Artigos

Um despertar de consciência…

Um texto esclarecedor para o momento atual do planeta. Compartilho com o desejo que possa auxiliar a todos neste grande e luminoso despertar de consciência!

Mensagem de Sri Prem Baba

13 de Junho de 2012

Amigo Amado! Alegrias!

Estes são tempos sombrios. Para muitos parece que a fé, a alegria e o amor saíram de férias e não deixaram nem mesmo um telefone para contato. Por outro lado, vejo também muita gente feliz e parece que cada vez mais feliz. Tem sido curioso observar este contraste.

Quero dar um alento para aqueles que estão no vale da sombra da morte, e também instruir aqueles que no momento estão podendo estar no alto da montanha (…).

Como discursei em um de nossos encontros em Rishikesh, nesta última temporada (2011/2012), este seria um ano bastante desafiador. E ao que parece, ele está mesmo se revelando assim. A amplificação do coeficiente de luz ou aumento da consciência, devido a todos os fatores que temos discutido, tem possibilitado a percepção e, consequentemente, a ativação de sombras até então desconhecidas, gerando vários sintomas, sendo alguns deles difusos e estranhos.

Tenho recebido muitos pedidos de socorro. Muita gente desesperada, por não saber como lidar com os sintomas. Entre a variada gama de sintomatologia, posso citar os episódios de depressão – em alguns casos, aparentemente desconectado da situação de vida. E diria que em alguns casos, não tem conexão mesmo. São nuvens escuras que passam, mas que você facilmente conecta com sua história pessoal. Mas um pouco de observação distanciada, promove a percepção da desproporção. E nestes casos não parece proporcional, porque não é mesmo. Se você não consegue fazer a conexão entre tais episódios depressivos e sua situação de vida, desista de procurar. Sugiro que você desista até mesmo de tentar entender. Apenas observe de forma mais desapegada possível. A nuvem é sempre passageira.

A depressão passa. O que pode fazer com que ela permaneça por mais tempo, é a sua identificação e a procura de explicações. Não tente entender o lixo. Apenas varra a casa. Isso vai passar. E se você acredita que a depressão está mesmo relacionada com a sua situação de vida, ela também vai passar. Com a diferença que, neste caso, você precisa colaborar um pouco mais, e abrir mão da obstinação de querer que as coisas sejam do seu jeito. Aceite que nem tudo dá para ser do seu jeito. Aceite que a vida está querendo te levar para uma direção diferente da qual você tinha planejado. Mas isso não quer dizer que seja uma coisa ruim. Perceba que o medo está enraizado em crenças. Experimente brincar de “Que seja feita a vossa vontade!”.

Mesmo que implique em fracassos? Falências? Eu te pergunto: O que é o sucesso? Será que o que você acredita ser o sucesso, é mesmo o sucesso? Abra-se para novas possibilidades de encarar a vida e de entender o sucesso – flexibilize-se. Normalmente essas depressões estão bem conectadas com a obstinação. Talvez esta seja a sua forma de chamar atenção. Pare com isso! Esta é uma forma muito ultrapassada de chamar a atenção. Você pode até mesmo colocar outra crença no lugar desta.

Acredite, se você quer mesmo chamar a atenção: seja bem feliz. Dê “certo” na vida. Dar certo significa parar de se opor, parar de brigar com a vida. E isto não significa cruzar os braços. O bom combate continua. Refiro-me à oposição, que é fruto do NÃO para a vida. Trata-se de um protesto contra a forma como você acha que a vida está te tratando (e sem levar em consideração que a grande maioria dos eventos negativos são criados por você mesmo – e às vezes de forma tão inconsciente, que parece mesmo que você é uma vítima).

O verdadeiro sucesso é ser feliz; é dizer SIM para a vida. O NÃO deve ser falado para os maus hábitos que te distanciam do conforto e da alegria de viver. Acredite que não estou banalizando o seu sofrimento. Sei que às vezes é mesmo bem difícil. Mas acredite que a sua identificação com o sofrimento e a necessidade de provar que você é mesmo uma pessoa infeliz, é o que mantém a nuvem escura sobre a sua cabeça. Então, de qualquer maneira esta depressão vai passar. Assim como vão passar as crises de “inadequação com a realidade” – a sensação cada vez mais comum de se sentir “um estranho no ninho”. Ou ainda, de se sentir como a “Alice no País das Maravilhas” (se bem que neste caso seria mais no “País dos Horrores”).

Este sentimento de ser uma personagem em um filme de ficção, ou de não ver sentido em absolutamente nada da vida, também vai passar (mesmo que a vida não tenha mesmo nenhum sentido, este sintoma de desconforto vai passar).

Outro sintoma bastante comum neste trânsito é a alteração do estado usual de consciência, o que pode fazer você pensar que está ficando louco. Todos esses sintomas vão passar. O que pode fazê-los demorar mais é a identificação com o medo e seus derivados, especialmente o ceticismo e o jogo de acusações. Acorde! Não tem a quem culpar, simplesmente por que não existem culpados. Você que está atuando nestes sintomas, é porque está em processo agudo de transformação. Alguns estão na fase de desconstrução das paredes da cela que o prendem (embora você acredite ser as paredes do seu lar – o que pode gerar um profundo sentimento de frustração, fracasso e impotência), e outros já estão construindo novas paredes, enquanto que outros estão aprendendo a viver sem paredes. E em cada um desses casos, os sintomas estão atuando de maneiras diferentes.

Quero alertá-lo para não cair na tola armadilha de acreditar que tais sintomas estão acontecendo exclusivamente com você, e principalmente pelo fato de você ter começado uma jornada de autoconhecimento. Muito pelo contrário, aí reside a sua chance. O caminho espiritual é como uma corda que foi jogada para alguém que já tinha sido engolido até o pescoço pela areia movediça. A Prakriti (natureza ilusória) inferior vai tentar te pegar pelo medo e pela dor (…).

Outra questão, que a meu ver é um pouco mais delicada, é o aparecimento de sintomas físicos na forma de doenças. Neste caso, requer algumas atitudes também concretas, como um tratamento adequado, rever alimentação e hábitos diversos.

Muitos me questionam: “Por que, quando estava na Índia com você, eu estava no céu e agora voltei para este inferno?” “Por que não consigo sustentar o bom?” Em todos os casos, eu notei que a queda aconteceu devido a dois fatores:

Primeiro – devido aos anatas (hábitos, vícios), na Índia, você suspende os hábitos negativos, mas ao regressar, normalmente você volta para eles.  Eu tenho dito que até mesmo alguns anatas só podem ser dissolvidos pela Graça. Mas muitos requerem o redirecionamento da sua vontade. O “Arjuna interior” precisa entrar em ação. A espada da vontade precisa ser utilizada para se colocar novos hábitos no lugar. Na transição, o caminho é trocar os maus hábitos pelos bons hábitos.

E como segundo fator – notei a necessidade de se afinar melhor com a proposta espiritual que você escolheu. É tempo de alinhar pensamento, palavra e ação.

Mas, o que dizer daqueles que estão felizes, e cada vez mais felizes em meio a toda esta turbulência? Prosperando, e tendo mais e mais “sucesso” em todas as áreas?

Sinto que neste caso, essas pessoas passaram pelo ajuste ou apuro antes e aprenderam a não temer a turbulência.  Aproxime-se dessas pessoas ao invés de invejá-las. Torne-se amigo e receba delas alguma coisa boa. Aprenda a honrar tais vitórias (…).

O que percebo e ouço destas pessoas, é que elas colocaram em prática o que ensinei. Principalmente o ensinamento de perseguir a alegria. Identificar as insatisfações é somente o primeiro passo da jornada rumo à libertação das negações. A partir de um determinado estágio você deve ocupar-se apenas em ser feliz.

O que te traz alegria?

Qual foi a última vez que você fez algo que realmente te trouxe alegria?

Dance, cante, pinte, brinque, passeie, celebre a vida!

Faça uma boa faxina na sua casa e ilumine-a com mantras sagrados, boas músicas, incensos, flores.

E se você tem o karma de estar vivendo em um grande centro, onde todos estes sintomas são elevados à “quinta”, e às vezes à “décima potência” – por favor, em qualquer tempo livre, fuja para a natureza (…), ocupe-se de uma atividade física, vá capinar, pintar, etc. Se não tiver nada para fazer, invente. Por exemplo: suje a parede, para ter que pintá-la (…). Nessas horas, é muito bom vir para o corpo.

Outra solução ou ajuda para quem tem este compromisso com a cidade, é promover reuniões em sua casa (…), ou seja, convide alguns amigos para cantar, meditar, orar, assistir a um filme edificante… Apenas não caia na armadilha da “fofoca”. A fofoca é uma forma destrutiva de fugir da angústia – significa falar do outro. Eu te imploro: rompa com a fofoca. Se acontecer de você estar em um grupo ou com alguém, e esta pessoa começar a falar do outro, seja deseducado, dê as costas e se afaste momentaneamente. Apenas cante os nomes do Senhor (…), medite, reze… E desfrute da boa companhia.  Assim, logo você descobrirá o poder e o valor real da comunhão em grupo.

Se, em cada bairro de uma cidade, um encontro desta natureza acontecer uma vez por semana, tenho certeza que a vibração da cidade melhorará bastante.

Saiba que a reclamação ou autocomiseração (vitimismo – que pode ser beeeemmm sutil) abre as portas do inferno.

Lembre-se e guarde: NÃO EXISTEM CULPADOS! A sua infelicidade é responsabilidade sua. Você está aonde você se coloca!

Lembre-se de agradecer. “Mas, eu tenho lá motivos para agradecer?” TEM!!!

Agradeça por estar vivo, agradeça o nascer do sol, o brilho das estrelas, o vento, o sorriso das crianças, agradeça a fé que te trouxe até aqui. “A fé que me trouxe até aqui?” É – a fé que trouxe até aqui. Neste lugar abençoado, na sua consciência, que está te proporcionando a chance de se conhecer mais e melhor. Agradeça ao amor, ele existe e é a razão de tudo.

Como disse o poeta bíblico: “Ainda que eu falasse a língua dos homens e ainda que eu falasse a língua dos anjos, sem amor, eu nada seria!”.

Pois é meu amado, você que está desfrutando da alegria de viver, é porque em algum grau está amando. E você que está ardendo no “fogo do inferno”, é porque está com o coração trancado, preso ao jogo da vingança. Quer ser feliz? Vai ter que renunciar a vingança. E para renunciar a vingança, tem que renunciar ao orgulho. I am sorry! Really sorry! Mas não tem jeito.

Todo este sofrimento é para te ensinar a ser humilde e a amar desinteressadamente. Alguns vão mais rápido, outros vão demorar um pouco mais. Fazer o quê? É assim!

Assim é!

É verdade que este período é mesmo muito árduo, para quem de alguma maneira “escolheu” fazer a desconstrução agora. Ou melhor, só foi possível quebrar certas barreiras, através desta intensa energia transformativa que está sendo jorrada nesta fase do parivartan (fase de transformação do planeta). Quem, por força do karma, precisou realizar as profundas transformações internas, nestes anos, está mesmo tendo dificuldades. Isto não é vitimismo. MAS… O vitimismo é muito sorrateiro, assim como o orgulho, a luxúria e a mentira que ele esconde.

Tenho certeza que com calma e tranquilidade, logo você atravessa essa turbulência. Mas se você começar a achar que o avião vai cair, e começar a reclamar e a xingar o piloto… Talvez você sofra um pouco mais e não vai mudar absolutamente nada. Um pouco de confiança e firmeza são necessários. Assim como lealdade e obediência.  Lealdade e obediência ao seu coração. Enquanto você não souber ouvir os comandos do seu coração, ouça os comandos do seu Mestre. Pois ele é também o seu coração.  Esta é a minha experiência. O que mais posso dividir com você? Somente a minha experiência.

Rezo pelo seu conforto e cura.

Lembre-se: simplifique seu estilo de vida. Abra um espaço para fazer coisas prazerosas. Esta vida passa muito rápido. Distribua melhor o seu tempo: cuide das coisas materiais, mas também descanse, contemple o Divino e lembre-se de curtir as pessoas que você ama. Estenda a sua mão ao outro e semeie o bem. Se da sua boca, não puder sair palavras amorosas, é melhor deixá-la fechada.

Com muito amor e bênçãos,

Sri Prem Baba

Anúncios

3 thoughts on “Um despertar de consciência…”

  1. Meu nome é Henrique e eu tenho 27 anos. Sou engenheiro, sempre fui um homem das exatas “com pé no chão”, religiosamente neutro, quase um ateu. Encarava a religião como uma fraqueza, uma necessidade de se ancorar, embora recentemente eu tenha descoberto em uma das minhas meditações que religião é apenas uma das muitas armas políticas usadas para separar-nos e manter as pessoas em guerras. Neste ano começaram a acontecer mudanças enormes no meu padrão de certo e errado, moral ou imoral, material e espiritual. Até nossa inteligência comecei a questionar. Mas o que mais me chamou a atenção foi o medo que havia sumido completamente da minha vida, em todos os sentidos. Eu simplesmente não sentia mais medo de nada, comecei a questionar conceitos que para nós são fixos, por exemplo: “Por que sentimos dor? Isso poderia não acontecer, mas porque acontece? Trata-se apenas de uma pequena modificação física no corpo, porque temos tanta resistência a uma pequena mudança material?” E assim as ideias surgiam na minha cabeça como foguetes. Outra coisa impressionante que estava acontecendo era a sorte com tudo, de modo que eu percebi que não era uma sorte normal, estava acontecendo muito. Não entendia nada que estava acontecendo na minha cabeça, e nem o porque. Já fazia mais de 3 anos que eu não tinha televisão por ter perdido todo o interesse de assistir as coisas que lá são apresentadas, de modo que acredito que esse foi o início para que minha cabeça não fosse mais poluída com aquelas informações desnecessárias, e como eu moro sozinho, passei a refletir mais. Comentei com um irmão que tinha algo estranho comigo. De repente, tudo havia perdido a importância, eu me senti fortemente ligado com a natureza, os valores sociais haviam perdido totalmente o sentido , de modo que as vezes eu tinha a impressão que as pessoas estavam completamente cegas e passivas as vontades de um governo corrupto. Nunca meditei na minha vida, e parece que de um dia para o outro a meditação se tornou uma das minhas habilidades. Passei a meditar quando chegava do trabalho por horas, passei a meditar no horário de almoço, em seguida percebi que durante minhas atividades eu estava conectado de alguma forma com algo mais puro. Sempre fui carnívoro, carne era a parte que sempre havia em maior quantidade no meu prato todos os dias. Em uma noite neste mesmo mês de julho de 2012, eu meditei e o que chegou em minha mente foi a energia dos animais, me dei conta de que somos todos seres perante a luz. Depois disso, uma luz clareou minha mente e me fez enxergar que matar um ser de luz como um animal é, é muito egoísmo ainda mais levando em consideração que temos opções para não ter que fazer isso. A partir daí não consegui mais comer carne. Passei a ter um amor incondicional por tudo, por todos, de forma abrangente. Passei a amar o planeta como um ser divino que nos alimenta e nos serve como moradia. Passei a cantar e percebia que minha voz estava cada vez mais afinada. E percebi, o que foi a base de tudo, que eu fazia isso tudo para mim, para me fazer feliz. Havia uma emergência em fazer o bem para as pessoas, porque o pensamento de unidade tomou conta de mim por inteiro. Um dia eu estava dizendo coisas para uma formiga que estava andando em cima da minha mesa, a formiga era tão pequena que eu quase não enxergava, mas eu ficava prestando atenção nos movimentos dela, imaginando como seria a vida dela. Parecia que eu estava enlouquecendo. Depois de tudo isso, decidi pesquisar para saber o que estava acontecendo comigo, e cheguei ao assunto “Despertar espiritual”. Estou fortemente em busca do meu “Eu” superior depois que li algumas coisas e entendi o que estava acontecendo. Não conversei com ninguém sobre isso porque não dependo mais da aprovação de outra pessoa para acreditar nos meus pensamentos, mas gostaria muito de saber se isso está acontecendo com alguém também.
    Na verdade, parece que eu estou ficando louco. De verdade.
    Escrevam sua opinião, é importante pra mim.

    Curtir

    1. Olá, Henrique!

      Tudo bem?
      Diante do seu relato, por experiência própria e como terapeuta holística de grupos há muitos anos, afirmo que você não está enlouquecendo, mas sim apenas respondendo ao fluxo de evolução e transformação do planeta, digamos que reaprendendo a voltar aos seu ponto de equilíbrio, relembrando o que sua alma já sabe. Já passei por tudo o que você relatou ainda na adolescência, com alguns sintomas já desde a infância, portanto, pode realmente estar se sentindo um “peixe fora d’água” em alguns momentos, mas, não se sinta pior por causa disso, mesmo havendo alguns desconfortos e até mesmo o fato de ser incompreendido, pois a tendência é começar a atrair pessoas que estão pensando, sentindo e agindo como você, com os mesmos sintomas de mudanças e transformações internas. Agradeça por estar podendo ter um ponto de vista diferenciado neste momento, pois indica que você está despertando para a verdadeira realidade, levantando dos seus olhos os véus de Maia, os véus da ilusão, que insistem, através do sistema, dos paradigmas e ideologias ocidentais, em manter o ser humano alienado e adormecido. Siga confiante em sua busca e em sua jornada, pois muitos estão passando pelo mesmo processo que você, o qual parece estranho, mas, na realidade, totalmente natural. A mudança nos hábitos, na alimentação, nas formas de pensar e sentir também estão ligadas à mudança de dimensão que o planeta está passando, da terceira para a quarta dimensão, o que está causando em todo o ser humano uma “desmaterialização” do seu corpo, ou seja, uma sutilização de sua frequência energética, de forma que estará perdendo matéria em lugar da luz, aumentando desta forma a sua percepção, intuição e expandindo a sua consciência. Vejo, assim, as crianças que já estão nascendo nesta geração apresentando hábitos saudáveis, corrigindo seus próprios pais com relação à alimentação, por exemplo, pedindo alimentos e remédios naturais, exigindo ambientes pacíficos e cheios de amor, interagindo e compartilhando, desde cedo, de hábitos de cura sobre os quais nunca foram ensinados nesta vida, mas que sua alma tem gravados.
      Portanto, seja você na sua essência, confie na sua intuição e na voz que vem de seu coração, pois a sua consciência superior já começou a atuar através de você! Grande abraço de luz e paz!

      Curtir

    2. Olá wohaliterapias tudo bem?
      Muita coisa aconteceu desde o dia que eu postei esse vídeo. Estou me lembrando.
      Gostei muito de ter lido sua mensagem.
      Um grande abraço!

      Curtir

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s