Artigos, Meditações

Desiderata

A palavra Desiderata, do latim Desideratu, representa aquilo que se deseja; aspiração. Transcrevo aqui esse belíssimo texto, certamente escrito por alguém que conhecia muito bem a si e os caminhos da vida e do coração, perceptível e quase tátil é a energia e a paz provinda dessas palavras. Uma antiga inscrição, datada entre 1684-1692, mas ao mesmo tempo tão atemporal que serve para este momento presente, para relembrarmos sabedorias e verdades essenciais.

Foi encontrada em uma velha igreja de Saint Paul, em Baltimore (EUA), e traduzida por Jehud Bortolozzi. Também foi citada no livro “Mensagens do Sanctum Celestial”, do conhecido Frei Raymond Bernard. O texto é de Max Hermann e foi registrado pela primeira vez em 1927. Atualmente, seus direitos pertencem à © Robert L. Bell. Meditemos nessas palavras. Namaste! ❤

DESIDERATA

“Siga tranqüilamente entre a inquietude e a pressa,
lembrando-se de que há sempre paz no silêncio.
Tanto quanto possível, sem humilhar-se,
mantenha-se em harmonia com todos que o cercam.

Fale a sua verdade, clara e mansamente.
Escute a verdade dos outros, pois eles também têm a sua própria história.
Evite as pessoas agitadas e agressivas: elas afligem o nosso espírito.

Não se compare aos demais, olhando as pessoas como superiores ou inferiores a você: isso o tornaria superficial e amargo.
Viva intensamente os seus ideais e o que você já conseguiu realizar.
Mantenha o interesse no seu trabalho, por mais humilde que seja,
ele é um verdadeiro tesouro na contínua mudança dos tempos.

Seja prudente em tudo o que fizer, porque o mundo está cheio de armadilhas.
Mas não fique cego para o bem que sempre existe.
Em toda parte, a vida está cheia de heroísmo.

Seja você mesmo.
Sobretudo, não simule afeição e não transforme o amor numa brincadeira,
pois no meio de tanta aridez, ele é perene como a relva.

Aceite, com carinho, o conselho dos mais velhos
e seja compreensivo com os impulsos inovadores da juventude.
Cultive a força do espírito e você estará preparado
para enfrentar as surpresas da sorte adversa.

Não se desespere com perigos imaginários:
muitos temores têm sua origem no cansaço e na solidão.
Ao lado de uma sadia disciplina conserve,
para consigo mesmo, uma imensa bondade.

Você é filho do universo, irmão das estrelas e das árvores,
você merece estar aqui e, mesmo se você não pode perceber,
a terra e o universo vão cumprindo o seu destino.
Procure, pois, estar em paz com Deus,
seja qual for o nome que você lhe der.

No meio do seu trabalho e nas aspirações, na fatigante jornada pela vida,
conserve, no mais profundo do seu ser, a harmonia e a paz.
Acima de toda mesquinhez, falsidade e desengano,
o mundo ainda é bonito.

Caminhe com cuidado, faça tudo para ser feliz
e partilhe com os outros a sua felicidade”.

Anúncios
Artigos, Feminino Sagrado, Meditações

Kuan Yin: A Sabedoria Ancestral da Compaixão e da Misericórdia

Na mitologia chinesa, Kuan Yin é conhecida como a Mestra da Compaixão e da Misericórdia. Ela teve uma vida no planeta como todos nós e somente depois de sua morte foi reconhecida dessa forma. No Vietnã, também é conhecida como Quan’Am, no Japão como Kannon, em Bali como Kanin. Ela cobre as planícies alagadas do Oriente, do Egito à China, sendo venerada em todo o mundo por milhões de pessoas que a consideram o símbolo da pureza espiritual.

Contam as histórias que enquanto viveu, Kuan Yin percorreu o mundo e presenciou muita dor, para então comprometer-se em proteger e amparar todos os humanos, até que o último sofrimento esteja sobre nós. Aqui no Brasil, através dos conhecimentos advindos da Grande Fraternidade Branca, é vista como uma mestra que incorporou e personificou a compaixão através da sua própria experiência de vida.

Kuan Yin, cujo nome significa “aquela que ouve os lamentos do mundo” é boddhisatva da Compaixão no budismo chinês. Ela nos deixou um mantra com o qual podemos sintonizar para cultivar a compaixão sempre que necessário, para que através da vibração e frequência energética gerada possamos iniciar um trabalho interno para curar nossas feridas mais profundas e dolorosas e, posteriormente, auxiliar no trabalho dos que vierem até nós buscando o mesmo objetivo.

Todos que sintonizam com sua consciência e trabalham através de sua compaixão – já muito vista por mim como flores de lótus energéticas em trabalhos que realizei, cujas frequências de cores eram diferentes dependendo do tipo de ferida emocional que a pessoa necessitava trabalhar – sabem o quanto sua energia é doce, cálida e sutil, mas também o quanto é profunda. Mesmo tendo alcançado “a iluminação”, a consciência de si, ela optou por permanecer sintonizada ao mundo humano em auxílio.

Para leitores ocidentais, vale lembrar que Bodhisatvas são considerados espíritos perfeitos. Segundo Karl Ludvig Reichelt, na obra Truth and Tradition in Chinese Buddhism: “Eles podem, se quiserem, entrar na plena dignidade búdica, na eterna paz e felicidade, mas eles não o fazem no tempo presente porque, como bodhisatvas, podem mais facilmente buscar aquela parte da criação ainda submetida a peculiares condições incertas e dolorosas das almas no caminho.”

Kuan Yin, um dos cinco bodhisatvas mais conhecidos, pouco a pouco vem se destacando mais que outros bodhisatvas para significar o espírito: o misericordioso e bondoso espírito que acende, em todas as criaturas, o desejo de uma renovação do coração, que protege e ensina sobre os caminhos de dor e tristeza – não de forma a removê-las por nós, mas nos ensinando como podemos aprender com elas e percorrer um caminho que ela conhece porque já o percorreu, até o momento que não precisaremos mais da dor para evoluir, substituindo-a pelo amor.

Nos tempos primitivos, ela era geralmente considerada como aspecto masculino, e ainda se vê em certos mosteiros na China uma enorme figura com barba e expressão viril, mostrando-a como um homem. Nessa forma, era chamada de Filho de Amitabha. Ao longo do tempo, características femininas vão se tornando mais proeminentes na medida em que a concepção de espírito torna-se dominante – o aspecto voltado ao feminino não como gênero, mas enquanto polaridade Ying – e tudo que os chineses podem imaginar de ternura materna e graça feminina foi atribuído a ela, tornando-se a Senhora Compassiva do Oriente.

A data comemorativa atribuída à ela é celebrada em 29 de fevereiro; seu ingresso na Sabedoria Plena é comemorado em 29 de junho; sua morte como passagem ou seu ingresso no Nirvana, por fim, é dado por ocorrido em 29 de setembro. Entre o povo oriental, essas três datas são muitas vezes conhecidas como “aniversários de Kuan Yin”. Todos saem às ruas, os templos e as cidades são decorados para essas festividades populares, como vemos aqui no Brasil relativo à Iemanjá ou Nossa Senhora dos Navegantes.

Bodhisatva Guan Yin foi consagrada universalmente nas diversas correntes budistas como principal figura da devoção. Era Bodhisatva Avalokitesvara, aquela que praticava profundamente o Prajna Paramitta – a sabedoria – até libertar-se de todo sofrimento. Não é vista como uma deusa porque guarda traços humanos. Conta-se, na tradição popular, que ela foi uma princesa na antiga Índia. Era a mais bela e piedosa entre todas; não gostava de vestidos luxuosos, nem de pratos finos feitos com carnes de animais, embora tudo isso lhe fosse oferecido como direito. Alimentava-se de verduras porque não suportava ver animais sendo mortos; vestia-se de panos grossos porque gostava de ser simples, e era a mais piedosa entre as filhas.

Entretanto, quando chegou o momento de casar-se, fugiu do palácio porque queria buscar o seu caminho e se dedicar ao ascetismo, seguir o exemplo de Buda. Ao ser obrigada pelos seus pais a contrair casamento, ajoelhou-se diante do palácio do rei durante dias e noites, sem nada comer, passando frio e tomando vento e chuva, apenas recitando o “Sutra da Grande Compaixão”. Sua fé venceu todas as barreiras. Quando alcançou o Nirvana, não teve desprendimento suficiente para deixar o mundo porque a sua compaixão era tão forte e infinita que lhe deu forças para fazer o maior voto que alguém podia desejar realizar: “enquanto houver almas sofredoras sobre a face da Terra, não abandonarei esse mundo e ajudarei todos a alcançar a libertação”.

Assim, oficialmente foi chamada de a “Grande Misericordiosa e Grande Compassiva Bodhisattva Guan-Shi-Yin” – seu nome aqui, em chinês, significa: “Aquela que vê e que ouve o Mundo.” Segundo essa história, ela atende todos os apelos, por mais desesperadas e “perdidas” que as pessoas possam estar, não importando a religião ou qualquer que seja a crença da pessoa, uma vez que na compreensão budista, todos os homens são de natureza búdica: luz que reflete a si mesmo, pouco importando a que religião pertençam – seres humanos são budas em potencial.

O Sutra do Coração 

Meditar com esse mantra eleva nossa frequência energética e do ambiente, nos trazendo uma paz profunda, a tranquilidade de um lago límpido, podendo no levar para um mergulho profundo para dentro de nós mesmos. Antes de ouví-lo, intencione o que você necessita nesse momento da sua jornada. Faça várias respirações profundas para relaxar o corpo e desacelerar a mente. Feche os olhos e encontre uma posição confortável. Permita-se, entregue-se ao vazio, ao espaço do não-tempo, do não-manifesto. A consciência nos fala através do silêncio. “Sem obstáculos na mente; sem obstáculos o medo desaparece. Para além do pensamento em ilusão, este é o Nirvana.”

Nesse contexto, vejo e sinto a compaixão e a misericórdia como um estado do Ser, um estado que a consciência atinge através da sua própria experiência. Por mais que ouçamos histórias, contos, lendas, ensinamentos e conhecimentos em qualquer cultura, filosofia e religião, o aprendizado só ocorre de fato em nosso íntimo quando o praticamos. É esse o momento em que um conhecimento torna-se sabedoria e, por essa razão, é visto em muitas culturas como “iluminação”: iluminar o que estava inconsciente trazendo-o para a consciência, seja algo que já trazemos pronto na alma e sai do mundo não-manifesto à consciência, seja o que acessamos de forma consciente por meio de uma experiência transcendental neste plano terreno.

Que os ensinamentos e sabedorias de Kuan Yin sejam derramados sobre você como bênçãos de puro amor e compaixão! Permita-se ultrapassar os véus do medo, da dúvida e das ilusões, conheça-se profundamente nas suas luzes e sombras, nas suas feridas e cicatrizes. Permita-se a entrega ao vazio, ao silêncio, e traga à luz, à consciência do seu Ser o essencial para cada passo dado em sua jornada de evolução. Namaste! ❤

Meditações

Celeste Amigo, Eu Te Saúdo!

Angel_Sun

Junto à oração que segue, um trabalho de profundo fortalecimento entre você e seu Anjo da Guarda, ofereça um copo com água e uma vela branca de 7 dias, consagrados com suas intenções mais verdadeiras. Em um prato ou recipiente, ao redor da vela, coloque um filete de mel, auxiliando na imantação e elevação da frequência energética destas intenções.

Antes de acender a vela, coloque-a sobre sua cabeça e visualize uma luz saindo desta e indo até seu Anjo, onde ele estiver, formando um canal de Luz e, depois, retornando a você, perpassando todo o seu corpo, da cabeça aos pés.

Peça clareza e sabedoria, a sua proteção e de sua casa, o fortalecimento e o equilíbrio de sua saúde física, mental, emocional e espiritual, e o que mais sentir necessidade, objetivando a sua transformação pessoal e espiritual. Agradeça pela força, energia e luz recebidas do seu protetor.

Deixe a vela queimar até o fim, sem interrupção, podendo coloca-la dentro de um recipiente de vidro aberto, num local onde só você terá acesso. Realize este trabalho sempre que sentir necessidade, sempre que seu coração pedir!

Celeste Amigo, eu Te saúdo!

Te amo por tua constância, pelo tempo que dedicas a mim

e pelo teu serviço como Mensageiro do Criador.

Te agradeço porque tua existência só tem uma meta: Serviço, Compaixão e Doação.

O abençoo e irradio meu amor, porque é parte do poder de Deus a expressão do Seu Amor.

Divino Aliado e Guardião, peço que eu possa compreender que nunca estou sozinho

e que Você é a ponte da conexão sincera junto à minha consciência Superior, que também me guia.

Que eu vença a tristeza, o mau humor, a depressão,

as mágoas, os ressentimentos e os pensamentos dissonantes

com a simples invocação da tua presença!

Que eu supere meus medos, confiando em teu amparo

e aprendendo sempre a ouvir teus ensinamentos.

Que eu elimine os sentimentos e pensamentos negativos,

sabendo que Você está sempre ao meu lado

para me apoiar quando desperto minha intenção para o Bem.

Permita que eu olhe tua face para esquecer o passado,

confiar no futuro e viver o meu presente,

esse eterno “agora” que é a forma humana de viver o infinito.

Eterno Companheiro, que eu seja capaz de sentir tua presença

em todas as minhas experiências nesta vida

e em minha jornada de evolução espiritual,

a fim de compreendê-lo e amá-lo cada dia mais, pois assim,

aprendo, a cada dia, a me amar também!

Peço que, nos momentos em que me sentir só,

pelo simples fato de ter uma interface humana neste Plano,

Você possa guiar os meus passos, os meus pensamentos,

as minhas emoções e ações em sintonia ao meu coração,

me lembrando da Essência Divina que reside em mim,

uma chama luminosa e amorosa que nunca se apaga!

Peço que me auxilie a criar ao meu redor

um círculo de defesa contra os maus fluídos, influências

ou interferências que possam afetar-me o corpo,

a mente, o emocional e o espírito.

Que Você possa ser o meu porta-voz diante de outros espíritos superiores:

médicos ou cientistas, professores ou sacerdotes, Guias ou amigos espirituais,

para que me dirijam na solução de todos os problemas e conflitos.

Agradeço-te, sinceramente, toda assistência que me presta,

toda orientação que imprime à minha vida, socorrendo-me nas horas aflitivas,

consolando-me nas épocas de amarguras e sugerindo-me a prática do Amor e da Compaixão!

Que o Grande Criador de toda a Vida no universo

te traga ainda mais Luz como merecimento por todo esforço, dedicação,

comprometimento, disciplina e afeto que demonstras no cumprimento de tão importante missão!

Que assim seja… Que assim se faça…E assim é! Gratidão!…Amém…

Filmes, Vídeos e Documentários, Meditações, Terapias Integrativas

Meditação + Energia Cósmica: chaves para o equilíbrio e a paz interior

Meditação Cósmica

Como meditar e quais os resultados desta prática milenar!

Este vídeo é uma explanação básica e bastante objetiva sobre meditação e experiências meditativas, a partir de uma visão oriental mas sem preconceitos ou ideologias, onde ensinamentos espirituais foram descritos de uma forma muito bela e didática.

O vídeo explica os meios de se obter a saúde perfeita, o poder da memória, bons relacionamentos, felicidade e sucesso. Viagem Interna  fala sobre como absorvermos de forma plena a ENERGIA CÓSMICA do universo, a fonte de toda a existência e a conexão entre todas as coisas, formando o Todo.

Possibilita compreendermos como funcionam os processos que nos levam a experiências meditativas e espirituais através da ativação do “Terceiro Olho”, das Viagens Astrais, da Limpeza Etérica, assim como explicações acerca da “Vida após a Vida” – um termo usado pelas culturas orientais, diferente do que a sociedade ocidental se refere: “vida após a morte”, pois nesse conceito oriental não exite morte, apenas vida, já que a morte é uma “passagem” para uma nova vida – abordando também o que significa alcançar o “Nirvana”, a iluminação, e qual a função da pirâmide nos processos meditativos como forma de potencialização e captação da energia cósmica.

Entre outras práticas, a meditação ainda é uma das chaves mais poderosas para o auto-conhecimento e à rápida absorção e captação de energia que necessitamos diariamente, entre tantas outras vantagens e sua influência positiva e harmonizadora para o corpo físico, mental, emocional e os corpos sutis. Através da prática da meditação, podendo ser realizada de inúmeras formas, desde que exercitemos o silêncio mental-interior, podemos prevenir muitos desequilíbrios, nos possibilitando conhecer uma gama infinita de informações sobre nós mesmos e o cosmos, assim como experienciar outras realidades existenciais, encontrando, assim, todas as respostas que buscamos dentro de nós!

Fica a dica para aqueles que estiverem na jornada da espiral infinita do conhecimento e da evolução! Namastê! 😉

 

Meditações

Meditações para equilibrar corpo-mente-espírito

Recomendo estas meditações orientadas para aqueles que desejam reprogramar sua mente, seu corpo, sua vida, refletindo, consequentemente, no equilíbrio do seu espírito. Estas afirmações, ouvidas constantemente, no período mínimo de um mês, podem promover muitas mudanças e transformações internas, na medida que atuam no subconsciente e no inconsciente, reprogramando o mental de todas as crenças, pensamentos, emoções e sentimentos que ainda nos limitam e nos bloqueiam, atuando diretamente na reestruturação dos programas internos de cada célula do corpo.

Estas sugestões vem ao encontro dos lindos resultados que obtive através de experiências pessoais e em tratamento com muitas pessoas ao longo de alguns anos. Elas promovem o despertar de consciência diante de quem realmente somos, de nossa essência e de qual o nosso propósito. Desejo, de coração, que estas palavras possam também atuar profundamente em você, trazendo o equilíbrio, a paz e a cura diante do que está buscando em sua jornada de evolução!

http://www.youtube.com/watch?v=Z2eUwSVIJeo

Cultivando a saúde do corpo e da mente – Louise Hay: o corpo é um espelho de nossas crenças e pensamentos mais íntimos. Ele está sempre conversando conosco. E foi para aprender a escutar o que ele tem a dizer e a incorporar suas lições para o bem-estar, que Loise Hay criou as meditações deste CD. (Nas livrarias, livro acompanha CD)

https://youtu.be/V1YPuB9LT7Q – Meditação Completa

Aprendendo a gostar de si mesmo – Louise Hay: Amar a nós mesmos parece simples, mas às vezes,  é muito difícil. Louise Hay mostra que quem ama a si entra em sintonia com o universo no que ele tem de melhor, e tudo flui em sua vida. Aprenda que o amor próprio é respeitoso, generoso, solidário e cheio de compaixão. (Nas livrarias, livro acompanha CD)