Arquivo da categoria: Feminino Sagrado

Honrando a Essência Materna Universal e Divina!

<<< Créditos da Imagem: Colores Art Studio

Honrando o Sagrado Feminino, a Energia da Criação,

a Essência da Geração e a Consciência Materna Universal que reside em todas nós,

desejamos um abençoado, luminoso, radiante e amoroso Dia das Mães,

ontem, hoje e todos os dias! 😉 ❤

“Grande Mãe!

É teu nome que invoco!

E pelo poder dos cinco elementos: água, ar, terra, fogo e éter,

pela quintessência, peço a graça de ser teu espelho

entre os homens e as mulheres da Terra.

Que eu veja o mundo com os teus olhos.

Que eu tenha a iniciativa

para guiar meu caminho pela estrada da Luz e do Amor.

Compartilhar de tua força, poder, sabedoria e proteção.

Amar o meu próximo como a mim mesmo.

Ter clareza para discernir a luz das trevas.

Alcançar com êxito e amor meus desígnios e propósito divino.

Preservar, aprender e crescer com meus relacionamentos.

Respeitar todo ser vivente na face deste planeta e fora dele.

Plantar e alimentar o amor dentro e fora de mim.

Preservar o amor universal e divino em meu corpo, mente, alma e espírito.

Assumir mil papéis em Teu nome.

Plantar e espargir sementes, expandir ideias

e sentimentos de amor, solidariedade e paz em todos os corações.

Estar conectada a Vós para manter meu equilíbrio em todos os níveis do Ser.

Vibrar em consonância à Lei da abundância e da prosperidade deste universo.

Manter em meu Ser o poder da transmutação, da compaixão, da aceitação,

das verdades essenciais e da sabedoria ancestral de minha alma;

o poder de Ser e Estar presente em tudo,

verdadeira como o amor e intensa como a paixão…

Que eu possa sempre,

com a força da Luz do Grande Sol Central,

com o sublime brilho e o intenso magnetismo da Lua

atravessar as brumas, as sombras, as fronteiras do tempo e do espaço,

para que me seja revelado tudo aquilo que me for permitido.

Pela Mãe Maior deste universo eu caminho…sigo…confio…

E pelas tuas mãos, vivo esta existência!”

Libere, respire, liberte-se do que não é seu. Entregue-se ao fluxo da Vida e permita-se receber!

“Não preocupa-te com a preocupação alheia.

Ocupa-te com os compromissos e o propósito da tua alma.

Permaneça seguindo o fluxo, a fluidez do curso do rio

que sempre corre em direção ao mar.

Siga o fluxo do rio da Vida

e deixe o que é de responsabilidade do outro para o outro.

Deixe as folhas secas que pairam na curva do rio,

porque ali precisam ficar o tempo que lhes for necessário.

Siga o teu norte, siga em direção ao mar das experiências da Vida

que ainda te aguardam.

As folhas secas da curva do rio poderão seguir ou não o teu norte,

cedo ou tarde, até que encontrem o seu próprio norte.

E quando o encontrarem, passando a curva do rio,

poderão escolher seguir a partir deste norte,

te apoiando no caminho e sendo apoiados por ti.

Siga o teu norte a partir do teu fluxo, do teu ritmo,

permitindo que outros sigam o seu próprio ritmo

e lidem, por si sós, com as suas responsabilidades.

Libere do seu campo vibracional e criacional de existência

todas as expectativas, próprias ou alheias.

Libere as cobranças diante de desejos não realizados

ou responsabilidades designadas que já não fazem parte do teu propósito.

Essas intenções distorcidas do pensamento criam forma:

formas-pensamento que interferem no tempo e no espaço mental do teu ser.

Impedem o fluxo fluídico e natural das tuas águas emocionais

de fluírem no ritmo harmônico dos pulsos de amor do teu coração.

Libere, respire, liberte-se do que não é seu

e permaneça no estado de graça: permita-se apenas receber!

Entregue-se novamente ao fluxo da Vida

que sempre te aguarda celebrativa, pacífica, fluídica e expansiva,

e recebe de mim, uma Guardiã de toda a Vida, a energia sagrada da Geração,

para gerar ao teu redor a Vida que tua alma aguarda!”

(Mensagem recebida em canalização por Yemanjá:

Consciência Materna, Sacerdotisa Guardiã da Vida, Rainha dos Oceanos) 

 

Mulheres e Lobas: a linguagem universal que as une

india_lobo_olhar

“As lobas uivam entre si

e se comunicam através de uma linguagem

formada por sons e símbolos,

criando mensagens próprias

incompreensíveis aos homens.

Assim também são as mulheres:

comunicam-se e alinham-se

por meio dos seus úteros: cálices sagrados,

e dos seus ovários: antenas cósmicas,

alinhando seus fluxos, seus ciclos rubros

quando em convívio natural e harmônico.

Formam uma ciranda de alegria,

um círculo de Criação sagrado,

permeado e nutrido por um jardim fértil

repleto de novas sementes,

flores, perfumes e sabedoria.

Toda mulher tem uma loba interior

que uiva, conclama, convida a celebrar a Vida

e a confrontar uma grande mudança.

Ouça sua loba interior!

Ouça a linguagem universal que vibra

no núcleo das suas células

e que contém as verdades essenciais da sua alma.

Ouça o chamado da loba: ela conhece todos os caminhos.

Ela virá mostrá-la outras trilhas

para que você consiga alcançar

seus objetivos mais ousados,

aqueles que exigirão coragem, confiança e ação!

Receba o chamado: os olhos dela serão os seus.”

(Mensagem recebida em canalização – Cabocla das Matas Jandaiara)

O Feminino corrompido e sua jornada de superação

Jessica_Feminino Corrompido edit

Percorrendo o universo do Feminino Sagrado apresentado nas mídias de comunicação, sigo minha pesquisa e exploração crítica como terapeuta, mas agora mostrando um pouco do “outro lado da moeda” no que se refere aos inúmeros casos em que este Eu Feminino, que deveria ser honrado, protegido e sagrado, passa a ser corrompido por inúmeros fatores.

Em artigos anteriores sobre os Filmes, Documentários e Séries de TV que abordam o Feminino Sagrado – Parte II, mencionei uma lista de opções que encontramos disponíveis no cinema e na TV. Mesmo que algumas obras ainda sejam limitadas em aspectos sobre o feminino, principalmente porque insistem em mencionar apenas a figura arquetípica da mulher guerreira, esquecendo que o Eu Feminino Sagrado está muito além disso, anda assim, se comparado ao que tínhamos há dez anos atrás, percebo o tema sendo abordado de forma mais ampla e crescente.

Falando do “outro lado da moeda” me refiro ao contexto do feminino corrompido na sociedade, pesquisado através de documentários muito maduros, alguns muito fortes, emocionais, tristes e profundos em seus relatos super realistas, contudo apresentando um “arco positivo” ao longo da narrativa.

Minha única felicidade em ver isso vindo a público é o fato de que existem mulheres magníficas dando o mais louvável exemplo, muitas já tendo sido vítimas deste feminino que foi corrompido e se dedicando, de corpo e alma, ao difícil e pesado trabalho de ajudarem outras a se libertar. E digo difícil porque toda vez que auxiliamos alguém que passou pelo mesmo problema que nós tendemos a voltar no ponto do trauma: um processo de confrontamento, superação e cura para ambas as partes. Portanto, o maior objetivo dessa divulgação é fazer com que mais e mais mulheres conheçam essa realidade para que possam ajudar outras mulheres, muitas vezes aquelas que são tão próximas, que sofrem caladas sem saber para quem recorrer e qual caminho seguir.

brave+miss+world+mademoiselle+jules

A lista que menciono abaixo refere-se, em especial, a documentários que mostram como mulheres que foram usurpadas ou violentadas nos princípios do seu Eu Feminino deram a volta por cima para vencer situações como abortos obrigados, abusos, estupro, prostituição, contrabando de mulheres, tráfico e escravidão sexual entre outros temas que já não estão mais escondidos porque viraram um câncer para a humanidade em tantas partes do mundo – exemplo visto na pobre realidade das mulheres nas Filipinas, Camboja, Bangladesh e Taiwan – que já não são mais um tabu, proibidos de serem mencionados, mesmo que ainda seja uma realidade totalmente desconhecida para muitas mulheres.

findinghome 1

Divulgue para suas amigas, colegas de trabalho, familiares, primas, irmãs e todas aquelas que sua intuição pedir! Já que hoje ainda não temos leis 100% eficazes, que funcionem e protejam a mulher naquilo que ela possui de mais sagrado, que possamos proteger e guardar a nós mesmas, como responsáveis e guardiãs da Vida! 😉

  • THE HUNTING GROUNDS (Para assinantes, o documentário está na Netflix) 2015 – aborda a crescente onda de estupros e ataques sexuais velados nas universidades dos EUA e a emocionante história de estudantes que se rebelaram contra o sistema para vencer e ajudar outras na mesma situação.
  • FINDING HOME (Documentário Netflix 2014) – uma história de abusos e tráfico sexual de crianças, meninas e adolescentes de Camboja. Uma profunda, emocionante e linda jornada de superação de todas que conseguiram se curar dos traumas sofridos através do auxílio da Rapha House, uma organização sem fins lucrativos que objetiva combater o tráfico e a escravidão sexual de crianças e adolescentes. O programa e a política de resgate dessas mulheres é absolutamente louvável e encantador! Saiba mais sobre o documentário e o programa da Rapha House aqui: Rapha House Site
  • TRICKET (Documentário Netflix 2013) – conta a história de uma vítima de escravidão sexual e sua luta para ajudar na libertação de outras mulheres. A estarrecedora visão sobre a indústria bilionária de tráfico sexual de pessoas nos EUA.
  • BRAVE MISS WORLD (Documentário Netflix 2013) – a profunda história da Miss Israel que parou o mundo, sua luta para vencer o trauma de ter sido vítima de estupro e o auxílio a inúmeras outras mulheres a derrubarem o tabu.
  • HOT GIRLS WANTED (Documentário Netflix 2015) – Apresentado no Festival Sundance de Cinema de 2015, investiga a indústria pornô amadora e a consequente história das mulheres exploradas sexualmente.
  • THE HUMAN EXPERIMENT (O EXPERIMENTO HUMANO) – Documentário 2013): uma abordagem sobre os produtos tóxicos ao longo da história da sociedade e as consequências irreversíveis na saúde e realidade de muitas mulheres, abordando temas como ovários policísticos, câncer de mama, autismo, disfunções de formação fetal na gravidez, intoxicação por cosméticos e produtos de higiene pessoal/ casa.
  • LOVELACE (Netflix 2013) – Filme biográfico que conta a vida, a ascensão e a queda da primeira atriz da indústria pornográfica Linda Boreman da década de 70, conhecida artisticamente como Linda Lovelace. Longe de ser qualquer filme pornô dos tempos atuais, retrata uma época de inocência, onde os filmes pornográficos eram vistos no cinema e as estrelas do gênero tinham cara de pessoas comuns. Mostra a jornada de superação de uma mulher que sofreu abusos e violência pelo marido e no meio em que atuou, história que virou livro escrito e trazido a público pela própria atriz.
  • JÉSSICA JONES (Netflix 2015) – Websérie americana criada para a Netflix, com a 1ª Temporada lançada em 2015, conta a história de Jéssica que tenta reconstruir sua vida como uma detetive particular, mostrando a realidade de um mulher “particionada” emocionalmente e sua luta para curar-se de um trauma, procurando o equilíbrio enquanto auxilia outras pessoas a vencer seus próprios dilemas.
  • MR. ROBOT (Série de TV 2015/ 2016) – algumas personagens na Série – interpretadas como Darlene, Angela, Krista e Shayla – retratam o feminino corrompido em várias classes sociais, em especial na 1ª Temporada.
  • LUCY (Filme de ação e ficção científica – 2014) – relata a realidade de uma mulher que aceita transportar drogas em seu estômago sem saber dos riscos e consequências que corre. Independente da ficção, uma mensagem que trata da realidade existente no mundo do tráfico de drogas mas, de forma ainda mais profunda, fica a reflexão: como nosso despertar influencia no Todo e as mudanças e transformações do Todo influenciam em nossa vida e jornada evolutiva? Leia mais aqui: Transmutando o passado, transcendendo o presente, tocando o futuro no tempo do coração!

Mais informações sobre como auxiliar, denunciar e ter conhecimento sobre as políticas e organizações envolvidas no combate ao tráfico de pessoas, abusos e violência, onde mais de 90% são crianças e mulheres, acesse o site do Ministério das Relações Exteriores: Organizações e serviços de assistência no Brasil. Cartilhas informativas sobre o assunto e os direitos reservados por lei às vítimas também são disponibilizadas gratuitamente no site, conforme seguem: Proteção à mulherProteção à Criança e ao AdolescenteTráfico de pessoas. Informação é Luz! Que sejamos semeadores de Luz e Amor neste planeta, promovendo e nutrindo as políticas de assistência, preservação e proteção da Vida em todos os níveis existenciais.

 

 

Descanse o coração no seu ventre: crie seus sonhos e seu futuro!

Winter_Native Woman

Belíssimo texto que compartilho com muito carinho! Nos fala sobre a sabedoria ancestral e o poder que reside no Eu Feminino Sagrado de todas nós!

Que essas palavras possam inspirar e aquecer o seu coração com o fecundo, nutritivo, caloroso e profundo amor da Consciência Sagrada, Materna e Feminina que habita dentro de nós, dentro dos nossos úteros! Descanse a mente no seu coração, e o coração no seu ventre, pulsando, vibrando e irradiando Vida a tudo que criar e que ainda precisa nascer! 😉

A Bruxa do Inverno estava sentada em uma grande pedra fumando seu cachimbo.

O que está fazendo? Perguntou a primeira mulher. Ela tinha curiosidade, porque a Bruxa do Inverno não se moveu de sua pedra em toda a manhã.

“Eu estou criando”, disse Bruxa do Inverno.

“Oh”, disse a primeira mulher, olhando ansiosamente ao redor. “O que você está criando?”

“Fumaça” disse a Bruxa do Inverno, observando a fumaça que subia lentamente de seu cachimbo.

“Valeeee “, disse a primeira mulher confusa, e saiu de perto dela.

Uma vez que a primeira mulher tinha ido, a bruxa do inverno disse suavemente “Na fumaça, eu vejo e crio o futuro”.

Mais tarde, a primeira mulher compartilhou este estranho encontro com a Mãe Lua: “Na escuridão da sua menstruação lunar”, disse a Mãe Lua, “Você tem o poder de criar seus sonhos como a Bruxa do Inverno.”

A Mãe Lua tocou o coração da primeira mulher: “Imagine que seus sonhos estão aqui “, disse ela.

“Sinta como seu coração se abre, e a vibração irá fluir ao longo das linhas que mantêm unido o universo para criar os seus sonhos e o seu futuro. É por isso que seus dias de menstruação são tão importantes. É quando a bruxa do inverno anda com você e leva-a para sua caverna para descansar e sonhar.”

Então, Mãe Lua tocou o ventre da primeira mulher: “Aqui dentro”, ela disse, “você flui com a energia criativa. Da escuridão leva suas ideias à luz, e como uma mãe, nutre-lhes à medida que crescem. Antes que retornes à escuridão para descansar, solte-lhes ao mundo para que você possa sonhar de novo.”

A Primeira mulher se sentou, para o resto da tarde, com as mãos na parte inferior do seu ventre, observando a fumaça que saia do seu coração, imaginando seu futuro e tecendo seus sonhos! 

Miranda Gray

Filmes, Documentários e Séries de TV que abordam o Feminino Sagrado – Parte 2

Mulher Maravilha

A pedido das internautas que acompanharam o artigo anterior dos filmes que abordam o Feminino Sagrado, e tendo em vista os muitos relatos e comentários recebidos a respeito, segue mais uma lista de filmes, documentários e séries de TV que selecionei para complementar o tema, do meu ponto de vista como mulher e terapeuta holística deste magnífico Feminino que nos rege, nos guia e forma nossa essência divina, fortalecendo nosso poder interior e pessoal.

No artigo anterior, escrito há mais de três anos, havia mencionado o quanto ainda era pequeno o campo de atuação de filmes que abordassem o tema de forma positiva, culminando no sacro-ofício através da evolução desse Eu Feminino, sagrado pelo caminho do amor. Felizmente e com otimismo, pesquisando e acompanhando este campo de atuação através de filmes no Cinema, Documentários simples ou mais elaborados e em séries de TV, o assunto tem crescido gradativamente, com um número muito grande de mulheres questionando empresas como a Marvel diante do porquê de haverem mais filmes de heróis do que heroínas, e isso é um ótimo indício, num momento da humanidade que as vozes de muitas mulheres já não estão mais caladas perante os valores machistas/ paternalistas que ainda tentam imperar como reais e melhores, subjugando a figura feminina.

No contexto do cinema, ainda aguardo otimista o filme da Mulher Maravilha, previsto para 2017, que pode representar o arquétipo perfeito da heroína que tem tudo para iniciar a abertura de novas portas, a semeadura de novas sementes que irão nutrir o terreno fértil do sagrado feminino. A Mulher Maravilha, já apresentada apenas num teaser no filme Batman X Superman, além de roubar as cenas pela sua marcante aparição, teve a maioria dos fãs dos heróis mencionados esperando vê-la, o que significa que não são apenas mulheres que esperam ansiosamente por uma nova fase de heroínas.

A esta nova fase, não me refiro àquelas que ainda estão tendo que iniciar suas jornadas através dos seus femininos sagrados corrompidos – o que não significa que sejam menos importantes quando existe a evolução do personagem, nesse caso: a Série de TV Jéssica Jones, os filmes Lucy e Mad Max (2015), na personagem da Sacerdotisa Furiossa, com os devidos filtros em função da violência gratuita. Me refiro sim àquelas que, mesmo com as provas da vida, as dificuldades, os conflitos, os traumas, os sofrimentos vivenciados e as cicatrizes colecionadas, ainda assim, nunca deixaram de manter acesa a chama do que é sagrado dentro de si: o auto-amor e o amor ao próximo como seu irmão de alma, a voz da intuição, o poder interior que vem da alma, o instinto natural de preservação e proteção como guardiãs da Vida, a percepção apurada e o sexto sentido, a autoconfiança, o pulsar e a voz do coração que sempre mostra os caminhos para que estejamos nos trilhos que permeiam nossas verdades existenciais, nossos valores, moral, e ética, a conexão com a sabedoria ancestral da alma.

Penso que precisamos sim reconhecer nossas cicatrizes para nos fortalecermos, crescermos com elas, pois são os resultados de toda a nossa experiência de vida e, ao mesmo tempo, sabermos integrar esta energia para nos tornarmos ainda mais plenas, enraizadas e fortes em nossa jornada de evolução.
Entretanto, acredito ser importante esclarecer sobre a “dor”, uma vez que a menção ao seu significado neste e no artigo anterior não está relacionado ao fato de rejeitá-la, mas sim às programações mentais e às mensagens subliminares ainda ditadas pela sociedade paternalista em que vivemos, seja por meio das mídias de comunicação e pelas redes sociais, seja pelas empresas ou outro meio de convivência social.

Um exemplo disso, algo que está gerando discussões para que haja uma mudança a respeito, é o fato de que muitas atrizes de Hollywood ainda ganham metade do salário em comparação ao seu colegas homens, trabalhando na mesma proporção ou mais. Assim, a mensagem que procuro passar aqui é apenas quanto à importância de nosso papel em equilibrar este Feminino Sagrado no planeta e começar a plantar sementes, atitudes, sentimentos, pensamentos e ações de amor, mesmo que possam parecer pequenas, mas cada uma fazendo a sua parte, auxiliamos a descortinar esses véus de Maia para que tenhamos um mundo mais justo e solidário, incentivando mais e mais mulheres, e homens também, a viverem o verdadeiro significado do sacro-ofício, e como guardiãs, gestando e cuidando da VIDA em todos os níveis de consciência!

Ainda neste contexto do feminino corrompido, tenho assistido documentários muito maduros e realistas que nos levam a um “arco positivo” ao longo da narrativa, mostrando como mulheres que foram usurpadas ou violentadas nos princípios do seu Eu Feminino deram a volta por cima para vencer situações como abortos obrigados, abusos, estupro, prostituição, contrabando de mulheres, escravidão sexual entre outros temas que já não estão mais escondidos, que já não são mais um tabu, proibidos de serem mencionados, mesmo que ainda seja uma realidade totalmente desconhecida para muitas mulheres.

Estes temas, farei questão de abordar em outro artigo, mostrando outra face desta moeda que ainda precisa ser divulgada, porque todas somos uma: nossos úteros se interconectam como antenas de “Wi-Fi”, mesmo que separadas por grandes distâncias, porque a Consciência Feminina, Materna, Amorosa e Sagrada deste planeta é uma só! Conheça-se! Desbrave o território sagrado que existe em você! Cure-se! Este poder do Sagrado Feminino habita há milênios dentro de nós e está a sua espera para ser despertado, fortalecido e compartilhado! 😉

Filmes:

  • Star Wars – Episódio VII: O Despertar da Força – Personagem: Ray (Daisy Ridley)
  • Senhor do Anéis – Personagem: Galadriel (Cate Blanchet)/ Arwen (Liv Tayler)
  • Malévola/ Maleficent – Personagem: Angelina Jolie
  • Brave (Valente) – Personagem: Princesa Merida
  • Song of the Sea (A Canção do Oceano) – Personagem: Saoirse
  • Gravidade – Personagem: Dra. Ryan Stone (Sandra Bullock)
  • Ex-Máquina – Personagem: Ava (Alicia Vikander)
  • X-Men: Dias de um Futuro Esquecido – Personagem: Orôro – Tempestade (Halle Berry), Mystica (Jennifer Lawrence) e Blinck (Guardiã de Portais Interdimensionais)
  • Fonte da Vida/ The Fountain – Personagem: Izzy (Rachel Weisz)
  • Jogos Vorazes – Personagem: Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence)
  • Matrix e Animatrix – Personagem: Trinity (entretanto, guardiãs mencionadas ainda se sacrificam para proteger o feminino sagrado)
  • Cloud Atlas (A Viagem) – Personagem: Sonmi (Bae Doona) e Meronym (Halle Berry)
  • O Tigre e o Dragão 1 e 2 – Personagem: Yu Shu Lien (Michelle Yeoh)
  • Thor 1 e 2 – Personagem: Lady Sif (Jaimie Alexander)
  • Comer, Rezar, Amar – Personagem: Elizabeth (Julia Roberts): cliché, mas pode representar o início da jornada do feminino através do autoconhecimento
  • As Horas
  • Tomates Verdes Fritos
  • Para sempre Alice
  • Sob o Sol da Toscana
  • Como água para chocolate
  • A Fonte das Mulheres

Filmes para os próximos anos:

  • Junho/ 2017Mulher Maravilha – Personagem: Diana Prince (Gal Gadot)
  • Julho/ 2018 – A Vespa (Ant-Man and Wasp) – Personagem: Hope Van Dyne (Evangeline Lilly)
  • Fevereiro/ 2019Captain Marvel (Capitã Marvel: Guardiã da Terra)

Séries de TV:

  • Agents of Shield (Série na Netflix) – Personagem: Sky/ Daisy (Cloe Bennet)
  • Orphan Black (Série na Netflix) – Personagem: Cosima (Tatiana Maslany)
  • Sense 8 (Série na Netflix) – Personagens: Sun Bak (Bae Doona)/ Amanita (Freema Agyeman)
  • Demolidor (Daredevil – Série Netflix) – Personagem: Karen Page (Deborah Ann Woll)
  • Fringe – Personagem: Olivia Dunham (Ana Torv)

Documentários:

  • O Renascimento do Parto 1 (2012) – Assistir online: O Renascimento do Parto – O Filme
  • O Renascimento do Parto 2 (Promocional – 2016): Assistir no You Tube: O Renascimento do Parto 2_Promocional
  • O Resgate do Feminino Sagrado (2014) – trabalho de conclusão do curso de pós-graduação em Psicologia Transpessoal pelo CLASI. Para assistir no You Tube, clique aqui: O Resgate do Feminino Sagrado
  • A Voz das Avós – No Fluir das Águas. Para assistir e saber mais, acesse o link do Blog: Filme e Projeto: A Voz das Avós
  • FEMME (2013) – Women healing the World: uma viagem inspiradora sobre mulheres de todo o mundo que estão transformando e curando a sociedade a nível global. Trailler somente em inglês: FEMME Trailler Oficial Este filme não está disponível na internet em português.
  • Benzedeiras – Ofício Tradicional (2015). Assista pelo You Tube aqui: Benzedeiras Quem já teve uma avó benzedeira, é lindo pela humildade, amorosidade e simplicidade!

Leia mais aquiFilmes que abordam o Feminino Sagrado: cura para o inconsciente – Parte 1

 

%d blogueiros gostam disto: