Artigos, Feminino Sagrado, Filmes, Vídeos e Documentários

Consciência Negra: Raízes além do tempo e da cor da pele

(Foto: Okoye – Pantera Negra/ Atriz: Danai Gurira)

“Devemos encontrar uma maneira de cuidar uns dos outros, como se fossemos uma só tribo.” – T’Challa, Pantera Negra

Após a estréia do filme Pantera Negra (Black Panther) e o hype eletrizante que se formou ao redor deleeste artigo está finalmente pronto para nascer! Seguindo as pesquisas de Filmes, Séries e Documentários que focam no essencial, o olhar agora vai para um tema socialmente importante: a Consciência Negra, um termo que pode ser substituído com o tempo por Consciência Humana.

Inicio este post fazendo menção ao filme porque é a primeira vez na história do cinema onde a produção, a trilha sonora e o elenco principal são formados, na sua maioria, pela negritude empoderada e, mais importante do que isso, a lembrança de algo que ficou esquecido no tempo: a força, a inteligência e a sabedoria advinda dessas raízes!

Mesmo sendo um filme com alguns clichês que ainda correm nas veias cinematográficas, o que chama a atenção é que, ao contrário da maioria dos filmes sobre o tema, cujos assuntos corriqueiramente tratam da memória da dor, do preconceito, da escravidão, dos abusos, da opressão, da exclusão social – e não que não tenham que ser mencionados ou que sejam menos relevantes – Pantera Negra abre uma janela para a entrada dos raios de sol. Esses raios de luz vem para nos relembrar sobre uma rica semente original que, ao longo da história, recebeu camadas e camadas de dor e sofrimento, onde os próprios detentores desta semente esqueceram-se dela.

(Foto: Nakia – Pantera Negra/ Atriz: Lupita Nyong’o)

“Eu tenho um sonho. O sonho de ver meus filhos julgados por sua personalidade, não pela cor de sua pele.” – Marthin Luther King

O filme pode ser um marco social porque nos convida a mudar o ponto de vista, levando nossa atenção para o tanto que ainda precisamos construir em prol de um mundo mais igualitário; para começarmos a plantar novas sementes que resultarão em raízes mais fortes, com novas programações e intenções: o incentivo à inclusão social, o respeito às diferenças, a valorização de quem você é e não do que desejam que você seja, a revolução interior proposta pelas novas gerações para que mudanças maiores aconteçam, a voz ativa do feminino sagrado e o seu empoderamento consciente, a honra à sabedoria provinda dos ancestrais e a necessidade de evoluirmos crenças obsoletas que herdamos, as novas tecnologias e o poder de nações de primeiro mundo usados para auxiliar o desenvolvimento de nações de terceiro mundo. Por essa razão, entre outras considerações, está sendo considerado um filme político.

Ao longo dessa pesquisa, sugiro uma lista de filmes mais atuais, selecionados com relevância nos aspectos histórico, social, político e humanitário, objetivando o contínuo aprofundamento de temas relacionados, muitos ainda desconhecidos por boa parte das pessoas porque acreditam que são “coisas do passado”, quando na verdade o passado ainda habita no presente através dos ecos de dor deixados nos túneis do tempo da humanidade.

“Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor da pele. Para odiar, as pessoas precisam aprender, e se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar.”

– Nelson Mandela – 

Faça a sua parte e divulgue para os seus amigos, colegas, familiares, conhecidos. Crie grupos de discussão em sua comunidade, nas redes sociais, no seu bairro. Apóie movimentos que incentivem a inclusão social, principalmente no que tange às crianças carentes, como este exemplo belíssimo que foi iniciado com a estréia de Pantera Negra: crianças da periferia de grandes cidades sendo levadas aos cinemas. Nos EUA, a campanha que deu início ao projeto #BlackPantherChallenge já arrecadou US$ 40 mil dólares no GoFundMe para levar crianças carentes do Harlem – maior bairro negro da cidade de Georgia – para assistir o filme. Esses “pequenos grandes” movimentos podem ditar uma profunda mudança social a partir das novas gerações, o nosso futuro: as nossas crianças. Gentileza gera gentileza: é viral!

(Foto: Waris Dirie – Flor do Deserto)

Que possamos, a partir de novas visões, novas crenças, novos pensamentos e ações, contribuir para “reescrever” a nossa história e equalizar tantas diferenças, ainda absurdamente reais, exemplo visto no filme Flor do Deserto, que trata da autobiografia da modelo somali Waris Dirie, circuncisada aos 5 anos e vendida pelos pais para casar aos 13. Waris foge da Somália para os Estados Unidos, onde torna-se uma Top Model mundialmente conhecida, despertando para o real compromisso da sua alma: ser embaixadora da ONU para os casos de mutilação feminina.

A semente original dessas raízes ancestrais e a sabedoria que elas trazem podem não estar no sangue de muitos, mas inegavelmente estão na raiz do nosso DNA, no solo do planeta, na herança ancestral de vidas passadas que tivemos e, muitas vezes, em terras que habitamos no agora, cujas memórias ainda vibram em nosso subconsciente, em nossos sonhos, em nossa alma e coração. Namastê! ❤

FILMES BIOGRÁFICOS/ HISTÓRICOS/ INSPIRADOS EM FATOS REAIS

  • Pantera Negra – (Filme Marvel / 2018)
  • Estrelas Além do Tempo/ “Hidden Figures” (Filme/ Biografia – 2017)
  • Sob a Luz do Luar/ “Moon Light” (Filme – 2016)
  • Raça (Filme/ Biografia – 2016)
  • Raízes/ “Roots” (Minissérie – 2016)
  • Luke Cage (Série/ Netflix – 2016) – Temporada 1 e 2
  • Selma: Uma luta pela igualdade (Filme Histórico – 2015)
  • 12 Anos de Escravidão (Filme/ Biografia/ História – 2014)
  • Mandela: O Caminho para a Liberdade (Filme – 2013)
  • Flor do Deserto (Filme/ Biografia – 2010)
  • Cadillac Records (Filme/ Biografia/ História – 2009)
  • RAY (Filme/ Biografia do Cantor Ray Charles – 2005)
  • Histórias Cruzadas (Filme – 2004)
  • The Green Mile (Filme – 1999)
  • Amistad (Filme Histórico – 1997)
  • Malcom X (Filme/ Biografia – 1993)
  • A Cor Púrpura (Filme/ Clássico do Cinema – 1985)

DOCUMENTÁRIOS

  • Permanecendo em Pé/ “Standing Tall” (Documentário/ Netflix – 2018)
  • A Maçã de Eva (Documentário Netflix/ 2018)
  • Eu Não Sou Seu Negro (Documentário – 2017)
  • What Happened Miss Simone? (Documentário Netflix/ Biografia – 2015)
  • Libertem Angela Davis (Documentário – 2014)
  • Imba Means Sing – (Documentário/ Netflix – 2017) : Conheça as esperanças, os sonhos e os desafios de três crianças de Uganda que viajam o mundo com um coro de crianças africanas. Assista o Trailer:
  • “Maria Prean – a vida está ficando melhor” (Documentário/ 2011 – disponível apenas para comprar, mas com trechos de entrevistas no You Tube – apenas em alemão). Um documentário corajoso sobre uma mulher que não aceita fronteiras aparentemente intransponíveis e dirige-se resoluta ao seu próprio caminho, criando projetos-escola para crianças carentes na África. Assista o Trailer:

Fonte Complementar: FILMOW Rede Social – Listas de Filmes, Séries e Documentários sobre a Consciência Negra

Anúncios

Um comentário em “Consciência Negra: Raízes além do tempo e da cor da pele”

Os comentários estão encerrados.