sálvia Sclaréia – Tônico uterino, estimula a produção de hormônios e é emenagogo. É top para esses casos, sendo o óleo da feminilidade da mulher madura; Pode ser utilizado também nas infecções e distúrbios vaginais em banhos de assento ou vaporizações;

Gerânio – Regulador hormonal natural. Possui efeito rápido de melhora dos sintomas quando utilizado em colar difusor e passado na pele. É o óleo da mulher em todos os aspectos, auxiliando no fortalecimento do autoamor, da autoestima, do bom humor e no equilíbrio dos problemas emocionais do coração;

Funcho doce: Estimulante da produção de estrogênio, ajuda a regular desarranjos hormonais. Combate retenção hídrica e ansiedade. No campo emocional, ajuda a digerir momentos mais intensos e que estejam sendo difíceis de serem assimilados. Usar na pele apenas em pequena quantidade;

Aipo (sementes): Desintoxicante e depurativo do sangue. Atua sobre o sistema reprodutor feminino, harmonizando suas atividades e melhorando condições como ondas de calor e suor excessivo. É calmante e combate o mau humor. Atua como um diurético emocional e energeticamente desperta o reconhecimento de perspectivas negativas.

-Jasmim (officinales): É um óleo tônico e balanceador hormonal, atuando sobre o útero e o sistema endócrino. No campo emocional traz calma e conforto, é antidepressivo, aumenta a libido e combate a apatia e a falta de confiança. Energeticamente auxilia em processos de transformações pessoais e períodos de mudança.

Rosas ou Gerânio Roseum – Trabalha profundamente o amor próprio e o perdão;

Ylan ylang – Fortalece a autoestima, além de ser afrodisíaco; Também pode ser usado para equilibrar o emocional.

Canela (folha) – Emenagogo, estimulante geral, principalmente para melhoria do humor;

Lavanda – Alivia os sintomas da menopausa e do estresse; Excelente para os casos de insônia;

Neroli – Alivia sintomas, melhora a libido, reduz a pressão arterial, o estresse e melhora o metabolismo do sistema endócrino;

Óleo vegetal de côco: ótimo para os casos de ressecamento vaginal. Pode ser passado na região e também utilizado em massagens; O Hidrolato de Gerânio pode ser usado para o mesmo problema;

Hidrolato de Hortelã – aplicar no rosto para fogachos ou calorões; Também pode ser adicionado no creme de rosto algumas gotas do óleo essencial de hortelã, com o objetivo de reduzir a vermelhidão da pele e auxiliar nos casos de rosácea (Leia mais sobre Rosácea: Tratamentos Naturais e Homeopáticos), que pode ser derivada do desequilíbrio hormonal em alguns casos.

Relativo à diluição dos óleos essenciais, a tabela acima informa a quantidade segura e adequada para ser usada. Dependendo do caso, as diluições podem ser até menores que 1% – no caso de bebês e recém-nascidos. Conforme a imagem, a quantidade de 1% é usada mais para quem tem pele sensível e para idosos. Já a quantidade de 2% é para uso diário – aromatizadores e purificadores de ambientes, em casos de saúde mais crônicos ou para massagens. Ambas podem ser misturadas em bases de óleos vegetais (carreadores), cremes, fluídos e hidratantes – através da epiderme os óleos evaporam menos, já que são super voláteis, e economizam seu uso – assim como em águas florais, aromatizadores de ambientes, produtos naturais de limpeza, entre outras possibilidades.

RELAÇÃO ENTRE A 1ª MENSTRUAÇÃO E A MENOPAUSA

A menarca (menstruação) precoce ou tardia pode ser genética, apesar de que a melhoria nos cuidados com a saúde e nutrição têm tornado mais difícil estabelecer esta conexão. Muitas meninas começam a menstruar na mesma idade de suas mães, e não é incomum acontecer o mesmo com a menopausa.

Um estudo classificado como “Genoma da mulher”, da Escola do Departamento de Epidemiologia do Ministério da Saúde Pública de Harvard, apresentou uma extensa pesquisa sobre a relação entre a idade da menarca e a idade da menopausa. O autor da pesquisa discutiu o fato de que a menarca precoce e menopausa tardia são fatores de risco para o desenvolvimento de câncer de mama e do endométrio, e que a menopausa precoce aumenta risco de osteoporose e doenças cardiovasculares.

Ele ainda escreveu que “a compreensão sobre os fatores genéticos que influenciam o tempo de menarca e menopausa natural, podem explicar sobre a função reprodutiva normal e a prevenção das doenças associadas a estas duas características”.

Mesmo não havendo um diagnóstico único para prever quando uma mulher iniciará a menopausa, ainda assim essa é uma conexão profunda, energética, espiritual e quântica. Conheça a linguagem do seu corpo e conhecerá muito a respeito de si em multidimensões do seu Ser.

“Menstruar é uma limpeza física e psíquica. O primeiro portal de poder feminino é a menstruação. Confirma-se com a primeira relação, fortalece-se com o parto e consagra-se com a menopausa.

O sangue que derramamos em ciclos próximos dos lunares (28 dias), é um grande portal de poder feminino. É através de nossa menstruação que nos conectamos com os ciclos da lua, com a força da natureza interna que culmina com o momento em que o ventre chora despedindo-se do óvulo não fecundado.

Momento esse que nos esvaziamos mental e fisicamente dos “despejos espermatozóicos” masculinos que carregam não só matéria, mas também sentimentos que são absorvidos no nosso ventre. Menstruar é uma limpeza física e psíquica!

O caminho de aceitação do feminino passa por uma aceitação da menstruação e dos demais processos femininos: parir e amamentar (quando ele ocorre). A beleza e a aceitação do feminino não passa ao bloquear estes processos, mas aprender a conviver bem com eles.

E todos esses processos são um convite para olhar para ti mesma, percorrendo os caminhos das sombras para ver as estrelas…Quando negamos as diversas etapas de ser mulher, abrimos mão do profundo poder que é SER.” (Autoria desconhecida)

Matéria por Luciane Strähuber – Educadora da Terapêutica Integrada

Leia também: A Sabedoria Milenar da Medicina Ayurvedica/ Autodiagnóstico da Menstruação: Um Mapa sobre Você/ Escalda-pés: Uma Prática Milenar, Terapêutica e Restauradora/ A Águia como Totem ou Animal de Poder

Artigos, Matérias, Terapias Integrativas

Rosácea: Tratamentos Naturais e Homeopáticos

A rosácea pode ter causas emocionais, hormonais ou manifestar-se após um período de mudança ou estresse, sem uma causa definida pela medicina. Portanto, no conceito da terapêutica integrada faz-se necessário um diagnóstico e tratamento mais amplo, a fim de atuar não apenas fisicamente, mas também em outros níveis onde a causa pode estar instalada.

A rosácea é uma condição inflamatória, cíclica e crônica da pele. Manifesta-se através de rubor e vermelhidão no rosto, podendo gerar o aparecimento de espinhas – com maior frequência no centro do rosto, bochechas, nariz, testa e queixo. Por vezes, pode aparecer no tronco, nos braços e nas pernas. Nos casos mais avançados, pode ocorrer acne em forma de grãos e espinhas que, às vezes, chegam a ser bastante dolorosos.

Esta condição na pele requer uma série de cuidados e tratamentos para mantê-la em harmonia sempre que possível. Com base em experiência pessoal, histórico familiar, tratamento de pacientes e amigas, seguem algumas dicas.

  • Usar o sumo de Aloe Vera 2 X dia, principalmente à noite, antes de dormir. Corte um quadradinho da folha de aloe vera, retire os espinhos e passe sempre que possível. Enxaguar somente no dia seguinte. Se possível, ingerir também o gel de aloe vera preparado na hora com o sumo de 1/2 limão, em jejum. Pode ser batido no liquidificador e tomado puro ou acrescentando 1 colher de mel. Tomar com canudinho – evitar o contato do limão com os dentes,
  • Sucos desintoxicantes com folhas escuras: couve, brócolis, espinafre, etc, são altamente antioxidantes e auxiliam no processo. Saiba mais aqui: Sucos Naturais, Desintoxicantes e Energéticos
  • Evitar o consumo de leite, laticínios e derivados de origem animal – prefira os de origem vegetal. O único laticínio seria o iogurte natural orgânico, tendo em vista a presença dos lactobacilos que podem ser auxiliares na harmonização da flora intestinal e, consequentemente, da pele. O problema do leite e derivados não-orgânicos são os antibióticos e hormônios contidos nas rações animais que passam para o leite e, consequentemente, para o seu corpo por ingeri-los, causando o desequilíbrio natural dos hormônios.
  • Evitar o consumo de álcool, cafeína, bebidas e alimentos muito quentes, embutidos. Reduzir consumo de comidas picantes e chocolate.
  • Beber bastante água mineral ao longo do dia, estimulando o consumo de alimentos integrais e fibrosos.
  • Utilizar hidratantes manipulados – fluído, gel ou loção – que contenham em sua composição extrato glicólico de camomila ou calêndula. Acrescente neste hidratante os óleos essenciais de Lavanda, Tea Tree (antibiótico, antibacteriano) ou Palmarosa (antibacteriano, anti-séptico, cicatrizante) e o Hortelã para auxiliar a resfriar a pele e aumentar a circulação. Por exemplo, para 60g de hidratante inclua: 8 a 10 gts de OE Lavanda/ 6 a 7 gts de OE de Tea Tree – se preferir um óleo mais suave e regenerador da pele, a Palmarosa é a ideal: use 8 a 10gts OE Palmarosa/ 6 a 7 gts de OE Hortelã. Saiba mais sobre como utilizar os óleos essenciais aqui: Receitas Caseiras com Óleos Essenciais
  • Para quem tem a pele mais ressecada pode solicitar que no hidratante seja acrescentado o óleo de macadâmia. O óleo de oliva é ótimo também para criar uma camada protetora para a pele, pois mantém a hidratação.
  • Chás de ervas responsáveis por auxiliar na limpeza do sangue, fígado: bardana, dente de leão e alcachofra, especificamente. Neste caso, deixa 1 colher (chá) em infusão com 1 copo de água fria mineral  – em água quente o sabor será muito amargo para consumo. Tampar e aguardar. Bebericar este chá ao longo do dia, por 3 dias seguidos. Parar por 3 dias e repetir por 7 dias a 14 dias. Seguir preparando-o sempre para ser tomado no mesmo dia.
  • Exercícios e caminhadas ao ar livre, em meio à natureza, auxiliam na recuperação pela oxigenação das células. De preferência, em locais com pouca circulação de carros.
  • No caso de sol, evitar exposição se estiver em crise. Preferir o sol da manhã ou o de final de tarde.
  • Se possível, evitar lavar o rosto com água que contenha cloro, se for muito quente pior. O cloro é altamente irritante e pode agravar a vermelhidão. SUGESTÃO: Instale no seu chuveiro um filtro com refil à base de carvão (filtragem com 75% ou 98% de cloro). Os refis de 98% também são utilizados em hospitais. Assim, terá uma água menos ácida e irritante para e pele no geral, uma vez que a rosácea pode manifestar-se em outras partes do corpo.
  • Em alguns casos, a rosácea também pode ser consequência de endometriose. Se existe uma possibilidade de este ser o seu caso, converse com seu ginecologista ou consulte um homeopata – leia mais sobre a indicação da homeopatia Carbo Animalis. Pode estar correlacionada também a repetidas situações de desarmonia do sistema nervoso.

MÁSCARAS AUXILIARES PARA PELE COM ROSÁCEA

  • Máscara de Aloe Vera e Camomila (Somente a Aloe Vera já traz ótimos resultados): Auxilia a desinflamar a pele, minimizar espinhas e prevenir infecções. É ideal para reparar as partes mais ressecadas. Prepare uma infusão de camomila e, quando estiver fria, misture com a polpa de um talo de aloe vera ou com gel do aloe vera, conforme preferir. Bata os ingredientes e quando obtiver uma massa uniforme, estenda pelo rosto deixando repousar durante 15 minutos. Você notará os resultados em seguida!

  • Máscara de Mel com Açafrão/ Sem adição de água: Tem ação cicatrizante, antibiótica, mineralizante e antibacteriana natural pelas propriedades contidas no mel e no açafrão. Pode ser aplicada 1 a 2 X mês, sem pressão ou esfoliação brusca da pele. Deixe agir por 15 minutos e retire com água morna ou fresca.

  • Máscara de Pepino:  Eficaz porque o pepino é muito rico em água e vitamina E. Destaca-se por ser um cicatrizante natural que ajuda a minimizar a vermelhidão, refrescar e reparar a pele. Descasque um pepino médio, bata no liquidificador e, se desejar, acrescente uma colher de sopa de azeite de oliva – extra virgem. Depois, passe-a pelo rosto e deixe agir por 15 minutos. Retire com água morna e sem aplicar nenhum tipo de sabonete.

  • Máscara de Aveia e Chá Verde: A aveia é ótima para esse caso porque possui uma ação calmante que protege a pele contra irritações, vermelhidão e coceira. O chá verde, pela ação antioxidante e tonificante é ótimo para combater os sintomas. Os ingredientes unidos são uma excelente opção. Prepare uma infusão de chá verde – preferência para as folhas verdes ao invés dos talos. Quando estiver frio, acrescente 3 colheres (sopa) de farinha de aveia. Misture bem. Deixe agir por 10 a 15 minutos.

LIMPEZA E ESFOLIAÇÕES ADEQUADAS

Seguindo este passos básicos, além dos já mencionados, você conseguirá eliminar as células mortas sem danificar a estrutura da derme, mantendo-a saudável e hidratada.
  • A limpeza facial nesse caso deve ser extremamente suave, evitando a esfoliação nas partes afetadas. Aconselha-se lavar o rosto 2 X ao dia (manhã e noite) com água morna, utilizando um sabonete suave e natural – de preferência sem componentes químicos artificiais – não abrasivo, principalmente livre de fragrâncias sintéticas. Secar a pele com uma toalha de algodão suave e descartar o uso de toalhas ásperas.
  • Caso o dermatologista tenha receitado alguma medicação tópica, aplique logo após realizar a limpeza facial e 10 minutos antes de aplicar qualquer outro produto, seja protetor solar, cremes ou maquiagem. Assim, o tratamento penetrará bem na pele e fará sua função.
  • A aplicação de um protetor solar – principalmente se houver maior exposição ao sol – é fundamental. O ideal é solicitar que o próprio dermatologista manipule o mais adequado à condição da sua pele, sendo o FPS 30 suficiente e melhor para evitar maios irritação que os fatores de maior grau podem provocar *
  • Para reduzir os sintomas da rosácea como a vermelhidão, a irritação e a coceira, é importante usar um creme hidratante emoliente, que crie uma barreira protetora contra a umidade e resíduos que possam causar infecções e danificar a pele. Há cremes feitos especificamente para cuidar dessa sensibilidade.
  • Outro aspecto fundamental é escolher os produtos para aplicar sobre a pele com muito cuidado. As peles com esta condição são bem mais sensíveis. Lembre-se sempre da composição de cada um dos cosméticos que adquirir. Evite aqueles produtos que sejam agressivos como loções adstringentes, esfoliantes, tônicos e produtos em geral que que contenham álcool, menta, óleo de eucalipto, ácido salicílico, petrolatos, triclosan e abrasivos.
  • Quanto à maquiagem, é conveniente evitar as bases densas resistentes à água e, em seu lugar, escolher uma que não seja irritante e livre de óleo. As maquiagens minerais costumam ser uma grande alternativa para as peles com rosácea, já que são menos irritantes. No mercado, existem algumas especialmente indicadas para a vermelhidão. Se você tiver condições, o ideal seria preferir uma maquiagem mais orgânica e sem petrolatos, triclosan e ingredientes irritantes, ou ainda adquirir de fontes seguras vendidas em farmácias de manipulação ou marcas que primam por componentes naturais e orgânicos.

* SOBRE O PROTETOR SOLAR (Segundo recomendação dermatológica)

TRATAMENTO HOMEOPÁTICO

A partir de um breve histórico dos casos mais comuns de rosácea, o uso da homeopatia e seu vasto campo de pesquisa e conhecimento tem resultados muito positivos no tratamento. Segundo a Dra. Concepción Calleja Peredo – especialista em medicina geral e homeopatia – os medicamentos homeopáticos mais indicados são:

CARBO ANIMALIS 7 CH: Tomar 3 grânulos, 2 a 3 X dia. Em sua experimentação toxicológica, as doses com este medicamento desenvolvem lesões na face idênticos aos da acne rosácea – no princípio da homeopatia cura-se o semelhante com o semelhante.

ARNICA MONTANA 15 CH: Quando houverem ferimentos que são simétricos (em ambas as faces). Tomar 3 grânulos, 2 X dia.

EUGENIA JAMBOSA 7 CH: Indicado especialmente quando as lesões se relacionam com a ingestão de álcool – que neste caso deveria ser evitado. Tomar 3 grânulos, 2 X dia.

SANGUINARIA CANADENSIS 9 CH: Quando as lesões são acompanhadas por calor e queimação nas bochechas. Tomar 3 grânulos, 3 X dia. Se este período corresponde à menopausa, pode-se seguir a prescrição acima – 2 a 3 grânulos quando o calor aparecer.

CALCAREA FLUORICA 7 CH: Quando há telangiectasias importantes, tomar 3 grânulos, 2 X dia. Outros medicamentos mais frequentes associados neste tipo de patologia são: Sulfur, Lachesis e Sepia.

Um outro olhar me levou ao Compêndio Clínico dos Laboratórios WELEDA do Brasil, cujas recomendações para o tratamento da rosácea seguem avaliadas como DOENÇAS DOS ÓRGÃOS SENSORIAIS (Sistema Neuro-Sensorial)/ I. DERMOPATIAS CONSTITUCIONAIS E AUTO-IMUNES. Faço menção à Weleda neste caso pelo fato da maioria dos medicamentos homeopáticos serem de origem orgânica, produzidos de uma forma singular que respeita vários aspectos na elaboração dos seus componentes.

Recomendações:

  • Dieta rigorosa *, quase sem sal e, especialmente, sem iogurte ou completamente vegetariana. Banhos frequentes de imersão com Kalium sulfuratum e suco de um limão. Sudorese depois do banho.
  • Estimular limpeza do intestino diariamente.
  • Chá Ritmo Suave Weleda (Sene, Erva-doce, Menta e Cravo).
  • Vaucheria D3 e D20 dil., 3 vezes ao dia, 10 gotas.
  • Aesculus D15 dil. + Alumen D15 dil.
  • Antimonit D6 dil.
  • Sangue próprio mais Silicea D20 amp.
  • À noite, aplicar nas partes afetadas em pouca quantidade Calendula Officinalis (Tintura) T.M. + Pasta d’água aa., Arnica (Aplicar a tintura na pele, 1-4 vezes ao dia com uma compressa. O uso em crianças menores de 6 anos precisam de atenção médica. A duração do tratamento não deve exceder uma semana)./ Echinacea comp.* gel, pomada de Aurum metalicum praep. D5 / Oleum lavandulae eth. 1%.
  • Observação: no caso da Silicea e do Aurum, esses elementos podem ser encontrados na medicação homeopática da Weleda chamada STRESSDORON, um ótimo complementar.

* Dieta rigorosa recomendada:

  • A alimentação é de extrema importância, como em qualquer “erupção”: manifesta-se na pele tudo aquilo que penetrou em excesso e que não pode ser dominado pelas forças metabólicas.
  • Em consequência, todo tratamento de acne deve começar com 7 ou mais dias de alimentação crua, especialmente à base de frutas.
  • Em seguida, 3-4 semanas de alimentação vegetariana: verduras, saladas, couves, cenouras, beterrabas, batatas, pão integral, queijo branco, coalhada, creme ácido, iogurte, maçãs, compotas com pouco açúcar, chá, um pouco de café sem leite, água mineral.
  • Mais adiante, três vezes por semana, um pouco peixe. Não ingerir: carne vermelha, frios, comidas com farinha de trigo branca, comidas muito doces, leite e alimentos derivados ou com leite, queijo duro, pimentões verdes e vermelhos, ovos puros, enlatados, álcool em todas as suas formas.
  • Facilitar a evacuação do intestino: à noite, chá de cáscara sagrada ou uma infusão de Chá Ritmo Suave (Weleda). O paciente deve mastigar muito bem os alimentos para auxiliar a atividade metabólica.

pele-lírio

METAFÍSICA DA PELE

Para compreender melhor a pele do rosto, devemos considerar suas características fisiológicas comparativamente ao significado metafísico, que visa investigar profundos aspectos emocionais e padrões de comportamento.

No âmbito metafísico, a pele que reveste todo o corpo representa uma linha divisória entre o interno e o externo. Isso refere-se a uma área de exposição que contem componentes interiores, assim como registros das sensações produzidas pelo que acontece ao redor.

A pele, portanto, é um órgão de contato e de manifestação do ser no mundo. Do meu ponto de vista “a pele é emocional”, sendo um veículo através do qual podem somatizar-se muitos aspectos.

Ela desempenha a função de termostato natural, regulando a temperatura do corpo. Grande parte do calor produzido pelos músculos são enviados à pele; a transpiração é um exemplo desse mecanismo fisiológico de eliminação de calor. Essa atividade equivale, metafisicamente, à mediação entre o ser e o ambiente. É uma espécie de regulador emocional, que faz o intercâmbio entre os componentes emocionais com as situações do ambiente.

Quando alguma ocorrência exterior impacta a pessoa e ela se inflama, por exemplo, a sua fúria fica “à flor da pele”. Cabe aqui avaliar como se lida com a raiva, diante de situações que fogem do seu controle, que não ocorrem como gostaria ou que “tiram você do sério” por várias razões. Quando se encontra a origem desta raiva, é possível identificar padrões e iniciar uma mudança de comportamento, minimizando efeitos “pós-raiva” que deixam a pele irritada e que, geralmente, resultam num campo devastado, seco e eletricamente desarmônico.

Sob essa ótica, os cuidados com a pele, principalmente do rosto, representam um gesto de dedicação e atenção para consigo. A limpeza de pele é um procedimento que sugere a libertação das turbulências vivenciadas no passado quando da liberação das células mortas, um ato que vai muito além da vaidade e da estética quando realizado com este intuito. Esse procedimento minimiza os padrões metafísicos que poderão somatizar, por exemplo, em forma de manchas na pele.”

Procurando apresentar nesta matéria tanto métodos naturais quanto homeopáticos para que você avalie o melhor tratamento, não descartamos o acompanhamento de um homeopata e dermatologista, a fim de prescrever um diagnóstico mais preciso de acordo com o estágio e as condições de sua lesão. Para atendimentos online, há o belo trabalho do Homeopata Dr. José Maria Alves, que disponibiliza consultas gratuitas e um vasto material gratuito para estudo, disponível em seus sites e blogs: Tratamento Rosácea e Consultas_Dr. José Maria Alves 

E uma sugestão para reflexão: procure através do autoconhecimento, da observação de si porque o problema surgiu, se é cíclico ou crônico, quando e em que ocasiões ocorre. Seja o observador de si mesmo e, assim, poderá encontrar a causa do seu surgimento para melhor sinalizar o devido cuidado e tratamento. Na psicossomática, acne e lesões na pele podem estar chamando sua atenção para dialogar com sua auto-estima, autoconconfiança e auto-amor, ainda podendo indiciar aspectos mais profundos do seu ser oriundos de padrões, registros e crenças familiares. Observe, investigue, conheça-se: este é o primeiro passo. Namastê! ❤

Luciane Strähuber – Educação Terapêutica Integrada

 

Constelação Familiar, Filmes e Vídeos: Constelação Familiar, Matérias, Terapias Integrativas

Constelação Familiar: Encontrando o seu lugar na Árvore Ancestral da Vida

“Somente quando estamos em sintonia com o nosso destino, com os nossos pais, com as nossas origens e tomamos nosso lugar, temos a força (…) Quando falamos em sistema familiar, as pessoas estão para os órgãos assim como o sistema familiar está para o nosso corpo. Dentro da família, cada um tem seu lugar, assim como os órgãos. O sangue leva tudo para os órgãos e, no sistema familiar, o que mantém os vínculos entre os integrantes da família é o amor.” (Bert Hellinger)

Constelação Familiar é um método psicoterapêutico com abordagem sistêmica não empirista ou subjetiva, desenvolvido pelo psicoterapeuta alemão Bert Hellinger, que elaborou suas inerentes “Ordens do Amor”, um lindo conceito para compreendermos o sistema familiar em que estamos inseridos. Essa técnica utiliza pessoas desconhecidas do cliente para interpretar sua família, de forma a reconstruir a árvore genealógica, o que permite localizar e remover bloqueios do fluxo amoroso de qualquer geração ou membro familiar, permitindo que a pessoa encontre e tome o seu real lugar nesta hierarquia geracional.

Pode ser realizada em grupo – ou individualmente, com utilização de bonecos, figuras ou outras formas de abordagem do terapeuta. A terapia se dá através da reunião do terapeuta, do cliente e de um grupo de pessoas que são convidadas a representar membros da sua família. A sessão tem início quando o cliente manifesta a questão que quer trabalhar e escolhe representantes para seus familiares.

Conheço o trabalho de Constelação Familiar desde 2008 e, ao longo de anos, venho indicando-o a todos que conheço. Após ter vivenciado inúmeras experiências em grupo e individuais, auxiliando e sendo auxiliada, presenciando amigos, pacientes, conhecidos e colegas que também constelaram, vejo o quanto esta técnica terapêutica é profunda, intensa e eficaz, um grande passo que podemos dar em nossa jornada evolutiva para que possamos trazer a clareza e o entendimento sobre todas as partes de nós mesmos. Percebo sua eficácia na brevidade das sessões terapêuticas que logo apresentam resultados, um trabalho capaz de identificar a origem de muitos dos “males” que nos afligem e, através da frequência do amor, desatar nós, trazer a compreensão de coisas não resolvidas e abrir novas portas para o futuro.

Muitas dificuldades pessoais, bloqueios emocionais, padrões inconscientes, comportamentos e problemas de relacionamento são resultado de confusões nos sistemas familiares. Esta confusão ocorre quando incorporamos em nossa vida – sem que queiramos ou que tenhamos consciência – o destino de outra pessoa ou de alguém que já viveu no passado, não importa quanto tempo tenha partido. Isto nos faz repetir “o destino” dos membros familiares que foram excluídos, esquecidos ou não reconhecidos no lugar que lhes pertencia, de forma que podemos passar a viver uma vida que não seja de fato o nosso real propósito.

A meta desta abordagem é “unir o que está neuroticamente separado e separar o que está neuroticamente unido”, encontrando o ponto de equilíbrio. Isso significa resolver envolvimentos desarmônicos, separar o que estava “misturado” e incluir partes que anteriormente estavam excluídas, permitindo que o cliente alcance a integração em um nível mais elevado.

A Constelação se baseia na existência de uma consciência familiar que “rege” nossos destinos, ou seja, cada vez que uma das ordens desta consciência é quebrada, ela age no sistema familiar através de seus membros para que haja uma compensação. Uma destas ordens é o direito ao pertencimento: todos, no sistema familiar, têm o mesmo direito de pertencer.

Isto implica que, cada vez que alguém é excluído do sistema – normalmente por questões morais – a consciência familiar escolhe um membro de uma geração posterior ao excluído para que tenha um destino semelhante e difícil. Crianças abortadas, criminosos, alcoólatras, doentes mentais, prostitutas, filhos ilegítimos, todos se enquadram neste grupo de excluídos. Somente quando estas pessoas são reconhecidas e incluídas no coração da família, aquele que estava identificado com o excluído pode seguir seu próprio destino livremente.

O trabalho sistêmico vem a partir da concepção da vida, do fluir no desenvolvimento natural. Estamos inseridos dentro de um grande sistema contínuo, de diversos elementos que se interagem e, de certa forma, são interdependentes uns com os outros. Segundo Bert Hellinger, cada um de nós é um sistema e, por essa razão, nenhum organismo é um sistema estático, fechado ao mundo exterior, mas sim um sistema aberto, onde há uma constante troca de informações entre os mais diversos níveis de nosso ser.

Nascemos dentro de um sistema familiar, que existe há muitos anos e onde não sabemos direito o seu histórico completo. Foram gerações atrás de gerações com muitas histórias, acontecimentos, situações felizes, tristes e até mesmo trágicas. Herdamos através dos nossos pais e ancestrais toda a carga morfogenética e não nos damos conta dos padrões, das crenças e até mesmo das repetições de estórias dentro da nossa família. Com isso, a Constelação Sistêmica Familiar quebra esses círculos viciosos. Revela os mecanismos inconscientes do nosso comportamento e as influências externas. Quando essas influências se mostram nas constelações, o indivíduo recupera seu poder de fazer escolhas, se torna mais livre e produtivo.

Uma outra ordem abordada é a de precedência. Significa que quem vem antes dá e quem vem depois recebe; quem vem primeiro tem prioridade. Quando alguém toma o lugar de outro que o precede, o sistema familiar entra em desequilíbrio. Um filho que assume “ares” de pai, um irmão caçula que se arroga direitos de primogênito, um filho que toma para si os problemas dos pais e os coloca em julgamento, são alguns perturbadores desta ordem. Durante a Constelação Familiar, estas dinâmicas ocultas afloram de maneira surpreendente.

Portanto, a Constelação nos traz a oportunidade de identificarmos, de forma consciente, o que está acontecendo com o sistema familiar e onde estamos posicionados – de forma equilibrada ou não – podendo assim resolver conflitos a partir da escolha interna de cada um. Podemos constelar para ajudar em conflitos familiares relativos a pais, filhos, irmãos, tios, avós, bisavós…, conflitos entre casais, dificuldade em lidar com perdas de parentes, pessoas queridas ou parceiros, dificuldade em relacionar-se de uma forma geral, dificuldade em comunicar-se, problemas de saúde, conflitos entre sócios, funcionários e clientes, dificuldades ou perdas financeiras, entre outros temas.

Uma analogia interessante sobre a Constelação foi descrita no blog de uma terapeuta consteladora, uma descrição que considero perfeita para explicar como nos sentimos numa experiência como esta: “(…) a todo instante, milhares de ondas de rádio cruzam o espaço sem que possamos acessá-las. Assim que um aparelho de rádio é ligado e uma determinada freqüência é escolhida, passamos a ouvir imediatamente sua programação. No caso das constelações familiares, o membro da família é o responsável por ‘autorizar’ que a freqüência de sua família seja sintonizada e possa ser captada no ambiente. A partir de como os representantes se sentem e se movimentam, é possível perceber os emaranhados com clareza, dando início à sua dissolução (…) Neste momento, instala-se no ambiente um ‘campo’ que traz à luz aquilo que está atuando em seu sistema familiar.”

Penso que todas as pessoas, em algum momento da vida, deveriam passar por essa experiência porque é simplesmente única e intransferível, e mesmo que estejamos apenas representando o familiar de alguém, certamente sempre estaremos vendo neste “papel”, nesta personalidade, algo sobre nós mesmos que ainda precisaremos modificar e evoluir.

É um trabalho sem precedentes e com resultados visíveis, indicado para qualquer pessoa ou caso, para que cada um se sinta pertencendo, no seu lugar, seja no trabalho, nas parcerias, nos relacionamentos, seja no amor, na prosperidade e na vida. Ocupar o lugar na hierarquia do sistema familiar nos coloca novamente em sintonia com o fluir da vida e com o nosso destino. Portanto, se você se identificou com esta matéria, se essas palavras ressoaram dentro de você, procure um Constelador. Constele! 😉

Assista a Reportagem do Programa Fantástico, de 14/05/2017: A reportagem mostrou como tribunais brasileiros estão usando a técnica de Constelação Familiar – Direito Sistêmico – para facilitar a mediação de conflitos, principalmente na Vara de Família, em questões como pensão e guarda de filhos. A ideia é humanizar a Justiça e aumentar a porcentagem de solução dos casos. Segundo estatísticas gerais: 31% dos casos são solucionados quando um dos pais constela, sendo 71% dos casos quando ambos os pais se colocam à disposição para o trabalho de Constelação Familiar.

 

Matérias, Orgânicos: Produtos e Alimentação, Terapias Integrativas

Caminhos Auxiliares na Desintoxicação de Alumínio e Metais Pesados

DETOX

Tendo em vista a grande demanda de e-mails e perguntas recebidas através do nosso Blog/ Site, questionando a respeito de tratamentos e formas de desintoxicação de alumínio e outros metais pesados no sangue, aqui a matéria que prometemos divulgar aos internautas, a fim de direcionar aqueles que buscam alternativas mais saudáveis e efetivas para o caso.

Esta matéria é uma continuação do artigo relacionado ao assunto: Os perigos do alumínio: como prevenir através do esclarecimento, tendo o objetivo de indicar e nortear o caminho de muitos que, apenas através de um diagnóstico médico, não conseguem resolver o problema. Da mesma maneira, visa incentivar a medicina preventiva ao invés da medicina sintomática, ou seja, a medicina da saúde em oposição à medicina da doença, onde a segunda trata o desequilíbrio apenas quando ele já está instalado, agravando ou trazendo novos problemas. Contudo, concordamos com o fato de que o diagnóstico médico ainda se faz necessário, mas podendo ser realizado por outros profissionais e caminhos interconectados à própria medicina.

Importante ressaltar também que um tratamento geralmente é diferenciado para cada pessoa, pois cada caso é um caso único que requer uma atenção especial e, consequentemente, um diagnóstico específico que depende de inúmeras variáveis, muitas relacionadas à rotina da pessoa, ao histórico de saúde, às condições de higiene, aos utensílios de cozinha, produtos alimentícios, de beleza em geral, cosméticos, medicamentos que costuma utilizar, poluição atmosférica, sistema imunitário, índices de minerais, vitaminas, aminoácidos, índices e ciclos hormonais, avaliação de alimentos e substâncias alergênicas, entre outros fatores.

Portanto, que estes possam ser caminhos para trazer mais esclarecimento e conhecimento para, assim, avaliar e sentir qual será o melhor tratamento para você e o profissional mais adequado para o seu caso. Ficam as dicas, com base em experiências próprias, esperando sinceramente que possam ajudar a todos no seu processo de cura, jornada essa que não acontece somente no físico, mas também na mente, no emocional e no espírito. Saudações a todos, com grande carinho, dedicação e amor! 😉

  • ALIMENTAÇÃO DESINTOXICANTE E COMPLEMENTOS

alimentação detox

  1. Adicione pectina de maçã à sua rotina diária. A pectina de maçã se vincula aos metais pesados no organismo e impede sua absorção nos tecidos, excretando-os para fora do corpo. Você pode obter pectina de maçã diretamente de uma maçã fresca, crua, ou comprá-la em forma de pó ou Tablet onde são vendidos suplementos.
  2. Em ½ copo de água, em temperatura ambiente ou levemente morna, misture metade do suco de um limão fresco e tome em jejum, com o auxílio de um canudo, para não prejudicar o esmalte dos dentes. Esta é uma das melhores maneiras de ajudar seu corpo a desintoxicar de metais como o alumínio. O ácido cítrico do limão ajuda a remover os metais das células, dos tecidos e do corpo.
  3. Após o desjejum com o limão, faça um suco verde desintoxicante, composto por: suco de 01 limão, 01 maçã fugi ou gala, 01 lasca de gengibre, 01 folha de couve ou de brócolis ou 01 punhado de folhas de espinafre (todas sem o talo se for liquidificado), 01 laranja e 01 colh. (sopa ou chá) de mel puro. Bata tudo no liquidificador, após acrescente cubinhos de gelo para que fique numa temperatura fresca, não gelado, e desfrute dessa maravilhosa vitamina! Saiba mais receitas de sucos desintoxicantes aqui: Sucos naturais, desintoxicantes e energéticos: nutrindo corpo, mente e alma!
  4. Qualquer tipo de alga, mas em especial a Alga Kombu, Spirulina e Chlorella ajudam na desintoxicação, absorvendo metais pesados no corpo exatamente como absorve no oceano. Esta forma de absorção das algas impede-os de serem absorvidos pelo organismo e auxilia para que sejam excretados. A maneira mais fácil para adicionar alga marinha na sua rotina diária é como um suplemento nutricional, disponível em lojas de produtos naturais, ou ainda sendo ingerida em cápsulas através de farmácias de manipulação.
  5. Cúrcuma é uma especiaria que também serve como um antioxidante, combatendo os radicais livres e substâncias tóxicas. Ele desintoxica o fígado e os rins, os quais geralmente são afetados pelo alumínio. Cúrcuma está disponível como um suplemento ou pode ser adicionada aos alimentos como um tempero em pó, encontrado em supermercados, lojas de produtos naturais e outros estabelecimentos comerciais.
  6. Aumente o consumo de alho e coentro. Você pode acrescentar dentes de alho esmagados em sua receita – para evitar o mau hálito, prefira o alho roxo – e inclua o coentro cru na sua dieta diária. O alho e o coentro ajudam a remover os metais pesados do sangue e dos tecidos.
  7. Para auxiliar no processo de eliminação das toxinas do corpo, faça um escalda-pés 2 a 3 X por semana, por um período de 1 mês ou mais. Para desintoxicação através de seus pés, encha uma bacia com água morna para quente, desde que seja confortável para você. Adicione 1 colher (sopa) bem cheia de Sal Amargo (conhecido como Sulfato de Magnésio ou Sal de Epson, vendido em farmácias convencionais) + 1 colher (sopa) bem cheia de Sal Marinho ou Sal do Himalaia. Você também pode acrescentar ervas de sua escolha, maceradas na água com as mãos. Mergulhe os pés, pelo menos, por 30 a 40 minutos. Lave os pés com água morna e esfregue a pele seca, suavemente, para remover toxinas expulsas. Vide matéria sobre escalda-pés: Escalda-pés: uma prática milenar, curativa e restauradora
  8. Ingira água mineral com PH acima de 7,5 e baixa taxa de sódio, a fim de alcalinizar o sangue e possibilitar a eliminação de toxinas do corpo. O PH da água, para se tornar curativo, pode ser potencializado através de sua ionização, usando pedras de turmalina negra e dolomita na bombona de água que você ingere. Vide matéria com todas as informações: Água mineral Ionizada: saúde para toda a vida!

          OUTRAS OPÇÕES DE TRATAMENTO para desintoxicar seguem abaixo, os quais recomendamos o acompanhamento de profissionais habilitados, como homeopatas, naturólogos, iridólogos, médicos ortomoleculares, terapeutas florais, naturopatas, biomédicos, entre outros, para prescrever a melhor opção para você.

Manipulação_florais_homeopatia_cápsulas

  • HOMEOPATIA: Hepar Sulphur 6 CH – 30ml (20% sol. acoólica) / Posologia: 5 gts/ 2 X dia, por 8 dias. Dependendo do nível de intoxicação, a concentração homeopática é maior, portanto, consulte um médico homeopata para avaliar especificamente o seu caso.
  • FÓRMULA FLORAL: Ameixa (Sistema Saint Germain) – 30ml (20% sol. alcoólica)/ Posologia: 7gts/ 3 X dia, sublinguais, por no mínimo 1 mês.
  • LACTOBACILLUS RHAMNOSUS: São bactérias láticas bastante resistentes aos sais biliares, fermentam várias formas de açúcares e produzem ácido lático. Entre suas funções: acidificam e protegem o intestino Delgado, levam vantagem na competição com bactérias patogênicas, atuam no tratamento do excesso de óxido nítrico e são usados na desintoxicação por metais pesados.
  • LACTOBACILLUS BIFIDUM: Fazem parte da microflora benéfica que produz ácidos para baixar o PH do intestino e retardar a colonização de bactérias indesejáveis. Entre suas funções: ajudam na função hepática saudável, promovem a síntese das vitaminas do complexo B, regulam os movimentos peristálticos do intestino, ajudam na absorção de minerais, principalmente o cálcio, ajudam na liberação de resíduos digestivos.
  • ERVAS (em formas de chás, infusões frias, escalda-pés, compressas, prefira ervas orgânicas): Alcachofra, Dente de Leão, Bardana, Cardo Mariano (Silimarina). Todas essas ervas possuem propriedades desintoxicantes do sangue, purificadoras do fígado, pâncreas e vesícula biliar. Importante ressaltar que devem ser utilizadas por períodos curtos: 2 semanas no máximo, 1 a 2 X ao dia, com intervalos de 3 a 7 dias se o tratamento for prolongado por 1 mês, uma vez que possuem elementos químicos em sua composição que podem ser tóxicos para o organismo se ingeridas em grande quantidade e por muito tempo. Se for ingerir em forma de chás ou infusões, prefira deixar as ervas em água fria, pois a ingestão fica mais palatável já que são muito amargas, em especial a alcachofra e a bardana.
  • SUCO DE ALOE VERA: dar preferência ao gel liofilizado 100% puro da babosa ou aloe vera orgânica, sem aditivos químicos, conservantes, saborizantes e edulcorantes artificiais.
  • PRÓPOLIS, GELÉIA REAL, MEL E PÓLEN: qualquer um dos componentes provindos deste abençoado reino das abelhas, cujos produtos são considerados “super alimentos”, aqueles que, além de virem prontos da natureza são ricos em minerais, vitaminas, aminoácidos essenciais e substâncias vitais para o ser humano em todos os níveis. São compostos que fazem parte da medicina preventiva, portanto, o consumo deles na dieta é muito bem vindo!
  • CARVÃO VEGETAL ATIVADO (EM CÁPSULAS): Este tratamento envolve ingerir cápsulas de carvão ativado como tratamento para desintoxicação de qualquer metal pesado ou química no organismo. Dependendo do índice ou do nível alumínio ou outro metal pesado no sangue, o tempo e os intervalos de tratamento podem variar.  Nesse contexto, um alerta importante: o carvão ativado tem a propriedade de inibir e expelir qualquer medicamento alopático que você esteja tomando. Por essa razão, para ser prescrito é preciso avaliar o caso, com o intuito de que não hajam complicações em conjunto a outro tipo de tratamento. Geralmente, ele deve ser tomado sozinho.
  • NUTROGRAMA E MINERALOGRAMA POR BIORRESSONÂNCIA: A Biorressonância possibilita o diagnóstico das possíveis reações no corpo causadas por alimentos aos quais haja intolerância ou alergia. O exame é indolor e realizado em consultório, com duração aproximada de 60 minutos. É feito através de pontos específicos nos dedos da mão. A pessoa preenche um questionário sobre seu estado geral e deve estar na condição normal de saúde, ou seja, sem febre ou enxaqueca. Após uma semana, o paciente recebe o laudo com os alimentos aos quais ele é reativo, possíveis intoxicações, doenças presentes ou futuras, deficiência de vitaminas e minerais.
    Nesse caso, você vai precisar da avaliação de um profissional para prescrever o exame, geralmente realizado em clínicas por nutricionistas, nutrólogos, médicos ortomoleculares, podendo ser solicitado também por homeopatas, acupunturistas, biomédicos, entre outros.

Biorressonância

  • DESINTOXICAÇÃO IÔNICA pelos pés (Bioeletrônica): É realizada por um emissor de frequências e de hidroterapia que combina as propriedades terapêuticas da água com a força da bio-eletrônica, restabelecendo e ampliando a capacidade do corpo de se autocurar. Além de possibilitar a estimulação e normalização do organismo através da desintoxicação, é um método energizante e não doloroso. Existem muitos vídeos e sites na internet, inclusive com profissionais de outros países, demonstrando a eficácia do tratamento através da experiência com pacientes que possuem problemas variados de saúde. Pelos pés possuírem pelo menos 2000 poros, esta é uma ótima opção para o tratamento. Os sinais bioenergéticos efetuam harmonização e desintoxicação, carregando íons e moléculas tóxicas ionizáveis e estimulam glândulas linfáticas para o processo de desintoxicação. Assim, quando as células estão com suas funções corretas, elas permitem que nutrientes importantes sejam absorvidos e que sejam eliminadas toxinas não desejáveis.

Segundo site de produtos como o Hidrovitalis, o método tem efetividade comprovada em pessoas com afecções como: psoríase, eczema, dores de cabeça, artrite, doenças reumáticas, asma e outros casos. Atua na desintoxicação de órgãos: rins, pâncreas, fígado, timo, intestino, sistema circulatório e linfático; de metais tóxicos: alumínio, cádmio, chumbo, mercúrio, níquel; de agrotóxicos, pesticidas, fungos e parasitas. Segue imagem com as etapas de desintoxicação.

Hidrovitalis

E abaixo, imagem através de infravermelho mostrando a melhora na circulação sanguínea após o processo de desintoxicação iônica:

Imagem infravermelho_circulação_hidrovitalis

Assim, mesmo o corpo tendo inúmeros e sábios mecanismos para desintoxicar-se, diante de tantos poluentes aos quais estamos expostos, podemos dar uma ajudinha e, com isso, os resultados e benefícios advindos são muitos, permitindo que a fluidez de energia e o trabalho de todos os sistemas corpóreos possam voltar às suas frequências originais. ♥

Luciane Strähuber (Educadora da Terapêutica Integrada)