Filmes que abordam o Feminino Sagrado: cura para o inconsciente – Parte 1

Em reflexão diante do que a mídia nos oferece em abordagem à imagem do Feminino Sagrado no cinema, infelizmente ainda se fala muito pouco nisso e os arquétipos do feminino sempre se encontram vibrando num mesmo padrão negativo, aquele de que toda a mulher para despertar a sua força, coragem, auto-estima, autoconfiança e amor próprio precisa sofrer, precisa ter passado pela dor ou pelo sacrifício. Sabemos que todo o aprendizado acontece através de um destes dois caminhos: a dor ou o amor. Entretanto, o resgate do Feminino Sagrado precisa começar a ser abordado pelo caminho do amor, por mais dores, sofrimentos e sacrifícios que aconteçam no caminho.

Diante desta reflexão, relembrei de filmes que assisti e que poderiam retratar este resgate através do amor e, por esta razão, já que são poucas as opções, decidi compartilhar para auxiliar no conhecimento deste novo ponto de vista, na dissolução destes padrões negativos no inconsciente feminino. Percebemos estes padrões quando assistimos a um filme de um diretor oriental, por exemplo, que desconstrói todos os padrões da visão de um diretor ocidental. É como se nosso mental já estivesse programado para identificar as próximas cenas, o que vai acontecer, e que só poderia ser através do medo, da dor e do sofrimento.

Quando assistimos a um filme com visão oriental percebemos que nada é como pensamos, que tudo se resolve de forma diferente ao esperado, e é aí que percebemos onde residem os padrões “programados” em nosso mental, programações já incutidas há muito tempo e que ainda se mantém. Isso significa dizer que o oriental vibra nas bases do amor para que este resgate aconteça, e o ocidental, nas bases da dor, perpetuando no inconsciente feminino a ideia de que a mulher ainda precisa ser submissa e manter adormecida a alma do feminino sagrado, aceitar esse sacrifício, como sempre ocorreu no passado, onde as mulheres não tinham espaço para existir e se expressar, onde aquelas que detinham maior conhecimento e sabedoria eram queimadas, julgadas e executadas.

Para exemplificar essa conclusão, relato alguns filmes que vieram em mente e que retratam alguns arquétipos do Feminino Sagrado, através de meu ponto de vista, pois todos envolvem algum despertar, transformação e evolução do feminino através do amor.

*A Vila; * A Dama da Água; * Contato; * A Rainha Vitória; * A Viagem de Chihiro; * Ponyo;  * A Lenda do Castelo Animado; * Meu Amigo Totoro; * A Branca de Neve e o Caçador; * O Senhor dos Anéis (As Elfas Galadriel e Arwen, e a Princesa Eowen) ; * Star Dust; * Brave; * Guerra nas Estrelas (Rainha Amidala, na 1a Trilogia e Léa, na 2a Trilogia); * O Tigre e o Dragão 1; * As Brumas de Avalon; * Avatar; * O Fabuloso Destino de Améli Poulain; * V de Vingança; * A Cela; * O Labirinto do Fauno; * O Segredo do Abismo

Para aqueles que desejam aprofundar este conhecimento, recomendo duas leituras fantásticas: A Deusa Interior, de Jennifer Barjer Woolger e Roger J. Woolger e Mulheres que Correm com os Lobos, de Clarissa Pínkola. Obras impagáveis e imprescindíveis para o trabalho de despertar e resgate do Eu Feminino Sagrado. Fica a dica! 😉

Leia mais aqui: Filmes que abordam o Feminino Sagrado – Parte 2

Anúncios

Sobre Wohali Terapias

Educação Terapêutica Integrada

Publicado em 28 de novembro de 2012, em Artigos, Feminino Sagrado, Filmes, Vídeos e Documentários. Adicione o link aos favoritos. 9 Comentários.

  1. Olá!! Gostaria de saber quais são os filmes que você, atualmente, acrescentaria à lista. Sou atriz e estou estudando o tema para uma peça. Logo, tenho muito interesse em assistir a esses filmes.

    Obrigada!

    Curtir

    • Olá, Jéssica! Tudo bem?

      Que legal seu contato e trabalho neste tema!
      Então, como a procura pelo tema deste Post tem sido grande, estamos para escrever outro atualizado, com uma lista de novos filmes e séries de TV.

      Nos comentários que seguem a publicação, algumas internautas complementaram suas opiniões com filmes bem legais, entre eles, muitos de minha lista.
      Assim, dê uma lida acima que você já pode ter uma boa base e aguarde que, em breve, o novo Post será publicado, ok?

      Que essas informações possam ser de grande valia para seu trabalho!

      Grande abraço e uma linda semana para vc! Grata pelo seu contato! 😉

      Curtir

  2. acrescentaria:
    1- As Horas
    2- Tomates Verdes Fritos
    3- Para sempre Alice
    4- Sob o Sol da Toscana (lindo)
    5- Comer, rezar, amar (clichê, porém desperta)
    6- Frances Ha
    7- Como água para chocolate (fala bastante de magia ancestral também)
    Bônus: Lola versus

    Curtir

  3. Geralmente os roteiros filmes americanos sao baseados no livro “A Jornada do Heroi”, do Campbell, por isso os protagonistas passam por tantos problemas e superações durante os filmes. Acredito q seja muito dificil encontrar algum filme que nao hava a evoluçao da personagem pela dor. E gosto de olhar a dor como algo natural do ser humano. As mulheres aprendem isso com o proprio corpo, a partir dos nossos ciclos naturais, carregados e descarregados de energia, menstruação, ovulação, menopausa, etc. No nosso estagio evolutivo, ainda não vejo como evoluirmos sem a dor e ao inves de rejeitá-la, seria mais sábio aceitá-lá, senti-la e sublimá-la.

    Curtir

    • Olá, Queridas Luciana, Eloise, Karina e Ieda!
      Gratidão pelos comentários que complementam o Post! Já fazem 3 anos que este artigo foi escrito, por esta razão, muitos filmes atuais que abordam o Feminino Sagrado não estão listados e, posso dizer que o cenário está se modificando, mesmo que lento, mas com destaque para figuras femininas importantes em filmes e séries de TV.
      Já estamos preparando mais Posts sobre o tema! Aguardem!
      Grande abraço! 😉

      Curtir

    • Olá, Ieda!
      Tudo bem? Com certeza, concordo com vc!
      Precisamos sim reconhecer nossas cicatrizes para nos fortalecermos, crescermos com elas, pois elas são os resultados de toda a nossa experiência de vida e, ao mesmo tempo, sabermos integrar esta energia para nos tornarmos ainda mais plenas, enraizadas e fortes em nossa jornada de evolução.
      Entretanto, o significado da “dor” mencionada no Post não está relacionado ao fato de rejeitá-la, mas sim às programações mentais e às mensagens subliminares ainda ditadas pela sociedade paternalista em que vivemos, seja por meio das mídias de comunicação, pelas redes sociais, seja pelas empresas ou outro meio de convivência social. Um exemplo disso, algo que está gerando discussões para que haja uma mudança a respeito é o fato de que muitas atrizes de Hollywood ainda ganham metade do salário em comparação ao seu colegas homens, trabalhando na mesma proporção ou mais…
      Assim, a mensagem a ser passada aqui é apenas quanto à importância de nosso papel em equilibrar este Feminino Sagrado no planeta e começar a plantar sementes, atitudes, pensamentos e ações de amor, mesmo que possam parecer pequenas, mas cada um fazendo a sua parte, auxiliamos a descortinar esses véus de Maia para que tenhamos um mundo mais justo e solidário, incentivando mais e mais mulheres e homens tbm a vivenciarem o verdadeiro significado do sacro-ofício, gestando e cuidando da VIDA em todos os níveis de consciência!
      Um grande a carinhoso abraço! Sigamos nessa jornada aprendendo sempre uns com os outros e nos apoiando! 😉

      Curtir

  1. Pingback: Filmes, Documentários e Séries de TV que abordam o Feminino Sagrado – Parte 2 | Wohali Terapias

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: