Artigos, Feminino Sagrado, Filmes, Vídeos e Documentários

Filmes, Documentários e Séries de TV que abordam o Feminino Sagrado – Parte 2

Mulher Maravilha

A pedido das internautas que acompanharam o artigo anterior dos filmes que abordam o Feminino Sagrado, e tendo em vista os muitos relatos e comentários recebidos a respeito, segue mais uma lista de filmes, documentários e séries de TV que selecionei para complementar o tema, do meu ponto de vista como mulher e terapeuta holística deste magnífico Feminino que nos rege, nos guia e forma nossa essência divina, fortalecendo nosso poder interior e pessoal.

No artigo anterior, escrito há mais de três anos, havia mencionado o quanto ainda era pequeno o campo de atuação de filmes que abordassem o tema de forma positiva, culminando no sacro-ofício através da evolução desse Eu Feminino, sagrado pelo caminho do amor. Felizmente e com otimismo, pesquisando e acompanhando este campo de atuação através de filmes no Cinema, Documentários simples ou mais elaborados e em séries de TV, o assunto tem crescido gradativamente, com um número muito grande de mulheres questionando empresas como a Marvel diante do porquê de haverem mais filmes de heróis do que heroínas, e isso é um ótimo indício, num momento da humanidade que as vozes de muitas mulheres já não estão mais caladas perante os valores machistas/ paternalistas que ainda tentam imperar como reais e melhores, subjugando a figura feminina.

No contexto do cinema, ainda aguardo otimista o filme da Mulher Maravilha, previsto para 2017, que pode representar o arquétipo perfeito da heroína que tem tudo para iniciar a abertura de novas portas, a semeadura de novas sementes que irão nutrir o terreno fértil do sagrado feminino. A Mulher Maravilha, já apresentada apenas num teaser no filme Batman X Superman, além de roubar as cenas pela sua marcante aparição, teve a maioria dos fãs dos heróis mencionados esperando vê-la, o que significa que não são apenas mulheres que esperam ansiosamente por uma nova fase de heroínas.

A esta nova fase, não me refiro àquelas que ainda estão tendo que iniciar suas jornadas através dos seus femininos sagrados corrompidos – o que não significa que sejam menos importantes quando existe a evolução do personagem, nesse caso: a Série de TV Jéssica Jones, os filmes Lucy e Mad Max (2015), na personagem da Sacerdotisa Furiossa, com os devidos filtros em função da violência gratuita. Me refiro sim àquelas que, mesmo com as provas da vida, as dificuldades, os conflitos, os traumas, os sofrimentos vivenciados e as cicatrizes colecionadas, ainda assim, nunca deixaram de manter acesa a chama do que é sagrado dentro de si: o auto-amor e o amor ao próximo como seu irmão de alma, a voz da intuição, o poder interior que vem da alma, o instinto natural de preservação e proteção como guardiãs da Vida, a percepção apurada e o sexto sentido, a autoconfiança, o pulsar e a voz do coração que sempre mostra os caminhos para que estejamos nos trilhos que permeiam nossas verdades existenciais, nossos valores, moral, e ética, a conexão com a sabedoria ancestral da alma.

Penso que precisamos sim reconhecer nossas cicatrizes para nos fortalecermos, crescermos com elas, pois são os resultados de toda a nossa experiência de vida e, ao mesmo tempo, sabermos integrar esta energia para nos tornarmos ainda mais plenas, enraizadas e fortes em nossa jornada de evolução.
Entretanto, acredito ser importante esclarecer sobre a “dor”, uma vez que a menção ao seu significado neste e no artigo anterior não está relacionado ao fato de rejeitá-la, mas sim às programações mentais e às mensagens subliminares ainda ditadas pela sociedade paternalista em que vivemos, seja por meio das mídias de comunicação e pelas redes sociais, seja pelas empresas ou outro meio de convivência social.

Um exemplo disso, algo que está gerando discussões para que haja uma mudança a respeito, é o fato de que muitas atrizes de Hollywood ainda ganham metade do salário em comparação ao seu colegas homens, trabalhando na mesma proporção ou mais. Assim, a mensagem que procuro passar aqui é apenas quanto à importância de nosso papel em equilibrar este Feminino Sagrado no planeta e começar a plantar sementes, atitudes, sentimentos, pensamentos e ações de amor, mesmo que possam parecer pequenas, mas cada uma fazendo a sua parte, auxiliamos a descortinar esses véus de Maia para que tenhamos um mundo mais justo e solidário, incentivando mais e mais mulheres, e homens também, a viverem o verdadeiro significado do sacro-ofício, e como guardiãs, gestando e cuidando da VIDA em todos os níveis de consciência!

Ainda neste contexto do feminino corrompido, tenho assistido documentários muito maduros e realistas que nos levam a um “arco positivo” ao longo da narrativa, mostrando como mulheres que foram usurpadas ou violentadas nos princípios do seu Eu Feminino deram a volta por cima para vencer situações como abortos obrigados, abusos, estupro, prostituição, contrabando de mulheres, escravidão sexual entre outros temas que já não estão mais escondidos, que já não são mais um tabu, proibidos de serem mencionados, mesmo que ainda seja uma realidade totalmente desconhecida para muitas mulheres.

Estes temas, farei questão de abordar em outro artigo, mostrando outra face desta moeda que ainda precisa ser divulgada, porque todas somos uma: nossos úteros se interconectam como antenas de “Wi-Fi”, mesmo que separadas por grandes distâncias, porque a Consciência Feminina, Materna, Amorosa e Sagrada deste planeta é uma só! Conheça-se! Desbrave o território sagrado que existe em você! Cure-se! Este poder do Sagrado Feminino habita há milênios dentro de nós e está a sua espera para ser despertado, fortalecido e compartilhado! 😉

Filmes:

  • Star Wars – Episódio VII: O Despertar da Força – Personagem: Ray (Daisy Ridley)
  • Senhor do Anéis – Personagem: Galadriel (Cate Blanchet)/ Arwen (Liv Tayler)
  • Malévola/ Maleficent – Personagem: Angelina Jolie
  • Brave (Valente) – Personagem: Princesa Merida
  • Song of the Sea (A Canção do Oceano) – Personagem: Saoirse
  • Gravidade – Personagem: Dra. Ryan Stone (Sandra Bullock)
  • Ex-Máquina – Personagem: Ava (Alicia Vikander)
  • X-Men: Dias de um Futuro Esquecido – Personagem: Orôro – Tempestade (Halle Berry), Mystica (Jennifer Lawrence) e Blinck (Guardiã de Portais Interdimensionais)
  • Fonte da Vida/ The Fountain – Personagem: Izzy (Rachel Weisz)
  • Jogos Vorazes – Personagem: Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence)
  • Matrix e Animatrix – Personagem: Trinity (entretanto, guardiãs mencionadas ainda se sacrificam para proteger o feminino sagrado)
  • Cloud Atlas (A Viagem) – Personagem: Sonmi (Bae Doona) e Meronym (Halle Berry)
  • O Tigre e o Dragão 1 e 2 – Personagem: Yu Shu Lien (Michelle Yeoh)
  • Thor 1 e 2 – Personagem: Lady Sif (Jaimie Alexander)
  • Comer, Rezar, Amar – Personagem: Elizabeth (Julia Roberts): cliché, mas pode representar o início da jornada do feminino através do autoconhecimento
  • As Horas
  • Tomates Verdes Fritos
  • Para sempre Alice
  • Sob o Sol da Toscana
  • Como água para chocolate
  • A Fonte das Mulheres

Filmes para os próximos anos:

  • Junho/ 2017Mulher Maravilha – Personagem: Diana Prince (Gal Gadot)
  • Julho/ 2018 – A Vespa (Ant-Man and Wasp) – Personagem: Hope Van Dyne (Evangeline Lilly)
  • Fevereiro/ 2019Captain Marvel (Capitã Marvel: Guardiã da Terra)

Séries de TV:

  • Agents of Shield (Série na Netflix) – Personagem: Sky/ Daisy (Cloe Bennet)
  • Orphan Black (Série na Netflix) – Personagem: Cosima (Tatiana Maslany)
  • Sense 8 (Série na Netflix) – Personagens: Sun Bak (Bae Doona)/ Amanita (Freema Agyeman)
  • Demolidor (Daredevil – Série Netflix) – Personagem: Karen Page (Deborah Ann Woll)
  • Fringe – Personagem: Olivia Dunham (Ana Torv)

Documentários:

  • O Renascimento do Parto 1 (2012) – Assistir online: O Renascimento do Parto – O Filme
  • O Renascimento do Parto 2 (Promocional – 2016): Assistir no You Tube: O Renascimento do Parto 2_Promocional
  • O Resgate do Feminino Sagrado (2014) – trabalho de conclusão do curso de pós-graduação em Psicologia Transpessoal pelo CLASI. Para assistir no You Tube, clique aqui: O Resgate do Feminino Sagrado
  • A Voz das Avós – No Fluir das Águas. Para assistir e saber mais, acesse o link do Blog: Filme e Projeto: A Voz das Avós
  • FEMME (2013) – Women healing the World: uma viagem inspiradora sobre mulheres de todo o mundo que estão transformando e curando a sociedade a nível global. Trailler somente em inglês: FEMME Trailler Oficial Este filme não está disponível na internet em português.
  • Benzedeiras – Ofício Tradicional (2015). Assista pelo You Tube aqui: Benzedeiras Quem já teve uma avó benzedeira, é lindo pela humildade, amorosidade e simplicidade!

Leia mais aquiFilmes que abordam o Feminino Sagrado: cura para o inconsciente – Parte 1

 

Anúncios

5 comentários em “Filmes, Documentários e Séries de TV que abordam o Feminino Sagrado – Parte 2”

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s