Artigos, Terapias Integrativas

Homeopatia: Uma Terapêutica Preventiva em Tempos de Pandemia

Junto às Terapias e Práticas Integrativas e Complementares em Saúde, a Homeopatia já está sendo uma grande aliada nas ações de prevenção ao Covid, uma vez que existem compostos específicos para auxiliar no fortalecimento do sistema imunológico e no equilíbrio da saúde integral do ser: física, mental e emocional. A Índia desponta nesse quesito e, quem sabe, seus resultados possam servir de exemplo para o Brasil, tendo em vista nosso país já ter abraçado a medicina tradicional indiana (Ayurveda) nos tratamentos alternativos e complementares em saúde.

Voltando um pouco na linha temporal histórica, a Homeopatia foi uma terapêutica criada no século XVIII, em 1796, pelo médico alemão Samuel Hahnemann. Mesmo com de mais de 300 milhões de usuários pelo mundo, ainda é pouco conhecida, seja por mito, preconceito ou falta de conhecimento. Esse método terapêutico surgiu quando Hahnemann decide deixar de lado a medicina da época, por entender que as práticas utilizadas não cumpriam a totalidade e o real papel da missão que ele assumira: aliviar o sofrimento e curar pessoas.

Foi traduzindo um texto do Dr. Cullen sobre Cinchona Officinalis (uma árvore da América do Sul chamada Quinquina ou “Casca do Peru”, de onde provém o quinino), cuja visão discordava das opiniões do autor, que Hahnemann resolveu fazer uma experimentação em si mesmo. Ao ingerir pequenas gramas de quinina, teve sintomas semelhantes aos da malária, cessados após suspender o uso. Através desta e inúmeros outros testes, surgia a “Teoria dos Semelhantes”, dando-se início o legado precioso do “Pai da Homeopatia”.

A “Lei dos Semelhantes” nos ensina que toda substância capaz de provocar determinados sintomas numa pessoa sadia também é capaz de curar sintomas semelhantes em uma pessoa doente. Nesse contexto, é importante mencionar que o medicamento homeopático não promove a cura propriamente dita, mas sim ajuda o organismo a realizá-la, uma vez que é naturalmente capaz de restabelecer a saúde desde que esteja equilibrado.

Há um termo chamado de Homeoprofilaxia: profilaxia = medida preventiva de saúde com o uso de homeopatia. Quando se fala nessa ação diante de casos diagnosticados positivos para Covid ou outras viroses, não estamos falando em vacina, nem tampouco em evitar o contágio. Mas sim quanto ao seu uso como fortalecedor do organismo, estimulando a energia vital e o equilíbrio bioenergético, responsável por manter nosso organismo em harmonia, assim como vitalizando nossas funções orgânicas.

A homeopatia age como um grande ativador do sistema imunológico, fazendo com que o organismo busque a normalidade, ou seja, a saúde. Nós fomos criados saudáveis e quando algo desequilibra essa “balança orgânica” – incluindo aqui aspectos psicossomáticos, do ambiente onde vivemos, da família e pessoas com as quais convivemos, dos efeitos de estresse, insônia, angústia e medo, ansiedade e depressão, entre outros – o resultado é o aparecimento de sintomas desarmônicos e, em consequência, o surgimento de doenças.

Hahnemann teve participação importante em epidemias, onde com sucesso viu sua técnica fortalecer a saúde e evitar inúmeras mortes na época. Neste contexto, instituiu-se o conceito do “gênio epidêmico”, onde sua busca passa pelo apanhado de sintomas apresentados com maior incidência na população em análise. Estes sintomas mais comuns são parâmetros para a escolha do medicamento que mais abranja sua totalidade. Atualmente, frente à pandemia do Covid, grupos de homeopatas do mundo todo estão trabalhando na busca por este medicamento.

Um país de destaque na prevenção com uso de homeopatia é a Índia. Lá a homeopatia representa grande parte da terapêutica. O governo indiano promove, desde fevereiro deste ano, a distribuição de medicamentos homeopáticos à população, trabalhando a homeoprofilaxia, obtendo resultados expressivos no quesito contágio e também na recuperação de enfermos – lembrando que a Índia é o segundo país mais populoso do planeta (em torno de 1,39 bilhões), fazendo fronteira com a China (1,41 bilhões), epicentro do Covid.

Diversos protocolos no mundo estão em fase de implantação e acompanhamento. Aqui no Brasil, profissionais homeopatas ligados a AMHB (Associação Médica Homeopática Brasileira), ABRAH (Associação Brasileira de Reciclagem e Assistência em Homeopatia), ABFH (Associação Brasileira de Farmacêuticos Homeopatas), IHGG (Instituto Hahnemanniano George Galvão), entre outros, estão trabalhando fortemente na busca da melhor alternativa terapêutica.

O conceito de “gênio epidêmico” envolve uma série de fatores que podem ainda ser influenciados pelo tempo e pela região de atuação do vírus, sejam ambientais, nutricionais ou genéticos, além da possível mutação viral. Esta é, sem dúvida, a maior dificuldade dos homeopatas: chegarem a um consenso de medicamento único.

Os homeopatas no Brasil estão trabalhando com um grupo de 5 a 6 medicamentos que atendem aos requisitos deste conceito. Entretanto, por se tratar de uma epidemia que ainda está longe de ser conhecida na sua totalidade, muito estudo ainda precisa ser feito para se chegar ao medicamento único. Torcemos para alcançar esse objetivo!

Considerando as opções que temos no atual modelo terapêutico da medicina alopática, onde a corrida por uma vacina, medicamentos alopáticos e tratamentos diversos tentam ser validados, o uso da Homeoprofilaxia no Covid se constitui importante aliada na saúde geral das pessoas. A homeopatia pode ser utilizada concomitantemente com qualquer outro tratamento, assim como por qualquer pessoa, de qualquer idade.

A Homeopatia no Brasil é considerada uma especialidade médica, farmacêutica, veterinária e odontológica, certificada nos seus respectivos conselhos e instituições de classe. Contudo, já existem no mercado cursos de especialização e pós-graduação para aqueles que desejam formar-se como homeopatas prescritores ou não-médicos, de forma a estarem habilitados para exercer a profissão com responsabilidade e segurança. A diferença é que, neste segundo caso, não estão envolvidos os tratamentos de doenças crônicas e graves – casos em que somente médicos estão aptos – por essa razão, a ênfase dos tratamentos homeopáticos é sempre trabalhar com a prevenção.

Também já existem no mercado medicamentos homeopáticos autorizados pela Anvisa (Agência de Vigilância Sanitária) para serem prescritos por profissionais habilitados sem necessidade de prescrição médica, uma vez que seus compostos possuem dosagens mínimas e seguras para o uso da população. Esses medicamentos podem ser encontrados prontos, produzidos por laboratórios especializados como: Weleda, Boiron, Schreber, Klein ou Vidora e Almeida Prado, ou devem ser prescritos para serem aviados em farmácias de manipulação. Da mesma forma, o Sistema Único de Saúde (SUS) já conta com a modalidade de Homeopatia dentro do rol das Práticas Integrativas e Complementares de forma gratuita.

Assim, enquanto o objetivo de alcance de um medicamento homeopático único permanece em estudo e análise, sigamos trabalhando com a vasta e poderosa alquimia que o “Pai da Homeopatia” nos deixou como legado. Sigamos unindo a sabedoria e os princípios norteadores das medicinas tradicionais, preventivas e ancestrais com o conhecimento profícuo da ciência da atualidade.

Luciane Strähuber – Terapeuta, Consultora e Educadora da Terapêutica Integrada

Fonte complementar da notícia: Blog Farmácia Quiron

Quer saber mais e realizar um tratamento terapêutico e homeopático preventivo? Entre em contato para uma consultoria e aconselhamento terapêutico. Terei o prazer em atender você nesse momento desafiador.

Deixe um comentário com amor!

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.