Artigos, Terapias Integrativas

Escalda-pés: uma prática milenar, terapêutica e restauradora

escalda-pes-beleza

Segundo a Medicina Tradicional Chinesa, baseada no equilíbrio da polaridade Yin e Yang, o escalda-pés é uma prática muito antiga e auxilia a distribuir essa energia yang – na cabeça – para a extremidade fria, os pés – energia yin. Esse equilíbrio energético funciona muito bem quando se está cansado, estressado, com fadiga física ou mental, sendo um excelente remédio para aliviar dores de cabeça, cansaço, tensões musculares, preocupações, acalmar uma mente muito inquieta, insônia, excitação nervosa, irritabilidade, impaciência, problemas respiratórios e depressão.

Antigamente, o principal objetivo do escalda-pés era aquecer os pés e tirar a friagem após uma caminhada em dias muito frios, exposição à chuva, nos casos de gripes, resfriados e dores articulares. Na Medicina Chinesa, quando os pés estão bem aquecidos é um sinal de saúde, significando que a energia está circulando bem. Nesse sentido, o escalda-pés age positivamente no seguinte princípio: o bem-estar acontece quando temos os pés quentes e a cabeça fria! Portanto, pode ser realizado sem restrições quanto à periodicidade, somente sendo contra-indicado para casos de diabetes, arteriosclerose ou doença de Buerger – afeta os vasos sanguíneos das mãos, braços, pernas e pés, provocando o seu inchaço e impedindo a circulação do sangue, isquemia.

De minha parte, conheci essa prática desde criança, já utilizada por ambas avós como uma forma de terapia preventiva para manter a saúde, principalmente no período de inverno. Quando em dias muito frios e com muita chuva, era comum chegarmos da escola e já vermos a avó preparando uma bacia de água quente com sal grosso para aquecer os pés. Junto disso, às vezes uma coberta quentinha e um composto de ervas forte que tomávamos apenas poucos goles para evitar gripes e resfriados.

Já na Medicina Ayurvédica ou Indiana, ele é extremamente benéfico para as pessoas do tipo ou dosha Vata, que geralmente possuem os pés e extremidades mais frias no inverno, ajustando o equilíbrio energético do corpo e ativando a circulação sanguínea das extremidades. Poucas pessoas lembram que os pés são a base de sustentação do corpo. Com base na reflexologia, eles são o mapa de todos os nossos órgãos.Tratando-os de maneira correta, é possível obter muitos benefícios para o organismo em vários níveis. Nossos pés têm uma importância fundamental para nosso corpo e nossas vidas. Fortes e ao mesmo tempo delicados, eles estão expostos a um esforço incrível: estimam-se mais de 20 mil passos por dia e uma carga diária de 100 toneladas.escalda-pés benefícios

Conta a história que o Escalda-pés já era utilizado para efeito de limpeza e relaxamento há 6 mil anos, mais conhecido como Lava-Pés. Há uma passagem bíblica que envolve esta prática. No Cenáculo, durante a Ceia Pascal, Jesus como Mestre e Senhor, despoja-se do manto, pega uma bacia e põe-se a lavar os pés dos discípulos. Na tradição judaica, oferecer água para lavar os pés era sinal de hospitalidade e acolhida, um ato geralmente realizado por escravos, empregados ou pessoas que cometiam delitos. Jesus, com este gesto, reverencia seus convidados e deixa uma mensagem de humildade.

Portanto, colocar num recipiente sal marinho, ervas, óleos essenciais, algumas pedrinhas, pequenos cristais polidos/ arredondados ou mesmo bolinhas de gude proporcionam uma ótima massagem na planta dos pés, de forma a pressioná-los levemente sobre estes pequenos objetos, realizando movimentos circulares. Graças aos sais e ativos naturais dissolvidos juntos ao calor da água, os músculos e a cabeça sentem grande alívio, promovendo uma limpeza energética ao descarregar toda a tensão elétrica do corpo. Imediatamente, os poros dilatam, a circulação é ativada e a mente relaxa. A indicação é realizar essa terapêutica uma ou duas vezes por semana, com a temperatura adequada, medindo o calor na água de acordo com a sensibilidade da sua pele: nem muito fria, nem muito quente.

São coisas simples que você pode fazer em casa. Esta receita tradicional com as pedrinhas ou bolinhas de gude ajuda a aliviar a pressão dos pés, descansar as pernas, reduzir calos e aliviar o estresse do dia-a-dia. De acordo com a acupuntura, nos pés estão cerca de 70 mil terminações ou pontos nervosos que estão associados aos diversos órgãos do corpo humano. Portanto, a pressão e o aquecimento desses pontos causam um reflexo imediato na parte física e também no equilíbrio energético de todo o corpo.

escalda-pés dragão tatoo

Mergulhar os pés numa bacia com água morna-quente deve ser realizado até ou passando um pouco a altura dos tornozelos – pedilúvio – por 15 minutos, no mínimo, e não ultrapassando 25 minutos, a fim de que as toxinas não retornem ao corpo, no caso de escalda-pés para desintoxicação. Por outro lado, se o objetivo for energizar-se e descarregar o excesso de energia elétrica do corpo, o tempo estimado é determinado pela sua intuição e pela sensação de leveza e bem estar sentida. Assim, você pode acrescentar na água diferentes elementos que, quando combinados, tem como resultado um trabalho mais eficiente:

  1. Sal grosso ou fino (de preferência o marinho porque contém minerais que não se encontram no sal refinado) duas colheres (sopa): proporcionam sensação de leveza nos pés, ajudando a drenar o excesso de líquidos e reduzir o inchaço. Repetir esse escalda-pés três vezes por semana também combate infecções causadas por fungos. Você pode utilizar qualquer tipo de sal grosso, já que hoje temos diferentes tipos de sal no mercado. Os mais comumentes encontrados são o sal grosso marinho ou do himalaya (sal rosa).
  2. Óleos essenciais – Pingue de 3 a 8 gotas, em média, para 2 litros de água. Dependendo, quando os óleos são mais fortes e resinosos, 3 gotas já são o suficiente.
  3. Eucalipto e Hortelã: combatem cansaço e livram as pernas da sensação de peso, além de auxiliar nos problemas respiratórios – eucalipto glóbulos;
  4. Arnica ou Laranja amarga/ doce: para reduzir o inchaço e relaxar; Aqui, você também pode optar pelas cascas de laranja doce, dando preferência para as orgânicas. Geralmente, antes de usá-las no escalda-pés, deixo-as secando de forma natural e guardo-as bem fechadas para não entrarem em contato com umidade, evitando o mofo.
  5. Lavanda (qualquer quimiotipo) e Tea Tree: são relaxantes, regeneradores celulares e podem curar frieiras, pois são fungicidas, bactericidas e cicatrizantes;
  6. Calêndula (óleo ou flores): ajuda na circulação, nos problemas de varizes.
  7. Alecrim (óleo ou erva) trazem bem estar, alegria, e disposição.
  8. Manjericão (óleo ou folhas): é estimulante e tonificante para os nervos, alivia os sintomas de cabeça pesada, descongestionante.
  9. Capim limão (óleo ou folhas de capim-cidró ou cidreira): calmante, descongestionante, relaxante.
  10. Sálvia branca ou sálvia officinalis (óleo ou folhas): como tônico, antidepressivo, baixa a pressão e equilibra a circulação, renova a pele.
  11. Pétalas de rosa vermelha, rosa magenta, hibisco: flores de cores quentes ativam nossa energia vital. Podem ser acrescentadas para trazer mais vitalidade quando nos sentimos muito exauridos. Ideal usá-las durante períodos do dia.
  12. Pétalas de rosa branca, rosa cor-de-rosa, lilás e amarela clara; flores brancas: flores de tonalidades claras relaxam e acalmam, podendo ser usadas para trazer centramento, harmonia e paz interior.
  13. Raízes (rizomas ou em pó) – gengibre, curry/cúrcuma, açafrão, priprioca, bardana, entre outros: podem ser utilizados para retirar dores no corpo que estão enraizadas por aspectos emocionais – geralmente psicossomáticas – e também para nos “enraizar” quando nos sentimos “avoados”, aqueles dias em que tropeçamos ou batemos em tudo, um exemplo para nos mostrar que não estamos no nosso centro. Esse trabalho pode ser feito colocando poucos pedaços dessas raízes na água, inclusive para trabalhar, a médio e longo prazo, aspectos emocionais que envolvam padrões e crenças que nos limitam, nos bloqueiam ou que temos dificuldade de modificar, sejam herdados pelas nossas raízes ancestrais, sejam atraídos ou desenvolvidos por nós ao longo da vida, enraizados no nosso mental e emocional. Aqui, procure posicionar a sola dos pés sobre as raízes, intencionando o que você gostaria de modificar. Faça essa prática várias vezes, como um tratamento complementar.
  14. Argila em pedaços: outra coisa muito importante que costumo indicar é a argila, de preferência aquela avermelhada que encontramos em qualquer supermercado e lojas de utensílios artísticos – é possível encontrá-la mais limpa, sem muitos detritos. Esse tipo de argila auxilia na descarga elétrica do corpo e, ao mesmo tempo, na “recarga” de energias, uma vez que nos aproxima do contato com a terra. Indico-a, principalmente, para aquelas pessoas que não tem muito tempo para poder colocar os pés na terra e estar em contato com a natureza na sua pureza e plenitude. Procuro realizar, ao final do escalda-pés, massagens com essa argila e os óleos essenciais ao longo das pernas até os joelhos, outra forma de estimular a circulação e retirar as dores e cansaço. Se for do seu intento, podem ser usadas outros tipos de argila de acordo com o que você necessita, seja para relaxar ou estimular.

No caso das ervas ou folhas, devem ser maceradas carinhosamente na água para que soltem seus óleos essenciais. No caso da flores, coloque-as por último e mergulhe-as lentamente, misturando-as aos outros ingredientes. No caso da argila, dos cristais ou pedrinhas redondas e bolinhas de gude, posicione-os em pontos da sola dos pés que podem auxiliar a desobstruir rios energéticos do seu corpo – os meridianos – ou mesmo órgãos que podem estar sobrecarregados.

Mas, se não tiver conhecimento desses pontos, siga a intuição. O escalda-pés, nesse sentido, pode ser uma maravilhosa prática de meditação, onde você entra em contato consigo, silencia e purifica sua mente da agitação interna e se permite receber a energia da natureza e do cosmos, equilibrando seu campo eletromagnético.

Desfrute ao máximo dessa prática, tão benéfica e simples, mas profunda na sua atuação. Lembre-se de honrar todos os elementos e consciências elementais que residem na alquimia da natureza que você estará usando, mentalizando durante esses minutos sagrados o que você precisa. Dialogue com seu corpo, com seus órgãos, seus sistemas e células, e eles responderão ao seu pensamento com amor. Agradeça e sinta o resultado! Namaste! 😉

Luciane Strähuber – Educadora da Terapêutica Integrada – Atualizado em 25 de junho/2018)

Anúncios

9 comentários em “Escalda-pés: uma prática milenar, terapêutica e restauradora”

Deixe um comentário com amor!

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.