Artigos, Feminino Sagrado, Xamanismo

Honrando a Anciã que habita em nós

Honrando a sabedoria ancestral provinda das mulheres que vieram antes de nós e a usaram com amor, honramos também nossa parte visionária e sábia, nossa curandeira, sacerdotisa, alquimista, xamã e anciã interior, e junto delas todas as ancestrais que estão na luz da consciência nos trazendo a força das suas raízes, as suas medicinas e seus conselhos – tão velhas e ao mesmo tempo tão novas sabedorias que ainda hoje são aplicadas com sucesso e eficácia.

Chegará um momento em nossa jornada interior que descobriremos nossa “parte velha”, a anciã que fomos, que somos e que habita em nós há tantas vidas, que passou por tantas culturas, que visitou tantas terras quantos foram os seus passos e as suas experiências, que teve registrada nas suas raízes a sabedoria passada também pelas suas ancestrais e adquirida ao longo dos caminhos pela dança da vida e as espirais da morte.

Quando ela se apresentar para nós, através do arquétipo que for – aquele através do qual estaremos mais identificadas – tenhamos nossa mente aberta para ouvi-la sem julgamentos, desaprendendo e desapegando nesse momento das nossas crenças, para aprender o novo que ela virá nos trazer, às vezes uma visão mais oxigenada, mais sábia e profunda de alguma experiência que estivermos vivenciando através de nossas transformações pessoais.

É com profundo amor, trazendo a força dessas raízes e a sabedoria provinda de suas medicinas, que honro minha anciã com todas as suas faces. Honrar e aprender com nossa anciã é uma forma de resgatar uma parte de nós mesmas – talvez muitas delas – assim como manter acesa a chama da nossa sabedoria, força e poder interiores, desde os nossos ossos até a nossa pele, desde as nossas raízes até os frutos que gerarmos. Ela é capaz de nos ensinar sobre onde reside o equilíbrio dos ciclos da vida e da morte dentro de nós, para que sejamos capazes, da mesma forma, de encontrar o equilíbrio da vida onde exista morte e o equilíbrio da morte onde exista vida. Ahow! Namaste!

“Por todas as mulheres mais velhas, matreiras, que estão aprendendo quando chega a hora certa de dizer o que precisa ser dito e não se calar – ou calar-se quando o silêncio for mais eloquente que as palavras.

Por todas as velhas em formação, que estão aprendendo a ser gentis quando seria tão fácil ser cruel.

Que conseguem ver que podem ‘cortar’ quando for necessário, com um corte afiado e limpo.

Que estão praticando a arte de dizer verdades com total compaixão.

Por todas as que rejeitam as convenções e preferem apertar as mãos de desconhecidos, cumprimentando-os como se os tivessem criado desde filhotinhos e os tivessem conhecido desde sempre.

Por todas que estão aprendendo a chacoalhar os ossos, balançar o barco – e a cama – além de acalmar as tempestades.

Por aquelas que são guardiãs do azeite para a lâmpada, que se mantêm em silêncio interior no culto diário.

Por aquelas que cumprem os rituais, que se lembram de como fazer o fogo a partir da simples pederneira e palha.

Por aquelas que entoam antigas orações, que se lembram dos símbolos, das formas, das palavras, das canções, das danças e do que no passado os ritos tinham o objetivo de instaurar.

Por aquelas que abençoam com facilidade e frequência.

Por aquelas mais velhas que não têm medo – ou que têm medo – e que agem com eficácia de qualquer modo.

Por elas…Que vivam muito, com força e saúde, e com um imenso espírito aberto aos ventos.” AMÉM!

Fonte complementar: A Ciranda das Mulheres Sábias – Clarissa Pinkola Estes (Mesma autora do livro Mulheres que Correm com os Lobos)

Por Luciane Strähuber – Educadora da Terapêutica Integrada

Conheça o Purificador de Ambientes Kaeté: Anciã da Sabedoria – Linha Xamânica 

 

 

Anúncios
Artigos, Mensagens Irmãos das Estrelas

Uma Mensagem Pleiadiana: O Fluxo da Luz Divina dentro do seu Coração 

Amados, nós os saudamos.​

Há uma enorme onda de mudança entrando no planeta este mês. O Sol passará por um novo reposicionamento em relação à Terra. Isso criará a abertura de uma porta de entrada, onde uma frequência de luz mais elevada dará nascimento a uma consciência de luz vibracional e expandida no planeta.

Nós faremos nosso papel ao abrir um ponto de estabilização no centro do planeta, o que vai permitir que essas vibrações de luz fluam por todo o plano terreno. Esta luz é feita e destinada a criar e acelerar a mudança. Através do levantar de uma série de véus, você será levado a um acesso mais profundo do seu Eu Superior. Você começará a perceber a si mesmo a partir de uma perspectiva diferente da que você tinha antes, e a vida, da forma como você a conhece agora, irá mudar (…)

A experiência potencial do seu plano da Terra continua a se desenrolar através da mudança constante da paisagem energética que está nascendo. Um novo terreno dimensional está sendo revelado no planeta, com o qual você é capaz de alinhar-se. Essas mudanças abriram um novo container de realidade, como um útero, permitindo que você se abra para a expressão plena da sua multidimensionalidade.

Como uma cortina subindo em um palco, o planeta está sendo elevado de volta ao seu potencial multidimensional. Simultaneamente, você está sendo reposicionado naturalmente, e sendo realinhado além dos véus que sustentavam a ilusão, totalmente no seu lugar. Esta ilusão manteve você agindo em uma arena restrita dentro da sua experiência no plano da Terra, e algumas vezes a ilusão foi a sua única realidade.

Além desta ilusão, existiu uma expansão de forma pura, energia livre com a qual você é alinhado. Esta energia sem forma é uma parte natural, uma extensão da constituição plena da consciência do seu Eu Superior sagrado. Este fluxo de força energética sempre foi um aspecto seu e agora está totalmente acessível a você. É a hora de começar a reconectar-se e alimentar-se desta forma pura da sua fonte de energia.

Transmissão Pleiadiana – Julho/ 2018 (Inglês)

GANHANDO IMPULSO​

Devido à nova energia dinâmica que entrou em seu planeta em março, houve um ganho de impulso dentro do seu coração para permitir que esse Fluxo de Luz seja manifestado conscientemente por você. A sua Luz Divina está interagindo plenamente dentro das células do seu coração, abrindo o seu fluxo criativo. Houve uma mudança, um movimento que aconteceu na esfera do seu coração, para capacitar você a começar a desenvolver uma relação de trabalho com o fluxo da Luz Divina dentro do seu coração.

Nós temos apresentado a você a estrutura básica da sua constituição completa, descrevendo a você os seus dois aspectos principais. Através dessa dinâmica entre a sua humanidade e o seu Eu Superior, nós trazemos suporte para permitir que você compreenda mais a Verdade da sua herança completa – trazendo a sua atenção ao aspecto interior do seu poder, que o nutre através do seu coração.

Na Verdade, o seu poder é vasto. Você é um ser magnífico e tem a habilidade de comandar energeticamente a sua força de Luz que é acessível dentro da ferramenta do seu coração multidimensional. Você tem uma consciência ilimitada que interage através da sua força de Luz. Você tem a habilidade inata de fluir e interagir com a comunhão da Consciência de Deus, que é interconectada a toda a energia de Força de Vida por todo o nosso Universo residente.

Esta é a hora de uma reconexão consciente com o seu Fluxo de Luz individual. Este fluxo é a sua reconexão com a sua força de Luz única. Você começará uma nova jornada consciente para utilizar e trabalhar dentro desse fluxo, que é feito para trazer mudança à sua vida diária na Terra.

​ASSINATURA ÚNICA

A Força de Vida existe em todas as coisas vivas. Você agora pode utilizar e entrar em sua assinatura única, de energia de Força de Vida, a fim de manifestar o seu desejo do coração. Lembre-se: seu coração é uma ferramenta multidimensional natural, e através do seu coração você pode começar a criar ao utilizar o que nós chamamos de “Energia de Comando”.

O poder da sua Força de Vida estende-se naturalmente a partir do centro do seu coração energético. Esta energia de Força de Vida constrói-se a partir do lugar central do seu coração e, então, move-se para fora, gerando um fluxo de força de vida potente e atraente.

Este fluxo é colocado em movimento ao ativar uma intenção consciente do desejo do seu próprio coração. O fluxo é primeiramente ativado por um pensamento intencional. Esta abertura de pensamento de desejo consciente começa a criar uma pequena ondulação de fluxo de Luz dentro do centro do seu coração. Então, enquanto a sua intenção e pensamento começam a aumentar em energia, o fluxo de Luz também aumenta, e nasce em camadas de Luz. Conforme você aprofunda o seu foco na intenção, no desejo do seu coração, você sentirá uma expansão natural em seu coração enquanto a energia de fluxo de Luz se transforma em energia multidimensional de criação dentro de você.

Saiba que a sua própria intenção pessoal é o que cria a ativação inicial e o nascimento do fluxo de Luz. Você precisa abrir-se para uma intenção focada daquilo que você quer para si para que o elemento da criação se abra. Deve haver um sentimento de propósito, alegria e/ou entusiasmo para aquilo que você escolhe manifestar para si. Lembre-se: esta é a sua expressão de energia de criação sendo sentida por você. Isto é o que você deseja para si e está aumentando em energia dentro de você. O aumento do sentimento é a essência da energia em construção dentro do seu coração. Esta profundidade de paixão é um bloco de construção essencial para o nascimento da energia de criação para aquele desejo específico ser criado.

​RECEPTOR APAIXONADO

O nascimento da energia de Luz dentro do seu coração pode ser comparado a um ativador, para que você seja um receptor apaixonado daquilo que você está criando para si. Esta é a sua energia na ação de criação. Este sentimento de criação sempre surge dentro do seu coração primeiro, então move-se para fora, ancorando em seu campo energético. Em seguida, flui mais para fora para ativar e ancorar em seu mundo.

Saiba que as células do seu coração e em todo o corpo físico conterão a energia de frequência desta criação. Esta energia alimenta as células do corpo ao gerar Luz. Esta energia é completamente gerada dentro do coração e nunca gerada através da mente do ego. Saiba que a mente do ego não compreenderá ou sequer acreditará neste processo de criação.

A mente do ego sequer acredita que você necessariamente merece ou poderá ter o desejo do seu coração realizado. Então, é essencial perceber antes do tempo que a sua mente não terá nenhum papel dentro do processo de criação. E o mais importante, compreenda que a mente do ego não pode interferir no processo de criação. A boa notícia é que você não precisa do consentimento ou da assistência da mente do ego para ser bem sucedido em criar o desejo do seu coração.

Trabalhe na direção de abrir-se para Receber aquilo que nutre, alimenta e toca o seu coração. Ao abrir-se mais profundamente para as camadas do desejo do seu próprio coração, há um aumento da energia de fluxo de Luz à sua criação. O fluxo de Luz entra em sua vida em tantos níveis ao começar a criar uma forma de vida da criação do desejo do seu coração. Esta ação de você criar o fluxo de Luz é um processo poderoso de autorrealização que abre a manifestação do Eu Superior e o faz ativo em você. Esta ação, ao você utilizar a sua expressão de criação dentro do seu coração, transforma a sua habilidade de ser co-criador do seu mundo.

​PAPEL CRIADOR

Esta é a sua hora, em seu processo evolucionário, de reivindicar a sua habilidade multidimensional, de começar a abrir-se para este aspecto do seu papel como um criador. A porta de entrada está aberta para você descobrir este aspecto mais elevado e mais completo de si – de encontrar libertação dentro da vasta ação sagrada do seu Eu Superior através da retomada do seu poder, e de tomar posse da responsabilidade por sua habilidade de criação.

O seu coração é a sua ferramenta multidimensional para você voltar para Casa. Agora é a hora essencial de reivindicar esta Verdade e entrar na posse e receptividade plenas do seu coração. Seu coração tem sido subutilizado até este ponto em sua vida, e ao reivindicar a sua multidimensionalidade, você entra em uma expressão totalmente nova de si.

O seu coração contém uma capacidade ilimitada de formar esse fluxo de Luz e não há limitações para o ato de criação. Um aspecto do papel do coração é o de ser um recipiente para o fluxo de Luz se formar, e com a sua forma de pensamento você se torna o gerador desse fluxo. O seu trabalho em unidade, através da sua intenção focada dentro da sua Luz Divina, ativa totalmente a criação.

Esta ativação é inicialmente criada a partir da sua própria intenção consciente. Você tem que escolher um tempo para reivindicar e reconectar-se com o seu fluxo de Luz único. Esta é uma escolha sagrada por você, porque o fluxo contém aspectos da sua frequência de Luz Divina.

ESTE FLUXO SÓ PODE SER UTILIZADO POR VOCÊ, PARA VOCÊ, e é ilimitado em sua forma. Ao você retomar o seu poder, você se move em uníssono com esse fluxo em sua vida.

Uma vez que você tenha construído o alinhamento com o fluxo de Luz e ele esteja estabelecido, haverá um momento no qual não haverá separação entre você e a sua Luz Divina de criação. Você se torna uma essência importante em ação e, na verdade, você alinha a sua consciência com o Fluxo. Você se torna um com a forma em fluxo, que é a força de criação naquele exato instante.

​TRABALHANDO EM UNIDADE

A sua glândula pineal trabalhará em unidade com o seu coração ao você ativar o seu fluxo de criação. Conforme a glândula pineal realinha-se com o coração, os receptores da pineal reabrirão. Isso expandirá a sua consciência, fazendo nascer uma consciência ainda mais profunda da sua missão individual, trazendo você a um alinhamento de clareza com esse novo senso de propósito e fluidez de movimento em sua vida.

Você é por natureza fluido em conteúdo. Ao começar a abrir-se e acessar o seu estado de ser desse fluxo de Luz, uma mudança de longo alcance terá lugar em seu mundo devido à sua fluidez multidimensional em ação. Este processo é sobre você retornar conscientemente ao seu estado de luz multidimensional fluido nesta vida, enquanto simultaneamente você tem a sua experiência humana.

Você começa a fazer a mudança: em vez de um ser humano tendo uma experiência espiritual como teve por vidas, você começa a realinhar-se conscientemente com o seu Eu Superior espiritual e tem a sua experiência humana. Ao mudar, você pode começar a transformar a sua relação com o seu aspecto humano, saindo de um lugar de autocondenação para o de autoaceitação. Este é o elemento de iluminação para a humanidade – e ele começa com você mudando a luta interna dentro de si, voltando para um lugar de AutoAmor. Este sempre foi o plano para a transformação da Terra.

ATIVANDO A ENERGIA DE CRIAÇÃO, DO DESEJO DO SEU CORAÇÃO

Este é o seu momento de começar a acessar o seu elemento de criação dentro do seu coração. Leve o seu tempo para completar este processo de ativação:

1. Abra-se para o desejo do seu coração. Tire um tempo para descobrir e experimentar como você sente esse desejo dentro de você. Você deve permitir uma construção da sua conexão “de paixão” com aquilo que você deseja criar para si. Não limite aquilo que você deseja para si – limitações estão na mente do ego.

2. Traga as mãos ao seu coração físico. Sinta a conexão física com as suas mãos em todo o seu peito. As palmas das mãos precisam estar fisicamente conectadas com o peito. Use a respiração consciente (inspirando e expirando pela boca). Traga a sua respiração para onde suas mãos se conectam com o seu peito. Permita que uma conexão se construa onde as mãos encontram o coração por toda a área do peito.

3. Comece a trazer a energia do desejo do seu coração para dentro do seu coração. Ao fazer isso, o coração começará a ser ativado com pequenas ondulações de fluxo de luz. Traga os diferentes elementos do desejo para dentro do seu coração. Veja, perceba ou sinta como você está construindo camadas de fluxo de luz ao permitir que o seu desejo se construa dentro do coração. Use a respiração consciente para dentro do coração. Permita o aumento do desejo, da sua intenção, e continue soltando.

4. Quando você sentir que as camadas do desejo estão completas, traga o som SAHN para dentro da energia ativada no coração. Sinta, veja ou perceba como o som expande o fluxo de luz, e sinta ele mover-se do coração para fora, para o seu campo energético e para fora até do seu mundo. Use o som quantas vezes forem necessárias.

Você pode nos invocar durante este processo para suporte. Nós testemunhamos você em seu próximo passo de desenvolvimento.

Bênçãos, Os Pleiadianos – Por Christine Day

Publicado originalmente em inglês no endereço:

http://www.edgemagazine.net/2018/07/a-pleiadian-message-the-god-light/

Tradução para o português no endereço:

http://christineday.wixsite.com/portugues/mensagem-dos-pleiadianos-julho2018

Artigos, Terapias Integrativas

Cristais: Luminares Cósmicos para Transformação Interior

Os cristais são seres e consciências minerais que conquistaram sua luz própria. A semelhança de determinados seres humanos que se auto-iluminaram, tornando-se um exemplo vivo da luz e verdadeiros mestres de seus semelhantes, os cristais também são mestres do reino mineral, doando sua luz através de força, do amor e da sabedoria a quem delas necessitar.

A energia cósmica é a mesma energia gerada por um cristal, é a essência da luz divina materializada em um mineral. Quando vemos a imagem de um ser humano que atingiu a consciência de si – portanto, o que chamamos de iluminação – observamos que a luz se irradia do seu corpo, principalmente nas mãos, no coração e em torno da cabeça. Esses seres transformaram suas células, tornaram-nas de passivas para ativas através da geração e da irradiação da luz e da pura energia de vida.

Realmente, um ser auto-iluminado irradia luz física de seu corpo, mas não um brilho projetado pela mente, mas irradiado da alma. Ilumina e encanta, assim, aqueles que dele se aproximam, de uma forma natural, amorosa. Por sua vez, há muito tempo os cristais também vem fascinando os seres humanos com sua resplandecente luz divina.

Foto Kirlian: 1. Cristal gerador de Ametista; 2. Cristal gerador de quartzo verde.

Trazidas por consciências de outros Planos dimensionais e transmutadas a duras penas no interior da Terra, tais gemas cristalizam a própria luz divina instaladas nos corpos físicos encontrados no seio da natureza. E o contato com esses corpos luminosos desperta-nos as mesmas características.

Na ordem física, os opostos se atraem e os semelhantes se repelem. Porém, na ordem espiritual, estas circunstâncias se invertem: semelhante atrai semelhante, luz atrai luz. Se buscarmos poder e riquezas materiais nas pedras, encontraremos um vazio que culmina em pobreza e fraqueza, mas se nelas buscarmos sabedoria e clareza, nossa jornada interior ilumina-se, porque assim como os cristais estamos evoluindo em busca do despertar de nossa consciência e luz divina. Essa busca representa a verdadeira riqueza e poder interior.

O ator, como o nome já diz, é um ser ativo, criativo – ele cria a ação transformando uma ideia, um sonho em realidade. Já o personagem é passivo – ele sofre a ação, transformando a realidade numa idéia, num sonho. O ator, como o cristal, brilha através de sua própria vida, projeta a sua imagem naquilo que está à sua frente, enquanto o personagem, opaco, busca seu brilho naquilo que reluz à sua volta e, como um espelho, busca a sua imagem naquilo que está à sua frente. A felicidade – como a luz – é uma questão de incidência do ângulo com que vemos a vida. Podemos vê-la com os olhos do ego ou com os olhos do espírito, e ela nos responderá na mesma proporção, oferecendo o destino e o carma para o ego, e a liberdade para o Espírito.

Seres cósmicos e crísticos, os cristais se libertaram de seu carma, de seu destino denso e opaco, para tornarem-se moradores da própria luz da consciência, moradas da luz. São estrelas que caíram na Terra e/ou que brotaram dela, trazendo códigos de luz e amor para serem ativados em nosso DNA, e a mensagem de que é possível lapidarmos nosso ser por completo para nos tornarmos, um dia também, luminares cósmicos do Espírito. Mais que mensageiros e mestres, os cristais são a própria ferramenta viva para esta transformação interior. Temos o Espírito e o Cosmos às nossas mãos. Sejamos gratos, respeitosos e amorosos para com essas consciências cristalinas que muito sempre tem a nos ensinar e nos relembrar. Namaste! ❤

Fonte Complementar – Cristais: Os Mestres da Luz – Guia Terapêutico Espiritual dos Minerais, Cristais e Pedras Preciosas

Artigos, Meditações

Desiderata

A palavra Desiderata, do latim Desideratu, representa aquilo que se deseja; aspiração. Transcrevo aqui esse belíssimo texto, certamente escrito por alguém que conhecia muito bem a si e os caminhos da vida e do coração, perceptível e quase tátil é a energia e a paz provinda dessas palavras. Uma antiga inscrição, datada entre 1684-1692, mas ao mesmo tempo tão atemporal que serve para este momento presente, para relembrarmos sabedorias e verdades essenciais.

Foi encontrada em uma velha igreja de Saint Paul, em Baltimore (EUA), e traduzida por Jehud Bortolozzi. Também foi citada no livro “Mensagens do Sanctum Celestial”, do conhecido Frei Raymond Bernard. O texto é de Max Hermann e foi registrado pela primeira vez em 1927. Atualmente, seus direitos pertencem à © Robert L. Bell. Meditemos nessas palavras. Namaste! ❤

DESIDERATA

“Siga tranqüilamente entre a inquietude e a pressa,
lembrando-se de que há sempre paz no silêncio.
Tanto quanto possível, sem humilhar-se,
mantenha-se em harmonia com todos que o cercam.

Fale a sua verdade, clara e mansamente.
Escute a verdade dos outros, pois eles também têm a sua própria história.
Evite as pessoas agitadas e agressivas: elas afligem o nosso espírito.

Não se compare aos demais, olhando as pessoas como superiores ou inferiores a você: isso o tornaria superficial e amargo.
Viva intensamente os seus ideais e o que você já conseguiu realizar.
Mantenha o interesse no seu trabalho, por mais humilde que seja,
ele é um verdadeiro tesouro na contínua mudança dos tempos.

Seja prudente em tudo o que fizer, porque o mundo está cheio de armadilhas.
Mas não fique cego para o bem que sempre existe.
Em toda parte, a vida está cheia de heroísmo.

Seja você mesmo.
Sobretudo, não simule afeição e não transforme o amor numa brincadeira,
pois no meio de tanta aridez, ele é perene como a relva.

Aceite, com carinho, o conselho dos mais velhos
e seja compreensivo com os impulsos inovadores da juventude.
Cultive a força do espírito e você estará preparado
para enfrentar as surpresas da sorte adversa.

Não se desespere com perigos imaginários:
muitos temores têm sua origem no cansaço e na solidão.
Ao lado de uma sadia disciplina conserve,
para consigo mesmo, uma imensa bondade.

Você é filho do universo, irmão das estrelas e das árvores,
você merece estar aqui e, mesmo se você não pode perceber,
a terra e o universo vão cumprindo o seu destino.
Procure, pois, estar em paz com Deus,
seja qual for o nome que você lhe der.

No meio do seu trabalho e nas aspirações, na fatigante jornada pela vida,
conserve, no mais profundo do seu ser, a harmonia e a paz.
Acima de toda mesquinhez, falsidade e desengano,
o mundo ainda é bonito.

Caminhe com cuidado, faça tudo para ser feliz
e partilhe com os outros a sua felicidade”.

Artigos, Constelação Familiar, Terapias Integrativas

Ensinamentos sobre o Pai: Visões da Constelação Familiar, Psicologia e Terapias Integrativas

“Naturalmente, os pais também têm suas falhas. Também eles, como todos os seres humanos, estão limitados em suas possibilidades devido a sua origem e a sua história e, principalmente, por sua culpa pessoal (…) Isso não os diminui, mas sim os engrandece, pois pais imperfeitos transmitem mais a realidade da vida do que pais perfeitos. Se de um lado não tornam a vida fácil para os filhos, por outro lado os preparam de modo mais abrangente para a vida real. Quem concorda com seus pais da maneira como são, os respeita da maneira que são, os aceita também com aquilo que eles lhes impõem e dele exigem, ganha através disso toda a força que lhe puderem prover.” Bert Hellinger 

O LUGAR DO PAI

Através da perspectiva das Constelações Familiares, o objetivo aqui é trazer reflexões e discorrer sobre qual é o lugar do pai no desenvolvimento da pessoa, assim como nos problemas e perturbações dela relativo à figura paterna.

As Constelações Familiares compreendem um caminho, uma forma de trabalho que visa desfazer nós sistêmicos, alinhando o sujeito com o potencial da ancestralidade dele. A partir disso, vemos que a força e os nós – geralmente o que chama-se de emaranhados – derivam da uma ancestralidade cuja linha geracional mais próxima são os pais, que também os carregam herdados dos seus ancestrais e assim sucessivamente, na linha de ascendentes.

O foco é nos padrões de comportamento que, pela repetição ou pela natureza energética peculiar forte, foram herdados pelos descendentes – nesse contexto inicial: os filhos. Alguns comportamentos, apesar de pontuais, são altamente perturbadores mesmo que não tenham sido vistos como padrões. Desse grupo, ocorre o ceifar da vida de outrem – fratricídio, parricídio, filicídio, entre outros – ou a própria vida, o suicídio.

A exclusão afetiva, pela negação do cuidado e da proteção, assim como o deserdamento e o abandono são comportamentos energeticamente também muito fortes. Outro tipo de herança sistêmica é aquela que deriva de comportamentos corriqueiros, mas repetidos, cuja essência perturba as ordens sistêmicas, tais como elas são apresentadas por Bert Hellinger – criador do trabalho de Constelação. A linha grupal-sistêmica da ancestralidade cruza a linha individual do sujeito, fazendo com que ambas se influenciem mutuamente. Essa ligação entre pessoa e ancestral se atualiza na relação dos pais com os seus filhos, sendo a mãe o ente com papel fundamental no início da vida de outro ser humano.

Nesse sentido, as Constelações Familiares concordam com o que a Psicologia traz sobre o papel que a mãe exerce no cuidado do bebê que, nas primeiras fases do desenvolvimento – bebê e criança pequena – tem lugar central por ser uma relação simbiótica bastante intensa. Por causa da extrema dependência que essa relação produz, isso a torna também bastante frágil. A dependência total, iniciada no período da gravidez, continua após o nascimento e é reforçada pela amamentação. Essa profunda dependência relacional propicia grande probabilidade de interrupção do “movimento de alcançar” do bebê, que culminará na posterior relação com o pai e esse mesmo movimento relativo a tudo o que essa criança precisará alcançar, conquistar, executar e construir na fase adulta: o progresso pessoal.

Na perspectiva do desenvolvimento normal, a relação do bebê com o pai é bem menos intensa, visto o pai ser incluído, na percepção do bebê, apenas posteriormente – quando o bebê se tornou capaz de perceber aquilo que está fora da relação dois-em-um que, até então, tinha com a mãe. Se o bebê-maior consegue perceber o pai, é porque – a partir da mãe – já construiu um sentido de realidade exterior e é capaz de fazer uma tentativa natural de expandir a qualidade dessa ambiência de busca do cuidado que ela lhe dispensa, para além dela própria e em direção, por exemplo, ao pai.

A relação com a mãe culmina na capacidade do bebê poder ser. Então, o pai entra quase como que um terceiro para a criança, uma instância de continuidade da mãe, que precisa estar alcançável para vivenciar cuidado e provisão. Isto é, o bebê faz o movimento do alcançar do pai por causa da qualidade da relação que teve com a mãe, de forma que o resultado que deriva dessa relação com o pai culminará em alguém que é capaz de ser e fazer no mundo.

É comum que o bom-humor das mães acompanhem o “perigo” de se deixar o bebê-maior aos cuidados do pai: não raras as vezes que elas surpreendem o pai jogando o bebê pro alto, nas costas dele e agarrado ao seu pescoço, sentado na locomotiva de um trenzinho elétrico fazendo um tour pela casa, rolando com o bebê e o cachorro juntos, sentado no tablado do curral, enfiado dentro de uma sacola, pintando a cara dele com aquarela, girando o menino dentro de um lençol, montado com uma sela improvisada no cachorro, todo coberta de lama, etc; estando os dois – para o horror da mãe – em um estado de êxtase feliz!

A relação com o pai é do tipo que comporta um colo mais duro, natural aos homens que se entregam ao bebê-maior por meio de brincadeiras que o ajudam a compor um sentido de mundo mais exterior, um modo de ser mais concreto, objetivo e manejável. É um colo menos físico, menos indiferenciado do que o da mãe. O pai apresenta bem mais o mundo externo pela ludicidade amorosa que permite ao bebê-maior uma experiência diferente, que o faz se sentir capaz de manejar o entorno, de integrar uma capacidade pessoal de forma prática e interventiva sobre o ambiente, dando um direcionamento pessoal à sua ação, sem receio da própria potência.

As constelações mostram que tais tipos de experiências fornecidas pelo pai ajudam a integrar o princípio masculino no bebê. No bebê-mulher e no bebê-homem. E que esse princípio irá se desdobrar em sentimento de autoconfiança, autonomia, capacidade de aprendizagem, capacidade de trabalhar e de gerar renda, mudança, praticidade e busca de melhoria. De que adianta a esposa ter um marido que cuida da casa, que consegue trocar a fralda da criança, mas que não possui as características anteriores? Essa resposta cabe às esposas responderem junto aos seus maridos e encontrarem uma forma de equilíbrio, assim como cabe ao marido trabalhar-se como criança e homem relativo à figura do seu próprio pai, a fim melhorar e equilibrar, da mesma forma, a sua relação com o filho.

No sentido dos problemas que podem advir, se o pai não corresponde ao gesto do bebê-maior, ele fragiliza o sentido de mutualidade que a criança espera, uma vez que sendo o representante do mundo exterior, ganha o sentido de um mundo intangível, imutável e incontrolável. Se o padrão herdado pelo pai é de homens que se desresponsabilizaram pelo cuidado dos filhos, algo que tenha se repetido vezes por vezes nas gerações anteriores, o resultado será um padrão sistêmico de recorrência de desemprego, insuficiência de renda, medo da mudança, alcoolismo, uso de drogas, incapacidade criativa, abandono material dos filhos.

Consequentemente, esse padrão vai ser complementado com parceiras submissas a esses homens insuficientes, ou com “mulheres-Amélias” que se responsabilizam por eles na tentativa de compensar a falta do homem capacitado que – ao invés de ser homem grande – é um menino-frágil porque, semelhante aos ancestrais, não teve um pai que fez diferente na história sistêmica familiar, que brincou com ele, que lhe transmitiu o sentido de praticidade. É a sobreposição da história ancestral com a história pessoal.

CRIANÇAS FELIZES

Então, como fica o lugar do pai, uma vez que se fala muito mais sobre o lugar feminino? O pai tem uma demanda, tem protagonismo, ou pelo fato de a mãe ocupar este lugar, o seu papel é complementar?

“Sim, o pai está em segundo lugar. Mas, hoje em dia, os pais estão muitas vezes excluídos, e o pai que está excluído põe a mãe triste, fá-la infeliz. Para a mãe estar feliz, ela tem que respeitar e amar o pai e isso nem sempre é simples, porque os homens são diferentes, e temos de os amar assim como são – diferentes.

E as crianças precisam do pai, para a felicidade é necessário que elas possam ter o pai. Então, as crianças felizes são aquelas que são olhadas pela mãe e a mãe, através desta criança, ama também o pai; e o pai olha para os filhos e, através deles, ama também a mãe. Essas crianças são crianças felizes.” – Bert Hellinger

SUBSTITUTOS DOS PAIS

Eventos importantes, tais como a morte do pai nos primeiros anos da vida da criança, inviabilizam tais experiências construtivas. Inclusive, por ressonância, elas podem atrair as dificuldades vividas pelos ancestrais e descritas acima porque, bem ou mal, o sistema familiar tenta se reequilibrar e oferece ao órfão a paternidade que foi possível aos ancestrais do pai falecido, mesmo que ela tenha sido insuficiente. São sobreposições energéticas sutis que as constelações trabalham, camada após camada.

O princípio masculino que deve habitar ambos os sexos precisa, primeiro, ser encontrado externo à criança-maior. O pai deveria ser o encarregado disso, mas nesse caso ele também o herdou – às vezes mal – das gerações anteriores. Assim, podemos perceber que a visão sistêmica inclui uma constante troca entre o âmbito individual e o âmbito coletivo, sendo em ambos os flancos alvo dos trabalhos constelares.

É bom ressaltar que o assunto é complexo e cada caso é um caso à parte, e que quando da referência do princípio masculino, a alusão aqui é à função paterna, ao invés da condição de ser ou não ser macho. Apesar da anatomia corporal do macho carregar uma sabedoria essencial biológica, facilitadora da expressão do masculino, esse princípio tem pouco a ver com orientação sexual. Bem sabemos que existem pessoas de linhagem feminina e pessoas de linhagem masculina, quer sejam heterossexuais ou não. É possível casais homoafetivos desempenharem satisfatoriamente tais funções, inclusive porque a maioria dos problemas apontados ocorrem no contexto da paternagem feita em uniões heteroafetivas.

Também não podemos nos esquecer dos substitutos dos pais – avôs/avós, irmãs/irmãos, tias/tios, mães/pais adotivos, e outros que tenham feito parte da nossa infância e assumido seus lugares – que podem ser suficientemente bons e capazes de incluir, em seus sistemas, a criança órfã de um pai morto ou de um pai irresponsável. No entanto, isso gera uma condição mais complexa porque a criança pertencerá a mais de um sistema familiar: o biológico e o acolhedor, sendo isso, indubitavelmente, uma condição mais difícil já que a figura do pai, mesmo que substituída por outra pessoa, ainda assim não é substituída pelo “vazio” deixado pelo pai biológico.

Assim, o problema da interrupção do “movimento de alcançar” da criança – relativo ao lugar do pai – tem a ver com a própria criação que teve, a capacidade de acolhimento da criança que foi e o padrão sistêmico do masculino herdado pela ancestralidade. Mesmo havendo mais fatores implicados, as constelações familiares focalizam os problemas de ordem transgeracional sem prescindir da contribuição da psicoterapia pessoal nesses casos, visto que o problema ocorre também no plano individual, na vida atual da pessoa.

Por essa razão, uma constelação familiar é um complemento diante de um trabalho que envolve uma transformação interior maior, que pode ser formada por outros apoios e técnicas terapêuticas para se conseguir alcançar o centro de equilíbrio novamente. A forma para alcançar esse centro depende do tempo e das escolhas de cada um no caminho, e deve ser respeitada. A cada passo, através do movimento de desemaranhar-se desses nós familiares, vamos iniciando uma nova jornada para trilhar o próprio caminho, o próprio destino, e encontrar o propósito pessoal e divino, desapegando-nos dos padrões e das repetições herdadas que, muitas vezes, levam a trilhar um caminho que não é nosso sem que percebamos.

ENSINAMENTOS SOBRE O PAI – VÍCIOS

Quando o pai é excluído do coração – Por Bert Hellinger

“Torna-se viciado aquele a quem falta algo. Para ele, o vício é um substituto. Como curamos um vício em nós? Reencontrando aquilo que nos falta. E quem ou o que falta no caso de um vício? Geralmente é o pai.

Ninguém é capaz de sentir-se inteiro e completo sem seu pai. Sendo assim, o vício é a ânsia de reencontrar o que foi perdido e, com ajuda, sentir-se são e restabelecido. Contudo, por ser apenas um substituto, o vício não é capaz de satisfazer essa necessidade. Por isso prossegue. E prossegue sem o pai. Como podemos ajudar um viciado? Como ele pode ajudar a si mesmo? Ele leva aquilo que foi perdido para dentro de seu vício, desta forma tornando-o supérfluo.

O vício mais difundido em nosso tempo é, em muitos países, o fumo. Nem mesmo o fato de estar escrito “fumar mata” nos maços de cigarro assusta a maioria das pessoas. Para elas, ainda mais mortal é o sentimento de que algo lhes falta em seu profundo interior.

Como é possível para um fumante levar o pai que lhe falta para dentro de seu vício?
Primeiramente, o que o ajuda é fumar com prazer, pois seu ato de fumar o conscientiza do quanto sente falta de algo. Quando deseja ou precisa fumar, sente o quanto lhe faz falta, por exemplo, seu pai.

Na visão da Constelação, uma forma de trabalhar essa inclusão do pai é: assim que se prepara para tragar o cigarro, imagina seu pai. Então, traga a fumaça profundamente em seus pulmões olhando para seu pai, dizendo-lhe internamente:
TOMO VOCÊ EM MINHA VIDA E EM MEU CORAÇÃO. E FUMA ATÉ SENTIR SEU PAI DENTRO DE SI.

Algo similar vale para o álcool. Aquele que se tornou doente devido a este vício brinda com o pai antes de beber. Então bebe, lenta e profundamente, sorvendo seu pai a cada gole, até sentir-se preenchido por ele e vivenciá-lo profundamente. Essas são formas de ir reduzindo o vício, substituindo-o lentamente pelo pai que internamente falta.

E as mães? Como elas ajudam seus filhos viciados?
Elas reconhecem que, para seus filhos, são apenas uma metade e nunca a totalidade. Ao invés de manter seus filhos longe do pai, os guiam com amor até ele. Este movimento começa quando elas veem e amam, em seus filhos, também o pai.

SEPARAÇÃO CONJUGAL E FILHOS ENVOLVIDOS

O que acontece com um filho que se envolve ou é envolvido pelos pais nos assuntos deles como casal ou no processo de uma separação? Essa resposta pode chocar alguns, mas esses filhos podem corrre risco de morte.

Primeiramente, devemos lembrar de uma lei sistêmica bem simples, mas que violamos com frequência: A Lei da Ordem. Essa lei natural diz: num sistema familiar a ordem é dada pela chegada, ou seja, quem chegou primeiro tem precedência sobre aquele que chegou depois. Nas famílias, os pais chegaram primeiro e os filhos depois, na ordem em que foram gerados, pois sabemos também que as crianças abortadas pertencem a essa ordem e tem o seu lugar na família. Quando essa ordem é violada, ocorrem sérias consequências para aqueles que a violam, entre as mais comuns o fracasso na vida profissional, afetiva e financeira.

Quando um filho é envolvido ou se envolve na história de seus pais como casal, seja em assuntos da intimidade desse casal ou em processos de divórcio, tomando partido de um ou de outro ou ainda sendo usado como ferramenta de chantagem e manipulação, esse filho, inconscientemente, vai sentir um peso muito grande que não vai suportar carregar, exatamente por estar saindo da sua posição de filho – que seria abaixo dos pais – e se colocando ou sendo colocado em igualdade ao casal – muitas vezes até acima do casal, como se ele precisasse e pudesse resolver algo por eles. Isso é uma catástrofe.

Movido por um “amor cego e infantil”, segundo termo de Bert Hellinger, esses filhos vão se responsabilizar em querer realmente resolver algo para os pais como casal, pois os ama profundamente. Esse mecanismo infantil e inconsciente está dizendo : “Eu no lugar de vocês”, “Eu resolvo por vocês”, consequentemente: “Eu morro por vocês”.

Nesse caso, os filhos são capazes desses sacrifícios, pois a imagem infantil deles é que dessa forma eles podem salvar ou resolver algo, em verdade eles não resolvem. Situações como esta resultam em envolvimento com dogras correndo sérios riscos de overdose, acidentes de carro, prática de esportes radicais que também envolvam certa pulsão de morte, são algumas dessas expressões inconscientes. Em alguns casos, algumas doenças auto-imunes como câncer, lúpus, infecção por HIV, esclerose múltipla, artrite reumatóide degenerativa, tireóide auto-imune, psoriase e vitiligo crônicos também podem estar relacionados.

A solução para o equilíbrio de todos, para que não saiam dos seus lugares, seria os pais não permitirem que os filhos participem de assuntos do casal, inclusive tornando-os como seus confidentes, de forma a não envolvê-los, em hipótese alguma, em decisões ou manipulações de uma separação conjugal, como se eles tivessem que escolher um lado. Como auxílio a esses pais, é importante que busquem um apoio psicológico e terapêutico, que trabalhem também suas crianças e seus bebês interiores, já que esses profissionais estarão preparados para exercerem um papel que os filhos não devem ocupar.

Para os filhos, aquele casal representa apenas o seu PAI e a sua MÃE que lhe deram a VIDA, como ele pode dividir ou excluir uma das partes da qual ele é feito sem nenhum tipo de dano? Isso só é possível quando lhe são preservados os pais, uma vez que esses jamais deixarão de ser seus pais. Quando se tenta excluir um pai ou uma mãe, o filho vai ser sempre fiel àquele que está sendo acusado ou criticado. E não importa a idade do filho, se ainda é uma criança ou se já é um adulto, porque essa atitude é uma forma de compensar aquele que está sendo excluído.

INTERVENÇÕES TERAPÊUTICAS SUGERIDAS

1. Constelações Sistêmicas e Familiares; 2. Terapia de Renascimento – Rebirthing; 3. Terapias Integrativas que visem o restabelecimento bioenergético dos corpos físico, emocional, mental e espiritual, entre elas: Reiki, Terapia com Florais e Homeopatia, Fitoterapia, Aromaterapia e Cristalterapia, Acupuntura, Massagem Ayurvédica e Chinesa, Técnicas Terapêuticas e Orientais, Jin Shin Jiutsu, Meditação e Respiração Consciente; Yoga, Biodança, Tai Chi, Qui Kung e Atividades Aeróbicas, preferencialmente ou quando possível em contato com a natureza. Focar em práticas como essas para romper com os padrões herdados no corpo físico através da expressão corporal, objetivando desbloquear as travas emocionais que somatizamos no corpo e modificar/ reprogramar os comportamentos e padrões também herdados ou construídos a partir daqueles que herdamos; 4. Coaching; 5. Thetahealing – para trabalhar crenças, comportamentos e padrões enraizados; 6. Psicólogos e Psicoterapeutas, Terapia Cognitiva, Psicologia Transpessoal, Gestalt Terapia, entre outros.


Fontes Complementares:

  • Textos e Entrevistas de Bert Hellinger – é considerado um dos maiores filósofos do nosso tempo. Suas descobertas no campo da terapia familiar transformou a vida de milhares de pessoas e continua hoje, mais de 40 anos após sua criação, a encontrar aplicação em diversas outras àreas que envolvem o relacionamento sistêmico.
  • Livros de Bert Hellinger: 1. Constelações Familiares; 2. As Ordens do Amor; 3. Liberados Somos Concluídos; 4. Ordens da Ajuda; 5. No Centro Sentimos Leveza; 6. A Fonte não precisa perguntar pelo caminho
  • Informações de outras fontes sobre Constelações Familiares e Psicologia

Leia também: Vínculos do Destino: A Fonte não precisa perguntar pelo caminho/ Constelação Familiar: Encontrando o seu lugar na árvore ancestral da vida / Ensinamentos sobre a mãe: Visões da Constelação Familiar e Terapias Integrativas / Trauma pode ser transmitido entre gerações: como encontrar caminhos para a cura

Artigos, Feminino Sagrado, Meditações

Kuan Yin: A Sabedoria Ancestral da Compaixão e da Misericórdia

Na mitologia chinesa, Kuan Yin é conhecida como a Mestra da Compaixão e da Misericórdia. Ela teve uma vida no planeta como todos nós e somente depois de sua morte foi reconhecida dessa forma. No Vietnã, também é conhecida como Quan’Am, no Japão como Kannon, em Bali como Kanin. Ela cobre as planícies alagadas do Oriente, do Egito à China, sendo venerada em todo o mundo por milhões de pessoas que a consideram o símbolo da pureza espiritual.

Contam as histórias que enquanto viveu, Kuan Yin percorreu o mundo e presenciou muita dor, para então comprometer-se em proteger e amparar todos os humanos, até que o último sofrimento esteja sobre nós. Aqui no Brasil, através dos conhecimentos advindos da Grande Fraternidade Branca, é vista como uma mestra que incorporou e personificou a compaixão através da sua própria experiência de vida.

Kuan Yin, cujo nome significa “aquela que ouve os lamentos do mundo” é boddhisatva da Compaixão no budismo chinês. Ela nos deixou um mantra com o qual podemos sintonizar para cultivar a compaixão sempre que necessário, para que através da vibração e frequência energética gerada possamos iniciar um trabalho interno para curar nossas feridas mais profundas e dolorosas e, posteriormente, auxiliar no trabalho dos que vierem até nós buscando o mesmo objetivo.

Todos que sintonizam com sua consciência e trabalham através de sua compaixão – já muito vista por mim como flores de lótus energéticas em trabalhos que realizei, cujas frequências de cores eram diferentes dependendo do tipo de ferida emocional que a pessoa necessitava trabalhar – sabem o quanto sua energia é doce, cálida e sutil, mas também o quanto é profunda. Mesmo tendo alcançado “a iluminação”, a consciência de si, ela optou por permanecer sintonizada ao mundo humano em auxílio.

Para leitores ocidentais, vale lembrar que Bodhisatvas são considerados espíritos perfeitos. Segundo Karl Ludvig Reichelt, na obra Truth and Tradition in Chinese Buddhism: “Eles podem, se quiserem, entrar na plena dignidade búdica, na eterna paz e felicidade, mas eles não o fazem no tempo presente porque, como bodhisatvas, podem mais facilmente buscar aquela parte da criação ainda submetida a peculiares condições incertas e dolorosas das almas no caminho.”

Kuan Yin, um dos cinco bodhisatvas mais conhecidos, pouco a pouco vem se destacando mais que outros bodhisatvas para significar o espírito: o misericordioso e bondoso espírito que acende, em todas as criaturas, o desejo de uma renovação do coração, que protege e ensina sobre os caminhos de dor e tristeza – não de forma a removê-las por nós, mas nos ensinando como podemos aprender com elas e percorrer um caminho que ela conhece porque já o percorreu, até o momento que não precisaremos mais da dor para evoluir, substituindo-a pelo amor.

Nos tempos primitivos, ela era geralmente considerada como aspecto masculino, e ainda se vê em certos mosteiros na China uma enorme figura com barba e expressão viril, mostrando-a como um homem. Nessa forma, era chamada de Filho de Amitabha. Ao longo do tempo, características femininas vão se tornando mais proeminentes na medida em que a concepção de espírito torna-se dominante – o aspecto voltado ao feminino não como gênero, mas enquanto polaridade Ying – e tudo que os chineses podem imaginar de ternura materna e graça feminina foi atribuído a ela, tornando-se a Senhora Compassiva do Oriente.

A data comemorativa atribuída à ela é celebrada em 29 de fevereiro; seu ingresso na Sabedoria Plena é comemorado em 29 de junho; sua morte como passagem ou seu ingresso no Nirvana, por fim, é dado por ocorrido em 29 de setembro. Entre o povo oriental, essas três datas são muitas vezes conhecidas como “aniversários de Kuan Yin”. Todos saem às ruas, os templos e as cidades são decorados para essas festividades populares, como vemos aqui no Brasil relativo à Iemanjá ou Nossa Senhora dos Navegantes.

Bodhisatva Guan Yin foi consagrada universalmente nas diversas correntes budistas como principal figura da devoção. Era Bodhisatva Avalokitesvara, aquela que praticava profundamente o Prajna Paramitta – a sabedoria – até libertar-se de todo sofrimento. Não é vista como uma deusa porque guarda traços humanos. Conta-se, na tradição popular, que ela foi uma princesa na antiga Índia. Era a mais bela e piedosa entre todas; não gostava de vestidos luxuosos, nem de pratos finos feitos com carnes de animais, embora tudo isso lhe fosse oferecido como direito. Alimentava-se de verduras porque não suportava ver animais sendo mortos; vestia-se de panos grossos porque gostava de ser simples, e era a mais piedosa entre as filhas.

Entretanto, quando chegou o momento de casar-se, fugiu do palácio porque queria buscar o seu caminho e se dedicar ao ascetismo, seguir o exemplo de Buda. Ao ser obrigada pelos seus pais a contrair casamento, ajoelhou-se diante do palácio do rei durante dias e noites, sem nada comer, passando frio e tomando vento e chuva, apenas recitando o “Sutra da Grande Compaixão”. Sua fé venceu todas as barreiras. Quando alcançou o Nirvana, não teve desprendimento suficiente para deixar o mundo porque a sua compaixão era tão forte e infinita que lhe deu forças para fazer o maior voto que alguém podia desejar realizar: “enquanto houver almas sofredoras sobre a face da Terra, não abandonarei esse mundo e ajudarei todos a alcançar a libertação”.

Assim, oficialmente foi chamada de a “Grande Misericordiosa e Grande Compassiva Bodhisattva Guan-Shi-Yin” – seu nome aqui, em chinês, significa: “Aquela que vê e que ouve o Mundo.” Segundo essa história, ela atende todos os apelos, por mais desesperadas e “perdidas” que as pessoas possam estar, não importando a religião ou qualquer que seja a crença da pessoa, uma vez que na compreensão budista, todos os homens são de natureza búdica: luz que reflete a si mesmo, pouco importando a que religião pertençam – seres humanos são budas em potencial.

O Sutra do Coração 

Meditar com esse mantra eleva nossa frequência energética e do ambiente, nos trazendo uma paz profunda, a tranquilidade de um lago límpido, podendo no levar para um mergulho profundo para dentro de nós mesmos. Antes de ouví-lo, intencione o que você necessita nesse momento da sua jornada. Faça várias respirações profundas para relaxar o corpo e desacelerar a mente. Feche os olhos e encontre uma posição confortável. Permita-se, entregue-se ao vazio, ao espaço do não-tempo, do não-manifesto. A consciência nos fala através do silêncio. “Sem obstáculos na mente; sem obstáculos o medo desaparece. Para além do pensamento em ilusão, este é o Nirvana.”

Nesse contexto, vejo e sinto a compaixão e a misericórdia como um estado do Ser, um estado que a consciência atinge através da sua própria experiência. Por mais que ouçamos histórias, contos, lendas, ensinamentos e conhecimentos em qualquer cultura, filosofia e religião, o aprendizado só ocorre de fato em nosso íntimo quando o praticamos. É esse o momento em que um conhecimento torna-se sabedoria e, por essa razão, é visto em muitas culturas como “iluminação”: iluminar o que estava inconsciente trazendo-o para a consciência, seja algo que já trazemos pronto na alma e sai do mundo não-manifesto à consciência, seja o que acessamos de forma consciente por meio de uma experiência transcendental neste plano terreno.

Que os ensinamentos e sabedorias de Kuan Yin sejam derramados sobre você como bênçãos de puro amor e compaixão! Permita-se ultrapassar os véus do medo, da dúvida e das ilusões, conheça-se profundamente nas suas luzes e sombras, nas suas feridas e cicatrizes. Permita-se a entrega ao vazio, ao silêncio, e traga à luz, à consciência do seu Ser o essencial para cada passo dado em sua jornada de evolução. Namaste! ❤

Artigos, Mensagens Irmãos das Estrelas

Uma Mensagem Pleiadiana: Reconexões Profundas

Amados, nós os saudamos.

Através das eras, a Terra esteve enraizada ao espectro completo da ilusão. Esta ilusão formou uma ancoragem poderosa de restrição e limitação em você e em sua vida. A humanidade tem operado dentro dessas restrições em seu plano da Terra por muito tempo. A maioria de vocês tem vivido numa base muito estreita de realidade em suas vidas dentro dessa ilusão.

A reconfiguração de energia que aconteceu no fim de março tem transformado vocês sistematicamente, criando um processo natural de realinhamento de vocês com a Verdade. Muitos de vocês estão experimentando um período de reajuste profundo em suas consciências, e simultaneamente há a reabertura de um caminho para o seu coração multidimensional. As células do seu corpo estão se realinhando a este novo pulso de força e vida que agora está sendo transmitido através do seu coração. Este pulso está criando um movimento de fluxo estável que está aumentando e é projetado para reabrir gradualmente todos os seus sistemas multidimensionais.

Passo-a-passo, você é realinhado e redefinido para acessar a sua natureza multidimensional. Este pulso pode ser comparado à uma batida de coração, que é contínua e continuará a aumentar em intensidade. Este pulso cria uma ação de Luz Pura sendo manifestada dentro de você e traz a missão de ser o despertador para a sua própria Luz.

O PULSO

A fonte desse pulso surgiu do ponto multidimensional, bem no centro do seu Universo Residente. Ele se alimenta diretamente da consciência coletiva de Deus. A sua Terra está sendo movida, transformada dimensionalmente por essa Luz da Consciência de Deus, que sempre esteve contida nesse pulso de frequência.

O seu planeta está sendo lentamente e energeticamente reposicionado por essa Luz pulsante. A Terra está renascendo, levada para além do seu cenário original – da estrutura de ilusão limitada – para um nível multidimensional mais elevado de realidade da Verdade.

Cada um de vocês está sendo sustentado dentro da Luz de Deus e, simultaneamente, os seus corações estão sendo despertos através da integridade pura do seu aspecto individual dentro dessa Luz de Deus. Este pulso nasceu e foi ativado em março e foi concebido para realinhar-se gradualmente às percepções verdadeiras contidas dentro do Universo. Este processo metamórfico é para capacitar você a responder de forma diferente dentro do seu próprio coração através desta frequência de Verdade Universal.

A frequência deste pulso foi feita para falar com cada um de vocês individualmente através da câmara multidimensional do seu Coração. Esta interação do pulso irá realinhar você com o caminho autêntico do seu Eu Superior, dentro do seu coração. Você retornará àquele aspecto expandido da sua consciência que você sempre foi. Através desse pulso de frequência, a sua jornada de Volta Para Casa poderá acelerar.

Este pulso sempre existiu em todo o nosso Universo Residente (…) A Terra finalmente está operando dentro do mesmo pulso de frequência que o restante do Universo. A ação desse nascimento multidimensional da Terra está criando um novo fluxo, uma aceleração dentro da consciência do Universo.

A MESMA RESSONÂNCIA

O seu planeta Terra sempre foi parte do Universo físico, no entanto, neste momento vocês estão sustentando a mesma ressonância da Consciência Coletiva dentro do Universo. Através dessa elevação da ressonância da Terra, uma porta de entrada para um Reino Superior foi aberta (…).

Esta abertura permitirá que todos os “grupos de força de vida” se expandam para outro foco multidimensional, para dentro da Consciência Coletiva. Nós iremos ancorar uma força de luz expandida dentro da arena do Universo entre nós. Este processo de abertura permitirá que nós sustentemos a expressão expandida, em comunhão à Consciência de Deus entre nós coletivamente. O Universo Residente é capaz de mover-se para outro nível de evolução devido a este “acontecimento” na Terra.

Todos os Grupos de Força de Vida dentro do Universo estão sustentando uma plataforma forte, que dá suporte àqueles de vocês que estão prontos para reunir-se conscientemente à nossa Comunhão Coletiva. Este é o começo de uma grande mudança de consciência para aqueles de vocês que estão dispostos a utilizar suas reconexões multidimensionais naturais através do seu coração. A porta de entrada do seu coração transformou-se para o propósito da sua jornada: a autorrealização através da utilização do seu coração como uma ferramenta multidimensional.

RECONEXÃO RÁPIDA

Cada um de vocês disse “sim” para estar aqui na Terra nesta conjuntura. Esta é a sua hora para a reconexão rápida, a reunião e o despertar no aqui e agora. Nós vemos vocês como se estivessem em um dilema enquanto estão tendo sua experiência humana, conforme fazem malabarismos com a dinâmica de julgamentos, provindos da ilusão do drama da sua mente do ego, que esteve e continua se desenrolando em seu planeta.

Lembre-se: a sua mente do ego não entende nada além da terceira dimensão. A sua mente do ego constantemente interpreta e compreende erradamente o que está à sua frente dentro do drama. O ego não pode acessar com precisão o que está acontecendo dentro da terceira dimensão e além, incluindo a sua relação com os Reinos Superiores pelo seu Eu Superior.

Aqui está o que é imperativo que você avalie plenamente: a sua necessidade de testemunhar toda a ilusão dentro do drama que está acontecendo agora em seu planeta. Este drama tem significado menor dentro dos reinos dimensionais superiores. É importante compreender que quaisquer que sejam os dramas se desenrolando no planeta e em sua vida agora, eles não terão impacto ou consequências dentro dos Reinos Superiores. Não são criadas ondas além da terceira dimensão a partir do drama em seu planeta. O processo transicional sagrado em seu plano da Terra continuará a evoluir, não importando o drama e sua insignificância dentro do cenário maior nos Reinos Superiores.

TOTALMENTE NO CAMINHO

Nossa avaliação do seu Despertar é que vocês estão totalmente no caminho em sua transição evolucionária atual. Nós os testemunhamos em uma luz diferente do que vocês avaliam a si mesmos. Nós vemos o seu brilho sem a interferência da ilusão. Nós vemos as suas reconexões sem a interferência e as percepções equivocadas da sua mente do ego.

O foco em nossa missão agora é o de dar suporte a vocês na ancoragem deste realinhamento com o seu coração que opera em multidimensões. A sua reconexão com o seu coração alinha você naturalmente com seu Eu Superior, além da ilusão, além da mente do ego. Esta ancoragem permite que você se abra para momentos de clareza, permitindo que o seu Eu Superior traga enorme suporte ao seu elemento humano.

O seu eu humano foi imerso na ilusão do drama, o que criou medo, luta e um senso de falta de poder. Esta reconexão com a sua estrutura sagrada é projetada para trazer uma nova experiência de estabilidade ao seu aspecto humano. Pode haver alívio em seu aspecto humano conforme um novo senso de sustentação superior torna-se parte da sua vida diária, vindo das suas reconexões com o seu Eu Superior.

DIMINUIÇÀO DO MEDO

O que você irá experimentar nos momentos de reconexão com o seu Eu Superior será um alívio da luta e uma diminuição do medo sustentado pela mente do ego. Ao abrir-se para experimentar a paz que é parte do seu Eu Superior, tendo clareza mais profunda sobre a sua vida, a sua mente do ego receberá alguma serenidade. A energia desta essência pode liberar tensão e ansiedade da mente do ego. Cada vez que você se abre para o seu coração, para aquele lugar além do drama, você se alinha com uma profundidade da quietude e a sua mente do ego começa a registrar alívio. Isso é acumulativo em você, e o seu aspecto humano começa a sentir-se nutrido e apoiado em cada momento de reconexão.

Há a necessidade de você compreender a sua constituição única e a dinâmica completa que acontece dentro: Você tem o seu aspecto humano e o seu Eu Superior: seu aspecto sagrado. O seu aspecto sagrado está totalmente intacto logo atrás do véu. Até recentemente, você só esteve conectado conscientemente com o seu eu humano, através da mente do ego. Por vidas, você teve encarnações de ter que deixar o seu corpo físico para reconectar-se com o seu Eu Superior. Nesta vida, ao entrar nesta Terceira Fase de Transição da Terra, você é capaz de realinhar-se conscientemente com o seu Eu Superior, enquanto ainda está neste corpo físico.

Você começará a apreciar aspectos da sua multidimensionalidade. Este é um Estado Natural de Ser para você, um aspecto da sua constituição sagrada. Você é, em Verdade, um “ser multidimensional” tendo simultaneamente uma experiência humana nesta vida.

​ALINHE-SE CONSCIENTEMENTE

Quando você se alinha conscientemente com o seu Coração, você está escolhendo mover-se para além da realidade da terceira dimensão. O seu Coração é uma ferramenta multidimensional para ser utilizada em qualquer experiência dentro de um momento escolhido por você. É importante reconhecer e saber que, ao dar este passo de alinhar-se com o seu Coração, a sua mente do ego não é capaz de compreender um aspecto de nenhuma experiência que você tenha fora da ilusão da terceira dimensão.

Então, é essencial perceber antecipadamente que a sua mente do ego não será capaz de identificar nenhuma experiência que você tenha como autêntica. Mesmo enquanto você tem uma experiência com o seu Eu Superior, a sua mente do ego provavelmente tentará negar cada aspecto da sua experiência. Só porque a mente do ego está destruindo a sua experiência no momento da reconexão com o Coração, não quer dizer que você esteja tendo uma experiência menos expandida. Você perceberá que devido à sua multidimensionalidade, você pode ter mais do que uma experiência plena em qualquer momento. Você pode estar escutando o diálogo constante da mente do ego e, ao mesmo tempo, ter a sua experiência plena de Reconexão com o seu Eu Superior.

Uma experiência não elimina a outra, e você pode abrir-se a um entendimento mais profundo do seu eu, da sua multidimensionalidade, e da atividade da sua mente do ego. Isso irá habilitar você a desenvolver uma relação de trabalho entre o seu aspecto humano e o seu Eu Superior. Este conhecimento do Eu dará suporte a você para finalmente ser capaz de ir adiante, além da sabotagem do seu aspecto humano. Criando novos tijolos para uma fundação cada vez mais profunda com o seu Eu Superior (…) Você está pronto agora!

Vamos ao processo simples de reconexão com a sua ferramenta multidimensional do seu coração.

PROCESSO

1. Sempre use a Respiração Consciente para entrar em seu Coração (inspire e expire pela boca).

2. Sempre tenha as palmas das suas mãos abertas sobre o seu peito. Saiba que toda a área do peito é o seu Espaço do Coração.

3. Traga a sua consciência para suas mãos sobre o seu peito, e então use a Respiração Consciente. Respire onde as suas mãos estão fisicamente conectadas com o seu Espaço do Coração. Faça o processo algumas vezes até sentir, perceber ou ver uma conexão mais profunda se abrindo.

4. Agora traga o Som ESTE (pronuncia-se ÉSTEI). Direcione o Som para dentro da abertura do seu Coração. Continue usando o Som enquanto o Coração continuar a abrir-se ativamente para você. Use este Som até que sinta, perceba ou veja toda a abertura dentro do seu Coração.

5. Então pare. Traga a sua consciência para dentro de onde você se encontrar. Pode ser um lugar pouco familiar. Use a Respiração Consciente para dentro do Espaço, e sinta como a sua respiração alinha você mais profundamente dentro do Espaço Multidimensional do seu Coração.

6. Simplesmente abra-se para a experiência do seu Eu, use a respiração e solte. Quanto mais você fizer este processo, mais você irá desenvolver-se dentro do seu Eu Superior. Esta é a sua hora de liberar o seu eu humano.

Celebre a sua humanidade, as suas imperfeições e suas idiossincrasias. Nós lembramos você, mais uma vez, que você veio para ter a sua experiência humana enquanto se realinha conscientemente com a sua natureza sagrada. Esta é a sua missão nesta vida!

A Terceira Fase Transicional apenas começou no planeta Terra, e você pode esperar a ativação de uma série adicional de Reconexões Profundas nos próximos meses.

Nós, os Pleiadianos, somos parte de um Time Universal dando assistência à Terra. Saiba que há muitos Grupos de Força de Vida dando suporte à sua transição neste momento. Os Reinos Espirituais estão tendo papel essencial em sua transição. Você pode invocar qualquer um de nós para dar suporte através do espaço do coração.

Bênçãos, Os Pleiadianos – Por Christine Day

Publicado originalmente em inglês no endereço:

http://www.edgemagazine.net/2018/06/a-pleiadian-message-coming-soon-profound-reconnections/

Tradução para o português no endereço:

http://christineday.wixsite.com/portugues/mensagem-dos-pleiadianos-junho2018