Artigos, Feminino Sagrado, Sustentabilidade Ambiental, Terapias Integrativas

Tinturas para cabelo 100% naturais – Parte 2

Dedico este artigo ao pessoal que acompanha o Blog e aos que passam por aqui em busca de informação boa e séria! 😉 Tendo em vista este ser um dos assuntos mais acessados e discutidos através de comentários, mensagens e e-mails, sigo complementando e atualizando as informações que publiquei no artigo anterior: Tinturas para Cabelo 100% Naturais Com o aumento da demanda por produtos cada vez mais naturais, orgânicos, livres de transgênicos, testes em animais e quimical free, crescem as opções de produtos no mercado, assim como cresce a procura por cursos online sobre o assunto.

No final deste artigo, sugiro alguns Canais bem interessantes – para quem não tem muito tempo a perder – com receitas caseiras, naturais e à base de ervas, especiarias e tinturas provenientes de extratos vegetais da natureza. Do meu ponto de vista, são bem objetivos, trazendo receitas simples e fáceis de fazer em casa. Entretanto, mesmo se tratando de receitas naturais, sugiro que você converse com um especialista ou busque informação em canais especializados para não danificar os seus cabelos, já que dependendo do caso, não são recomendadas certas misturas. Então, vamos aos esclarecimentos.

RECEITAS CASEIRAS

A dica que deixo aqui é buscar uma receita que esteja de acordo com o seu tipo de cabelo, mas avaliando também a condição em que ele se encontra atualmente – se é seco, normal, oleoso ou misto; se está desidratado, ressecado, quebradiço, com pontas duplas ou queda excessiva; se tem mechas, luzes, alisamentos, tonalizante, tintura química, descolorante, etc. Escolha, assim, a opção de receita para o seu tipo de cabelo + condição de cabelo, lembrando: um tratamento natural/ caseiro requer disciplina e tem resultados gradativos. Pode ser mais permanente no caso da henna em pó – pura ou misturada a algum outro extrato natural – ou da henna em creme. Se o cabelo for comprido demais, a dosagem também é diferente.

TINTURAS EM PÓ

Respondendo os e-mails e comentários recebidos sobre as tinturas em pó: todas as tinturas naturais em que usamos pó – sejam as do mercado ou mesmo os elementos que compramos para fazer em casa – geralmente tem a tendência de ressecar os fios. Com isso, sugiro que junto à mistura seja acrescentada 01 a 02 colheres (sopa) de um óleo vegetal extra virgem de sua preferência – indico o de coco ou de oliva – ou glicerina vegetal em creme (sem parabenos ou petrolatos) – ou ainda a mesma quantidade de uma máscara capilar de sua preferência, a mais natural possível. No caso das misturas contendo limão ou outro elemento mais ácido: mais cautela ainda para quem tem cabelos secos ou ressecados, algum processo químico ou em função de exposição à água do mar, piscina, sol. E no que se refere à canela, não indico para quem tem pele sensível ou rosácea, pois causa alergias, além de ressecar os cabelos.

Outro esclarecimento: no caso da Henna Surya em creme, ela não tem na sua composição apenas a henna como muitos pensam, mas sim uma lista de extratos de plantas que, dependendo da coloração que se deseja, possuem mais ou menos elementos das plantas listadas, são elas: Açaí, Acerola, Achillea, Amla, Aloe Vera, Arnica, Avelã, Babaçu, Camomila, Castanha do Brasil, Guaraná, Jenipapo, Juá e Malva. Como ainda tenho recebido comentários de pessoas que duvidam que seja totalmente natural – e com razão pela quantidade de produtos que não fazem jus ao que está descrito no rótulo – trago minha experiência que confirmou isso.

Há alguns anos atrás, através de um naturopata, bioquímico e cientista que possui um grupo de estudos na Unicamp, tive a confirmação que os testes realizados confirmavam que o produto era natural, sem amônia, sem parabenos e sem metais pesados. Hoje, não saberia dizer se a fórmula foi modificada, a não ser realizando novos testes. Entretanto, uso a henna creme de vez em quando como tratamento para os cabelos e, no meu caso – tendo os cabelos normais – é de fato um ótimo tratamento. Para quem quiser pesquisar mais a respeito da henna, existem tutoriais especiais em Canais do You Tube apenas falando sobre as colorações com Henna. Muitos, inclusive, indicam misturar dois tons para se adquirir o tom desejado e, principalmente, para quem tem mais de 50% de cabelos brancos.

PH DO CABELO X PH SUBSTÂNCIAS NATURAIS: OS BASTIDORES DO PORQUÊ AS RECEITAS NEM SEMPRE FUNCIONAM

Trazendo o olhar para os “bastidores” dessas dicas, trouxe algumas tabelas advindas de sites profissionais para cabeleireiros, que indicam o valor do Ph do cabelo comparado a certos produtos que estão por aí dizendo que fazem milagres, quando na verdade não é o que ocorre na prática – no caso do vinagre e do bicarbonato de sódio, por exemplo. Dependendo do tipo de cabelo e da quantidade usada, passam a ser um grande problema ao invés de uma solução, porque os Ph’s muito alcalinos ou muito altos podem danificar os cabelos. O vinagre e o bicarbonato, por exemplo, podem gerar queda de cabelo se usados na quantidade errada – já ocorreu comigo. No caso do vinagre, o ideal é o de maçã.

O Ph normal do cabelo humano fica em torno de 4,5 a 5,5, ou seja, ligeiramente ácido. Assim se forma o manto ácido, que tem como função impedir a proliferação de fungos e bactérias no couro cabeludo, evitando irritações. Fios com pH neste grau são saudáveis e têm as cutículas fechadas (aderentes e lisas). O pH, ou Potencial de Hidrogênio, é a escala que mede o grau de acidez ou alcalinidade de uma substância, podendo variar de 0 a 14.

Os cosméticos capilares com Ph alcalino são usados para modificar a estrutura externa e interna dos cabelos, abrindo as cutículas a fim de penetrar nos fios. O Ph ácido reforça a fibra capilar, age como adstringentes e neutraliza os tratamentos feitos com cosméticos alcalinos. Ao utilizarmos produtos muito ácidos (pH entre 1 e 2), assim como produtos muito alcalinos (pH acima de 10), os cabelos “incham”, pois as cutículas se abrem e é desta forma que os tratamentos químicos – alisamentos, permanentes e colorações – são mais eficazes.

Na maioria dos shampoos o pH oscila entre 5 e 7, para que o nível de acidez da oleosidade do cabelo em condições normais seja mantida, e isso é importante para impedir a sobrevivência de bactérias no couro cabeludo. O pH da água salgada é alcalino, por isso, cabelos com química devem evitar água do mar. Shampoos com pH entre 4.5 e 5.5 são indicados para pessoas que têm permanente, possuem o cabelo fraco ou tingido.

 

TIPOS DE CABELOS: AGENTES ÁCIDOS E ALCALINOS

O pH do cabelo determina o índice de acidez ou alcalinidade do fio. O fio de cabelo tem carga NEGATIVA, por isso ele retém partículas de carga positiva. O que hidrata naturalmente o fio de cabelo é o SEBO OU ÓLEO DO COURO CABELUDO.

Consequentemente, as dicas aqui são muito bem vindas para compreendermos o processo. Produtos contendo mais ou menos óleo, resultam em:

+ ÓLEO = pH ácido: deixa o cabelo macio, hidratado/ – ÓLEO = pH alcalino: deixa o cabelo seco, poroso. Tudo que retira a oleosidade natural do fio de cabelo é considerado um agente ALCALINO. Tudo que devolve a oleosidade natural é considerado um agente ÁCIDO.

* Agentes ácidos: Hidratações líquidas, produtos que contenham Óleos Vegetais ou Animais ou Umectantes;
* Agentes alcalinos: Escova, Química, Progressiva, Prancha, Secador, Produtos Cosméticos mal elaborados, etc.

Conclusão: Cabelo seco é um cabelo com PH ALCALINO/ * Cabelo oleoso é um cabelo com PH ÁCIDO/ * Cabelo normal é um cabelo com PH ÁCIDO/ * Cabelo danificado é um cabelo com PH ALCALINO/ * Cabelo ressecado é um cabelo com PH ALCALINO.

COSMETOLOGIA NATURAL

Aqueles que desejarem aprofundar o conhecimento podem buscar cursos especificamente para cabeleireiros – há cursos gratuitos e com valores acessíveis na web – mas minha ênfase é para a Cosmetologia Natural, Ecológica e Orgânica, porque esta segunda opção traz bases ótimas para você conhecer mais a fundo sobre bioquímica, produtos que devem ser usados, produtos tóxicos a serem evitados e fórmulas balanceadas de maneira correta para cada tipo de cabelo. Dessa maneira, você tem como saber se uma receita que se diz milagrosa vai mesmo funcionar para o seu tipo de cabelo, estendendo esse conhecimento para tudo o que diz respeito à sua pele, corpo, saúde e meio ambiente.

Um curso muito completo – mais profissionalizante no que se refere a você criar sua própria Linha de Cosméticos – que já disponibiliza alguns vídeos para você ir inteirando-se do assunto, você encontra no site da Cosmetologia do Bem. Mas, para quem quer apenas usar fórmulas em casa e livrar-se das químicas tóxicas, as sugestões propostas também fazem a sua parte. Infelizmente, como não podemos confiar nos órgãos reguladores – Anvisa e Inmetro – que autorizam a utilização de até 6% de chumbo – acetato de chumbo – nas tinturas, a melhor opção mesmo é utilizarmos o que a Mãe Natureza nos traz de melhor! Ficam as dicas com base na minha experiência. Que sejam super úteis para você também! Namastê! ❤

Luciane Strähuber – Educação Terapêutica Integrada

Fontes Complementares: ECabelos: Cabeleireiro Online/ “Cabeleireiro Online PH dos Cabelos”, “Como tratar o cabelo com Henna” e “Cosmetologia Natural e Ecológica” ou “Cosmética Natural e Ecológica/ Orgânica” (Vários Sites e Canais pesquisados com estes temas)

Canais Sugeridos: Pensando ao Contrário; Manual da BelezaCosmetologia do Bem

Anúncios
Artigos, Feminino Sagrado, Terapias Integrativas

Ensinamentos sobre a MÃE: Visões da Constelação Familiar e das Terapias Integrativas

“A maior herança de uma mãe para uma filha é ter se curado como mulher” – Christiane Northrup

Cada filha leva consigo a sua mãe. É um vínculo eterno do qual nunca poderemos nos desligar. Porque, se algo deve ficar claro, é que sempre teremos algo de nossa mãe. Para termos saúde e sermos felizes, cada uma de nós deve conhecer de que maneira nossa mãe – seja a mãe biológica, de criação, uma tia, uma avó ou mesmo outra pessoa que a tenha representado em sua vida – influenciou nossa história e como continua influenciando. Mesmo que tenhamos sido criados por “outras mães”, a mãe biológica é a que, antes de nascermos, ofereceu nossa primeira experiência de carinho e de sustento.

Na Visão da Constelação Familiar, não existe outra mãe capaz de substitui-la, porque os filhos receberam a vida dessa mãe. Por esse motivo, é a melhor e a única possível sob este ponto de vista. A vida vem de longe, o quão longe não sabemos. Ela se perde em algo não reconhecido e desconhecido por nós. Mesmo assim, a vida que flui por essas gerações é sempre a mesma. Não faz diferença como foram os pais, todos são iguais naquilo que receberam e transmitiram. Afinal, todos nascemos de uma mãe. 

Quando a MÃE LIBERA o FILHO, promove empoderamento da força do clã. Quando o FILHO HONRA SEUS PAIS, prospera e a vida flui. Então, o que é essa conexão com a mãe? Como podemos saber se alguém está ou não bem conectado a ela? Segundo Bert Hellinger – criador deste belo, profundo e visceral trabalho chamado de Constelação Familiar – pode-se perceber que esta pessoa está “cheia” quando bem sintonizada com a mãe. Ela tem pouco a exigir e muito a dar. Alegra-se com o que recebe e serve a outros com alegria. É uma fonte de inspiração para os outros. Isso porque a mãe é, antes de mais nada, o modelo básico da revisão do servir a outros. É a mãe quem serve na família, e o faz com desvelo e ternura.

Se aprendemos essa postura básica, então estaremos aptos a servir também outros com alegria, pois todo trabalho representa o serviço a outros. E o sucesso deriva da pressão natural produzida nos demais em retribuir o que damos a eles na forma de nosso servir. Isso representa aquele que tem sucesso, o líder nato: outros fazem de boa vontade aquilo que lhes é pedido, e vice-versa. Assim, um passo fundamental na escalada ao sucesso parte da revisão da relação como nossa mãe – O sucesso em nossa vida tem a cara da mãe! O progresso tem a cara do pai. 

E o que vem a ser tal revisão? Consiste em tomar a mãe em nosso coração tal como ela é: com amor, sem queixas, exigências, temores, recriminações, acusações ou reclamações. Consiste em concordar que ela é também uma mulher comum, imperfeita, e portanto sujeita a erros, e mesmo assim, nossa mãe. Para isso, Hellinger diz: “precisamos primeiro desistir de ser uma pessoa especial e concordarmos em ser uma pessoa comum, pois como pode alguém especial ser filho de pessoas comuns? Ser efetivamente capaz de assumir uma postura de total Gratidão a ela é a base do sucesso. Esse é o primeiro curso da ação, a base de tudo o mais”.

Essa premissa não significa que tenhamos que perder nossa individualidade e liberdade, mas compreendermos que o amor possui uma ordem, citado por Hellinger numa perfeita analogia: As Ordens do Amor. Este fluxo de amor, assim, segue uma ordem dentro da hierarquia familiar, como uma cachoeira e seus vários declives, representada pelas posições que tomamos em nossa família, isto é: os filhos são pequenos perante os pais, que são grandes; os pais são pequenos perante seus pais, que são grandes, e assim por diante. Nessa reflexão, quando saímos do nosso lugar para ocupar o lugar de outro na família, por muitas razões, independente aqui de qualquer julgamento, perdemos força provinda desta cachoeira e deixamos de desempenhar o papel que deveríamos em nossa vida e dentro da família.

Este apanhado de textos e reflexões, enfim, tem o objetivo de trazer nosso olhar para dentro de nós e também para nossas raízes, a fim de nos conhecermos ainda mais na medida que seguimos nossa jornada, uma vez que encontramos de fato a paz interior quando iluminamos nossas raízes e compreendemos o que é nosso e o que é do outro. Só ocupando nosso lugar dentro da hierarquia familiar ganhamos força e podemos seguir adiante, permitindo a formação do nosso Self e de uma nova família.

“Nossas células se dividiram e se desenvolveram ao ritmo das batidas do coração; nossa pele, nosso cabelo, coração, pulmões e ossos foram alimentados pelo sangue – sangue que estava cheio de substâncias neuroquímicas formadas como resposta a seus pensamentos, crenças e emoções. Quando sentia medo, ansiedade, nervosismo, ou se sentia muito aborrecida pela gravidez, nosso corpo se inteirou disso; quando se sentia segura, feliz e satisfeita, também notamos.”  – Christiane Northrup

A RELAÇÃO COM A MÃE – MÃES E FILHOS

Entrevista a Bert Hellinger realizada por Esther Lak, em Novembro de 2005 – Tradução do espanhol por Eva Jacinto

Como podemos ser felizes ou encaminharmo-nos para a felicidade?

A felicidade começa muito precocemente, começa com a mãe e é mantida na relação com ela. O caminho da felicidade interrompe-se quando perdemos o contato com a mãe, também com o pai, é claro, mas este está em segundo lugar. Pode observar-se, às vezes faço-o quando estou a ver televisão: olhamos para os atores ou para os que estão a falar na televisão e então a minha mulher pergunta “que relação tem este com a mãe dele?”. Pode ver-se de imediato: os que estão em conexão com a mãe brilham, têm uma expressão de alegria e são amados pelos outros, isto nota-se facilmente. Quando alguém vem dizer que não se sente feliz, eu pergunto-lhe sobre a sua mãe, pelo relacionamento que tem com ela. Tenho no meu coração a mãe desta pessoa, imediatamente presente com respeito, e como eu a respeito, posso levá-lo até ela e em breve começa também a irradiar, a brilhar. Este é um caminho para a felicidade.

A relação com a mãe é reparável? Para muitos ela é uma relação de conflito.

Os conflitos são necessários. Muitas relações com a mãe estão bloqueadas porque temos ~expetativas em relação a essa pessoa que vão para além do que se pode esperar de um ser humano. Se os pais fossem perfeitos, se a mãe fosse a ideal, não seríamos capazes de viver, não teríamos a força para viver. Somos capazes de viver porque os nossos pais têm falhas. Isso é o que nos introduz na verdadeira vida, ou seja, amamos os nossos pais assim como eles são, exatamente como eles são, e assim tornamo-nos felizes.

Estava a pensar se tudo o que recebemos dos nossos pais, as coisas que nos ferem, por exemplo, se tudo é perdoável?

Um filho que perdoa está ao mesmo tempo a acusar os pais. Está a colocar-se acima deles e assim perde-os, bem como ao seu destino e à sua felicidade. Se posso admitir tudo o que acontece, dizer-lhe sim, o sucedido converte-se numa força; quando o rejeito ou o perdoo, fico frágil, coloco-me acima e ao mesmo tempo permaneço pequeno.

Então, a aceitação não significa colocar-se por debaixo numa situação?

Não é o mesmo que aceitar, estou a dizer-lhe sim, quando aceito sou passivo, quando digo sim sou ativo e ao dizer que sim algo se transforma, enquanto que ao aceitar nada se transforma. Esta é uma diferença muito importante.

Se existisse em mim um brilho, pelo tipo de relacionamento que tenho com a minha mãe, o que aconteceria com a minha mãe em relação a mim?

Ela, como é evidente, está também feliz; sobretudo porque se abre o coração da mãe e o seu amor pode fluir para ti, as duas vão estar felizes. Um homem disse-me certa vez que a mãe dele o odiou quando ele era pequeno. Ela morava muito perto do local onde estávamos a fazer o seminário e então eu disse-lhe “vai visitá-la”. No dia seguinte ele voltou, estava radiante e eu disse-lhe “mas o que é que fizeste?”, “fui visitá-la e disse à minha mãe: eu estou feliz por me teres dado à luz…”, e a mãe brilhava, irradiava e ele também. Tão fácil é a felicidade.

Como nos preparamos então para ser boas mães ou sermos as mães que queremos brilhar nos olhos dos nossos filhos?

Muito simples: amar a nossa própria mãe. Agora você também brilha…

Para fechar esta nota, queria perguntar sobre como fica o lugar do pai, uma vez que falávamos somente do lugar feminino. O pai tem uma demanda, tem protagonismo, ou pelo fato de a mãe ocupar este lugar o seu papel é complementar?

Sim, o pai está em segundo lugar. Mas, hoje em dia, os pais estão muitas vezes excluídos, e o pai que está excluído põe a mãe triste, fá-la infeliz. Para a mãe estar feliz, ela tem que respeitar e amar o pai e isso nem sempre é simples, porque os homens são diferentes, e temos de os amar assim como são – diferentes.

E as crianças precisam do pai, para a felicidade é necessário que elas possam ter o pai. Então, as crianças felizes são aquelas que são olhadas pela mãe e a mãe, através desta criança, ama também o pai; e o pai olha para os filhos e, através deles, ama também a mãe. Essas crianças são crianças felizes.

FALTA DE MÃE – FILHOS ÓRFÃOS OU EXCLUÍDOS

Trazendo um exemplo do trabalho de Constelação Familiar, um marido que trai a esposa – com várias outras mulheres – pode ter a origem deste comportamento na falta ou na ausência da mãe. Realizando a constelação neste exemplo específico – levando em consideração de que cada caso é único – apareceram: três gerações anteriores de homens órfãos de mãe.

Neste caso, como funciona a dinâmica no inconsciente do homem: “Vou encontrar a mãe que partiu precocemente”. Assim, quem procura amantes, procura a mãe. E o que completa a reflexão neste exmeplo: “A mãe continua presente em cada filho.”

LEALDADE AOS PAIS

Libertar-se da lealdade aos pais não significa deixar de amá-los. Libertar-se desta lealdade é tornar-se adulto. “Os filhos, se desejam viver, precisam deixar que seus pais se vão; isto é, os filhos precisam livrar-se do sentimento de culpa quando abandonam a lealdade a seus pais no que tange à ligação infantil com eles, desse modo deixando de corresponder, talvez, a seus desejos e ideias.

Isso é particularmente difícil para os filhos quando os pais projetam carências sobre os filhos, porque os seus próprios pais – avós desses filhos – não estavam ou não estão disponíveis da maneira como desejavam.” (Stephan Hausner)

“Quando os pais resolvem a vida de filhos (adultos) não os estão ajudando, na realidade os estão tornando incapazes.” (Bert Hellinger)

AVÓ MATERNA

Esta senhora é muito importante para você. Por quê? 

Uma vez que é essencial na transferência de informação e programas de genética.

Acontece que, quando ela estava grávida de sua mãe, o feto já tem os ovócitos formados. E esses ovócitos vão deixar os 400 óvulos que terão sua mãe durante sua vida reprodutiva. Um desses óvulos tomará o seu nome – lindo! Portanto, este óvulo carrega informação da sua avó.

Quais as informações que você quer dizer? 

Por tudo o que a avó viveu, sentiu e como ela viveu. Se fosse o momento adequado para ter filhos, se desejasse a gravidez, se ela estava protegida por seu marido, quais foram seus amores, conflitos de identidade, sonhos e projetos de vida. Quais eram também as necessidades biológicas de sua avó durante a gravidez de sua mãe.

Tudo isto e muito mais é a informação que está impressa em todas as células do feto. Então, você também herda da avó informações de quando ela estava grávida de sua mãe.

Você já ouviu falar, por exemplo, que a genética, às vezes, pula uma geração?

Pois é exatamente isso. Do óvulo que foi gerada, você carrega informação da avó materna.

Mas, porque da avó e não do avô? Porque a avó tem o óvulo, enquanto que o avô tem o espermatozóide. Mas, é o óvulo que contém parte da informação genética mitocondrial, que está na membrana da célula.

No caso do avô, as informações mitocondriais estão na cauda do espermatozóide. No momento da fecundação a cauda é deixado de fora. Na mitocôndria é onde está registrada a informação a níveis de programas que se herdam, por essa razão, as informações da avó ficam mais presentes e do avô não.

Para muitos, essa informação é uma grande descoberta. Ao tornar-se consciente da vida da avó percebe-se que muitos dos seus medos eram medos dela. Ao compreender sua vida e honrá-la – da mesma forma que honra a mãe – é possível sentir-se “magicamente” livre de muitas coisas que estariam impedindo você de avançar, como uma energia estagnada que permanecia no caminho e que agora flui.

O LEGADO QUE HERDAMOS DE NOSSA MÃE

Qualquer mulher, seja ou não seja mãe, leva consigo as consequências da relação que teve com sua progenitora. Se ela transmitiu mensagens positivas sobre seu corpo feminino e sobre a maneira como devemos trabalhá-lo e cuidá-lo, seus ensinamentos sempre irão fazer parte de um guia para a saúde física e emocional.

No entanto, a influência de uma mãe também pode ser problemática quando o papel exercido for tóxico, devido a uma atitude negligenciada, ciumenta, chantagista ou controladora. Quando conseguimos compreender os efeitos que a criação teve sobre nós, começamos a compreender a nós mesmas, a nos curarmos e a sermos capazes de assimilar o que pensamos de nosso corpo ou a explorar o que consideramos possível conseguir na vida.

A ATENÇÃO MATERNA

Quase todos nós temos a necessidade de sermos vistos por nossas mães, buscamos sua aprovação. Na origem, esta dependência obedece às questões biológicas, pois precisamos delas para existir durante muitos anos; no entanto, a necessidade de afeto e de aprovação é forjada desde o primeiro minuto, desde que olhamos nossa mãe para sabermos se estamos fazendo algo certo ou se somos merecedores de uma carícia.

Assim como indica Northrup – autora do livro Mães e Filhaso vínculo mãe-filha está estrategicamente desenhado para ser uma das relações mais positivas, compreensivas e íntimas que teremos na vida. No entanto, isso nem sempre acontece assim. Com o passar dos anos, esta necessidade de aprovação pode se tornar patológica, gerando obrigações emocionais que propiciam que nossa mãe tenha o poder sobre nosso bem-estar durante quase toda a nossa vida: “O fato de que nossa mãe nos reconheça e nos aceite é uma sede que temos que saciar, mesmo que haja certo sofrimento do ego para conseguir isso.  Isso supõe uma perda de independência e de liberdade que nos apaga e nos transforma.”

CRESCENDO COMO MULHER E FILHA

“Não podemos escapar desse vínculo, pois seja ou não saudável, sempre estará ali para observar nosso futuro.”
 A decisão de crescer implica limpar as feridas emocionais ou qualquer questão que não tenha sido resolvida na primeira metade de nossa vida. Esta transição não é uma tarefa fácil – podendo levar anos para ser completa enquanto ciclo de desapego, transformação e cura – porque primeiro temos que detectar quais são as partes da relação materna que requerem solução e cicatrização.

Disso depende nosso senso de valor presente e futuro. Isso acontece porque sempre há uma parte de nós que pensa que devemos nos dar em excesso para a nossa família ou para o nosso parceiro para sermos merecedoras de amor.

A maternidade e, inclusive, o amor de mulher continuam sendo sinônimos culturais na mente coletiva. Isso supõe que nossas necessidades sejam sempre renegadas ao cumprimento ou não das dos demais. Como consequência, não nos dedicamos a cultivar nossa posição, sentimentos e mente de mulher, senão a moldá-las ao gosto da sociedade na qual vivemos.

As expectativas do mundo sobre mulheres nessa condição de cobrança e pressão podem ser muito difíceis, talvez semelhante a um verdadeiro veneno que, ao longo da vida, obriga a esquecer nossa individualidade. Estas são as razões que fazem tão necessária a ruptura da cadeia de dor e cicatrização íntegra de nossos vínculos, assim como as lembranças que temos deles. Devemos estar cientes de que estes vínculos se tornaram espirituais há muito tempo e, portanto, cabe a nós fazermos as pazes com eles.”

A MÃE DA MÃE – Por Marcela Feriani

Lindo texto sobre a importância do apoio da Mãe – ou de outra mulher próxima – à “Mãe de primeira viagem”, à mulher que torna-se Mãe.

“Enquanto os olhos do mundo estão no bebê que acaba de nascer, a mãe da mãe enxerga a filha, recém-parida. O papel de avó pode esperar, pois é a sua menina que chora, com os seios a vazar.

A mãe da mãe esfrega roupinhas manchadas de cocô, varre o chão, garante o almoço. Compra pijamas de botão, lava lençóis sujos de leite e sangue. Ela sabe como é duro se tornar mãe.

No silêncio da madrugada, pensa na filha, acordada. Quantas vezes será que foi? Aguentará a manhã com um sorriso? Leva canjica quentinha e seu bolo favorito.

Atarefada, a mãe da mãe sofre em silêncio. Em cada escolha da filha, relembra suas próprias. Diante de nova mãe, novo bebê, muito leite e tanto colo, questiona tudo o que fez, tempos atrás. Tempo que não volta mais.

Se hoje é o que se tem, então hoje é o que é. Olha nos olhos, traz pão e café. Esse é o colo, esse é o leite. Aqui e agora, presente.

A mãe da mãe ajuda a filha a voar. Cuida de tudo o que está às mãos para que ela se reconstrua, descubra sua nova identidade. Ela agora é mãe, mas será sempre filha.

Toda mãe recém-nascida precisa dos cuidados de outra mulher que entenda o quanto esse momento é frágil. A mãe da mãe pode ser uma irmã, sogra, amiga, doula, vizinha, tia, avó, cunhada, conhecida. O fato é que o puerpério necessita de união feminina, dessa compreensão que só outra mãe consegue ter. O pai é um cuidador fundamental, comanda a casa e se desdobra entre mãe e filho, mas é preciso lembrar que ele também acaba de se tornar pai, ainda que pela segunda ou terceira vez.”

Fontes Complementares:

  • Textos e Entrevistas de Bert Hellinger – é considerado um dos maiores filósofos do nosso tempo. Suas descobertas no campo da terapia familiar transformou a vida de milhares de pessoas e continua hoje, mais de 40 anos após sua criação, a encontrar aplicação em diversas outras àreas que envolvem o relacionamento sistêmico.
  • Livros de Bert Hellinger: 1. Constelações Familiares; 2. As Ordens do Amor; 3. Liberados Somos Concluídos; 4. Ordens da Ajuda; 5. No Centro Sentimos Leveza; 6. A Fonte não precisa perguntar pelo caminho
  • Livros Consultados e Recomendados: 1. Mães e Filhas: o vínculo que cura, o vínculo que fere – Dra. Cristiane Northrup; 2. A Sabedoria da Menopausa – Dra. Cristiane Northrup/ 3. Mulheres Visíveis, Mães Invisíveis – Laura Gutman/ 4. A Maternidade e o Encontro com a Própria Sombra – Laura Gutman – (Obra polêmica que requer senso crítico para filtrar o necessário. Sugiro leitura de outras obras como complemento desta, com o intuito de expandir o ponto de vista para tecer opinião própria)
  • Informações de outras fontes sobre Constelações Familiares e Terapias Complementares e Integrativas

Leia tambémConstelação Familiar: Encontrando seu lugar na Árvore Ancestral da Vida

Artigos, Terapias Integrativas

Lua Azul, Lua Vermelha e Super Lua: Oportunidade de Transformação Emocional

Compartilho aqui um texto bem esclarecedor sobre este dia especial, energeticamente vendo-o como uma oportunidade de transformação pessoal e emocional. Muito além do que realizar rituais mentais, prontos ou “esteriotipados”, sugiro o exercício do sentir, da interiorização, da sintonização com o espaço do coração, da respiração consciente, da meditação nesta energia que está potencializada e que pode ser direcionada a seu favor. Siga sua intuição e crie o seu próprio momento: “um ritual do sentir”. Afinal, um ritual cheio de sentir é mais do que uma cerimônia, é um portal que nos conecta a outras consciências ancestrais e à nossa sabedoria interior.

Junto dessa vibração podemos ancorar através do nosso útero, do espaço sagrado e multidimensional do nosso coração, as intenções mais verdadeiras diante do que se quer e do que não se quer mais – do que desejamos deixar ir, desapegar, modificar e, conscientemente, nos liberar e libertar – focando, principalmente, em situações que porventura ainda estão pendentes em sua vida, repetindo-se como um disco arranhado, e exercitando a entrega aos ciclos de morte e renascimento na jornada.

Ao longo do dia de hoje e durante o período que esta energia estará sendo irradiada, você poderá viver “o inesperado”. Segundo as conexões de Christine Day junto aos Pleiadianos, este é um momento para milagres! A energia está nos preparando para que possamos abrir nosso coração e ancorar o que precisamos. Deixe ir e permita que o aspecto sagrado “além dos véus” apoie você agora.

Portanto, aproveite o momento! Como sugere a autora do texto que segue: “Oportunidade esta que é tão grande que, se bem aproveitada, pode realmente tirar de dentro de você – e tirar de verdade do seu caminho – questões e sentimentos velhos e encalacrados. Só que desta vez para valer mesmo! (…) Como fazer isto de verdade e de uma vez por todas? Ajudaria muito entender seus processos a fundo e conhecer a verdadeira origem de cada questão para conseguir se livrar delas efetivamente. Pois, não adianta tentar tirar a dor de garganta se não curar a infecção!”

Medite nessas dicas toda vez que houver um plenilúnio, uma Lua Cheia no céu. Ela é uma representante das nossas águas emocionais, nosso sentir, nossas habilidades e dificuldades em fluirmos nelas. E como diziam e ensinavam os Xamãs do passado: sabermos “conversar” com a lua sobre nossas emoções, no silêncio de nós mesmos, é uma forma de obtermos as respostas que precisamos – soluções para antigas perguntas sobre nós – e tomar ações sábias para a transformação do nosso emocional. Namastê! ❤


Texto de Claudia Lazzarotto – Astróloga Kármica/ Via Clã Sacerdotisas da Terra

Na Lua Cheia de hoje, 31 de Janeiro de 2018, teremos um verdadeiro espetáculo Lunar, pois coincidirá com a ocorrência de mais três fenômenos simultaneamente: A Lua de Vermelha (ou de Sangue), a Lua Azul e a Super Lua!! Pois vamos por partes, então:

Lua de Sangue (ou Lua Vermelha) ocorre quando temos um Eclipse Lunar Total onde Sol e Lua se sobrepõe totalmente, fazendo com a Lua adquira um aspecto avermelhado. Suas emanações energéticas são muito mais intensas do que as de um eclipse Lunar parcial, pois com a sobreposição total destes astros, propicia um fluxo direto de energia pelo canal que se forma entre eles e o Planeta Terra.

Lua Azul, é como chamamos a segunda Lua Cheia de um mesmo mês, isto ocorre quando temos eventuais diferenças entre o calendário gregoriano e o calendário Lunar.

Super Lua, acontece quando a Lua na rota de sua órbita está no Perigeu, ou seja, mais próxima do planeta Terra, e por isto, para nós terráqueos, nestes momentos ela fica maior e mais brilhante.

Mais raro que qualquer um destes eventos lunares individualmente, é a ocorrência de todos simultaneamente. Isto sim é um verdadeiro presente para a humanidade!!
Um Eclipse por si só já movimenta uma carga imensa de energia e tem poder enorme de trazer mudanças e inovações, quando este eclipse é total esta força é em si muito ampliada e quando acontece juntamente com todos estes fenômenos, faltam palavras para dimensionarmos o alcance da avassaladora força desta energia.

Esta coincidência gigantesca gera, ao mesmo tempo, uma enxurrada energética sem dimensões e abre um portal enorme para que ela passe e chegue até nós. E se não bastasse….
Temos ainda importantes conjunções neste incrível acontecimento astral, como a dos Nódulos Lunares, o Sul com o Sol e o Norte com a Lua. A conjunção de Vênus com o Sol e também a conjunção do Planeta Terra com a Lua neste alinhamento.

Nódulos Lunares regem nosso Plano Divino, o Sol nosso Eu absoluto, a Lua nosso emocional, com todos os registros de tudo que vivemos, e Vênus o amor!
Estar tudo isto junto no eixo de Leão, que rege o Amor puro Universal, e Aquário que rege a Liberdade, já seria uma oportunidade mágica de transmutar qualquer processo kármico doloroso. Acontecendo ao mesmo tempo três fenômenos lunares, a magnitude desta oportunidade fica magistralmente incalculável.

É um momento quase inédito para libertar a si do seu próprio passado, libertar você, o que, e a quem andou deixando registros de dor, de mágoa, tristeza, revolta, e inundar de luz, de amor amplo universal e absoluto. Inundar a si mesmo de novas esperanças, novas expectativas, de vida nova.
Mas, como sempre tem um mas, nada disto acontecerá sem o seu comprometimento com esta nova postura, sem a sua sintonia com esta energia, com esta abertura e com esta oportunidade. Oportunidade esta que é tão grande que, se bem aproveitada, pode realmente tirar de dentro de você – e tirar de verdade do seu caminho – questões e sentimentos velhos e encalacrados. Só que desta vez para valer mesmo!!

Como fazer isto de verdade e de uma vez por todas? Ajudaria muito entender seus processos a fundo e conhecer a verdadeira origem de cada questão para conseguir se livrar delas efetivamente. Pois, não adianta tentar tirar a dor de garganta se não curar a infecção!
E assim é na vida e na evolução dentro dos Ciclos Kármicos Evolutivos: não adianta querermos soluções e realizações se não aprendermos o que viemos aqui para aprender, não entendermos, absorvermos, enfim…evoluirmos…não vamos de jeito nenhum pular etapas e chegar aos resultados.

Seria como se formar e tirar o diploma sem estudar. Seria o mesmo que comprar um diploma. Você até teria o diploma, mas não seria um profissional qualificado. No processo evolutivo nem adianta tentar; mesmo que alguém venda falsas expectativas, elas logo desmoronam e você volta para o mesmo ponto onde parou, num vai e volta sem fim.

Então, não seria melhor encarar os fatos de frente e resolver tudo de verdade para ultrapassar esta etapa de fato?

O Cosmos está fazendo a parte dele como sempre e nos dando uma excelente oportunidade de assim fazermos. Depende, também, como sempre, do livre arbítrio de cada um de nós em aproveitar ou não esta ocasião.
A diferença é que, em eventos astrológicos desta magnitude nos dão a garantia de que os esforços aplicados agora terão garantia de resultados alcançados.

Para entender, toda a incomensurável energia gerada é guiada por este gigantesco portal e juntos podem levar tudo que você ali colocar. Como numa faxina na alma!! Podemos jogar fora todo o lixo e abrir espaço para uma vida renovada cheia de presentes felizes! Basta saber querer…você sabe o que quer?

Artigos, Terapias Integrativas

As 7 Verdades do Bambu: Ensinamentos Sagrados

“Felicidade é o fruto do conhecimento interior.” (Provérbio Budista) 

“Para levar Luz à sua alma é preciso levar Verdade às suas sombras, às suas raízes.”

O bambu, apesar da sua simplicidade, é considerada uma das árvores mais resistentes na natureza. É tão durável quanto o concreto e a sua tração é comparada ao aço. Suas utilidades abastecem inúmeros setores da economia, da arquitetura, da saúde, da música, da sustentabilidade ambiental e da sobrevivência humana, sendo incontáveis as possibilidades do seu uso. Florestas de bambu estão espalhadas pelo Japão, China e outros países, sendo considerado uma planta nobre e sagrada. É símbolo da multiplicação, da generosidade, da persistência, da flexibilidade, da humildade. No Japão e na China acredita-se que seu tronco oco serve de morada aos deuses.

Os monges budistas fabricavam pincéis exclusivamente de bambu, desfiando as fibras das pontas em sinal de respeito pela vida animal. Os bambus sempre serviram para reflexões e possuem simbologias profundas para o crescimento da alma. Os budistas chamam-lhe de “Benção do Buda”. Contam que o Buda, quando pressentiu sua morte, retirou-se para uma floresta de bambus para obter clareza e sabedoria. Para os japoneses, o bambu sinaliza ao homem como alcançar a paz interior.

Todas as tradições ancestrais chinesas e japonesas fornecem ricas lições sobre o bambu, que servem de orientações para uma vida com reflexão. A simbologia chinesa trás várias significações também. Para os que praticam o Tai Chin Chuan, o bambu simboliza ‘Saúde e Longevidade’, não somente a juventude eterna, mas a utilidade da velhice: como realizar caminhos para obter tempo e saúde, cumprindo melhor a trajetória reencarnatória.

Na saúde feminina, por exemplo, utiliza-se o bambu em cosméticos, maquiagens e produtos de beleza sustentáveis, assim como na produção de tecidos impermeáveis para absorventes ecológicos – menos produção de lixo e menos impacto ao meio ambiente. Outra prática utiliza canos de bambu na chamada Bambuterapia, cuja massagem terapêutica pode ser altamente relaxante para os músculos e a mente, como profundamente revigorante para o sistema circulatório e linfátivo.

Já para os Taoístas, os bambus representam a beleza da natureza em festa, a força e a vitalidade. Sempre estão associados à elegância pela graciosidade e pelo porte imponente de seus ramos – atingindo a altura de 24 metros – assim como pela harmonia com que se unem num bambuzal. A natureza festiva de um bambuzal, com o verde vívido e magnífico, refletem a alegria e a paz que almejamos no dia a dia.

O bambu, sendo planta de caule flexível, durante as tempestades tenebrosas eles vergam, eles descem à terra, eles dançam sob as fúrias dos ventos. Depois, voltam a erguerem-se altivos e fortes. Ele verga, mas não é derrubado, servindo de exemplo para aprendermos a encarar as dificuldades.

Na vida, todas essas tradições ancestrais nos ensinam a utilizar a sabedoria da natureza. Nos auxiliam a caminhar mais presentes, mais conscientes para compreendermos o interior da alma. Breves contos taoístas servem como ferramenta para ilustrar esses sábios ensinamentos, passados de geração à geração, cujas simples e profundas lições podemos aplicar em nossa jornada, em nosso crescimento pessoal e espiritual.

1 – Conto Taoísta: Existia uma grande floresta, cheia de árvores grandes de porte largo. Junto delas, ricos bambuzais soberbamente embelezavam a floresta. Num período de grandes tempestade, com raios, trovões, fortes ventos, muitas arvores grandes e medianas acabaram-se no chão, apenas restaram os bambuzais e uma árvore larga de grande porte. Após certo período, até essa árvore não suportou a força dos ventos, e derrotada tombou ao chão. Essa história era passada oralmente como aprendizado, mostrando que a resistência do bambu aos ventos fortíssimos ocorria por causa de sua flexibilidade. E como os chineses sempre buscavam a utilidade nos sinais da natureza, assim os bambus foram utilizados em construções.

2 – Conto Taoísta: Certa vez, um mestre Taoísta olhando um lindo bambuzal ensina a seu discípulo sobre as reflexões e as pontes que poderiam ser feitas com aquela planta, informando que o bambuzal trazia orientações para uma vida de paz no coração, e inicia ensinando as setes lições ou verdades do bambu:

Primeira verdade: o bambu nos ensina que a mais importante verdade é a humildade diante dos problemas, das dificuldades. Eu não me curvo diante do problema e da dificuldade, mas diante daquele único: o princípio da paz, aquele que me chama, que é Deus.

Segunda verdade: o bambu cria raízes profundas. É muito difícil arrancar um bambu, porque o que ele tem para cima também tem para baixo. Você precisa aprofundar a cada dia suas raízes em Deus, na oração que vem da alma, do coração.

Terceira verdade: Você já viu um pé de bambu sozinho? Apenas quando é novo, mas antes de crescer altivo ele permite que nasça outros a seu lado – como no cooperativismo. Sabe que vai precisar deles. Eles estão sempre juntos uns nos outros, tanto que de longe parecem com uma árvore. Às vezes, tentamos arrancar um bambu lá de dentro, cortamos e não conseguimos. Os animais mais frágeis vivem em bandos para que, desse modo, se livrem dos predadores.

Quarta verdade: o bambu nos ensina é não criar galhos. Como tem a meta no alto e vive em moita – comunidade – o bambu não se permite criar galhos. Nós perdemos muito tempo na vida tentando proteger nossos galhos, coisas insignificantes que damos um valor inestimável. Para ganhar, é preciso perder tudo aquilo que nos impede de subirmos suavemente.

Quinta verdade: o bambu é cheio de nós (e não de eus). Como ele é oco, sabe que se crescesse sem nós seria muito fraco. Os nós representam os problemas e as dificuldades que superamos. Os nós também são as pessoas que nos ajudam, aqueles que estão próximos e acabam sendo força nos momentos difíceis. Não devemos pedir a Deus que nos afaste dos problemas e dos sofrimentos. Eles são nossos melhores professores se soubermos aprender com eles.

Sexta verdade: o bambu é oco, vazio de si mesmo. Enquanto não nos esvaziarmos de tudo aquilo que nos preenche, que rouba nosso tempo, que tira nossa paz, não seremos felizes. Ser oco significa estar pronto para ser cheio de Alma.

Sétima verdade: o bambu só cresce para o alto. Ele busca as coisas do Alto. Essa é a sua meta.

Seja como o Bambu! Ele verga mas não quebra, porque antes de chegar ao Alto passou muito tempo enraizando! Namastê! ❤

Artigos, Feminino Sagrado, Terapias Integrativas

Autodiagnóstico da Menstruação: Um Mapa sobre Você

Um artigo atemporal, extremamente pertinente, útil e explicativo para aquelas que desejam conhecer melhor seus ciclos, seu corpo, suas emoções. Prestar atenção aos nossos ciclos internos também é uma forma de compreendermos nossos ciclos externos, nosso ser e vida em vários aspectos. Nossa menstruação, do meu ponto de vista, é um mapa sobre nós e sobre como estamos nos relacionando conosco e com o que nos cerca. Pode nos falar sobre nossas emoções – equilibradas ou desarmônicas, iluminadas ou escondidas da consciência, nossas transformações e processos de mudança, nossos pensamentos, nossas raízes, nossos relacionamentos afetivos e familiares, nossa relação com o passado, o presente e o futuro.

As informações descritas aqui não são um fim em si mesmas, já que cada caso requer um olhar especial diante da realidade e do histórico de cada uma. Também não tem a presunção de substituir o acompanhamento médico se necessário. Entretanto, é um ponto de partida para nos observarmos mais, nos compreendermos, nos amarmos, nos percebermos para que possamos retornar ao nosso centro de equilíbrio. Com isso, evitamos o excesso de automedicação alopática para suprimir o que precisamos olhar e reconhecer para ter a capacidade de mudar e evoluir.

O corpo chama, o corpo fala: basta estarmos atentas para ouvi-lo e compreendê-lo. Fica aqui esta dica, com amor e honra aos antigos e milenares conhecimentos do feminino sagrado que nos rege, ensinamentos que nos acompanham por vidas, por Eras; sabedorias registradas em nossa memória e nossas células, que se perpetuaram no tempo e no espaço através de nossas ancestrais porque nelas existem verdades essenciais. Namastê! ❤

**********

Artigo traduzido livremente do espanhol para o português, por Ana Arruda – Texto original de Sajeeva Hurtado

“Nosso corpo nos fala através da menstruação a cada mês. O que o sangue diz: Autodiagnostica sua menstruação. Em consulta, me surpreendo constantemente quando pergunto à paciente como é a sua menstruação e ela me responde:
– Normal.
– O que é normal? Eu pergunto.
– Meus seios doem muito quando estou no período pré-menstrual, dói muito quando estou menstruada, mas quando tomo um comprimido, passa. E o sangue é escuro.

E assim, uma infinidade de explicações que quero que vocês saibam que não são normais. Para mim, estudar a medicina chinesa foi um antes e depois, sobretudo na minha saúde menstrual e desde então, em toda a minha saúde de forma geral, pois o maravilhoso dessa medicina é que através do sangue podemos ver o funcionamento inteiro dos órgãos. Minha vida mudou de uma “menstruação normal” à uma menstruação saudável. Isso não significa que nunca tenha dores, ou que o meu sangramento nunca pare e se renove. Significa que já não considero essas características como algo normal e sim como uma voz, um sintoma.

Quero dividir abaixo algumas razões das anormalidades e a origem de alguns sintomas, e sobretudo o que fazer no seu dia-a-dia para evitar e corrigir o que vai mal. É importante esclarecer que esse artigo não pretende ser uma opinião médica, já que para isso precisaria de uma consulta, mas pode ser útil enquanto medicina preventiva e corretiva.
Nossa saúde, como a palavra diz, é NOSSA. E é nossa responsabilidade nos cuidar, não apenas buscar curas e prevenir o “ter que curar”.

A menstruação, assim como a ovulação, é uma função fisiológica da mulher e não deveria envolver dor ou mudanças em demais funções, como a digestiva, urinária, etc. Assim como urinar não deve doer e quando dói mostra que algo não vai bem, igualmente ocorre com a menstruação. Porém, nos ensinaram desde a primeira menstruação (inclusive antes!) que a menstruação dói. Não nos preparam para vivê-la, nos prepararam para sofrer com ela e jamais nos ensinaram que poderíamos ter prazer ao menstruar.

O que é uma menstruação fisiologicamente saudável? Entre 50 e 80ml por período, de dois a cinco dias no máximo, sangue vermelho vivo, começando um pouco mais escuro por conta da concentração. O sangue passa de grosso a um pouco mais líquido com o passar dos dias, não tem mau-cheiro, não tem coágulo. O sangramento começa com sangue e não com manchas. Ocorre de forma fluida, não se interrompe e recomeça ao longo do dia, não são três dias manchando a calcinha e depois cessa. Isso varia muito, depende do peso e tamanho da mulher. Pode ser um pouco mais de sangramento ao mês sem ser patológico. Como podemos medir quanto de sangue perdemos? Com o coletor menstrual e, hoje em dia, existem muitos no mercado. Consulte pela internet qual distribuem no seu país.

Agora, bem, na medicina chinesa existem três órgãos principais relacionados com a menstruação:
– O fígado, que é o encarregado de limpar e distribuir o sangue à cada órgão que se relaciona com a menstruação.
– Os rins, que são encarregados pelo desenvolvimento e reprodução do corpo. Contém a nossa memória ancestral, relacionada ao nosso DNA.
– O baço-pâncreas, que é o encarregado de produzir sangue através dos alimentos e de conter a menstruação através da força e tônus das veias e artérias.

Falaremos das desarmonias desses três órgãos, embora, na realidade, todos os órgãos estão envolvidos com a menstruação. O coração, os pulmões, os intestinos, todos tem a ver com a menstruação e nela se refletem o estado de todos, mas esses três são os mais visíveis e fáceis de autodiagnosticar.

*Tabela Adicional ao Artigo – Ensinamentos da Medicina Chinesa

O sangramento e a sua relação com os órgãos

  • Sintomas de frio nos rins: Quando a menstruação começa com manchas tons de café antes do sangramento. Quando dói durante o sangramento e a dor só passa com calor. Quando o sangramento não é vermelho e sim café, e somente durante o dia com atividades e calor se torna vermelho, e a noite volta ao tom café. Quando dura mais de cinco dias e nunca é abundante. Quando durante a ovulação doem os joelhos, os rins e tens mais frio do que o normal. Quando a menstruação provoca diarreia.

O que você pode fazer para isso? Cuidar para não ficar descalça e esfriar muito os pés. O primeiro ponto dos rins se encontra na planta do pé. Se esfriar, entra frio internamente até o útero, não permitindo que o sangue saia. Enfaixar o ventre durante a menstruação com uma faixa vermelha. Também é conveniente incrementar a ingestão de alimentos de natureza quente como o gengibre, a canela e o cravo.

Esses sintomas também podem ser uma manifestação no corpo de um choque emocional ou medo. O medo ativa as glândulas suprarrenais e as faz elevar sua produção e gasto de adrenalina e cortisol. Quando o corpo compreende que o susto passou, que está a salvo, segue gastando as glândulas e essas glândulas se alimentam da energia dos rins, o deixando desnutrido. Certamente, após algum tempo, quando o susto passa é importante contar ao nosso corpo que já passou, que esse acontecimento está no passado e que, agora, no presente estamos a salvo e sobretudo, vivas!

  • Sintomas de fígado intoxicado:
    Quando a menstruação tem uma cor vermelho vinho. Quando é espessa com coágulos grandes e dói antes da expulsão do sangue. Quando há distensão abdominal e a dor piora com o toque e o calor. Quando os seios doem ou ficam inflamados na ovulação ou no período pré-menstrual. Quando há maior irritabilidade no período que antecede a menstruação. Quando o sangue menstrual tem um cheiro ruim. Isso indica que seu fígado está sobrecarregado.

O que pode tê-lo sobrecarregado? A ingestão de hormônios, produtos sintéticos e processados. Café, cigarro, chá verde, erva mate, ingestão de gorduras e sobretudo as emoções. A repressão da expressão emocional e a raiva são as emoções que mais danificam o fígado. Se você se observa com atenção, mesmo que tenha uma menstruação muito saudável, se passa por um período de estresse ou raiva, sua menstruação pode ser como aqui descrita. O que você pode fazer? Reduzir a ingestão desses alimentos e fazer mais exercícios físicos, já que o fígado se estimula através do exercício e move o sangue estancado. Fazer uma dieta de “jejum verde” pelo menos uma vez por mês (acelga, aipo, pepino, alface, couve, espinafre, cacto) no suco, sopa, salada ou como você preferir. E o mais importante, se afastar de situações e pessoas tóxicas.

  • Sintomas do baço-pâncreas deficiente:
    Quando o sangue tem mucos diferente dos coágulos que são pesados e compactos. Quando o sangue parece ter teias de aranha. Comichões e fungos na vagina. Cansaço extremo durante o período da menstruação e ovulação. Inflamação das extremidades e articulações. Hemorragias e hemorróidas durante a ovulação ou menstruação.

O que isso indica? Que a energia do baço-pâncreas está diminuída e consumida e, ao não ter energia suficiente para circular de forma saudável, gera mucosidade e fleumas que são manifestados não somente no útero, mas também nas extremidades e vias respiratórias. Essas mucosidades são as bases do que forma a endometriose entre outras desarmonias do sistema reprodutor. As principais causas para esta desarmonia são a ingestão de açúcar e farinhas refinadas, já que o corpo cria o sangue e o nutre através dos nossos alimentos. Se isto é o que ingerimos, assim se forma o nosso sangue: espesso, pesado e gorduroso. Emocionalmente, o que mais danifica o baço-pâncreas é o excesso de pensamento, as obsessões e o não-uso do corpo. Quando somente usamos a mente, nosso cérebro gasta muito sangue. Sangue que deveria estar no sistema digestivo e muscular para a criação e transporte do sangue no organismo.

O que fazer para isso? Parar a ingestão de lácteos totalmente, incrementar a ingestão de alimentos picantes, cebola e alho, substituir o açúcar por mel e as farinhas refinadas por farinhas integrais e cereais. Tomar pela manhã um copo de água com uma colher de vinagre de maçã – ou ainda suco de 1/2 limão – para alcalinizar o organismo. Emocionalmente: a meditação é o que mantém a mente aquietada. Busque todos os dias um espaço para sair da mente e habitar seu corpo inteiro.

Espero que esse artigo tenha ajudado você! Compartilhe com a suas mulheres, já que é muito importante que as mulheres compreendam nossa menstruação, que fiquemos amiga dela e responsáveis pela nossa saúde. A menstruação é nossa aliada e os sintomas são apenas alarmes para mantermos a saúde.” (Por Sajeeva Hurtado – Especialista em Patologias Femininas pela Medicina Chinesa em Nanjing, China).

Terapias Integrativas

Purificadores KAETÉ: A Força da terra, o Perfume da vida!

ESTAMOS DE SITE NOVO! 😉

VENHA CONHECER E SEJA BEM VINDO À ESSA ALQUIMIA SAGRADA.

Baseadas na Alquimia e na terapêutica integrada, incluindo conhecimentos da fitoterapia e fitoenergética, aromaterapia e aromatologia, florais, cristalterapia, cromoterapia e um processo alquímico próprio, surgiram as fórmulas dos Purificadores de Ambientes KAETÉ, confeccionadas há mais de dez anos e inspiradas para trazer equilíbrio, harmonia, bem estar, relaxamento, criatividade, vitalidade, prosperidade e energia para você e qualquer ambiente! Conheça nossas Linhas:

> LINHA FLORAL

> LINHA XAMÂNICA

> CAMPANHA PROMOCIONAL

NOVAS LINHAS PARA 2018! AGUARDE! 

“Apaixonada por fórmulas, experiências e elementos da natureza desde os 4 anos de idade, onde o conhecimento registrado na alma já começava a aparecer, as brincadeiras prediletas envolviam misturas com flores, plantas, cristais colhidos na fazenda dos avós, frascos, água e muita cor. Na escola, as aulas favoritas eram as experiências nos laboratórios de química e biologia. Através desse histórico, incentivada e rodeada desde criança pela medicina naturalista e a homeopatia, especializando-me na fase adulta ao conhecimento adquirido, diria que a idealização e criação dos Purificadores Kaeté é certamente uma extensão da minha essência! Permaneço dedicando-me a esta linda jornada que trilho com profundo amor e gratidão. Namastê!” 

Luciane Strähuber – Idealizadora e Criadora dos Purificadores Kaeté

Artigos, Matérias, Terapias Integrativas

Rosácea: Tratamentos Naturais e Homeopáticos

A rosácea pode ter causas emocionais, hormonais ou manifestar-se após um período de mudança ou estresse, sem uma causa definida pela medicina. Portanto, no conceito da terapêutica integrada faz-se necessário um diagnóstico e tratamento mais amplo, a fim de atuar não apenas fisicamente, mas também em outros níveis onde a causa pode estar instalada.

A rosácea é uma condição inflamatória, cíclica e crônica da pele. Manifesta-se através de rubor e vermelhidão no rosto, podendo gerar o aparecimento de espinhas – com maior frequência no centro do rosto, bochechas, nariz, testa e queixo. Por vezes, pode aparecer no tronco, nos braços e nas pernas. Nos casos mais avançados, pode ocorrer acne em forma de grãos e espinhas que, às vezes, chegam a ser bastante dolorosos.

Esta condição na pele requer uma série de cuidados e tratamentos para mantê-la em harmonia sempre que possível. Com base em experiência pessoal, histórico familiar, tratamento de pacientes e amigas, seguem algumas dicas.

  • Usar o sumo de Aloe Vera 2 X dia, principalmente à noite, antes de dormir. Corte um quadradinho da folha de aloe vera, retire os espinhos e passe sempre que possível. Enxaguar somente no dia seguinte. Se possível, ingerir também o gel de aloe vera preparado na hora com o sumo de 1/2 limão, em jejum. Pode ser batido no liquidificador e tomado puro ou acrescentando 1 colher de mel. Tomar com canudinho – evitar o contato do limão com os dentes,
  • Sucos desintoxicantes com folhas escuras: couve, brócolis, espinafre, etc, são altamente antioxidantes e auxiliam no processo. Saiba mais aqui: Sucos Naturais, Desintoxicantes e Energéticos
  • Evitar o consumo de leite, laticínios e derivados de origem animal – prefira os de origem vegetal. O único laticínio seria o iogurte natural orgânico, tendo em vista a presença dos lactobacilos que podem ser auxiliares na harmonização da flora intestinal e, consequentemente, da pele. O problema do leite e derivados não-orgânicos são os antibióticos e hormônios contidos nas rações animais que passam para o leite e, consequentemente, para o seu corpo por ingeri-los, causando o desequilíbrio natural dos hormônios.
  • Evitar o consumo de álcool, cafeína, bebidas e alimentos muito quentes, embutidos. Reduzir consumo de comidas picantes e chocolate.
  • Beber bastante água mineral ao longo do dia, estimulando o consumo de alimentos integrais e fibrosos.
  • Utilizar hidratantes manipulados – fluído, gel ou loção – que contenham em sua composição extrato glicólico de camomila ou calêndula. Acrescente neste hidratante os óleos essenciais de Lavanda, Tea Tree (antibiótico, antibacteriano) ou Palmarosa (antibacteriano, anti-séptico, cicatrizante) e o Hortelã para auxiliar a resfriar a pele e aumentar a circulação. Por exemplo, para 60g de hidratante inclua: 8 a 10 gts de OE Lavanda/ 6 a 7 gts de OE de Tea Tree – se preferir um óleo mais suave e regenerador da pele, a Palmarosa é a ideal: use 8 a 10gts OE Palmarosa/ 6 a 7 gts de OE Hortelã. Saiba mais sobre como utilizar os óleos essenciais aqui: Receitas Caseiras com Óleos Essenciais
  • Para quem tem a pele mais ressecada pode solicitar que no hidratante seja acrescentado o óleo de macadâmia. O óleo de oliva é ótimo também para criar uma camada protetora para a pele, pois mantém a hidratação.
  • Chás de ervas responsáveis por auxiliar na limpeza do sangue, fígado: bardana, dente de leão e alcachofra, especificamente. Neste caso, deixa 1 colher (chá) em infusão com 1 copo de água fria mineral  – em água quente o sabor será muito amargo para consumo. Tampar e aguardar. Bebericar este chá ao longo do dia, por 3 dias seguidos. Parar por 3 dias e repetir por 7 dias a 14 dias. Seguir preparando-o sempre para ser tomado no mesmo dia.
  • Exercícios e caminhadas ao ar livre, em meio à natureza, auxiliam na recuperação pela oxigenação das células. De preferência, em locais com pouca circulação de carros.
  • No caso de sol, evitar exposição se estiver em crise. Preferir o sol da manhã ou o de final de tarde.
  • Se possível, evitar lavar o rosto com água que contenha cloro, se for muito quente pior. O cloro é altamente irritante e pode agravar a vermelhidão. SUGESTÃO: Instale no seu chuveiro um filtro com refil à base de carvão (filtragem com 75% ou 98% de cloro). Os refis de 98% também são utilizados em hospitais. Assim, terá uma água menos ácida e irritante para e pele no geral, uma vez que a rosácea pode manifestar-se em outras partes do corpo.
  • Em alguns casos, a rosácea também pode ser consequência de endometriose. Se existe uma possibilidade de este ser o seu caso, converse com seu ginecologista ou consulte um homeopata – leia mais sobre a indicação da homeopatia Carbo Animalis. Pode estar correlacionada também a repetidas situações de desarmonia do sistema nervoso.

MÁSCARAS AUXILIARES PARA PELE COM ROSÁCEA

  • Máscara de Aloe Vera e Camomila (Somente a Aloe Vera já traz ótimos resultados): Auxilia a desinflamar a pele, minimizar espinhas e prevenir infecções. É ideal para reparar as partes mais ressecadas. Prepare uma infusão de camomila e, quando estiver fria, misture com a polpa de um talo de aloe vera ou com gel do aloe vera, conforme preferir. Bata os ingredientes e quando obtiver uma massa uniforme, estenda pelo rosto deixando repousar durante 15 minutos. Você notará os resultados em seguida!

  • Máscara de Mel com Açafrão/ Sem adição de água: Tem ação cicatrizante, antibiótica, mineralizante e antibacteriana natural pelas propriedades contidas no mel e no açafrão. Pode ser aplicada 1 a 2 X mês, sem pressão ou esfoliação brusca da pele. Deixe agir por 15 minutos e retire com água morna ou fresca.

  • Máscara de Pepino:  Eficaz porque o pepino é muito rico em água e vitamina E. Destaca-se por ser um cicatrizante natural que ajuda a minimizar a vermelhidão, refrescar e reparar a pele. Descasque um pepino médio, bata no liquidificador e, se desejar, acrescente uma colher de sopa de azeite de oliva – extra virgem. Depois, passe-a pelo rosto e deixe agir por 15 minutos. Retire com água morna e sem aplicar nenhum tipo de sabonete.

  • Máscara de Aveia e Chá Verde: A aveia é ótima para esse caso porque possui uma ação calmante que protege a pele contra irritações, vermelhidão e coceira. O chá verde, pela ação antioxidante e tonificante é ótimo para combater os sintomas. Os ingredientes unidos são uma excelente opção. Prepare uma infusão de chá verde – preferência para as folhas verdes ao invés dos talos. Quando estiver frio, acrescente 3 colheres (sopa) de farinha de aveia. Misture bem. Deixe agir por 10 a 15 minutos.

LIMPEZA E ESFOLIAÇÕES ADEQUADAS

Seguindo este passos básicos, além dos já mencionados, você conseguirá eliminar as células mortas sem danificar a estrutura da derme, mantendo-a saudável e hidratada.
  • A limpeza facial nesse caso deve ser extremamente suave, evitando a esfoliação nas partes afetadas. Aconselha-se lavar o rosto 2 X ao dia (manhã e noite) com água morna, utilizando um sabonete suave e natural – de preferência sem componentes químicos artificiais – não abrasivo, principalmente livre de fragrâncias sintéticas. Secar a pele com uma toalha de algodão suave e descartar o uso de toalhas ásperas.
  • Caso o dermatologista tenha receitado alguma medicação tópica, aplique logo após realizar a limpeza facial e 10 minutos antes de aplicar qualquer outro produto, seja protetor solar, cremes ou maquiagem. Assim, o tratamento penetrará bem na pele e fará sua função.
  • A aplicação de um protetor solar – principalmente se houver maior exposição ao sol – é fundamental. O ideal é solicitar que o próprio dermatologista manipule o mais adequado à condição da sua pele, sendo o FPS 30 suficiente e melhor para evitar maios irritação que os fatores de maior grau podem provocar *
  • Para reduzir os sintomas da rosácea como a vermelhidão, a irritação e a coceira, é importante usar um creme hidratante emoliente, que crie uma barreira protetora contra a umidade e resíduos que possam causar infecções e danificar a pele. Há cremes feitos especificamente para cuidar dessa sensibilidade.
  • Outro aspecto fundamental é escolher os produtos para aplicar sobre a pele com muito cuidado. As peles com esta condição são bem mais sensíveis. Lembre-se sempre da composição de cada um dos cosméticos que adquirir. Evite aqueles produtos que sejam agressivos como loções adstringentes, esfoliantes, tônicos e produtos em geral que que contenham álcool, menta, óleo de eucalipto, ácido salicílico, petrolatos, triclosan e abrasivos.
  • Quanto à maquiagem, é conveniente evitar as bases densas resistentes à água e, em seu lugar, escolher uma que não seja irritante e livre de óleo. As maquiagens minerais costumam ser uma grande alternativa para as peles com rosácea, já que são menos irritantes. No mercado, existem algumas especialmente indicadas para a vermelhidão. Se você tiver condições, o ideal seria preferir uma maquiagem mais orgânica e sem petrolatos, triclosan e ingredientes irritantes, ou ainda adquirir de fontes seguras vendidas em farmácias de manipulação ou marcas que primam por componentes naturais e orgânicos.

* SOBRE O PROTETOR SOLAR (Segundo recomendação dermatológica)

TRATAMENTO HOMEOPÁTICO

A partir de um breve histórico dos casos mais comuns de rosácea, o uso da homeopatia e seu vasto campo de pesquisa e conhecimento tem resultados muito positivos no tratamento. Segundo a Dra. Concepción Calleja Peredo – especialista em medicina geral e homeopatia – os medicamentos homeopáticos mais indicados são:

CARBO ANIMALIS 7 CH: Tomar 3 grânulos, 2 a 3 X dia. Em sua experimentação toxicológica, as doses com este medicamento desenvolvem lesões na face idênticos aos da acne rosácea – no princípio da homeopatia cura-se o semelhante com o semelhante.

ARNICA MONTANA 15 CH: Quando houverem ferimentos que são simétricos (em ambas as faces). Tomar 3 grânulos, 2 X dia.

EUGENIA JAMBOSA 7 CH: Indicado especialmente quando as lesões se relacionam com a ingestão de álcool – que neste caso deveria ser evitado. Tomar 3 grânulos, 2 X dia.

SANGUINARIA CANADENSIS 9 CH: Quando as lesões são acompanhadas por calor e queimação nas bochechas. Tomar 3 grânulos, 3 X dia. Se este período corresponde à menopausa, pode-se seguir a prescrição acima – 2 a 3 grânulos quando o calor aparecer.

CALCAREA FLUORICA 7 CH: Quando há telangiectasias importantes, tomar 3 grânulos, 2 X dia. Outros medicamentos mais frequentes associados neste tipo de patologia são: Sulfur, Lachesis e Sepia.

Um outro olhar me levou ao Compêndio Clínico dos Laboratórios WELEDA do Brasil, cujas recomendações para o tratamento da rosácea seguem avaliadas como DOENÇAS DOS ÓRGÃOS SENSORIAIS (Sistema Neuro-Sensorial)/ I. DERMOPATIAS CONSTITUCIONAIS E AUTO-IMUNES. Faço menção à Weleda neste caso pelo fato da maioria dos medicamentos homeopáticos serem de origem orgânica, produzidos de uma forma singular que respeita vários aspectos na elaboração dos seus componentes.

Recomendações:

  • Dieta rigorosa *, quase sem sal e, especialmente, sem iogurte ou completamente vegetariana. Banhos frequentes de imersão com Kalium sulfuratum e suco de um limão. Sudorese depois do banho.
  • Estimular limpeza do intestino diariamente.
  • Chá Ritmo Suave Weleda (Sene, Erva-doce, Menta e Cravo).
  • Vaucheria D3 e D20 dil., 3 vezes ao dia, 10 gotas.
  • Aesculus D15 dil. + Alumen D15 dil.
  • Antimonit D6 dil.
  • Sangue próprio mais Silicea D20 amp.
  • À noite, aplicar nas partes afetadas em pouca quantidade Calendula Officinalis (Tintura) T.M. + Pasta d’água aa., Arnica (Aplicar a tintura na pele, 1-4 vezes ao dia com uma compressa. O uso em crianças menores de 6 anos precisam de atenção médica. A duração do tratamento não deve exceder uma semana)./ Echinacea comp.* gel, pomada de Aurum metalicum praep. D5 / Oleum lavandulae eth. 1%.
  • Observação: no caso da Silicea e do Aurum, esses elementos podem ser encontrados na medicação homeopática da Weleda chamada STRESSDORON, um ótimo complementar.

* Dieta rigorosa recomendada:

  • A alimentação é de extrema importância, como em qualquer “erupção”: manifesta-se na pele tudo aquilo que penetrou em excesso e que não pode ser dominado pelas forças metabólicas.
  • Em consequência, todo tratamento de acne deve começar com 7 ou mais dias de alimentação crua, especialmente à base de frutas.
  • Em seguida, 3-4 semanas de alimentação vegetariana: verduras, saladas, couves, cenouras, beterrabas, batatas, pão integral, queijo branco, coalhada, creme ácido, iogurte, maçãs, compotas com pouco açúcar, chá, um pouco de café sem leite, água mineral.
  • Mais adiante, três vezes por semana, um pouco peixe. Não ingerir: carne vermelha, frios, comidas com farinha de trigo branca, comidas muito doces, leite e alimentos derivados ou com leite, queijo duro, pimentões verdes e vermelhos, ovos puros, enlatados, álcool em todas as suas formas.
  • Facilitar a evacuação do intestino: à noite, chá de cáscara sagrada ou uma infusão de Chá Ritmo Suave (Weleda). O paciente deve mastigar muito bem os alimentos para auxiliar a atividade metabólica.

pele-lírio

METAFÍSICA DA PELE

Para compreender melhor a pele do rosto, devemos considerar suas características fisiológicas comparativamente ao significado metafísico, que visa investigar profundos aspectos emocionais e padrões de comportamento.

No âmbito metafísico, a pele que reveste todo o corpo representa uma linha divisória entre o interno e o externo. Isso refere-se a uma área de exposição que contem componentes interiores, assim como registros das sensações produzidas pelo que acontece ao redor.

A pele, portanto, é um órgão de contato e de manifestação do ser no mundo. Do meu ponto de vista “a pele é emocional”, sendo um veículo através do qual podem somatizar-se muitos aspectos.

Ela desempenha a função de termostato natural, regulando a temperatura do corpo. Grande parte do calor produzido pelos músculos são enviados à pele; a transpiração é um exemplo desse mecanismo fisiológico de eliminação de calor. Essa atividade equivale, metafisicamente, à mediação entre o ser e o ambiente. É uma espécie de regulador emocional, que faz o intercâmbio entre os componentes emocionais com as situações do ambiente.

Quando alguma ocorrência exterior impacta a pessoa e ela se inflama, por exemplo, a sua fúria fica “à flor da pele”. Cabe aqui avaliar como se lida com a raiva, diante de situações que fogem do seu controle, que não ocorrem como gostaria ou que “tiram você do sério” por várias razões. Quando se encontra a origem desta raiva, é possível identificar padrões e iniciar uma mudança de comportamento, minimizando efeitos “pós-raiva” que deixam a pele irritada e que, geralmente, resultam num campo devastado, seco e eletricamente desarmônico.

Sob essa ótica, os cuidados com a pele, principalmente do rosto, representam um gesto de dedicação e atenção para consigo. A limpeza de pele é um procedimento que sugere a libertação das turbulências vivenciadas no passado quando da liberação das células mortas, um ato que vai muito além da vaidade e da estética quando realizado com este intuito. Esse procedimento minimiza os padrões metafísicos que poderão somatizar, por exemplo, em forma de manchas na pele.”

Procurando apresentar nesta matéria tanto métodos naturais quanto homeopáticos para que você avalie o melhor tratamento, não descartamos o acompanhamento de um homeopata e dermatologista, a fim de prescrever um diagnóstico mais preciso de acordo com o estágio e as condições de sua lesão. Para atendimentos online, há o belo trabalho do Homeopata Dr. José Maria Alves, que disponibiliza consultas gratuitas e um vasto material gratuito para estudo, disponível em seus sites e blogs: Tratamento Rosácea e Consultas_Dr. José Maria Alves 

E uma sugestão para reflexão: procure através do autoconhecimento, da observação de si porque o problema surgiu, se é cíclico ou crônico, quando e em que ocasiões ocorre. Seja o observador de si mesmo e, assim, poderá encontrar a causa do seu surgimento para melhor sinalizar o devido cuidado e tratamento. Na psicossomática, acne e lesões na pele podem estar chamando sua atenção para dialogar com sua auto-estima, autoconconfiança e auto-amor, ainda podendo indiciar aspectos mais profundos do seu ser oriundos de padrões, registros e crenças familiares. Observe, investigue, conheça-se: este é o primeiro passo. Namastê! ❤

Luciane Strähuber – Educação Terapêutica Integrada