Paciência: o muro que te leva à liberdade

muro_liberdade

Uma das principais metas de toda pessoa espiritualizada é erradicar barreiras. E no entanto, paciência é a criação de uma barreira: uma barreira suave, mas implacável, dividindo o sentimento da expressão. Ela não é uma barreira morta, um muro de tijolos, mas algo vivo, construído sistematicamente por um longo período de tempo. Ela também é proteção.

De um lado, há o sentimento. Os sentimentos correm profundos e rápidos. Eles inundariam a vida se lhes déssemos um pouco de chance. Nade com eles e, embora possa haver euforia, pode haver também afogamento. Sem qualquer barreira, o sentimento encontra expressão instantânea. A vida torna-se, simplesmente, uma série de ações feitas sem critério, e o mesmo acontece com as palavras.

Para alguém com um mínimo senso de beleza e controle, tem que haver paciência no meio. A paciência não faz coisa alguma, não mais do que faz um muro, ela simplesmente desacelera você. Desacelerar a expressão é o primeiro passo para acelerar o progresso espiritual. Ao contrário de um muro, ela também abre sua visão, concede-lhe tempo para avaliar o futuro: para suavemente pensar.

Uma das formas mais desafiadoras para a paciência não são as outras pessoas, mas simplesmente nosso próprio corpo. Observe em que extensão a expressão verbal é ditada pelo estado do corpo; o corpo sente-se pesado, a mente sente-se pesada e as palavras caem como chumbo no ar; o corpo sente-se bem e a vida segue de acordo.

A paciência repele a doença. Ela surge entre as coisas, não atua, apenas está presente, como o muro ou como a forma tradicional da mãe protetora cuja mera presença oferece refúgio. E assim como uma criança, pode sentar-se no colo de uma mãe, do mesmo modo você pode sentar-se sobre o “muro” da paciência e apenas observar. Frequentemente, é perigoso fazer qualquer outra coisa.

Algumas vezes, a paciência faz com que você persista, leve adiante algo que você preferiria ver concluído. O muro, sempre silencioso, vira suas costas ao sentimento e simplesmente encara o futuro. Siga em frente. Se as mães parassem de incentivar seus filhos a caminhar, nós todos ainda estaríamos engatinhando. E, às vezes estamos, em nossas mentes. Então, paciência é uma medida maravilhosa contra a imprudência, mas ela também é um meio de encorajamento.

Meios e medidas são temporários. Um dia, o muro será derrubado. Quando os sentimentos tiverem crescido o bastante para serem dignos de expressão instantânea, este será o momento da liberdade. Para qualquer pessoa que esteja seguindo uma vida de espiritualidade, tornar-se completo é uma meta natural. Sem autocrítica, nem mesmo paciência, apenas alegria!

(Beleza Interior: o livro das virtudes – Anthea Church)       

Anúncios

Sobre Wohali Terapias

Educação Terapêutica Integrada

Publicado em 5 de janeiro de 2013, em Artigos. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: