Arquivo da categoria: Livros Espiritualistas e Transcendentais

Os Eternos Ensinamentos de HAIAWATHA: um mestre de milênios que a humanidade guarda no coração

Grandes Lagos_Alberta Canada

“Quando a neve cobre a terra e o gelo amordaça a voz do rio, parece impossível que alguma força consiga vencê-los. Mas na hora certa, uma força irresistível faz derreter o gelo, traz de volta a voz das águas, e a vida que parecia vencida surge do interior da terra…Devagar, como o Sol da primavera, a palavra do Grande Espírito vai derreter o gelo dos corações (…) A Terra é a casa maior de todos os homens. Sob o céu do Grande Espírito não existem estrangeiros – Haiawatha.” 

Ao conhecer a real história de Haiawatha, canalizada e descrita magistralmente por Roger Feraudy e Mariléia de Castro em seu livro Haiawatha: o mestre da raça vermelha, não poderia deixar de postar aqui um dos maravilhosos e luminosos discursos desta consciência de puro amor que acompanha a humanidade desde a Atlântida, tendo sido também Ramatys no Oriente, até a sua última encarnação na região dos Grandes Lagos, na América do Norte, convivendo junto às tribos indígenas dos Iroqueses como Haiawatha, conhecido como o jovem indígena de cabelos brancos que ficou conhecido como mestre pela sabedoria ancestral de sua alma, uma consciência estelar sem carma que veio nesta última existência para deixar sua última semente e missão: união e paz!

Transcrevo abaixo uma parte de um magnífico discurso que, mesmo tendo sido perpetuado há séculos atrás em nome da Paz e pela união das raças vermelhas, inicialmente, e posteriormente pela união de todos os povos da Terra numa única nação – mais ou menos 600 anos atrás – serve como uma luva para este momento planetário e, acredito sinceramente, que continuará ecoando por muito tempo em nossos corações, até que a Terra consiga atingir a sua maturidade, a Era de Ouro já falada por Saint Germain, quando todos estaremos vivendo, respirando e nutrindo a paz em nossas almas e corações, quando não haverão mais desigualdades entre todos os irmãos que habitam este planeta, quando a expressão “Todos somos UM” estará vigente em todas as partes do globo.

Que esta mensagem de Luz possa tocar o seu coração e trazer a lembrança das muitas Sementes de Paz que foram plantadas com tanto esmero, dedicação, paciência, simplicidade e amor por Haiawatha no coração de todos os que sentiram, ouviram e tiveram a oportunidade de conviver com seus ensinamentos, suas ações em prol de um Bem Maior, da evolução e do despertar de consciência! Algumas dessas sementes já nasceram, outras estão nascendo e outras, ainda, sendo programadas para nascer agora, nessa Nova Era! Aproveite essa oportunidade, sintonize sua mente a este momentum único; faça suas escolhas em conexão à sua alma e intuição; se conecte com seus dons e talentos; busque tocar outros corações com os dons que seu espírito carrega e com a palavra do amor; semeie sementes de paz para que o futuro do nosso planeta seja o de uma colheita de lindos e abençoados frutos para todos os nossos irmãos de alma. Com a certeza de que todos os projetos que intuem resgatar a “palavra perdida”, o conhecimento sagrado e a sabedoria dos nossos ancestrais que se encontram na luz da consciência, objetivando nutrir o coração da humanidade e de Gaia com amor para trazer a cura e a paz do planeta, estão sintonizados aos ensinamentos de Haiawatha, recebendo sempre as bênçãos, a inspiração, a força, a sabedoria e o apoio da espiritualidade maior que rege cada um de nós, para que possam ser concretizados com maestria e serem legados para as futuras gerações! AHOW! 😉

Hiawatha_statue,_Ironwood

Haiawatha – Ironwood / Michigan

“Eu vim com a tarefa de lembrá-los, de lembrar o que tem esquecido. A semente não brota na hora em que se planta. Mas, se tivermos paciência, ela brotará (…) Irmãos do povo iroquês, estas palavras não são minhas, mas do Grande Espírito que me enviou. Na visão que tive à beira do lago, ele me ordenou que trouxesse essa mensagem a todo o nosso povo (…) Depois de muitos invernos, acabamos esquecendo que somos os galhos de uma só árvore, que formamos uma única nação. É tempo de lembrarmos isso, de fortalecermos nosso povo erguendo novamente a grande árvore de poderoso tronco e imensa copa, onde nos abrigaremos todos em paz.

Não nos colocou o Grande Espírito neste imenso mundo para vivermos em paz e sermos irmãos de todos os homens? Não nos fez ele idênticos, não nos modelou com as mesmas faces, colocando os mesmos sentimentos em nossos corações? Não anseiam todos os homens as mesmas coisas – saúde, alegria, alimento, amor, amizade, uma velhice tranquila, o riso das crianças e o respeito dos seus irmãos? Não são a honra e a sabedoria o anseio de todos? Acaso é diverso o som da alegria ou da tristeza ao tocar as cordas do coração de qualquer criatura? É assim para nos mostrar que somos filhos da grande família dos homens, Se a todos nos criou iguais, se a todos criou livres, que diferenças podemos estabelecer entre nós?   

A terra é grande o bastante para todos nós. Se soubermos viver em paz, sempre haverá espaço para todos. O que rouba o espaço sobre o mundo não é a escassez da terra, é a discórdia entre os homens. Ela é que toma o lugar que podia ser preenchido pelos homens vivendo juntos em paz. Nunca faltará o alimento para todos, se soubermos partilhar o que a Terra-Mãe nos dá. O Grande Espírito, que criou o mundo e todos os seres, não iria esquecer de colocar nele o alimento para que todos pudessem viver. Por isso, a Terra-Mãe é uma fonte de fartura para todos os seus filhos.

Se todos os homens são irmãos, porque a todos o Grande Espírito criou, como as árvores de uma única floresta, quanto mais as nações iroquesas, que são ramos de uma única árvore! O que poderia separar irmãos do mesmo povo? Que questões podem existir entre eles que não possam ser resolvidas pela palavra, pela sabedoria e pela justiça que o Grande Espírito colocou em nossos espíritos?

A Lei do Grande Espírito não é divisão, mas amor e irmandade. Amor é a natureza do Grande Ser. Se quisermos provar isso, basta olharmos ao nosso redor. Algum dia o Sol se esqueceu de nascer, trazendo luz e calor? Quando é que os rios deixaram de nascer da terra, trazendo a vida? Alguma vez a Grande Mãe não fez brotar as sementes nela colocadas? Quando é que, depois do inverno, onde tudo morre, não voltou a primavera, refazendo a vida? Acaso o Grande Ser deixou um dia de nos enviar novas almas para serem os filhos dos homens? A natureza do Grande Espírito é o amor, e a irmandade entre nós é a sua Lei.

Além da vida e da fartura, não fez ele com beleza este mundo, para alegrar o coração de todos os seus filhos? Ele não fez apenas o azul do céu; fez a beleza do crepúsculo. Não criou apenas a floresta; colocou o canto dos pássaros nela. Não fez a noite apenas como o descanso dos homens e animais; fez morada nela das estrelas e da Lua. Não fez brotar somente as frutas e sementes para alimentar seus filhos, mas também as flores, para lhes alegrar a alma. A lei da natureza é paz e alegria, para mostrar aos homens como devem viver; qual é a Lei do Grande Ser.

Por que os homens, só eles, iriam rejeitar a paz e a irmandade? Os animais vivem juntos com os de sua espécie. As grandes manadas de búfalos e de cervos vivem juntos, os lobos formam grandes famílias, e nunca se exterminam entre si. E eles não tem, como os homens, o sopro divino da palavra para se entender. Que divergências pode haver entre irmãos que a palavra justa e verdadeira não possa resolver? Separados, somos fracos. Unidos, seremos uma força invencível. Mas venceremos pela paz! (…) Que nossas armas sejam depostas, e nunca mais manchadas com o sangue de nossos irmãos.

Nessa grande nação, sejamos todos iguais (…) As decisões para o bem de nosso povo deverão nascer do coração de todos. Nenhuma nação deverá ter mais poder que outra. Assim, toda a sabedoria dos Mais Velhos se unirá (…) Fazendo a paz entre nós, estenderemos a paz que um dia irá reinar em todos os horizontes do mundo. Assim, não haverá mais órfãos sem pai e mulheres sem companheiro. Não perderemos nossos irmãos em combates inúteis, que mancham a Terra, nossa mãe, com o sangue de nossos irmãos. Mais braços haverá e não mais haverá fome rondando nossas tendas no inverno. O território de nossas nações será aumentando, porque não haverá mais estranhos entre nós (…)

Vendo o resultado de nossa paz, as outras nações desejarão unir-se a nós, para desfrutar os benefícios dessa grande paz. E quando todos os povos da raça vermelha sentarem num único conselho, então, realmente seremos invencíveis. Mas venceremos ampliando a paz. Sejam quais forem os povos que encontrarmos, procuraremos fazer deles nossos irmãos. Até que a paz reine sobre todos os horizontes da Terra, e todos os homens sejam filhos de uma única nação: a nação dos filhos do Grande Espírito.

Este mundo é a nossa grande casa comum, e nela ninguém deve ser estranho. Não há estrangeiros sob o céu do Grande Espírito. Esta é a Sua vontade, que Ele me ordenou transmitisse a todo os meus irmãos. Que ele inspire os seus corações para decidir.” (páginas 148 a 151)

“Ali, naquele cenário puro, no regaço majestoso das grandes florestas e águas, os filhos do Grande Espírito haviam consolidado em seus corações uma lição definitiva: eram livres, eram iguais, eram fraternos. Nunca mais esqueceriam essas verdades enquanto voltassem a viver sobre a Terra. Ali aprenderam, com a bênção da Mãe Natureza, que os homens podem ser simples e fraternos; que não há nada que distinga um ser humano de outro, a não ser a sua bondade e sabedoria; que a irmandade dos filhos do Grande Ser inclui todas as criaturas vivas do planeta, que como irmãos devem ser tratadas. E que a natureza, longe de ser escrava do homem, é a mãe sagrada que nos cabe venerar sempre. E sobretudo, que os homens não são fragmentos mortais jogados sem propósito numa existência sem sentido. São os filhos do Grande Espírito, que das estrelas provieram e a elas devem retornar um dia.” (pág. 297)      

Fonte do livro: HAIAWATHA: o mestre da raça vermelha – Roger Feraudy e Mariléia de Castro (Continuação da Trilogia: “Terra das Araras Vermelhas”, “Baratzil: a terra das estrelas” e “ERG: o decimo planeta”)

           

 

 

Mensagem de um Guardião: agentes da Lei e da Justiça Divina nas trevas humanas

Guardião da Lei

“A NOITE SÓ É NOITE PARA NOS LEMBRARMOS DE ONDE VIEMOS E PARA QUE POSSAMOS, AO FINAL DE NOSSA JORNADA, VOLTAR EM PAZ”. 

Essa frase recebi após um trabalho espiritual com os Guardiões da Lei e da Justiça Divina. Ela descreve, através de uma analogia, o trabalho deles nos planos espirituais “inferiores”, planos esses que não representam o significado literal da palavra, mas assim são chamados pela sua frequência energética mais densa, nutridos pelos pensamentos, excessos e emoções humanas em desequilíbrio, em desarmonia ou em dissonância.

Sob a ótica dos guardiões, a noite – a escuridão representada aqui por noite – não significa trevas ou caos, mas apenas um outro plano dimensional de existência que poucos ainda conseguem compreender. Esses guardiões atuam diretamente em sintonia aos Planos de Luz e transitam até os planos inferiores levando os ensinamentos de respeito, ordem e disciplina e atuando conforme a Lei Divina.

Segundo o Guardião da Meia-Noite e Sete Encruzilhadas, com os quais muito já dialoguei em trabalhos ligados à Lei Divina, o caos ainda se processa no mundo humano e, por esta razão, os planos “inferiores” ainda existem para esgotar este caos e levar o devido aprendizado àqueles que caem nas trevas pelo simples resultado de suas ações e conduta. Estes planos inferiores podem ser chamados planos umbralinos, como no espiritismo, mas também podem residir em dimensões muito densas que não possuem um nome específico para descrevê-los.

De acordo com Robson Pinheiro, uma passagem do livro Legião narra claramente o que o autor Roger Feraldy também descreve no livro Erg: o décimo planeta, que os planos dimensionais inferiores surgiram no planeta Terra já tendo em vista a vinda de almas conturbadas de outros mundos, encaminhadas para cá a fim de poderem, através da roda cármica, evoluírem através de um sistema de normas e regras previstas dentro da Lei Divina: “Num planeta no qual se reúnem espíritos comprometidos e complicados, com comportamentos diversos e, na maioria dos casos, com desenvolvimento moral profundamente questionável, nada mais adequado do que a implantação de um sistema assim. A necessidade de espíritos dedicados exclusivamente à manutenção da ordem, da disciplina e do equilíbrio começou já no momento em que a Terra recebia os primeiros contingentes de espíritos vindos de outros mundos, evento contemporâneo às civilizações da Lemúria e da Atlântida. A partir de então, essa classe de espíritos, os guardiões, tem se aprimorado e especializado cada vez mais nas questões confiadas a eles (…) Embora as diversas especializações e a eficiência das falanges de guardiões, seu trabalho no mundo não consiste nem visa à eliminação das lutas do cotidiano. Ao contrário do que muitos observadores da realidade argumentam, esses espíritos, enquanto agentes de Deus que são, não estão aí para poupar o homem de enfrentar as questões que ele mesmo engendrou ao longo dos séculos… A função dessas equipes não é privar os indivíduos ou os governos dos desafios para o estabelecimento da paz, tampouco manter afastadas as inúmeras questões complexas e de natureza distinta que afligem a humanidade.” Então eles não interferem no livre arbítrio. “…sua atuação limita-se à barreira do livre-arbítrio das pessoas e comunidades, a menos que, no exercício da liberdade individual, seja colocado em risco o grande plano divino de evolução para os povos do planeta. Nesse caso, os guardiões assumem o papel de instrumentos da lei de causa e efeito, impondo um limite àquilo que poderia gerar um desvio mais evidente e profundo no planejamento geral.”

A fogueira acesa à noite pelo Povo Cigano pode ser uma outra analogia ao papel de um guardião, por exemplo, que procura guiar através do autoconhecimento e do aprendizado pela Lei e pela Justiça aquele que, após ter “caído”, necessita reaprender a acender sua luz interior, assim como a fogueira que ilumina a noite escura, mas que é necessária para que, ao nascer do sol, a carroça cigana possa seguir adiante rumo aos Planos de Luz existenciais.

Através de uma ótica semelhante, o relato de Ogum Beira-mar na obra de Rubens saraceni: Livro de Exu, mostra a importância deste trabalho: “Comentar os Sagrados Guardiões da Lei é a oportunidade de lançarmos um pouco de luz sobre um assunto de suma importância para os umbandistas, em particular, e todos os iniciados em geral (…) Assunto este pouco conhecido, mas que, em última instância, rege a vida de todos os que dedicam boa parte, e a parte espiritual de suas vidas, às coisas supra-humanas. Quando dizemos a parte espiritual de suas vidas queremos dizer que ela é a imortal, que não perece junto ao corpo carnal. Apenas isso, e nada de outras ilações. Tudo o que um ser faz no final se revela bom, senão para si, pelo menos para algum semelhante. Quanto aos Guardiões da Lei, são seres planetários responsáveis pelo equilíbrio da Lei dentro da natureza planetária, e têm por função velar para que excessos não sejam cometidos, tanto os de ordem negativa quanto os de ordem positiva. Sim, excessos de ordem positiva também acontecem. Eles acontecem quando “espíritos de luz” imiscuem-se nos domínios dos “espíritos das trevas”. E não é raro acontecerem excessos no cumprimento de atribuições, quando sentimentos opostos são elevados a situações extremamente emocionais (…) Por “Lei”, aqui em especial, entendam a ordem das coisas em todos os planos da Vida e níveis conscienciais. A Lei age por si só e dispensa a interferência humana. Mas como o ser humano é envolvido, mesmo contra sua vontade por aqueles que se desequilibram, então o fator humano também é acionado pela Lei quando se faz necessário.” 

Face a essas reflexões, deixo aqui indicações de algumas obras que podem ser encontradas online em formato Pdf para download, as quais costumo indicar como estudo e aprofundamento para conhecimento do trabalho desses guardiões. Através de suas histórias, canalizadas por autores conhecidos, como Rubens Saraceni e Robson Pinheiro, podemos ter uma ampla visão e aprendizado ao entrar em conexão com elas, sintonizando e expandindo nossa mente para entrar em contato também com os referidos guardiões e compartilhar da sua imensa sabedoria, muito incompreendida e deturpada por tabus, preconceitos e ideologias provindas das origens do catolicismo, que ainda imperava quando o surgimento da Umbanda veio para começar a esclarecer suas funções a atuações.

Numa outra passagem que li no livro O Guardião da Meia-Noite, que fez muito sentido quanto ao aprendizado e conhecimento que já havia recebido desses sábios agentes da Lei, seguem as palavras do Guardião dos Sete Portais em diálogo com o Guardião da Meia-Noite: “Não pense que consegui meu poder sendo um tolo. Sempre dormi com um olho aberto. Nunca deixei uma ofensa sem resposta, nem um inimigo mais fraco sem conhecer o meu poder. Nunca deixei de respeitar um igual ou de temer a um mais forte. Foi assim que consegui tanto poder, mas também não saí da Lei do Carma. Não derrubo quem não merece nem elevo quem não faz por merecer. Não traio a ninguém, mas também não deixo de castigar um traidor. Não castigo um inocente, mas não perdôo um culpado. Não dou a um devedor, mas não tiro de um credor. Não salvo a quem quer se perder, mas não ponho a perder quem quer se salvar. Não ajudo a morrer quem quer viver, mas não deixo vivo quem quer se matar. Não tomo de quem achar, mas não devolvo a quem perder. Não induzo alguém a abandonar o caminho da Lei, mas não culpo quem dele se afastou. Não ajudo alguém que não queira ser ajudado, mas não nego ajuda a quem merecer. Sirvo à Luz, mas também sirvo às Trevas. No meu reino eu mando e sei me comportar. Não peço o impossível, mas dou apenas o possível. Nem tudo que me pedem eu dou, mas nem tudo que dou é porque me pediram. Só respeito a Lei do Grande da Luz e das Trevas, nada mais. É por isso que o Grande exige de mim, portanto é isso que eu exijo dos que habitam meu reino. Não faço chorar o inocente, mas não deixo sorrir o culpado. Não liberto o condenado, mas não aprisiono o inocente. Não revelo o oculto, mas não oculto o que pode ser revelado. Não infrinjo a Lei e pela Lei não sou incomodado.”      

Longe de “pregar” ou defender aspectos de qualquer religião ou crença, esclareço que a importância dada a este artigo vem ao encontro do ensino espiritual que ele pode propiciar. Apenas incito a reflexão, o senso crítico e investigativo para um conteúdo que considero importantíssimo a todo o médium, buscador, espiritualista ou trabalhador da Luz que objetiva atuar conhecendo como se processam as leis universais e divinas, trazendo à consciência o reconhecimento das suas e das “sombras” alheias para poder compreender o macrosistema espiritual que este planeta possui em sua totalidade. Conhecendo nossas sombras, deixando de negá-las, mas abraçando-as para compreendê-las e evoluí-las, poderemos reconhecer as sombras alheias e, assim, sabendo como se processam dentro de nós, sem julgamentos, auxiliaremos a nós mesmos e a muitos outros no processo de despertar de consciência e transformação interior através do autoconhecimento! Ficam as dicas dessas profundas, intrigantes, emocionantes, fortes e belas narrativas a quem interessar: um universo encantador de superação e aprendizado! 😉

Mandinga_Capa_Edson Gomes   guardiao-do-fogo-divino-caboclo-7-pedreiras-rubens-sara-556101-MLB20270078296_032015-O

Guardião Sete Encruzilhada- Hemisarê capa  Guardião sete- o chanceler do amor capa

guardiao da meia-noite capa
guardioes-da-lei-divina-rubens-saraceni-178101-MLB20270147782_032015-O

 

 

 

 

 

 

 

 

Pomba-gira Princesa dos Encantos capa           Orixa pomba-gira capa

Legião Capa_Robson Pinheiro               umbanda essa desconhecida capa_rogerferaudy

 Liberdade_Capa_Edson Gomes  Guardião dos caminhos- tranca-ruasrainha-das-encruzilhadas_capa

Compreendendo e Recebendo as Ondas de Iluminação em 2015

Flor Lótus_Despertar de consciência

A partir de 21 de Dezembro, dia que marcou o Solstício de Verão, estamos recebendo um imenso fluxo de energias luminosas no planeta, apoiado por nossos Irmãos das Estrelas através da abertura de um portal multidimensional que estará potencialmente forte até meados de 08 de Janeiro de 2015.

Quem esteve em conexão desde o dia mencionado, em meditação ou simplesmente no seu silêncio interno, em sintonia ao seu coração e sua Consciência de Luz, já começou a perceber mudanças no campo vibracional ao seu redor, podendo sentir alguns desconfortos ou, até mesmo, alívios e profundos processos de libertação de situações do passado há muito tempo não resolvidas, as quais fazem parte do processo de alinhamento destas frequências em nosso corpo, em especial em nosso sistema nervoso, endócrino e imunológico.

Muitos poderão estar sentindo estes alinhamentos energéticos ocorrendo na região do coração, da tireóide, na coluna vertebral e no cérebro – na glândula pineal e hipófise/pituitária – pontos principais através dos quais nossa “estrutura cristalina” é ativada. Isto pode estar se apresentando com palpitações leves e calor na região cardíaca, desequilíbrios momentâneos na tireóide: podendo apresentar dores leves e sensação de uma leve pressão, sem diagnóstico aparente; dores na coluna e tensão nas regiões que representam aspectos de purificação e libertação do passado – lombar, cervical, entre as escápulas e na região dorsal na altura do coração; dores de cabeça leves, sono e falta de foco, formigamento, pulsação e choques elétricos leves na cabeça, em especial no chacra coronário e terceiro olho.

São muitos os sintomas que podem advir de um processo de ascensão, tendo em vista a mudança de dimensão que o planeta se encontra e através do qual estamos em ressonância. Portanto, os relatos dos sintomas aqui objetivam apenas trazer a clareza diante de momentos que todos estamos vivenciando. A diferença para que possamos passar por este processo, da forma mais tranquila e pacífica, será a maneira como estaremos reagindo a ele. O importante aqui é mudarmos nosso ponto de vista, olharmos para nós mesmos como uma gigante fonte de Luz e Amor, unida a outras consciências que estão a nos ajudar, capaz de transformar, libertar, transmutar e evoluir tudo ao nosso redor, com paciência, compaixão e aceitando os momentos que o corpo nos pede para parar, dormir, relaxar, não pensar em nada, desligar o botão “On” da terceira dimensão e deixar que as nossas células possam se desfazer das programações antigas para receber as programações novas que nossa alma deseja nos passar. Dessa forma, procurando manter uma alimentação mais leve, mais água e sucos naturais, em contato com a Mãe Natureza, suas forças e o Sol, quando possível, conseguiremos nos manter equilibrados e conscientes de todo este processo de morte e renascimento para que possamos, também, auxiliar outros que ainda se sintam perdidos e sem compreender o que vivenciam.

christine day foto vídeo

Assista o vídeo aqui: http://youtu.be/dvZr9pYdB5s

Complementando estas considerações, sugiro aqui este maravilhoso vídeo de Christine Day, autora do atual livro Princípios de Vida Pleiadianos, onde ela nos auxilia a realizar nosso alinhamento com a nova frequência de 4ª e 5ª dimensões através da ativação da nossa “estrutura cristalina”, aquela que contém nossos Códigos de Luz, nossos pré-acordos e as chaves para o nosso despertar interior! Para aqueles que necessitam e desejam compreender mais os aspectos que estão permeando este momento no planeta e em nossas vidas, recomendo também a leitura do livro mencionado.

principios de vida pleiadianos_livro

Então, dediquem um tempo para si, relaxem, harmonizem o ambiente e assistam ao vídeo, conectados aos seus corações, sintonizando com a profundidade dessa experiência que leva a um êxtase de pura conexão com o Self! Fica a dica! 😉

O Lema do Trabalhador da Luz em nome do Amor!

anjos_da_terra-1F

Ao concluir a leitura do livro Baratzil: A Terra das Estrelas, de Roger Feraudy, fui tocada profundamente por este discurso, entoado durante a iniciação de um sacerdote. Na época, um relato repleto de ternura e sabedoria proferido por Payê-Suman, nome intitulado pelo autor a um espírito de grande nobreza e evolução, palavras que ressoaram como “música das esferas” em minha alma, como uma Trabalhadora da Luz que sou, as quais, mesmo antes de conhecê-las, já eram conhecidas como lema em minha caminhada de aprendizado e jornada de evolução! Meu sincero desejo que elas possam ressoar também nos corações daqueles que trabalham em prol do despertar de consciência, do ensinamento e da disseminação da Frequência do Amor neste planeta Terra!

fractal-geometria sagrada

“Cala tua voz, antes que possa ferir! Não julgues jamais, compreende! Sê sempre prudente, submisso, manso, humilde e ao mesmo tempo valoroso. Os valorosos são aqueles que venceram a batalha que travaram dentro de si mesmos. Mata a ambição, mas trabalha como os mais ambiciosos, para que possas projetar a tua sombra além do teu corpo. Mas, antes que possas compreender teus semelhantes, antes que possas ser prudente, submisso, manso e humilde, antes que possas adquirir todos os conhecimentos, procura primeiro conhecer a ti mesmo. Aprende a transformar as injúrias em bênçãos para teu progresso espiritual; aprende a transformar as maledicências em bálsamos para purificar tua alma; aprende a transformar as traições em lenitivos para teu aperfeiçoamento; aprende a transformar as falsidades em júbilos que consolidam o lento crescimento; aprende a transformar a intolerância, a dúvida e as inverdades em flores que brotarão na cruz do teu serviço; aprende sempre, filho meu, que, diante dos homens, tu somente poderás receber aquilo que eles possuem e conseguem dar. Serve e passa! Dá sempre e nunca esperes ser retribuído. A cruz de teu sofrimento pode ser da redenção ou do sacrifício, depende de ti mesmo; deixa apenas que da tua cruz brotem as flores da salvação, e jamais a carregues pela vida afora com os espinhos das dores recorrentes da tua missão. Que o grande Tupã te abençoe.”        

Baratzil: A Terra das Estrelas – Roger Feraudy (Referência: p. 250) 

Leituras para um despertar de consciência!

 planeta_sacro oficio

Relaciono aqui algumas obras que são mais do que simples leituras, uma vez que convidam o leitor a interagir, refletir, imaginar, conectar, experienciar e chegar as suas próprias conclusões diante da informação adquirida, podendo esta ser nova ou não, mas com certeza, sempre transformável a cada nova leitura, pelo simples fato de que somos movimento, constante mudança e impermanência! Para aqueles que estão na jornada de encontro consigo mesmo, com o seu Self, sua essência e consciência superior, no caminho da compreensão da sua história ancestral de cura e amor, do seu microcosmo e do macrocosmo, ficam as dicas! Informação na frequência do Amor é Luz!

* Mensageiros do Amanhecer – Bárbara Marciniak

    capa mensageiros do amanhecer_

Sinopse: Surpreendentes, intensos e controvertidos, os ensinamentos desse livro são leitura essencial para todas as pessoas que questionam a sua existência no planeta e a direção do nosso consciente – e inconsciente – coletivo.
Compilado a partir de centenas de horas de canalização, este livro revela a sabedoria dos pleiadianos, um grupo de seres iluminados que se dispuseram a ajudar-nos a alcançar um novo estágio evolutivo. Mestres na arte de contar histórias e com apurado senso de humor, aconselham-nos a nos libertarmos da mídia, a trabalhar em grupo, a eliminar a palavra “deveria” do vocabulário e a vencer o medo.
Segundo eles, somos membros da Família da Luz e partilhamos uma ancestralidade antiga com o universo. Eles nos lembram como nos tornamos “mensageiros do amanhecer” criando conscientemente uma nova realidade, uma nova Terra.
Os pleiadianos são um conjunto de consciências da constelação das Plêiades. Os seus ancestrais vieram de um universo que atingiu a conclusão. Eles estão no planeta Terra, que segundo eles, está também chegando à conclusão ou transformação, para ajudar os humanos nesse momento. O que acontecer na Terra agora irá afetar todo o universo. As palavras usadas e os conceitos que transmitem são entradas para códigos profundamente arquivados no corpo humano – que apenas espera que as perguntas sejam formuladas para que a memória celular recorde o que um dia já soube.
O universo está repleto de seres inteligentes que têm, ao longo do tempo, evoluído e desenvolvido todos os tipos de capacidades e funções para atender às necessidades de se expressarem criativamente.
As esferas não-físicas sustentam continuamente os seres humanos, e membros da Família da Luz estão por perto o tempo todo. Depende de cada pessoa assimilar as leis que eles partilham e ancorá-las no planeta.
Os pleiadianos, por inspiração dos quais surgiu este livro, têm o propósito de reinserir Luz em nosso planeta e restituir a Terra ao seu propósito original.

* Terra: Chaves Pleiadianas para a Biblioteca Viva – Bárbara Marciniak

    Capa Terra_ chaves pleiadianas

Sinopse: esta obra foi escrita depois do best-seller “Mensageiros do Amanhecer” e é um manual para uma vida inspirada, que exorta a reconhecer as energias da Deusa e o poder do sangue como ligações poderosas com o nosso DNA e a nossa herança no planeta Terra.
Os ensinamentos pleiadianos podem ser comparados aos de um xamã, a antiga filosofia de consciência que tem servido de intermediária entre os domínios do físico e do espiritual, levando as pessoas à autodescoberta. Os pleiadianos, através de Barbara Marciniak, fazem-se entender de uma forma simples e divertida, não totalmente diferente da boa sabedoria de um guru, mas em nível cósmico.
Mesmo que o leitor não tenha inclinação por canalizações, vai descobrir que os conselhos sobre autodesenvolvimento constituem leitura esclarecedora e fascinante.

* Agenda Pleiadiana – Barbara Hand Clow

capa Agenda Pleiadiana

Sinopse: Por meio de revelações da deusa pleiadiana Satya, a autora apresenta fatos que foram essenciais para ocorrer o salto evolutivo que culminou na mudança do calendário maia para a idade da luz, ou era de aquário. Mostra os atuais avanços tecnológicos como ferramentas para escolhas na Idade da Luz, quando o nosso mundo for dividido em dois e será necessário escolher em qual realidade viver.

* ERG, o décimo planeta: a pré-história espiritual da humanidade – Roger Feraudy

Capa ERG 1

Sinopse: Esta obra contém algumas das mais extraordinárias revelações jamais obtidas sobre a história do planeta Terra e do nosso Sistema Solar, transmitidas por um dos jardineiros siderais que semeou a vida em nosso mundo.
Erg, o décimo planeta dessa família de mundos, em passado remotíssimo abrigava uma humanidade evoluída, mas a invasão dos morgs, seres de grande poder mental e coração vazio, acabou desencadeando a mais terrível das catástrofes, de que são testemunhas até hoje os destroços que chamamos de “cinturão de asteróides”, vagando entre Marte e Júpiter.
A colonização de Vênus pela avançada raça dos ergs, a semeadura da vida na Terra e o despertar da consciência desta humanidade, a reencarnação de seres de Erg e de Morg na civilização atlante, o surgimento dos magos negros e sua atuação, fazem parte desses capítulos ignorados e fascinantes do grande livro do tempo, que pela primeira vez vêm à luz pela depurada mediunidade de Roger Feraudy, conhecido autor de mais de uma dezena de obras e especialista em sondagem do passado.
A trama fascinante que envolve consciências luminosas e seres maquiavélicos, amores e ódios, traições e gestos sublimes, cientistas cósmicos e magos negros, se inicia no planeta Erg, continua em Vênus e na Terra, se desenrola na Lemúria e na Atlântida, e finaliza entreabrindo um panorama profético sobre as próximas décadas da transição planetária terrestre e suas transformações apocalíticas.

* Baratzil: a cidade das estrelas – Roger Feraudy

    Capa Baratzil

Sinopse: Qual a razão de ser o povo brasileiro tão místico e psíquico, com essa familiaridade natural com o Invisível, e um celeiro de faculdades mediúnicas – o país mais espírita do mundo, berço da Umbanda, e rico em todas as correntes espiritualistas? Por que essa noção coletiva de país predestinado?
É o que a fantástica revelação deste livro explica, por meio da consulta aos registros invisíveis autênticos. A história ancestral da Terra das Estrelas – o Brasil – e da América do Sul é o que desvenda as raízes espirituais do povo brasileiro, e seu destino de nação líder da Espiritualidade da Nova Era.
Uma avançada civilização, desenvolvida pelos mestres extraterrenos da Lemúria e Atlântida, semeou no território brasileiro, em era remota, as magníficas cidades do Império de Paititi, Itaoca e Ibez, e da Terra das Araras Vermelhas. Essas culturas fizeram evoluir as raças então existentes, pela manipulação genética, e desenvolveram seus poderes psíquicos. Com isso, foram preparadas, no inconsciente desses egos – nós! -, as sementes da nova raça futura do Terceiro Milênio.
Ao lado dele, vítima da trama sutil de Magos Negros, o leitor descobre os fenômenos ocultos que os Mestres de Sabedoria e Magos podem produzir, no eterno embate entre a Luz e a Sombra. De rituais sombrios nos recônditos mosteiros do Tibet à criação de corpos de ilusão e elementares artificiais, do castelo da rainha das fadas a uma aldeia de duendes, esta narrativa desvenda um mundo mágico a que usualmente somos alheios. Essa riqueza de informações se oferece em uma narrativa envolvente e plena de suspense, paixão e a mais inusitada relação entre um ser humano e um elemental.
Dessa época remota datam as verdadeiras raizes da Umbanda que, pela primeira vez, são desveladas em detalhe: como essa velha Magia branca dos Templos da Luz atlantes, com a contribuição africana, foi colocada a serviço da humanidade pelos Dirigentes Planetarios, e seu papel na Espiritualidade da Nova Era. Desvenda também a verdadeira identidade de seus líderes esoirituais que se ocultam atrás das formas de caboclos e pretos-velhos.
Sendo um livro-revelação, seu ineditismo e riqueza o destinam a ser uma referência para os estudiosos. Mas é também – o que tem cativado os milhares de leitores da arqueologia psíquica de Roger Feraudy – um romance, verídico e apaixonante. O autor retira da sombra dos milênios um universo vivo e colorido de cenários, costumes, civilizações esquecidas, povoadas de personagens fascinantes, alguns sobrevivendo nos mitos americanos, cujas lutas, amores, paixões, crimes e heroísmo, mergulhos na sombra e árduas ascensões tecem uma narrativa que prende o leitor da primeira à última página, pela fascinação dessas histórias ancestrais de que nós, povo da Terra das Estrelas, fizemos parte um dia.

* A Terra das Araras Vermelhas: uma história na Atlântida – Roger Feraudy
    capa a_terra_das_araras-vermelhas
Sinopse: A Atlântida existiu! Foi a Terra-Mãe de civilizações como a indú, a egípcia, a grega, os árias, os incas, maias e astecas, os peles-vermelhas americanos etc.
E se ficássemos sabendo que legítimo sangue atlante original corre nas veias físicas e espirituais do povo brasileiro? E que povos da Atlântida se estabeleceram um dia no território brasileiro e terminaram originando nações que hoje conhecemos como culturas indígenas brasileiras?
Lendo diretamente os registros espirituais de tempos remotos, o autor desta fascinante história, verídica em todos os detalhes, levanta o véu da História não contada da terra brasileira, e nos leva a conhecer intimamente a vida da colônia atlante estabelecida há 40.000 anos no litoral do Estado do Espírito Santo.
Uma narrativa intensa e vívida, tecida com os fios de vários dramas de fascinantes personagens que construíram o destino da Terra das Araras Vermelhas.
Uma história apaixonante, que irá seduzir o leitor pela riqueza de informações inéditas sobre a história remota e ignorada do Brasil, e a herança atlante que pode ser reconhecida em diversos caracteres psíquicos do povo brasileiro. E cativá-lo com a trama envolvente que reuniu muitos destinos num drama de amor e morte, espiritualidade e forças mágicas, paixões e intrigas, lutas de poder, generosidade e renúncia, heroísmo e grandeza.
“A Terra das Araras Vermelhas” é um romance ancestral e uma revelação inédita. Raras obras resultantes de pesquisa psíquica do passado podem igualar-se a riqueza, precisão e beleza dessa narrativa, que retrata a magia do povo atlante.
* Haiawatha: o mestre da raça vermelha – Roger Feraudy
capa Haiawatha
Sinopse: “A Terra é a casa maior de todos os homens. Sob o céu do Grande Espírito não existem estrangeiros”.
Este capítulo inédito e autêntico da história oculta do continente americano foi retirado dos registros suprafísicos e recontado fielmente pelos autores.
Haiawatha, o grande mestre da raça vermelha — que o mundo já conheceu sob outros nomes célebres — encarnou entre o povo iroquês para concretizar um extraordinário projeto de paz e universalismo, que se materializou na Federação Iroquesa, com a união das cinco nações desse povo. Ele deveria ser estendido a todas as nações e povos da Terra.
Os elevados valores espirituais e éticos da raça vermelha — os toltecas emigrados da Atlântida — e a sua avançada organização socialista e fraterna, seu respeito inigualado à mãe-terra e todas as formas de vida, seu xamanismo e a visão espiritual, enfim, tudo o que a raça branca ignorou e ignora é resgatado nesta obra.
Relatos de amor e ódio, nobre coragem e traições, forças xamânicas e magia das sombras, tecem, com o quotidiano do povo iroquês, o pano de fundo da luta pela Federação, no cenário de beleza intocada da Terra da Neve Branca — a América do Norte de séculos atrás.
Esta obra desvenda a verdade sobre a extraordinária cultura dos peles-vermelhas, os filhos do Grande Espírito, que nunca olvidaram sua origem divina. Imprescindível a todos os espiritualistas bem informados, esse relato mostra a dimensão de uma futura proposta de convivência que aguarda a humanidade terrestre.
* Sabedoria Oculta: a origem do homem e das religiões – Roger Feraudy
capa sabedoria_oculta_
Sinopse: Roger Feraudy é autor consagrado de uma dezena de obras espiritualistas de grande sucesso. Seu conhecimento diversificado de matérias esotéricas e ocultas, que vão da teosofia e dos velhos temas iniciáticos à umbanda, passando por um leque de assuntos do universo espiritualista, o credenciaram para redigir esta obra, que enfeixa informações de todos eles.  Debruçando-se sobre a constituição do homem, o autor trata da anatomia e fisiologia ocultas, detalha a gênese do corpo causal e as peculiaridades do “homem interno”, busca as raças esquecidas da história não escrita nos pergaminhos oficiais, fazendo ressurgir seus perfis esmaecidos pelo tempo. Mas não é só isto, aborda ainda as rondas ou períodos evolutivos cósmicos da humanidade, acrescenta a análise das grandes religiões e das doutrinas secretas arcaicas, aprofunda o estudo de Lúcifer (quem será, afinal, essa entidade mítica?) e de Moisés, e a Gênese a ele atribuída, assim como de Jeová, o nome esquecido. Vai mais além, mergulhando no cristianismo esotérico e seus mistérios, e finaliza com o lirismo transcendente do capítulo “A grande religião”. Esta obra, que faz jus ao nome, se oferece aos espiritualistas estudiosos como um compêndio de amplo espectro da milenar sabedoria, alicerçado em extensas pesquisas e multimilenares conhecimentos ora disponíveis à luz do dia para os estudantes ocidentais.
* Bênçãos de Energia das Estrelas: sete iniciações (Do original Energy blessings from the stars) – Virgínia Essene e Irving Feurst
   capa bênção de energia

Sinopse: Alguma vez você já sentiu que as estrelas estavam chamando você? Aqui está a sua oportunidade de descobrir o porquê. Bênçãos de Energia das Estrelas é um portal de energia para receber iniciações transformadoras diretamente de mestres espirituais em sistemas de sete estrelas, entre elas: ARCTURUS: A bênção de esperança, através do qual todas as coisas se tornam possíveis. POLARIS: A bênção da respiração para ajudar a liberar as limitações do passado. PLÊIADES: A bênção de amor para abrir com segurança o seu chacra cardíaco. VEGA: a bênção da compaixão de usar para si e para os outros. BETELGEUSE: a bênção da consciência da alma. RIGEL: a bênção de integração da matéria com o espírito. SIRIUS: a bênção da consciência de Cristo amplificado e glorificado.

 
%d blogueiros gostam disto: