Um Olhar Homeopático sobre a Personalidade Odiosa: Do que você tem medo?

Imagem: Fênix Negra (Dark Phoenix), personagem de X-Men

Em tempos de haters, que tal falarmos um pouco sobre o que leva uma pessoa a desenvolver o sentimento de ódio? E, da mesma forma, como podemos compreender e tratar sua origem através da homeopatia, cujo princípio é propor a cura do semelhante pelo semelhante. Este delicado assunto pode ser pouco mencionado, mesmo estando tão presente nesta Era Digital, nos inúmeros casos que presenciamos ou ouvimos falar na internet e na vida real. Propomos um olhar sobre ele como forma de reflexão e, até mesmo, auto-análise e autoconhecimento.

O que nos chama a atenção é o fato de que odiar alguém acaba se tornando um vício, uma dependência a algo que agrega outras coisas. “A personalidade odiosa, frustrada, distorcida e deformada está fora de sintonia com o Universo. Inveja os que têm paz, são felizes, generosos e alegres. Geralmente critica, condena e difama aqueles que lhe demonstraram generosidade, bondade e compaixão. Assume a seguinte atitude: ‘Por que ele deve ser tão feliz se eu sou tão desgraçado?’ Deseja atrair a todos para o seu próprio padrão de vida. O seu infortúnio necessita companhia.” (Joseph Murphy). Há quem não faça a ligação de primeira, mas o ódio leva a uma grande porção de inveja e, como sabemos, a inveja dói.

O ódio é um sentimento de profunda antipatia, desgosto, aversão, raiva, rancor profundo, horror, inimizade ou repulsa contra uma pessoa ou algo, assim como o desejo de evitar, limitar ou destruir o seu objetivo. Tanto quanto o amor, o ódio nasce de representações e desejos conscientes e inconscientes. Segundo uma passagem de Martin Luther King: Tenho visto demasiado ódio para querer odiar (…) Eu decidi ficar com o amor, pois o ódio é um fardo muito grande para suportar.” 

Ódio, segundo o significado literal da palavra, significa: 1. Aversão intensa gerada ou motivada por medo, raiva ou injúria sofrida; odiosidade. 2p.met. A pessoa ou a coisa odiada. Aqui, prestemos a atenção para o fato de que o ódio é relacionado, na sua tradução ou indicação de significado, com o MEDO, palavra-chave para a primeira identificação da Homeopatia Clássica.

Perguntas como: “Do que você tem medo? Qual o seu maior medo?” seriam o ponto de partida para compreendermos o comportamento odioso. Mas, quando falamos em ódio, através do repertório homeopático, falamos de Anacardium, Cicuta e Natrum Muriatricum, esse último com um toque de rancor e, por isso mesmo, o elegemos também como ódio coletivo, cólera e ira.

Também podemos ver o ódio como comparativo ao uso e à dependência química: “A compulsão para odiar, assim como a compulsão para usar drogas, se caracteriza por um estado de obssessividade e submissão, que escraviza a vontade e submete o desejo da pessoa. Em alguns indivíduos, a compulsão para odiar é mais forte que sua vontade de amar, perdoar e até de viver – o ódio é aquele que comanda sua vontade e seu corpo.” (Fernando Vieira Filho)

ANÁLISE 

Esta análise tem o objetivo de identificar as essências homeopáticas mais indicadas para estes casos, o que não dispensa a importância e a presença crucial de um homeopata para auxiliar no diagnóstico e no tratamento.

  • A Homeopatia Anacardium e seus complementares: Lycopodium, Pulsatilla, Platinum

Assim sendo, o Lycopodium vai ajudar a controlar o conflito; a Pulsatilla vai trabalhar na frustação, na sensação de abandono; o Platinum vai mexer com sua vaidade.

Reflitamos aqui: o ódio faz isso para além de sua própria prerrogativa, sinalizando o rancor extremo e a mágoa, aquela sensação de “sangue nos olhos”. O medo, por sua vez, faz essa diferença ainda maior. Medo é uma reação obtida a partir do contato com algum estímulo físico ou mental – interpretação, imaginação, crença – que gera uma resposta de alerta no organismo. Esta reação inicial dispara uma resposta fisiológica no organismo, liberando hormônios do estresse (adrenalina e cortisol) e preparando o indivíduo para lutar ou fugir.

Na prática, eis um exemplo: todo indivíduo é dotado de vaidade, como todo o fígado de secreção biliar, mas quando essa vaidade – ou essa secreção biliar – excedem, tornam-se estados mórbidos que devem ser curados. Para harmonizá-los, o Chelidonium ou a Bryônia podem resolver o problema da secreção e dominar o fígado, assim como o Palladium pode trazer a vaidade aos seus justos limites.

  • A Homeopatia Natrum Muriaticum trabalha, da mesma forma, a mágoa e a depressão. Já a Cicuta Virosa, apresenta a sua grande aversão aos homens.

Também podemos atribuir a Belladonna, a Conium e a Mercurio uma boa ponta de ódio e, talvez, vamos conseguir entender um pouco, apenas um pouco, a onda de ódio e de fascismo que assola boa parte do mundo.

O que vem depois disso é uma espécie de embriaguez, um torpor e um vazio. Coisas que acabam sendo recorrentes e repetidas na vida pessoal, no grupo familiar ou no meio coletivo. A herança comportamental, no caso de grupos familiares, pode ser um exemplo para expressar a onda de violência que crianças muito pequenas vem repetindo nas redes sociais, com atribuições de um discurso praticamente adulto de ódio.

Em contra partida, algumas crianças vem sendo ameaçadas pela cor da roupa, pela cor da pele ou pela opção política dos pais, iniciando pelo bullying ou cyberbullying, que pode resultar em comportamentos odiosos. Há também os casos de pais que, assustados e desiludidos, necessitam lidar com a partida de filhos que estiveram envolvidos em grupos de ideologias rivais, seitas e congregações afora, completamente destoantes dos valores através dos quais foram criados. A construção de uma ideologia, portanto, nem sempre tem traços familiares, mas de convivência com a sociedade em que o indivíduo escolheu para viver, já que o meio gera uma grande influência sobre o comportamento humano.

A voracidade com que um animal defende seu território é, muitas vezes, observada na mesma proporção em nossa sociedade, como se houvesse uma “ausência de consciência humana”, um exemplo que deveríamos ter sempre em mente para refletirmos: O que move essa onda de ódio que vemos pelo mundo? Por que é tão difícil a convivência lógica e respeitosa de sobrevivência? Será que o mundo está passando por uma crise de valores? Ou será a famosa “crise dos espelhos”, onde se atribui ao outro os defeitos que tenho? Popularmente, este comportamento é chamado de inveja. A ganância, o egoísmo e a soberba também entram nessa análise, levando em conta toda a grade homeopática ligada a esses sentimentos que, muitas vezes, também fazem parte do comportamento odioso.

Nessa onda, ainda observamos o abusivo tratamento dado às mulheres em vários setores sociais e diferentes culturas, onde o ódio é gratuito, direcionado, marcado, pontual e, em alguns casos, “consentido”. Isso assemelha-se ao olhar dos imigrantes fugidos da guerra, quando encontram um muro de resistência humana em sua frente.

Sabemos que este tema jamais será matéria vencida para estudo, nem totalmente contido ou resolvido. O feio disso também representa o belo – os dois lados da moeda – pois temos o direito à escolha para sempre poder determinar a natureza a seguir, a capacidade de decisão, de livre arbítrio e de recomeço. Assim, não nos cabe culpar alguém, nem tão pouco jogar a responsabilidade para o outro.

Essa pequena parcela que separa a ação da reação sempre será responsabilidade de cada um de nós, e com as bênçãos e a sabedoria da Mãe Natureza, temos a homeopatia para nos ajudar a compreender, a nos conhecer, a entender e identificar a causa intrínseca em nossas raízes, a viver melhor conosco e com o mundo ao nosso redor.

Nos conhecendo, nos trabalhando e nos melhorando, somos capazes de compreender o caminho do coração, a frequência do amor que nos leva de volta à presença, no aqui e agora, para que nos amando verdadeiramente, possamos amar o outro! Quando olho para o outro com o coração – porque consegui olhar para mim com o mesmo coração – estou presente para mim, assim como estou presente para ele no Agora! Namastê! 😉

Fonte Complementar: Guia Homeopático Homeopatas de Pés Descalços

Saiba mais: Tendências Emocionais e Homeopatia

 

O Merecimento é para todos: A Ação para União ainda é objetivo de poucos

A união não depende de merecimento, mas sim de um propósito em comum.

Muitos confundem a relação entre ser merecedor e unir-se a um objetivo em comum. Para uns, o merecimento é julgado a partir de um único ponto de vista: o olhar proveniente das distorções do ego. A “mente do ego” diz: fulano não é merecedor disto ou daquilo porque (…), por isso, não merece isto ou aquilo. Já, se refletíssemos com a “mente da alma”, sintonizada a um sentimento de comunhão – que habita no coração de todo ser humano que visa o benefício de todos – diríamos: não se trata de fulano ser merecedor por causa disso ou daquilo, se trata de unirmos esforços, onde o propósito da alma nos leva a seguir uma mesma direção.

Neste caminho, podem haver aqueles que não se sentem ou não se acham merecedores, quando na verdade, se optaram por trilharem-no juntos e em prol de algo que envolva o bem comum e o amor universal, todos são merecedores em sua essência.

Não julguemos, portanto, aqueles que achamos serem ou não merecedores de coisas, de pessoas, de caminhos. Tenhamos nosso olhar voltado para o propósito maior, trazendo a visão da águia – aquela que vê o todo e não apenas uma parte – permitindo que todos possam expressar o que são em essência divina, abrindo suas asas e voando em direção ao mesmo ninho de paz que buscamos em algum momento de nossa jornada evolutiva, caminho este que só pode ser seguido com um coração aberto, aquele que permite-se amar sem julgamentos e ideias pré-concebidas.

Se alguém tem coragem suficiente para julgar o outro perante ter ou não merecimento, na mesma proporção há covardia suficiente perante o julgamento de si, sem perceber que na medida que é “o inquisidor” do merecimento alheio, também é o inquisidor do seu próprio ato de merecer. Esse comportamento impede a energia do merecimento de fluir para dentro da nossa vida com verdade, prosperidade e leveza, tornando-se um caminho “pesado”, com limitações e pré-conceitos desnecessários, ao invés de permitir a união de objetivos e propósitos.

Tamanha é a perda de tempo e energia “dos inquisidores” que mal percebem que, por não se sentirem merecedores por qualquer que seja a razão, se sentem no direito de determinar o destino daqueles que, por sua vez, também não devem ser. Com isso, muitas portas se fecham e os raios do sol da sabedoria deixam de ser sentidos, deixam de entrar na casa do coração para trazer clareza à mente e harmonizar as emoções com consciência e compreensão, cegando pela ignorância, pelo egoísmo e pela prepotência.

Quando determinamos o que é “melhor” para o outro, perdemos a oportunidade de enxergar e perceber o que ocorre de “pior” dentro de nós, ao nosso redor. E quando a hora da verdade chega, quando o silêncio daqueles que distanciaram-se consequentemente acontece, já é tarde para remediarmos as ações e as intenções que, por terem sido determinantes e inflexíveis, criaram apenas sementes de dor e sofrimento na terra dos que deveríamos destinar o nosso mais sincero amor. Serão essas sementes que no silêncio, dia após dia, serão colhidas, porque a colheita inevitavelmente vem para todos.

O único consolo nesta situação – se é que poderá ser sentido por aqueles que ditam o que é melhor – é que a Vida, na sua infinita amorosidade e beleza, sempre nos traz uma oportunidade de mudança, de novas escolhas, de recomeços e reconciliações conosco, podendo resultar assim no plantio de novas sementes. Então, quais são as sementes que você tem plantado até agora em seu caminho?

Que a visão da águia, que nos ensina a ver a globalidade, o todo, que nos leva para fora do olho do furacão, possa tornar-se a sua visão. Que o seu canto possa despertar o canto original da sua alma! Que a união dos nossos cantos e sons sagrados nos levem, unidos pelo coração, a nos encontrarmos e construirmos um lugar de paz onde todos possamos existir e Ser aquilo que viemos cumprir em nome do Amor!

Esta forma de união pode determinar a maneira como vemos e nos sentimos merecedores, transformando-nos positivamente. Ouça o seu coração, a sua intuição, e se sentir um chamado que convida a unificar, unir-se ou construir união por um bem-comum – sem extremismos, julgamentos, preconceitos – e visando o Bem de todos os envolvidos, siga-o, atenda o chamado. Ele pode estar sendo um sinal do universo diante do que sua alma veio criar, expressar e concretizar. E lembre-se: os algozes de ontem são os inquisidores de hoje, disfarçados de “bons moços” em pele de cordeiro.

Mensagem recebida em canalização – Por Yehuá© & Cigana Valentina: A Dama de Copas

 

Mensagem Pleiadiana – Um Encontro do Destino: Você dando Nascimento a Você

Amados, nós os saudamos.

É hora da humanidade se afastar dos antigos hábitos do passado, das velhas maneiras de ser. É hora de experimentar e expressar uma comunhão sagrada ao abrir-se novamente para a multidimensionalidade do seu próprio Espaço do Coração. Esta é a hora de você formar uma nova aliança com o seu Eu através de seu próprio Coração. Conforme as energias de ressurreição da Videira Sagrada chegam e se intensificam em seu planeta – saiba mais assistindo ao vídeo abaixo – haverá uma oportunidade profunda de abertura de um espaço de percepção completamente diferente para você entrar. Este caminho será colocado à sua frente, permitindo que você se reúna com seu potencial ilimitado em todo momento de sua vida diária.

Ao escolher alinhar-se através do seu Coração, você começará a perceber e receber clareza de ajustes simples aos quais você pode se abrir, que permitirão que a mudança ocorra, trazendo momentos transformacionais à sua vida. Esses momentos simplificados alterarão suas experiências de forma contínua através dessas novas percepções recebidas da conexão do seu Coração. Comparamos este processo de viver através do Coração a acender uma luz num quarto escuro. De repente você pode ver muito mais! Até este ponto, muitos de vocês estiveram tropeçando no escuro sem saber ou compreender seu poder ilimitado e seu potencial pleno no momento.

Há um forte sistema de suporte energético em torno de cada um de vocês para habilitar você a utilizar seu Coração como uma ferramenta, de forma que você possa se proporcionar a experiência direta de abrir-se ao Eu. Esse desdobramento acontecerá como resultado direto da sua ação de escolha consciente de mudar a relação que você tem com a sua conexão com seu próprio Coração. Sua consciência precisa ser acessada através do seu espaço do Coração, e através do seu Coração você começará a acessar e canalizar um novo ponto de vista acerca da Verdade que será revelado a você em sua vida diária. É como se você estivesse olhando em uma direção e vendo um panorama ilusório, e então, de repente, você se vira e testemunha a Verdade, que contém uma perspectiva ou ponto de vista totalmente diferente para a sua vida.

No espaço de um momento no tempo, uma série de experiências alternadas  poderá abrir-se para você, um espaço onde você pode se alinhar energeticamente a uma outra percepção energética de si mesmo. Isso está acontecendo dentro da dinâmica do seu próprio Coração. Este seu movimento consciente pode abri-lo para aquele realinhamento de uma estrutura energética dentro do seu Coração, e é através dessa estrutura que sua consciência é religada a um lugar de reunião da Verdade. Esse espaço de pureza em seu próprio Coração é livre do medo perpetuado pela Ilusão dentro da 3a Dimensão em seu planeta.

Para ter acesso ao seu coração, será necessário que você abra sua consciência a essa série de momentos transicionais que estão sendo ativados através das energias da Videira Sagrada. Isso é parte do seu sistema de suporte que foi criado para você nesta fase de Transição. Lembre-se, todo esse processo é baseado em “você dar nascimento a você” através da integridade do seu próprio Coração. Não há outra dinâmica envolvida, somente você. Cada um tem um encontro do destino consigo mesmo. Você tem as chaves para o Eu através da ferramenta do seu Coração.

VOCÊ É AQUELE POR QUEM VOCÊ TEM ESPERADO

Nós, os Pleiadianos, continuamos a falar sobre o aparecimento de formas energéticas, dos Marcadores no céu que estão levando a essência da Videira Sagrada para cada um de vocês nessa conjuntura. Essa essência da Videira Sagrada está acenando, e o Chamado dessa frequência ativa uma forte aceleração energética em você. As células do seu coração estão respondendo a este Chamado e seu Coração está esperando que você se junte a ele conscientemente.

O seu caminho para o Coração requer um comprometimento seu. O que realmente é solicitado aqui é o processo de “Soltar” contínuo. A velha forma de interagir com a mente do ego já não pode mais ser sustentada; em vez disso, você e sua consciência são atraídos para escolher o caminho do seu Coração – permitindo que você se realinhe com essa incrível expansão da capacidade de Luz que você naturalmente é. Não importa como as coisas pareçam ser dentro da ilusão da sua vida, seu Coração leva você em direção à clareza e a Verdade.

Relembramos o processo de como você “Soltar” e realinhar-se com o seu Coração. Você precisa tomar uma Respiração Consciente, colocar as mãos em seu Coração ao trazer sua atenção a ele. Nesse processo de Respiração Consciente você inspira pela boca e então expira pela boca. A Respiração Consciente é simples e desvia a mente do ego enquanto permite a construção de uma reconexão com o seu Coração.

A Respiração Consciente é o ativador do processo de Soltar. Ela diz: “Sim, eu desejo Soltar” e “Sim, desejo realinhar-me com a minha Luz, com o meu Coração.

Cada Respiração Consciente cria uma energia do Soltar em você, e essa ação de Soltar traz o realinhamento natural, ancorando você de volta em seu Coração.

MOVIMENTO DE EXPANSÃO

Conforme as mudanças dimensionais aumentam rapidamente em seu Plano da Terra, a percepção do tempo está se desconstruindo em seu planeta. Isso é, na Verdade, um movimento de expansão que está criando em você um desenvolvimento da percepção. Na verdade, um movimento de expansão está criando um desdobramento de consciência dentro de você. Você está realmente acelerando através desses realinhamentos e há um reposicionamento energético abrindo através de cada um de vocês dentro de seus Corações, se você tem consciência disso ou não. Você está sendo movido e passando por um realinhamento dimensional com outro aspecto do Eu através do seu Coração em preparação para encontrar as mudanças dimensionais contínuas que estão chegando em breve.

Todo esse processo está criando uma desorientação poderosa em sua consciência – e isso é um componente essencial do seu Despertar. A mente do ego está entrando em parafuso por não ser capaz de reconhecer ou criar estratégias para o que está acontecendo a cada momento. A mente do ego está sendo desalojada e não pode manter seu controle neste novo cenário energético que ancorou no planeta.

Soltar e alinhar-se com seu próprio Coração é a sua melhor opção nesta conjuntura para manter seu equilíbrio. É importante para você compreender que você está numa fase expandida de não “saber” durante este estágio da sua transição. Então, “Soltar” é a sua única opção para manter seu equilíbrio. Novamente dizemos que “está tudo sob controle” nesse caos aparente.

COMPREENSÃO DO EU

Esta energética multidimensional que se desenvolve em seu planeta, com a qual você está sendo realinhado, trará a cada um de vocês, em última instância, uma compreensão profunda do Eu. Essas ativações impactarão fortemente o planeta e cada um de vocês. Você é chamado a abrir-se conscientemente e dizer sim ao seu processo. Esse “sim” consciente ajudará você a ajustar-se ao novo terreno energético que será revelado dentro do seu mundo multidimensional. Essas ativações acontecerão por volta do fim de julho e continuarão durante todo o mês de agosto.

Esta é a sua hora de permitir um derramamento das velhas formas de ser, de se permitir abrir-se e utilizar a Essência que está vindo ao planeta agora. Considere seu Coração como uma ferramenta, uma Ferramenta Sagrada de reconexão para você utilizar agora. Seu coração é na verdade uma estação receptora, uma ferramenta para ativar e então receber plenamente aquilo que é o desejo do seu coração. Neste novo ambiente em seu planeta, o Coração pode ser totalmente utilizado. Dentro desta nova era você deve abrir-se para a reconexão com a nova percepção e compreensão de quem você é. Você pode mover-se para uma mudança de padrão do Eu e então navegar para além das percepções equivocadas da mente do ego através da reconciliação com o seu Coração.

Um aspecto criado por essas percepções equivocadas cria medo e luta, algumas vezes levando você a um sentimento de desamparo. Você está separado do seu poder somente pela crença conectada à sua mente do ego. Na Verdade, há um nível de Amor ilimitado para você receber e para ser nutrido através da sua conexão do Coração, empoderando você para acessar uma nova forma de Ser. A mente do ego limita a sua habilidade de experimentar esta abundância de Amor.

Seu Coração multidimensional aguarda a sua conexão consciente. Agora é a sua hora de dar um passo adiante de uma forma diferente do que antes neste caminho que está totalmente aberto. Há incontáveis momentos de oportunidades aos quais você pode se conectar através do seu Coração e alcançar para juntar-se com este aspecto do Eu que sempre se originou dentro do seu Coração. Este aspecto seu é uma parte mais completa e autêntica que não foi utilizada conscientemente nesta sua vida.

Agora há o surgimento, como o Sol surgindo no horizonte, você sendo revelado a você. Esta autorrevelação tem um momento energético, um tempo sagrado que deve se construir nos próximos meses. Você está sendo capacitado, através desse novo projeto de energia em seu planeta, a acessar seu Coração multidimensional e alinhar-se a essa Essência expandida do Eu.

UMA MUDANÇA DRAMÁTICA

Você viverá uma mudança interna dramática nos próximos meses enquanto cada um de vocês está sendo embalado num casulo desta frequência de Luz vinda das energias da Videira Sagrada que está chegando até você. Você é uma parte, um aspecto dessas Energias Sagradas. Enquanto você está sendo sustentado dentro desse casulo nesse processo profundamente expandido, você está passando por um processo profundo de metamorfose.

Essas ativações e o desenrolar do seu nascimento cria experiências muito desafiadoras enquanto você vive sua experiência de 3ª Dimensão aqui no planeta. Todo esse nascimento está empurrando você, levando você a Soltar e ao mesmo tempo permitindo que você se alinhe com uma nova forma de interrelacionar-se com o seu Eu, com seu Coração. Há uma ação de despir, um deixar cair, da sua identidade durante este processo poderoso.

Você terá momentos de mal reconhecer a si mesmo dentro deste estado profundamente mudado de consciência. Você testemunhará que você está trabalhando a partir de uma plataforma muito diferente, de frequência muito elevada. Este novo ambiente no qual você se encontra pode ser desconcertante, no entanto esse é o momento de tomar uma Respiração Consciente, e Soltar. É a mente do ego que fica desequilibrada por esta experiência em mudança. Seu Coração reconhece este caminho. Toda a sua jornada é a respeito de reconexão, reunião e relembrança. Não há nada de novo no que está sendo revelado ao seu Coração aqui.

Saiba que os bloqueios que você carregou com você dentro das suas limitações de 3ª Dimensão estão sendo dissipados para você dar este próximo passo adiante. Você não precisa lutar para fazer isso corretamente. Você naturalmente Vem para Casa, para o seu Eu, através do Coração. Esta reconexão com seu Coração é um processo simples. Você é o suficiente exatamente como você é neste momento do tempo (…)

Saiba que continuamos a testemunhar você conforme continua sua jornada. Invoque-nos a qualquer momento para apoio. Não podemos ajudá-lo sem essa permissão.

Bênçãos, Os Pleiadianos – Por Christine Day

Publicado originalmente em inglês no endereço:

http://www.edgemagazine.net/2017/07/a-pleiadian-message-a-destiny-meeting-you-birthing-you/

Tradução para o português no endereço:

http://christineday.wixsite.com/portugues/mensagem-dos-pleiadianos-jul-2017

A Voz da Superação, O Chamado da União! Unidas Somos a Voz de muitas!

Seguindo as pesquisas de filmes, documentários e seriados que abordam os diversos temas acerca do universo feminino, não poderia deixar de iniciar este artigo falando do filme do momento, que está enchendo as bilheterias e tendo um imenso hype! Para quem ainda não foi assistir, uma obra maravilhosa e empoderadora que pede “bis”!

Mulher Maravilha traz um roteiro inteligente e crítico, com personalidade e coragem para fazer renascer dentro de nós aquilo que muitos esperavam, o resgate do que temos de mais sagrado para combater qualquer guerra: o Amor! Longe de ser apenas mais um filme de super-heroína, é uma obra que vibra, relembra e resgata o poder do Eu Feminino Sagrado e a máxima: “I Believe in Love”! E isso com uma emoção profunda, que não há como evitar as lágrimas em certas cenas.  

E fazendo jus ao tema, deixo aqui dicas muito especiais de outras obras que estão vindo com tudo desde poucas décadas para cá, escancarando a voz que não quer calar, aquela que foi e que permanece tentando ser abafada, evitada, alienada, escravizada e desvalorizada pela sociedade machista, muitas vezes excludente, preconceituosa e distorcida diante dos reais valores e essência que toda mulher tem dentro de si.

Nosso maior compromisso é proteger, guardar, nutrir e propagar sementes de Vida envoltas em Amor, e ainda ensinar os homens – aqueles que ainda não sabem, não receberam isso de suas famílias ou não tem consciência – de que esses valores também existem no seu interior, na sua essência, porque todos somos yin e yang, feminino e masculino. Aproveite as dicas, viva a experiência e tire de cada uma dessas obras uma lição para sua vida. Namastê! Com amor! ❤  

  • EMBRACE (ABRACE) 2016 – Documentário sensível, emotivo, muito alegre e de grande coragem da protagonista, que expõe a própria vida e a experiência com próprio corpo para nos relembrar da máxima: precisamos nos amar como somos, precisamos amar nossos corpos como templos da alma e não como meros objetos.

  • GLOW (Gorgeous Ladies of Wrestling) 2017 – Seriado divertidíssimo e, ao mesmo tempo, com uma pegada leve e inteligente, ambientada nos anos 80 e baseada em eventos reais. Mostra os desafios de ser mulher numa sociedade machista da época com profundidade emocional, abordando situações que muitas mulheres passam na vida real e que ficam guardados nos bastidores ou nas “suas sombras”.

  • FINDING HOME – 2014: Menciono novamente o Documentário da Rapha House (Projeto Internacional intitulado “Amor, Resgate e Cura”) – uma profunda, emocionante e também difícil jornada de superação contra o tráfico sexual de crianças e jovens em Camboja e outros locais.

  • THE KEEPERS – 2017: Documentário de investigação – desenvolvido em sete partes – envolto na polêmica morte de uma das mais amadas freiras e professora de um Colégio Católico, que teve sua voz calada ao tentar trazer à tona os abusos sexuais sofridos por inúmeras alunas. As investigações do caso levaram à descoberta de segredos da Igreja envolvendo abuso, memórias reprimidas e crimes que aconteceram em uma das cidades mais problemáticas dos Estados Unidos. Ainda assim, o assassinato permanece sem solução. Conta ainda com entrevistas de amigos, parentes, jornalistas, oficiais do Governo e cidadãos de Baltimore determinados a descobrir a verdade.

  • I’AM JANE DOE – 2017 (“Jane Doe” é um termo usado nos países de língua inglesa por pessoas consideradas “desconhecidas”) – Documentário investigativo que acompanha casos verídicos de meninas americanas escravizadas pelo comércio sexual infantil, através de anúncios nos classificados online de um jornal famoso. Casos revoltantes que são um espelho do que acontece no mundo, e muitos deles ainda sem receber a devida justiça pelas falhas das leis humanas.

  • HIDDEN FIGURES (ESTRELAS ALÉM DO TEMPO- 2016): é um filme baseado em história e fatos reais, um drama biográfico baseado no livro homônimo de Margot Lee Shetterly. Conta a história de três mulheres que precisaram lidar com o preconceito arraigado para que conseguissem ascender na hierarquia da NASA, além de provar sua competência dia após dia pelo simples fato de serem mulheres negras. Em plena Guerra Fria, Estados Unidos e União Soviética disputam a supremacia na corrida espacial, ao mesmo tempo em que a sociedade norte-americana lida com uma profunda cisão racial.

  • CAPTAIN MARVEL (CAPITÃ MARVEL) – Estréia prevista para Março/ 2019: Filme de aventura que contará a história de Carol Danvers – Miss Marvel – uma agente da CIA que tem contato com uma raça alienígena e ganha poderes sobre-humanos. Além de um filme de super-heroína, esperamos o que a Marvel sempre traz: profundidade emocional e identificação com o lado humano da personagem.

  • A VESPA (Ant-Man and The Wasp – Estréia prevista para Julho/ 2018): Será a primeira vez que uma heroína será a protagonista de um filme do estúdio Marvel. Filme de aventura. A sinopse ainda permanece sob certo sigilo.

 

Saiba mais: Filmes, Documentários e Séries de Tv que abordam o Feminino Sagrado – Parte 2

Mesmo que existam “13 Porquês”, sempre haverá uma saída

Muito tem se ouvido falar a respeito da polêmica série lançada recentemente pela Netflix, 13 Reasons Why, com produção da atriz Selena GomezO seriado é baseado nos livros Os 13 Porquês , do escritor Jay Asher, e conta a história do suicídio da adolescente Hannah Baker e o que a motivou a cometê-lo. Antes de morrer ela grava uma série de fitas cassete contando suas experiências, ponto de vista e sentimentos relativo a pessoas diferentes com quem conviveu: amigos, ex-amigos, colegas de escola. As fitas passam a ser ouvidas por cada pessoa que, segundo ela, a magoou, cometeu bullying ou, simplesmente, não ajudou e a ignorou nos momentos em que mais precisava. Na série, o personagem principal Clay Jensen ouve 13 fitas contendo a versão de Hannah ao longo dos 13 episódios.

Mesmo antes da Série ser lançada, uma dúvida ficou no ar: por que a atriz e produtora Selena Gomez não quis atuar, já que seria dado a ela o papel principal? A resposta foi:“Eu estava em um momento muito ruim quando a produção da série começou. Fiquei afastada de tudo durante 90 dias e conheci várias pessoas com os mesmos problemas enfrentados por esses personagens. Eu não conseguiria fazer. Estava lá no último dia de gravação e fiquei acabada assistindo, porque eu passei pela mesma coisa”, revelou. Penso que esse fato contribuiu para as cenas terem sido tão fidedignas à realidade vigente.

Diferente de ser apenas uma série de entretenimento, logo no início já é anunciada uma mensagem de ajuda, o que do meu ponto de vista foi um grande diferencial para os resultados que foram alcançados até então. Segundo o Centro de Valorização da Vida – site que realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por: telefone, email, chat e Skype 24 horas, todos os dias – desde a estréia da série, a quantidade de emails com pedidos de ajuda aumentou 445%, havendo uma alta de 170% na média diária de visitantes no site. A maioria dos pedidos de ajuda foram de jovens que se identificavam com a dor da personagem principal. 

Nesse contexto, para quem já assistiu, para quem já conviveu ou esteve próximo de alguém que já passou por isso, sabe que é impossível ficar calado e conter o desejo intrínseco de divulgar, de ajudar, de passar adiante o objetivo principal comunicado aqui: o suicídio nunca será uma opção! E em se tratando do fato de que o suicídio está sendo a 2ª maior causa de morte entre jovens – estatística mencionada pela equipe multidisciplinar da Série, incluindo psicólogos e psiquiatras – não apenas nos EUA mas também no Brasil, então, precisamos mais do que nunca falar sobre isso.

Por ter conhecido e tratado pessoas que tentaram suicídio, tanto nos anos que trabalhei como terapeuta quanto na fase de minha adolescência – conseguindo auxiliar muitos a sair desta “aparente” rua sem saída – sei o quanto é difícil lidar, compreender e perceber os sinais por parte dos familiares, pessoas conhecidas ou envolvidas emocionalmente. Foram pacientes, colegas de trabalho, amigos, parentes e vizinhos, afinal, quem nunca ouviu falar sobre alguém que já pensou ou está pensando em suicídio?

O importante é sabermos que isso acontece, que pode ser com qualquer um próximo de nós, e precisamos estar preparados para encarar esta verdade e ajudar no que for preciso. Se não soubermos como, busquemos apoio nas instituições e movimentos destinados a isso, nas linhas de diálogo anônimo, no trabalho de psicólogos, psiquiatras e constelações familiares, porque certamente se esse caminho está sendo uma opção, é porque o “furo emocional” está em algum lugar no passado deste ser humano. Esta é quase sempre a chave que se esconde por trás do véu: desestruturação familiar.

Poderia citar aqui muitos casos pelos quais estive frente à frente com esta face “crua, vazia e escura” que o suicídio representa – sem falar no impacto espiritual que essa escolha gera como consequência. Mas, como estou aqui para falar das soluções que levam de volta à sanidade e não à loucura, um dos exemplos louváveis que presenciei foi de um diretor de uma escola em que trabalhei, diante do primeiro caso de um aluno que havia tentado suicídio em sala de aula, durante o intervalo. Ao ficar sabendo do ocorrido, o diretor em questão ligou para a mãe para avisá-la, pedindo sua presença imediatamente. Mas, a resposta que ouviu foi mais ou menos esta: “Desculpe, estou ocupada, no Salão. Vou pedir para meu motorista ir até aí.”

Pois o diretor não teve dúvida e foi até o salão de beleza onde esta dita “mãe” se encontrava, “rodou a baiana” e disse que a levaria arrastada até a escola, se fosse preciso. Por ter conhecido e trabalhado com ele no passado, cujo filho já tinha histórico de síndrome de down e déficit de atenção, considero louvável esta e outras atitudes que presenciei diante de casos como este, pois é isso que os filhos que tentam o suicídio esperam dos pais: presença! Esse é um ingrediente mais do que necessário nestes casos.

Outro caso que gostaria de citar começa com essa frase: “homem, só por ser homem, já é bonito”. Você vai se perguntar, o que esta frase tem a ver com suicídio? Então, a frase em questão está ligada ao histórico de uma mulher, provinda de uma família do interior, com poucas condições, regida por homens rígidos, conservadores e, às vezes, agressivos. Esta mulher não teve prazer em ser mulher, não teve amor em ser mãe porque também não recebeu amor. Ao longo da vida, não esteve confortável com seu papel como mulher porque, simplesmente, foi ensinada a enaltecer o sexo masculino numa época em que as mulheres não tinham “voz ativa” para expressar o que de fato eram, gostavam, queriam ou gostariam de ser, submissas ao eterno “deus fálico”.

Esta mesma mulher, após dois filhos, decide fazer ligadura, não desejando mais ter filhos para conter gastos. Mas, a consciência materna regente pela providência divina decide trazer mais um filho, para a surpresa de todos. Com isso, já na fase intra-uterina, aquela consciência estava sendo rejeitada e passou sendo rejeitada por toda sua trajetória, a ponto desta mulher ter “permitido” que este mesmo filho fosse abusado sexualmente pelo pai – cujo pai também havia sido abusado anteriormente. Este filho, rejeitado desde a fase intra-uterina, tentou suicídio mais de uma vez, mas…ainda não era a sua hora.

A rejeição virou abandono – e me refiro aqui ao abandono emocional, psicológico, espiritual, aquele que cala, que é capaz de esvaziar as fagulhas internas de vida, o brilho nos olhos de uma criança, aquele que é capaz de criar “buracos” na alma que podem se tornar fontes nutridoras para predadores e hospedeiros perversos. Mas, na última tentativa, uma luz se fez na escuridão. A noite tornou-se dia e aquele momento que poderia ter sido de morte foi um marco de renascimento. Alguns anos depois, este jovem virou adulto e um exemplo de superação, ajudando inúmeras pessoas como conselheiro e “terapeuta de vida”, um dom que desabrochou a partir de sua própria experiência, lhe trazendo força para continuar e superar.

Nessa introdução com relatos verídicos, recordando os casos que pessoalmente acompanhei, venho falar desta série fabulosa, visivelmente esculpida com dedicação e seriedade por quem a criou, longe de ser apenas uma “Série Teen”, mas visando abordar temas como: suicídio, bulliyng, estupro, contrabando de armas, drogas, violência de gênero. E além deles, abordando todo tipo de problema que esta fase envolve, num momento em que todo jovem ainda está tendo que lidar com a montanha-russa de transformações que acontecem no cérebro, no corpo, com hormônios e emoções, tudo ao mesmo tempo.

É importante mencionar aqui que os pais da nossa geração – digo a geração dos 40 em diante – não viveram esta Era Digital como acontece com os jovens de agora e, por isso, muitas vezes, não sabem como lidar porque não tiveram esta experiência, muito menos sabem o que significa cyberbullying ou bullying virtual. Portanto, penso que aqueles da “nossa geração” que tem a informação, que conhecem os mecanismos e processos dessas questões tem a responsabilidade de divulgar, de falar a respeito, de passar adiante e auxiliar aqueles que desconhecem o assunto. Para tanto, recomendo a série a todos os pais e familiares que ainda tentam compreender o comportamento dos seus filhos, dos seus irmãos, dos seus primos, sobrinhos e conhecidos.

Estejamos atentos aos jovens ao nosso redor, porque todo ímpeto suicida deixa sinais e, antes do ato propriamente dito, da escolha tomada, este jovem irá chamar a sua atenção, de alguma forma. Não esperemos alguém tomar uma atitude drástica como essa, estejamos focados na prevenção! E para os que porventura estejam lendo este post e pensando nisso, a você falo agora; tenha a certeza que sempre existe uma saída, uma luz no fim do túnel, porque sendo covardia ou coragem – como muitos julgam – tirar a própria vida nunca é e nem nunca será uma opção.

Aos que já passaram por isso, sugiro assistir com cautela, atentando para o fato de não assistir as cenas mais fortes que a própria série alerta antes de iniciar o referido episódio. Dê a você o limite necessário. Concordo com o psiquiatra Luís Fernando Tófoli quando, segundo um artigo sobre a série, diz: “O principal erro da série é, de longe, mostrar o suicídio de Hannah. A cena, que acontece no episódio final, é absolutamente desnecessária na narrativa e claramente contrária ao que apregoam os manuais que discutem prevenção de suicídio e mídia. Chega a ser absurdo que os autores da série ignorem completamente o que indicam explicitamente as recomendações da Sociedade Americana para Prevenção do Suicídio, que foram publicadas após a morte do ator Robin Williams – https://goo.gl/vAQkg6 (…)”. Penso, apenas com essa ressalva, que essa cena poderia ser um “gatilho” de incentivo e não de prevenção, mesmo que o intuito em mostrá-la tenha vindo com intenções de apregoar o oposto.

Diante da polêmica, a Netflix afirmou ter tratado o assunto com o máximo cuidado, recorrendo à consultoria de especialistas durante a produção. Isso se apresenta no final do último episódio, com um documentário de 30 minutos, onde toda a equipe da série, incluindo os atores, falam abertamente sobre o tema, o que é ótimo do meu ponto de vista para esclarecer todos os rumores. Nele, o desenvolvedor do programa, Brian Yorkey, afirma que se trabalhou duro para que as imagens da morte de Hannah não fossem gratuitas: “Queríamos que fosse difícil de ver, para ficar claro que não há nada que valha a pena (no suicídio)”.

Assim, para os que querem ajudar, assistam com acuidade e presença, estejam atentos aos detalhes. Procure identificar se você conhece alguém que esteja passando pelos mesmos problemas, tendo comportamentos semelhantes e dando os mesmos sinais. Segundo algumas reflexões abordadas, a questão é: precisamos ressignificar a forma como nos tratamos uns aos outros, precisamos melhorar essas relações e a estrutura familiar. Caso não possamos melhorar ou mudar a estrutura familiar, podemos melhorar a nós mesmos e recomeçarmos.

Lembre-se: por mais difícil que possa parecer, por mais vazio que possa estar, por mais indecifrável que seja o sentimento, por mais escuro que possa parecer o caminho, sempre existe uma saída, sempre existe uma escolha que leva a uma solução. A Vida sempre convida a celebrá-la e nunca desiste de ninguém, porque enquanto estamos vivos, temos a vida vibrando dentro de nós, mesmo que não possamos senti-la a todos momento. Ainda assim, ela está lá.

Seja forte, seja corajoso, fale sobre isso: o que de fato nos cura é podermos falar sobre os nossos sentimentos, não trancafiá-los à sete chaves numa gaveta dentro de nós e jogar a chave fora. Vá em frente, encontre um sentido para viver. Se não tiver um, construa e crie um sentido para se reconectar com a vida, e se não conseguir sozinho, busque ajuda. Você será sempre aquele por quem você tem esperado, portanto, faça o melhor por você, espere o melhor de você, sempre! E “o melhor” de você não são os “rótulos” que você recebe, mas as escolhas que você faz ao acordar todos os dias para ser o que você é, a escolha de ser digno por estar vivo! Um grande e carinhoso abraço! ❤

Por Luciane Strähuber – Educação Terapêutica Integrativa

ONDE BUSCAR AJUDA

> Centro de Valorização da Vida
Oferece ajuda por telefone, chat, skype, e-mail e presencialmente
Telefones 141 (24 horas, para todo o país) e 188 (gratuito, apenas para o RS)
www.cvv.org.br

facebook.com/cvv141

> Programa de Depressão na Infância e Adolescência, do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, tem limitações de atendimento, mas é possível pedir encaminhamento para lá em qualquer posto de saúde pública. O Setor presta atendimento para bebês, crianças e adolescentes, de zero a 18 anos, e suas famílias.

Contato: Serviço de Psiquiatria da Infância e da Adolescência – Local: 4° andar – sala 400N/ Horário: de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h30/ Telefone: (51) 3359.8413/ Secretária: Clarissa Paim (cfpaim@hcpa.edu.br)/ Chefia: profª. Ana Soledade Graeff Martins (anamartins@hcpa.edu.br)

SITES COM ORIENTAÇÃO

> Setembro Amarelo
Movimento Conte Comigo
Associação Brasileira de Estudos e Prevenção ao Suicídio
> Cartilha Suicídio: Informando para prevenir/ Produzida pela Associação Brasileira de Psiquiatria e do Conselho Federal de Medicina. Disponível no site do CVV, na aba Conheça Mais ou em zhora.co/cartilha-prevenir  

Orgânicos e Veganos: Moda X Conscientização

Seguindo a pesquisa e a divulgação da crescente onda de opções, alimentos e produtos orgânicos e veganos – sendo uma consumidora vegetariana/vegana que não enaltece a “moda do veganismo”, mas sim a conscientização do que você busca, porque compra, como se nutre e como descarta – eis aqui algumas dicas bem interessantes.

Tenho visto muitos produtos no mercado que se dizem veganos e orgânicos, quando na verdade escondem por trás dessa “máscara saudável” uma lista imensa de substâncias artificiais, químicas e nocivas que ficam implícitas nos rótulos. Portanto, fique atento ao “rótulo vegano e orgânico” porque nem tudo é de fato o que parece. Isso significa que nem todo produto natural é orgânico, nem todo produto orgânico não é transgênico – com sementes geneticamente modificadas – e nem todo produto vegano é 100% natural.

Para começar, sugiro o vídeo de apresentação do canal “Do Campo à Mesa”, dirigido por Francine Lima – Jornalista com Mestrado em Nutrição – onde você encontra muito conteúdo abordando a verdade sobre os alimentos, como interpretar os rótulos, como saber se o que está sendo prometido é o que de fato está sendo vendido.

Tendo por base o incentivo de uma alimentação saudável como premissa para obter a informação real do que você consome – fugindo da “desinformação” que ronda muitos produtos – com o intuito de produzir uma atitude consciente, preparamos mais uma lista para você experimentar. “Você é o que você sabe sobre o que você come!” 😉

Sugestões aprovadíssimas de produtos de beleza/ higiene para o cuidado com o corpo (Cosméticos e produtos de beleza veganos, orgânicos e ecológicos, sem testes em animais e quimical free você pode encontrar na Loja Online Lohas Store  

  • Gel Dental de Camomila, Neem, Juá e Sálvia – Marca: Cativa Natureza (Com insumos Orgânicos, Sem Flúor, Sem Sucralose, Sem Sacarina, Sem Conservantes Químicos, Sem Conservantes Artificiais e Sem Crueldade em Animais)
  • Creme Dental Contente (Extratos de Uva, Melissa e Camomila) – Marca: Natural
  • Creme Dental Menta e Melaleuca (sem parabenos, sem triclosan, sem flúor – Eco Friendly 97.8%) – Marca: Boni Natural
  • Absorventes Orgânicos (vários modelos e tamanhos) – Marca: Natracare
  • Esmalte para unhas vegano/ orgânico (Surya Brasil)
  • Shampoo em barra (Ethique)/ Shampoos Marcas: Phytoervas e Fructis/ Garnier
  • Desodorante natural, nas versões Camomila e Tea Tree – (BioEssência)
  • Óleos Essenciais (BioEssência, Terra Flor Aromaterapia. WNF Essencial Oils, Herbia)

Leia mais: Pastinhas Veganas e Vegetarianas: suas receitas mais saborosas e nutritivasMais dicas de produtos orgânicos e saudáveis no mercado!Receitas Veganas: substituindo o leite animal

%d blogueiros gostam disto: